LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Registrar e
publicar
Usuário
Email
Senha

Intel poderia ter feito o chip para o iPhone original, diz CEO

17 de maio de 2013 9

Intel logo

O CEO da Intel Paul Otellini está se desligando do seu cargo. Com sua saída, historia interessantes começam a surgir, como por exemplo a de que a Intel poderia ter equipado o iPhone original com seu próprio processador.

Em entrevista ao The Atlantic, Paul disse que ele pessoalmente recusou a oferta da Apple de projetar o chip para o primeiro iPhone, lançado em 2007. Para o executivo, o mundo hoje poderia ser muito diferente se eles tivessem aceitado apoiar o smartphone.

"Nós acabamos não ganhando ou passando isso, dependendo do modo como você vê. E o mundo teria sido muito diferente se tivéssemos feito".

Otellini disse que não havia como prever o que o iPhone representaria para o futuro da tecnologia:

"O que você precisa lembrar é que isso foi antes do iPhone ser anunciado e ninguém sabia o que o iPhone poderia fazer... no final do dia, era um chip que eles estavam interessados e eles queriam pagar um certo preço por ele e nem um centavo a mais e aquele preço era abaixo do nosos custo previsto. Eu não podia ver. Não era uma dessas coisas que você pode fazer em grande volume. Acontece que calculamos o custo errado e o volume foi 100 vezes maior do que qualquer um imaginava".

A consequência da decisão de Otellini foi desastrosa para a Intel. Ainda hoje, a empresa luta para conseguir algum espaço no mercado mobile, e seus processadores Atom ainda não conseguem bater de frente os chips ARM produzidos, entre outras empresas, por NVidia e Qualcomm.

Se curtiu, compartilhe!


9

Comentários

Continue no Fórum » Intel poderia ter feito o chip para o iPhone original, diz CEO

Aplicativo permite gravação de vídeo em 4K em iPhones; assista ao resultado

Vídeo 'hands-on' mostra recursos presentes no Apple Watch

iPhone: a trajetória do smartphone que ditou o futuro

Segundo jornal, iPhone 6 não veio com tela de Safira por falta de gerenciamento