» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
610

Motorola Moto E4 Plus

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral
Embalagem e acessórios

A caixa do Moto E4 Plus no Brasil traz as cores laranja e azul, com o logo da motorola na cor branca e um poodle de bexiga azul na parte da frente, além do nome do modelo, claro. Os detalhes técnicos e outras informações do aparelho estão na parte esquerda, enquanto na parte de baixo tem IMEI, número do modelo, conteúdo da caixa e outras informações. A parte de cima é azul clara, e no lado direito, que é onde temos a abertura, mais tons azuis.

Abrindo a caixa, encontramos o aparelho e uma divisória em papelão, embaixo da qual encontramos os acessórios. Que, neste caso, inclui os manuais, um cabo USB para micro USB, um adaptador de parede, com saída de 5V e 2A. Nada de carregamento rápido aqui. Continuando, temos ainda um fone de ouvidos intra auricular com microfone para atender chamadas. Todos na cor branca.

Design e tela

O aparelho tem um acabamento plástico de boa qualidade, com uma chapa de alumínio que é praticamente toda a tampa traseira - o que, inclusive, torna bem difícil o ato de remover a capinha para colocar o chip ou um cartão de expansão. Em linhas gerais, temos um dispositivo bem elegante, com as laterais e vidro da tela curvos conferindo uma pegada boa a um smartphone grande.

A aparência do Moto E4 Plus segue bem as linhas da Motorola 2017, lembrando bastante o Moto G5. Suas dimensões são de 155 mm de altura e 77,5 mm de largura. E ele é bem mais gordinho que a maioria dos aparelhos de 2017, chegando a 9,55 mm de espessura. Tudo isso em um aparelho de 198 gramas. A espessura e o peso elevados se devem à bateria monstruosa de 5.000mAh.

Os botões de volume e energia se encontram do lado direito, enquanto o lado esquerdo é totalmente liso. Na parte de baixo, encontra-se a entrada micro USB bem no centro, com o microfone no lado direito e o alto-falante, com otimização Dolby Atmos, à esquerda. A parte superior só tem a entrada para fones de ouvido.

Na traseira, a câmera fica centralizada em um círculo separado, com o sensor e o flash LED embaixo. Não tem nenhuma lombada aqui, provavelmente porque a bateria deixou o aparelho espesso o bastante para comportar a câmera sem problemas. A lente fica até em um nível um pouco abaixo, o que deve ajudar a evitar riscos no vidro. Na parte de cima tem um microfone de redução de ruídos.

A tampa é removível, p que dá acesso aos slots dos cartões SIM e de expansão. Um dos chips entra embaixo do cartão de expansão e tem uma chavinha que te ajuda a removê-lo. O outro chip entra do outro lado. Mas a bateria não é removível.

Na parte da frente, temos um flash para selfies, o alto-falante de chamadas, a câmera e os sensores de luz e proximidade, todos bem pertinho uns dos outros, em uma borda bem generosa. Na parte de baixo, encontramos o leitor de digitais, que se torna cada vez mais comum na telefonia celular.

A tela IPS LCD tem 5,5" e roda na resolução HD, ficando abaixo de toda a linha Moto G5 em densidade, que é de aproximadamente 267 ppi aqui no aparelho de entrada. O vidro ainda tem proteção Gorilla Glass 3.

Quanto ao nível de reflexos, se você mantiver o brilho em um nível confortável para uso no ambiente em que estiver, não deve ter grandes problemas. Claro que uma janela vai acabar sendo refletida, mas nada demais. Dá para usar tranquilamente este aparelho, desde que você consiga um brilho que não machuque os olhos ou seja baixo demais.

Falando em brilho, é possível usar razoavelmente bem o Moto E4 Plus embaixo do sol, apesar de não ser o melhor brilho máximo da categoria. No escuro, já fica meio difícil. O brilho mínimo é um pouco alto e vai causar fadiga aos olhos se usado por muito tempo.

Vimos em nosso comparativo de tela que as cores são bem equilibradas, e não há muito o que falar sobre o assunto, ainda mais por ser um aparelho de entrada, então não vamos exigir uma exibição de altíssima qualidade aqui.

É possível alterar o modo de exibição padrão para um de intensidade, com cores mais vívidas. E também dá para ativar o filtro de luz azul para uso à noite pelo Moto Tela.

Áudio

Esse dispositivo tem tecnologia de áudio Dolby Atmos, que garante um sistema de bom bem legal para a categoria. Apesar de ter apenas um alto-falante para mídia, localizado na parte de baixo, a qualidade é boa. O som é mais limpo do que eu já vi em muito intermediário, por exemplo.

Você pode ouvir uma amostra da qualidade de som do aparelho no vídeo que abre esta análise.

Hardware e desempenho

No interior do E4 Plus, temos um processador MT6737, da MediaTek, que tem quatro núcleos rodando a 1.3 GHz. A placa gráfica é a Mali T720 MP1. Esse dispositivo tem apenas 2GB de memória RAM e 16GB de armazenamento interno, expansível via cartão microSD de até 128GB.

E, como esperado, demorou bastante nas duas voltas em nosso teste de desempenho. A primeira foi realizada em um minuto, 48 segundos e mais 31 milésimos. E, sem segurar nenhum app para a segunda volta, a rodada de reabertura levou mais um minuto, 42 segundos e 38 milésimos, totalizando três minutos e meio para cumprir as duas voltas.

Passamos algumas ferramentas de benchmark, também. Veja abaixo os resultados do E4 Plus nesses testes:

  • AnTuTu: 23.208 pontos
  • GeekBench: 551 (single-core) e 1.554 (multi-core) em CPU; 946 pontos em GPU
  • 3D Mark: 108 pontos
  • GFX Bench
    • Manhattan: 3,4 FPS (HD) / 1,4 FPS (Full HD)
    • T-Rex: 11 FPS (HD) / 6 FPS (Full HD)

Quanto aos jogos, não dá para esperar muito do E4 Plus. Foi difícil rodar o Asphalt 8 para os testes, mas no final conseguimos. Usando o Gamebench, fizemos a medição da taxa de quadros que o jogo roda neste aparelho, que apontou 14 FPS.

Em Modern combat, que é um pouco mais leve, a ferramenta contou 23 quadros por segundo, o que torna o jogo um pouco mais suave de rodar aqui.

E nem mesmo Subway Surfers, que é o representante dos jogos mais casuais, conseguiu uma boa marca. Foram 53 quadros por segundo, mas deu para reparar umas boas travadas durante a partida.

Câmeras

A câmera traseira do Moto E4 Plus tem 13 megapixels de resolução máxima e abertura f/2.0, com gravação de vídeo em 720p. Já o sensor frontal pode tirar fotos com até 5 megapixels e abertura do diafragma f/2.4, e ele também grava vídeos em 720p.

O aplicativo da câmera é uma versão mais simplificada da linha Moto G5. São menos modos, só com panorâmica, vídeo e foto, sendo que na frontal só tem esses dois últimos. Configurações e rolo da câmera são acessados deslizando para a direita ou para a esquerda, respectivamente. E aqui, ao menos, temos as grades de assistência para ajudar no enquadramento.

Quanto à qualidade das fotos, não há muito o que falar. São imagens razoáveis para a categoria, e nada além disso - apesar de ele ter ficado em último no nosso comparativo de câmeras. O E4 Plus foi bem no macro com muita luz, mas quando baixa a luminosidade, não consegue bons resultados.

Em um ou outro cenário, foi difícil acertar o foco, mas isso pode ser resolvido com o recurso de tocar na tela para dizer ao aparelho qual é o assunto de interesse. O que também te permite ajustar o valor de exposição para mais ou para menos, deixando a imagem mais clara ou mais escura - e evitando estourar ou deixar demasiado escura alguma parte interessante.

A selfie também não tem nenhum ponto de destaque a se observar. Dá para tirar umas fotos para as redes sociais.

Em vídeo, as imagens ficam com umas travadas bem bizarras. A qualidade das cores e o nível de brilho são bons, mas essas travadas e o fato de ser apenas em 720p são pontos bem negativos. Na câmera de selfies, o resultado é pior, pois perde em nível de detalhes e nitidez. Você pode ver alguns exemplos no vídeo que abre a matéria.

Enfim, não é um celular para quem quer filmar alguns vídeos, mas ao menos dá para tirar algumas fotografias interessantes, se você tirar um tempo para se habituar ao sensor.

Bateria

E chegamos ao grande destaque do Moto E4 Plus: a bateria. São 5.000mAh, uma capacidade que não se vê em muitos aparelhos hoje em dia.

Sem o carregamento rápido, no entanto, leva um bom tempo para preencher essa carga toda de 0 a 100%. Em nosso teste, cronometramos 3h13 minutos. Já o nosso teste de simulação de uso real chegou a 21h13 minutos, o que garante quase dois dias de uso sem problema. Mas esperávamos um pouco mais desses 5.000mAh, ainda mais com resolução HD.

Veja todos os resultados em nossos testes:

  • Foram necessárias 3 horas e 13 minutos para o carregador padrão de 2A da Motorola preencher totalmente a bateria de 5.000 mAh. Com 60 minutos, você consegue 39% de carga.
  • Após 21 horas e 13 minutos, o aparelho finalizou os ciclos do teste com saldo de apenas 4% de energia restante.
  • O smartphone completou um total de 10 horas e 12 minutos com a tela ligada durante o teste.
  • Realizamos 15 ciclos completos de testes, que incluíram:
    • 90 minutos de navegação no Chrome;
    • 450 minutos de WhatsApp, Spotify, PowerAmp (música offline), MX Player (vídeo) e YouTube (90 minutos cada);
    • 90 minutos de jogos (Pokémon Go, Subway Surfers, Candy Crush, Modern Combat 5, Injustice e Asphalt 8);
    • 90 minutos de Facebook, Gmail e Google Maps (30 minutos cada);
    • 60 minutos de chamadas de voz conectado às redes móveis;
  • O aplicativo que mais consumiu a bateria foi o jogo Subway Surfers.
  • O que menos consumiu foi o MXPlayer.

Resultados razoáveis, mas, novamente, esperava mais de um aparelho com a bateria monstro que o E4 Plus tem. O Moto Z Play, por exemplo, conseguiu marcas bem parecidas, e até melhores em alguns casos, com 3.500 mAh.

Software

Em relação ao software, a Lenovo oferece a versão mais atual do Android, o 7.1.1 Nougat, que inclui funções como uso da tela dividida entre dois aplicativos ou a alteração do tamanho de exibição dos elementos na tela, por exemplo.

Diferente de outros modelos da marca Motorola, a Lenovo não incluiu neste aqui o recurso para ligar a lanterna ou abrir a câmera com movimentos. Mas tem o modo de navegação por um toque, usando o sensor biométrico, e também a redução do tamanho da tela para uso com uma mão deslizando o dedo.

Além dos recursos do Moto Tela, que tem o já mencionado filtro de luz azul e a exibição de relógio e ícones de notificações com a tela desligada quando você pega o smartphone da mesa ou do bolso.

De resto, a Lenovo fez poucas modificações na interface, que é considerada quase pura. Ah, ele já tem o Google Assistente disponível para quem quiser configurar.

E não podemos esquecer, ainda, do sensor biométrico. A Lenovo/Motorola trouxe o leitor de digitais com navegação em um toque para a família Moto E4, trazendo o recurso para alguns de seus dispositivos de entrada. O leitor funciona bem, como acontece na linha Moto G5.

Pontos positivos e negativos

Pontos fortes

  • Bateria, da qual se esperava mais, mas ainda assim dá uma autonomia muito boa e acima da maior parte das opções do mercado;
  • Presença de slots separados para dois cartões micro SIM e um micro SD;
  • Qualidade de áudio, graças à tecnologia Dolby Atmos;
  • Acabamento, de ótima qualidade para a categoria;
  • Presença do sensor biométrico, que vai chegando à categoria de entrada.

Pontos fracos

  • Desempenho é bem decepcionante, especialmente em jogos, mesmo para um dispositivo de entrada;
  • Gravação de vídeos, que além de só ser possível em 720p, dá uns engasgos;
  • Tela, que, apesar de exibição razoável, tem brilho mínimo muito alto, e portanto visão desconfortável no escuro;
  • Dimensões e peso muito elevados;
  • Ausência de alguns dos gestos no Moto Ações.
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O E4 Plus não vale o preço oficial sugerido pela Motorola, de R$ 899 atualmente.

Embalagem e características

A caixa é elegante e divertida ao mesmo tempo. Os acessórios, de boa qualidade, são embalados individualmente, mas poderiam ser guardados com mais cuidado na parte de baixo da embalagem.

Comodidade

O aparelho é muito grande, e a bateria gigantesca deixa a espessura com quase 10mm. A traseira ainda é escorregadia, o que dificulta bastante a pegada. Ao menos ele tem laterais e bordas do vidro da tela curvas.

Facilidade de uso

Interface da Motorola é bem limpa, mas faltaram os gestos mais bacanas da Motorola aqui, de agitar para ligar lanterna e girar para abrir a câmera.

Multimídia

Tela tem qualidade razoável, mas o uso no escuro é bem desconfortável. A qualidade do áudio fornecida pela tecnologia Dolby Atmos é boa, mas o posicionamento do alto-falante é um pouco ruim.

Votação Geral

Sensor biométrico e bateria gigante, e só. O Moto E4 Plus ainda tem qualidade de áudio bacana, mas segurá-lo é bem desconfortável. Sem falar no desempenho péssimo. E mesmo a bateria poderia ter autonomia melhor, com seus 5.000mAh. Acabou sendo apenas um componente gigante para deixar o aparelho maior e mais pesado.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto E4 Plus