» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.495

Samsung Galaxy A9

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral
Introdução e unboxing

O Galaxy A9 vem em uma caixa branca, na qual se lê apenas o nome do modelo e o ano de lançamento, que é 2016, neste caso. Nos lados, não há muito mais informações, mas na parte de trás você pode ver os destaques do dispositivo, além de informações de hardware e os principais recursos.

Ao abrir a caixa, nos deparamos com o smartphone, que pode ser encontrado no Brasil em duas opções de cores: dourado ou preto. Para nós, a Samsung enviou a versão dourada.

Embaixo do aparelho, temos o guia rápido, com informações de segurança, garantia e instruções básicas de uso, o cabo de dados com entrada micro-USB, a chavinha para abrir as gavetas dos chips e cartão microSD, o adaptador de parede, com carregamento rápido, e um fone de ouvidos com botões de volume e atender chamadas.

Design e tela

Com relação ao design, temos aqui um aparelho mais quadradão, sem as bordas curvas que a Samsung está se especializando em oferecer, como vemos na linha Galaxy A 2017. As laterais são bem retas, o que deixa a pegada do aparelho um pouco mais desconfortável, especialmente quando levamos em conta o tamanhão dele.

Suas dimensões, aliás, são de 161,7mm de altura, 80,9mm de largura e a espessura é de 7,9mm. O Galaxy A9 tem corpo de alumínio, e as partes frontal e traseira são revestidas em vidro, o que deixa o dispositivo bem pesado, chegando a 210 gramas.

Enquanto na parte superior temos um microfone para redução de ruídos e uma das gavetas de cartão, na parte inferior encontramos o microfone, alto-falante, entrada de cabo de dados e energia e o conector de fones de ouvido, no formado P2.

Nas laterais temos os botões de volume à esquerda e o botão liga/desliga à direita, além da segunda gavetinha de cartões. Atrás, a câmera, com uma protuberância que foi retirada nos modelos de 2017 da linha Galaxy A, o flash e o nome da marca e informações legais, incluindo o número IMEI.

A parte frontal tem os sensores de luz e proximidade, que na versão preta são menos aparentes, o alto-falante para chamadas de voz, e a câmera frontal de 8MP. Abaixo da tela, os botões capacitivos e o Home, que é também leitor de digitais.

Um detalhe sobre o Galaxy A9 é que o revestimento Gorilla Glass 4 é bem liso, o que,sse por um lado permite o uso da tela sensível ao toque com suavidade, por outro dificulta que o aparelho fique apoiado em algumas superfícies, pois é bem escorregadio. Lembrando que na traseira temos o mesmo vidro.

A tela tem 6 polegadas e é Super AMOLED, o que garante pretos bem profundos e ótimo contraste, mas cores mais saturadas, o que não é do gosto de todos. Em geral, o display é muito bom, e seu tamanhão permite maratonas de séries e filmes bem interessantes. A resolução é Full HD (1080x1920 pixels).

A Samsung incluiu um recurso para ajustar as cores conforme o gosto do usuário. No entanto, são apenas quatro pré-definições, e não há uma opção de ajuste manual.

Hardware, desempenho e jogos

O Galaxy A9 vem com o processador Snapdragon 652, da Qualcomm, que roda com quatro núcleos a 1.8GHz e outros quatro a 1.4GHz. A placa gráfica é uma Adreno 510, e o aparelho ainda conta com 4GB de RAM e 32GB de armazenamento, expansível com cartão microSD de até 256GB.

O aparelho levou apenas 1 minuto e 49 segundos em nosso teste prático de velocidade e desempenho, o que é um resultado bem respeitável para um intermediário. Para quem gosta de números, sua pontuação em benchmarks foi: 77.228 pontos no AnTuTu, 3.701 pontos no multi-core, 1.403 no single-core e 3.107 pontos no teste de GPU do GeekBench.

Também realizamos testes práticos em alguns jogos. No Asphalt 8, o A9 rodou com média de 29 quadros por segundo, taxa que subiu para 43 no Modern Combat 5. Já em Subway Surfers, que representa os games mais casuais em nossos testes, o dispositivo obteve 59fps.

Com relação aos testes de benchmark, tivemos:

  • AnTuTu: 77.228
  • GeekBench: 1.403/3.701
  • GeekBench GPU: 3.107
  • 3D Mark: 878 (Sling Shot Extreme)
  • GFX Bench:
    • Car Chase: 5,4 fps;
    • Manhattan 3:1: 9,4 fps;
    • Tessellation: 12 fps;
    • ALU 2: 20 fps.
Câmera

A câmera de 16 megapixels do Galaxy A9 não agradou muito. Na comparação com alguns dos rivais deste aparelho, o Moto Z Play, Xperia XA e iPhone SE, o smartphone da Samsung obteve a pior pontuação na opinião dos nossos leitores e redatores do TudoCelular.

De fato, o sensor não trabalha tão bem quanto se espera da Samsung. Apesar de a estabilização ótica ajudar a evitar fotos tremidas, em vídeo a imagem fica bastante tremida. E mesmo com uma abertura f/1.9, o sensor traz imagens muito granuladas com menos luz, mesmo em comparação com sensores cuja abertura permite menos entrada de imulinação.

Com relação às cores, elas são bem vivas, mas às vezes artificiais demais. Geralmente, não chega a ser um exagero, mas muitas vezes é necessário mais de um clique para chegar a um resultado satisfatório.

Para quem sabe trabalhar bem com o modo profissional de uma câmera de celular, porém, é possível tirar fotos muito boas com o Galaxy A9. O app de câmera nativo ainda permite fotos nos modos panorama, foto em sequência, HDR e noturno, além do download de mais opções. Tem também filtros para captura.

Quanto à câmera frontal de 8MP, você pode conseguir imagens muito boas, desde que tenha boa iluminação. Com pouca luz, é bem capaz que a foto saia tremida, ainda mais levando em conta o tamanho e peso do aparelho, que dificulta que o usuário o seguro com uma só mão. O sensor de selfies não tem nenhum tipo de estabilização.

Bateria

Chegamos à grande estrela do Galaxy A9. A bateria de 5.000mAh tem uma autonomia realmente impressionante. O carregador, que é o mesmo oferecido pela Samsung em todos os seus aparelhos com suporte ao carregamento rápido, leva 2h35 para levar a carga de 0% a 100%, sendo que chega a cerca de metade em 60 minutos.

Mas isso não chega a ser um problema. A bateria dura, e muito. Dependendo do seu uso, é bem possível que fique até três dias longe da tomada, e que ainda tenha alguma carga na hora que resolver dar um descanso ao aparelho.

Em nossos testes, o Galaxy A9 suportou 28h45 na simulação de uso real, mesmo tempo alcançado em chamadas de voz no 3G. Já a reprodução de vídeos em FullHD chegou a 23h49 minutos. Na gravação de vídeos, o A9 cravou 7 horas, e mais 9h17 minutos em chamadas de vídeo no Skype.

Enfim, é um aparelho com bateria suficiente para fazer maratonas de séries, ou muitas horas de jogo. Também é possível ficar uns três dias longe da tomada se você só utilizar apps mais básicos, como WhatsApp e outras redes sociais. Enfim, esse é o grande trunfo do Galaxy A9. Mesmo com a tela de 6 polegadas, a bateria aguenta. E muito bem.

  • O carregador padrão da Samsung (com 2A de saída) levou 2h e 35 minutos para carregar os 5.000 mAh do dispositivo. Conectado por 1 hora à tomada, conseguimos 50% de bateria; 1h40 depois, 80% de carga.
  • O smartphone ficou longe das tomadas por um período de 28 horas e 45 minutos;
  • Durante os testes, a tela do A9 permaneceu ligada por 12 horas e 13 minutos;
  • Realizamos 9 ciclos de testes, resultando em:
    • 324 minutos utilizando o WhatsApp, YouTube, Chrome, Spotify, MX Player e PowerAmp (54 minutos cada);
    • 54 minutos jogando Pokémon Go, Asphalt 8, Modern Combat 5, Injustice e Subway Surfers (9 minutos cada);
    • 54 minutos utilizando o Gmail, Google Maps e Facebook (16 minutos cada);
    • 51 minutos realizando chamadas via redes móveis (3G);
  • O aplicativo mais "gastão" foi o Injustice, consumindo 1,6% da bateria;
  • O que menos consumiu energia, porém, foi o MX Player, que basicamente não afetou em nada.
Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Tela, com bom tamanho e resolução boa;
  • Bateria, que suporta o uso pesado tranquilamente;
  • Desempenho, acima da média da categoria;
  • Construção e acabamento do aparelho.

Pontos fracos

  • Câmera, com resultado abaixo dos concorrentes;
  • Pegada desconfortável por conta do formato e tamanho;
  • Ausência do Always on Display.
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Design e acabamento premium, desempenho legal e bateria quase interminável. Pelo preço de lançamento, não valia a pena. Atualmente, já compensa bem mais.

Embalagem e características

A caixa é elegante, sem poluição visual. Os acessórios ficam bem guardados em seu interior, e todos têm qualidade satisfatória.

Comodidade

Dispositivo é grandão, pesado e quadrado, o que torna difícil segurar com uma só mão.

Facilidade de uso

Interface da Samsung é igual em praticamente todos os seus dispositivos, o que torna o uso fácil para quem está acostumado com a marca. Quem não conhece também se acostuma rápido.

Multimídia

O ponto forte do aparelho. Tela de ótima qualidade e tamanho, e bateria que permite maratonas de séries quase intermináveis. Perde um pouco pelo sistema de som, que é mono.

Votação Geral

Não há muito o que reclamar deste dispositivo. Uma das melhores opções atualmente na faixa dos R$ 1.500 a R$ 2.000. Só não é boa opção para quem quer pegada confortável ou não gosta de tela gigante.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Samsung Galaxy A9