» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.319

Apple iPhone SE

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral
Introdução e unboxing

O mercado de smartphones de tela pequena estava fadado apenas aos dispositivos de baixo custo, deixando muita gente (inclusive este redator que está escrevendo o review) na vontade. A Sony criou a linha Compact de alguns Xperia Z, mas apenas um destes celulares chegou ao Brasil. Agora, a Apple mostra que dá para criar um smartphone de quatro polegadas, mantendo um hardware com poder de fogo suficiente para brigar com vários concorrentes mais caros. Este é o iPhone SE, que vem com exatamente o mesmo processador e memória RAM que está no iPhone 6s, mas em um corpo menor. Se ele é realmente uma pedra no sapato do Android e a salvação para amantes de telas pequenas, é o que vou tentar contar nas próximas linhas.

A caixa deste modelo é basicamente a mesma que você viu em nossa resenha do iPhone 6s ou dos outros iPhones, só que bem menor. Ela é feita com o mesmo papelão bem firme, com uma foto do smartphone em tamanho real na frente e que é em alto-relevo. O pacote conta com exatamente o espaço necessário para os acessórios, o smartphone e nada além disso. Ele vem com um cabo Lightning, carregador de tomada, fones de ouvido EarPods em sua própria caixinha plástica e um pacote com manuais e adesivos com o logo da fabricante.

Design

Se você já esbarrou na vida com o iPhone 5s, não vai notar quase que nenhuma diferença neste modelo. O iPhone SE é basicamente o iPhone 5s em tamanho e visual, além de material de acabamento, só que com o hardware mais recente da Apple para 2015. Se você ainda não viu o iPhone 5s, aqui vão alguns detalhes sobre o corpo deste modelo: as bordas são feitas em alumínio e a traseira também, com exceção das extremidades do topo e de cima, que são de vidro na cor do smartphone. A frente exibe uma tela IPS LCD de 4 polegadas com resolução de 1136 x 640 pixels, o que dá aproximadamente 326 pixels por polegada de densidade, ocupa 60,8% da frente do gadget e acomoda um leitor de impressões digitais, câmera frontal de 1,2 megapixels e o alto-falante.


A capacidade de reprodução de cores e detalhes é exatamente a mesma do iPhone 5s, o que significa que temos cores bem balanceadas e sem aberrações cromáticas em quase que todo o momento. O ângulo de visão é bastante grande e a visualização sob sol forte também não é problema - mesmo que inferior ao que qualquer tela AMOLED pode oferecer.

Os botões de controle de volume voltam a ser redondos e ficam próximos da alavanca tradicional da Apple para ligar, ou desligar, o modo silencioso. Abaixo está a entrada para o cabo Lightning, que trabalha em USB 2.0, microfone e alto-falante. Acima está apenas o botão liga/desliga. Do outro lado fica a solitária gaveta para nano-SIM, que precisa de uma ferramenta específica e que já vem na caixa, para ser aberta.

A pegada, por ser pequeno, é bastante confortável e a traseira escorrega bem pouco. Ele conta com 123,8 milímetros de altura, por 58,6 milímetros de largura e 7,6 de espessura, tudo isso somado aos 113 gramas de peso total. Isso ocorre graças ao metal áspero utilizado pela Apple e que adiciona boa aderência nas mãos e também em superfícies lisas. Atrás está a câmera de 12 megapixels, abertura f/2.2, dois LEDs para flash e que filma em até 4K com 30 quadros por segundo. A bateria continua lacrada no dispositivo e apresentou uma autonomia de 15 horas seguidas de uso. Para mais detalhes sobre o consumo dos 1.624mAh de bateria, é só clicar aqui.

Desempenho

Por aqui as coisas são quase que idênticas ao que vi lá no iPhone 6s (e também no iPhone 6s Plus), só que com um ponto positivo para a Apple. No processador há um chip Apple A9, que colocou dois núcleos Twister rodando em 1.84 GHz, acompanhado de 2 GB de memória RAM e opções entre 16 GB e 64 GB de memória interna. Pode parecer pouco, mas como disse antes este hardware é o mesmo dos modelos mais caros, que brigam de frente com Galaxy S7 e o G5 do exterior, que não é o nosso capado. A vantagem do iPhone SE é que ele tem menos resolução para que a GPU PowerVR GT7600 trabalhe, o que significa um ganho significativo de poder de fogo, mesmo com o mesmo hardware.

Assim como já aconteceu nos iPhones mais caros, o desempenho em animações e mesmo com muitos apps abertos ao mesmo tempo, é fantástico. Tudo roda bem, não há travamentos e muito menos engasgos por parte de todo o sistema. O iOS 9.3.2 que está instalado neste modelo de testes não apresentou lentidão mesmo quando estava com mais de 20 apps abertos no fundo, algo que dificilmente um Android de mesma faixa de preço consegue. Olhando para o iOS em si, ele é exatamente o mesmo iOS que está em todos os outros iPhones, com exceção de um recurso que foi removido para contenção de custos por aqui: não há 3D Touch e o leitor de impressões digitais não é tão veloz como no iPhone 6s.


Mesmo sem o leitor de impressões digitais ágil de seu irmão mais poderoso, o iPhone SE não faz feio e é necessário apenas um repouso de um ou dois segundos no botão para destravar a tela. Como não existe tela de 4 polegadas em aparelhos mais recentes da Apple faz tempo, o desenvolvimento da interface de usuário ficou focada em mais resolução. Este ponto fica visível em alguns aplicativos que ficam com textos pulando para fora de botões, ou simplesmente são cortados antes do fim, como no caso do Cabify. Em alguns, como no jogo Sky Force, os textos ficam pequenos demais para poder ler com facilidade - pode ser que isso seja um costume que tenho de telas grandes, com textos maiores, ou problema de visão mesmo. Na imensa maioria dos aplicativos e games, este problema não fica aparente.

De resto, temos a mesma quantidade de apps pré-instalados de outros iPhones, como o app de bolsa, previsão do tempo, navegador Safari, Watch (para o Apple Watch) ou mesmo o cliente de e-mail e gerenciador de fotos da Apple. Nenhum deles é removível (ao menos no iOS 9.x).

Se você gosta de benchmarks, seguem aqui alguns resultados obtidos com o iPhone SE:


Jogos

A GPU PowerVR GT7600 é a mesma que temos nos iPhones mais caro, o mesmo vale para o processador e a memória RAM disponível. Isso só pode significar que o mesmo poder de fogo dos aparelhos mais parrudos, também está aqui - e com um fôlego extra, por conta da resolução menor. É isso mesmo o que acontece. Testei títulos pesados como Dead Trigger 2, Real Racing 3 e Mortal Kombat X, que rodaram com muita facilidade e até trocando de jogo enquanto dois estavam no fundo. Nenhum deles exibiu qualquer travamento ou desempenho caindo, até durante as trocas de app. Isso pode te dar a segurança de que o iPhone SE rodará qualquer game pesado da App Store até a próxima geração, ou ainda mais além.

Câmera

Mais uma vez o iPhone SE faz exatamente como os aparelhos mais velhos, já que conta com exatamente o mesmo sensor e lentes do iPhone 6s. Isso significa que você encontra por aqui uma câmera traseira de 12 megapixels, com abertura f/2.2, que filma em 4K e faz vídeos em câmera lenta de até 240 quadros por segundo. A reprodução de cores é bem balanceada, não há contraste exagerado no trabalho do HDR e ele, o HDR, é bem veloz para registrar a foto e liberar o app de câmera para a foto seguinte. Fotos em baixas condições de luz ficam pouco mais escuras e granuladas do que concorrentes diretos, como os Galaxy A e até o S7, ou G5.

A câmera frontal é um dos pontos de corte de custos e tem apenas 1.2 megapixels, com qualidade apenas aceitável para uma selfie em ambiente bem iluminado. Se você pensar em fazer selfie de noite, ou que quer agrupar vários amigos numa só foto, pode esquecer. O ângulo de visão da câmera do iPhone SE é bem pequeno e o granulado fica visível até em fotos tiradas de dia.

Pontos fortes e pontos fracos

Pontos fortes

  • Mesmo desempenho, ou até maior, do que o iPhone 6s
  • Compacto e é possível controlar tudo com uma só mão
  • Preço extremamente competitivo, ao menos lá fora
  • Melhorias de software fizeram a bateria durar uns minutos extras

Pontos fracos

  • Existem alguns apps que não estão adaptados para uma tela pequena
  • Poucos acessórios ainda existem no mercado
  • Bateria, como sempre, poderia ter maior autonomia
  • Câmera frontal é péssima para 2016
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O custo deste iPhone está abaixo de um G5 SE, que tem hardware inferior - ganha apenas em câmera. É mais barato do que o S7 e tem hardware quase igual, mas também perde em câmera. Se você pensa que câmera não é o principal em um smartphone, este pode ser o melhor iPhone que seu dinheiro pode comprar.

Embalagem e características

Bem organizada, alinhada, mas sinto falta de suporte para um carregador mais veloz.

Comodidade

Que saudade que eu estava de tocar toda a tela com um dedo da mão que segura o smartphone!

Facilidade de uso

iOS é simples e fácil de aprender, mesmo que para marinheiros de primeira viagem.

Multimídia

Tem hardware de sobra para rodar tudo que você quiser, por alguns anos.

Votação Geral

Se você está procurando um smartphone pequeno e poderoso, não há melhor opção no Brasil - até olhando para os Androids.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Apple iPhone SE