» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
8.999

Apple iPhone 12 Pro Max

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

Finalmente chegou a hora de conferir tudo o que o maior e mais caro iPhone já lançado tem a oferecer. Sim, estou falando do iPhone 12 Pro Max, o mais completo da linha 2020 e que traz todas as tecnologias mais recentes da Apple. Seria este o melhor lançamento do ano? Vamos conferir tudo o que ele tem a oferecer e se vale a pena pagar mais por ele do que investir em um bom top de linha Android.

Acessórios

O iPhone 12 Pro Max vem em caixa menor do que os modelos anteriores. Isso acontece porque a quantidade de acessórios foi reduzida e não temos mais o carregador e fone de ouvido na caixa. Além do celular, você receberá os seguintes acessórios:

  • Cabo no padrão USB-C em uma ponta e Lightning na outra
  • Chavinha para a gaveta do SIM card
  • Guia básico de uso
  • Adesivo da Maçã
Design e construção

O iPhone 12 Pro Max pode ser o maior e mais pesado celular já lançado pela Apple, mas ele consegue ser mais fino do que seu antecessor. Isso foi possível graças à redução de bateria. Já os gramas extras são explicados pela nova estrutura de metal que herda o antigo design da era do iPhone 5 e o vidro reforçado da tela que recebe o nome de Ceramic Shield.

O entalhe gigante ainda continua presente no topo da tela, porém as bordas foram reduzidas para acomodar um display maior. A lateral de aço tem polimento brilhante no 12 Pro e 12 Pro Max, dando um ar mais premium que a versão fosca dos modelos mais baratos, mas por outro lado risca com muito mais facilidade.

O vidro na traseira não é tão resistente quanto o frontal e o acabamento fosco não torna o 12 Pro Max menos escorregadio. O bloco saltado de câmeras continua presente para reforçar que não teve fortes mudanças no design de um ano para o outro. De novidade temos apenas o sensor LiDAR que fica próximo do conjunto triplo de câmeras.

Usar o iPhone 12 Pro Max com apenas uma mão é complicado. É um aparelho pesado e que escorrega fácil. Por mais que seja resistente é bom investir em uma boa capinha, ainda mais quando se trata de um celular tão caro. A certificação IP68 também foi aprimorada e permite resistir até 6 metros de profundidade na água.

Em termos de tecnologias e conectividade a maior novidade é o 5G. Por padrão, o iOS tenta manter o celular o máximo possível no 4G para economizar bateria, mas é bom saber que você já tem um aparelho preparado para o futuro. Há também o suporte magnético para vários acessórios MagSafe, incluindo novo carregador sem fio que entrega maior potência.

Tela e som

Todos os iPhones desta geração trazem tela OLED de 60 Hz, porém o Max é o que tem o brilho mais forte. Também há suporte a HDR10 e Dolby Vision em todos os modelos. É uma pena que a tela não tenha uma velocidade superior, pois casaria muito bem com as animações ágeis do iOS. Pelo menos o sensor de toque responde a 120 Hz, deixando a resposta do sistema praticamente instantânea.

E se tem um ponto que Apple sempre se destaca é na calibração de tela. Por padrão terá uma imagem que representa com quase perfeição o nosso mundo. O melhor é que as cores não são afetadas pelo nível de brilho, como é comum em qualquer celular.

Para complementar a experiência multimídia temos áudio estéreo bem balanceado, por mais que o alto-falante de chamadas não seja tão potente quanto o principal ao lado da porta Lightning. O volume supera o seu antecessor com graves profundos, médios precisos e agudos ser distorção. Ele se destaca por pouco acima dos demais da linha 2020.

E o fone de ouvido? Bem, Apple não manda mais o acessório na caixa, como fez com o carregador. Com o fone que testamos tivemos um som alto e limpo, o que faz o 12 Pro Max ser um ótimo aparelho para curtir músicas.

Desempenho

O iPhone 11 Pro Max foi lançado há um ano e por todo esse tempo foi o nosso rei em velocidade. Finalmente o antigo top da Maçã foi substituído e o nosso novo campeão é o 12 Pro Max com incrível marca de 36s para abrir e reabrir uma dúzia de apps e jogos. É um feito impressionante e que nenhum celular Android consegue chegar perto.

Em benchmarks também temos números altos, o que prova que o chip A14 Bionic não brinca em serviço. No AnTuTu chegamos próximo dos 650 mil pontos. Testes sintéticos importam para você?


Caso esteja mais interessado em jogos, saiba que o Max roda qualquer game disponível para iOS com a melhor fluidez possível, dentro dos limites do que a tela de 60 Hz consegue lidar. Realmente é uma pena não termos uma tela de 120 Hz aqui para vermos os jogos rodando suave a 120 fps, ainda mais quando a GPU bruta da Apple conseguiria lidar com isso com bastante folga.

Câmeras

Uma tecnologia presente no iPad Pro e que agora chega aos iPhones é o LiDAR. Ele é um tipo de scanner que mede distância ao disparar feixes de laser com base nos reflexos recebidos pelo sensor. Qual a utilidade disso? Criar objetos 3D de forma precisa e depois inseri-los no mundo real com ajuda da realidade aumentada.

Um bom exemplo para isso seria acessar o site de uma loja de móveis e descobrir se o sofá que você deseja comprar caberá na sua sala. A tecnologia pode ser usada em apps e jogos para aprimorar a experiência, mas também tem sua utilidade na fotografia ao agilizar a resposta do foco em condições de pouca luz.

Principal | Ultra-wide




O 12 Pro Max traz três câmeras na traseira com resolução de 12 MP, mas não é o mesmo conjunto dos demais. Ele conta com sensor 47% maior e que consegue capturar muito mais luz, ajudando a registrar fotos mais claras e com menos ruídos à noite. Porém em locais bem iluminados a vantagem do sensor maior é quase nula e temos qualidade similar aos demais da linha.

As imagens apresentam alto contraste, pouco ruído, branco equilibrado e cores próximas da realidade. O HDR faz bem o seu papel, apesar deste nunca ter sido o forte da Apple. Por mais que o novo sensor registre mais detalhes, ainda vemos pequenas falhas e borrões, o que mostra que há margem para melhorias.

Zoom




A câmera ultra-wide ainda registra fotos piores comparado à principal. Muitas vezes você só perceberá ao ampliar as imagens. O que importa é que o ângulo de abertura é bastante amplo e o software faz uma excelente correção da distorção de lente. Vale a pena usar esta câmera ao fotografar. E mesmo à noite não vemos imagens granuladas ou muito escuras.

Ainda não foi dessa vez que vimos um zoom de longo alcance no iPhone. Apple ampliou a lente teleobjetiva para zoom óptico máximo de 2,5x, o que parece ser defasado para um lançamento de 2020, mas a verdade é que a qualidade das fotos com zoom é excelente. Agora se você for além disso e precisar apelar para o zoom digital, já terá uma queda acentuada na qualidade. Comparado ao Note 20 Ultra vemos uma clara vantagem para o modelo da Samsung.

Selfies



As fotos noturnas realmente mostram que o 12 Pro vai além dos modelos mais baratos. É aqui onde o sensor maior faz diferença e temos ótimas fotos mesmo sem abusar do modo noturno. Ele é ativado automaticamente pelo software da câmera, e muitas vezes nem sequer entra em ação.

O modo retrato é feito usando a câmera teleobjetiva para dar profundidade aos cenários, mas o sensor LiDAR também ajuda em alguns casos para aprimorar ainda mais a separação entre planos.

Noturno



A câmera frontal é a mesma dos demais da linha e como esperado registra ótimas selfies. Este sempre foi o forte da Apple e o iPhone 12 Pro Max dá trabalho para a concorrência. Comparado ao Galaxy Note 20 Ultra temos cores mais equilibradas de dia, porém à noite a diferença é pequena entre os dois.

Outro grande destaque da câmera do iPhone 12 Pro Max está na captura de vídeos em Dolby Vision. Você pode editar no próprio celular e upar direto para o YouTube, mas só é possível visualizar este tipo de conteúdo em equipamentos com suporte ao padrão.

Comparamos um vídeo gravado em Dolby Vision rodando no iPhone 12 Pro Max e no seu antecessor e notamos cores mais vívidas no modelo de 2020. A diferença é pequena; não vá esperando que o Dolby Vision fará milagres. No geral, a filmadora é capaz de registrar ótimos vídeos em 4K, tem estabilização eficiente, foco ágil e captura de áudio limpa.

Bateria

O 11 Pro Max foi o iPhone com a melhor autonomia de bateria de todos que testamos e é uma pena que a Apple tenha reduzido a bateria no novo. Como temíamos, a autonomia acabou sendo sacrificada e tivemos uma queda de 15% em média na duração. Ainda assim será possível passar o dia fora de casa sem se preocupar em levar o carregador.


Como não veio carregador junto com o iPhone 12 Pro Max, usamos o antigo do seu antecessor. Afinal é isso que a Apple quer a gente faça, né? Deixar de acumular com acessórios para salvar o planeta. Pois bem, com o carregador de 18W foi preciso esperar quase 2h para ter a bateria completamente cheia. Com o carregador de 20W vendido a parte por R$ 200 deve demorar alguns minutos a menos.


Com uma carga rápida de 15 minutos terá 25% da bateria recuperada, chegando à metade da carga com 30 minutos na tomada.

Software

O 12 Pro Max sai da caixa com iOS 14.1 e como os demais recentes lançamentos da Apple terá 5 anos de atualizações do sistema. Aqui você não terá recursos extras por pagar a mais pela versão mais cara. São os mesmos recursos presentes em todos os outros com a maior novidade sendo os widgets.

É uma pena o iPhone Pro Max não trazer uma tela de 120 Hz para explorar a fluidez e velocidade ao máximo do iOS como acontece no iPad Pro. Apple preferiu investir no 5G por ser uma necessidade mais urgente. E convenhamos que combinar 5G com tela de alta frequência e bateria pequena não daria muito certo.

Rivais

Como visto, o iPhone 12 Pro Max é um excelente celular, mas custa uma fortuna. Se você não quer pagar R$ 10 mil por ele, há boas opções de outras marcas que custam quase metade. O Note 20 Ultra é o seu maior rival aqui no Brasil, mas entrega desempenho inferior e a bateria dura menos. Pelo menos em câmera não fica atrás do iPhone.

O mais avançado.... ou pelo menos o mais caro da Samsung é o Fold 2. Seu diferencial está no fato de ser um celular dobrável, mas também não entrega o mesmo desempenho e bateria do iPhone. E o pior, sai ainda mais caro.

Um lançamento recente da Xiaomi no segmento de top de linha é o Mi 10 Ultra, que apesar do nome não impressiona tanto, mas tem seus atributos como o poderoso zoom que vai muito mais longe do que o do iPhone 12 Pro Max.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Excelente experiência multimídia
  • Desempenho exemplar
  • Boa bateria
  • Boas câmeras para fotos e vídeos
  • Sistema fluído e ágil

Pontos negativos

  • Laterais riscam fácil
  • Preço salgado
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Custo-benefício é complicado pelo preço salgado já que não é tão superior a rivais com Android pela metade do preço

Embalagem e características

Embalagem não vem com carregador e nem fone de ouvido

Comodidade

O iPhone 12 Pro Max é o maior celular lançado pela Apple, sendo ruim de usar com apenas uma mão

Facilidade de uso

É o mesmo sistema simples de usar dos demais iPhones

Multimídia

Experiência multimídia é excelente, com tela de qualidade e som estéreo potente

Votação Geral

iPhone 12 Pro Max é o celular mais rápido do momento e entrega boa bateria e câmeras de respeito

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Apple iPhone 12 Pro Max