» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
781

Motorola Moto G5S

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral
Embalagem e acessórios

A caixa do Moto G5s é um pouco menor que a do Moto G5, e ganhou um pouco mais de cor. A frente é basicamente a mesma coisa, e do lado esquerdo tem um monte de informações técnicas. Atrás, as principais características do dispositivo. No topo, a cor nova, um rosa que vaza para o lado direito, onde temos, de novo, o nome do aparelho.

Dentro da caixa está o aparelho, com a película de sempre, contendo mais destaques do dispositivo. Além da cor dourada que testamos, o dispositivo pode ser encontrado também nas opções opções: platinum, que é uma espécie de cinza, azul safira e, recentemente, a Motorola trouxe a cor prata, também.

Os os acessórios são embalados individualmente, mas ficam meio embaralhados na parte de baixo da caixa:

  • Adaptador TurboPower de 15W, com saída de 5V e 3A ou 9V e 1,6A ou 12V e 1,2A;
  • Cabo de dados e energia USB para micro USB, na cor preta.
  • Fone de ouvidos intra auricular com microfone para atender chamadas, na cor branca;
  • Ferramenta de remoção da bandejinha de chips, toda em metal;
  • Kit de manuais.
Design, tela e áudio

O design do Moto G5S é bem parecido com o de seu antecessor, o Moto G5, assim como o de praticamente todos os aparelhos da Lenovo/Motorola lançados este ano. Tem algumas linhas que seguem mais o padrão do Moto E4. A tela é maior que a do G5, e ele também perdeu a traseira removível e também o acesso à bateria pelo usuário.

A carcaça inteira é revestida em metal e, apesar da construção em peça única, nada de proteção contra água aqui, apenas resistência a respingos. O aparelho muda em todas as dimensões, com 150 mm de altura e 73.5 mm de largura, ambas um pouco maiores que o G5. A espessura diminuiu, para 8.2 mm. Já o peso aumentou um pouco, chegando a 157 gramas.

No lado direito encontramos os botões de volume e o de energia; na parte interior, um alto falante, que não existe no Moto G5, e a entrada micro USB, além do microfone; no lado esquerdo, a bandeja de chips, com um slot para o micro SIM 1 e uma segunda híbrida, que aceita micro SD ou micro SIM. Ou seja, você tem que escolher entre segunda linha ou memória expandida.

A traseira é levemente curva nas laterais, e a câmera tem uma saliência bem protuberante. O flash fica logo embaixo, e depois ainda temos o logo da Motorola e umas informações técnicas. Aqui dá para ver as linhas de antena, necessárias por conta da carcaça metálica. Lá no topo, tem um microfone de redução de ruídos, também.

A parte da frente traz a câmera, sensores de luz e proximidade, alto falante para chamadas e o flash para selfies. Tem também o nome Moto aqui no meio. Lá embaixo, o sensor biométrico no formato padrão Motorola 2017, que serve também como botões de navegação em um toque.

A tela teve um pequeno ganho em relação ao Moto G5, em tamanho. Agora são 5,2 polegadas, mesmo tamanho do G5 Plus. A resolução ainda é Full HD, resultando na mesma densidade de 424 pixels por polegada do G5 Plus. A tecnologia é IPS LCD, e o vidro tem uma proteção Gorilla Glass 3.

Quanto ao brilho, o G5S apresentou a imagem menos visível embaixo da luz do sol em nosso comparativo de telas, que você pode rever completo no card aí no topo da tela. Ele perdeu para o Galaxy J7 Neo, Quantum Muv Up e K10 Novo.

Já no ambiente escuro, o dispositivo da Motorola teve o terceiro brilho mais alto, quando o ideal seria ter o mais escuro. Só ganhou no rival da Samsung aqui neste cenário.

Mas a qualidade de exibição do conteúdo, ao menos, é bem bacana, apesar do IPS LCD. A resolução 1080p ajuda na apresentação de uma imagem levemente mais definida em comparação com os rivais, todos 720p. O ângulo de visão é bem aceitável, com pouca alteração na imagem exibida mesmo olhando o aparelho quase em 180 graus.

O Moto G5S ainda traz opções de exibição de cores com apenas duas opções: o modo padrão, com cores realistas, ou intensidade, que aumenta a saturação. Pelo Moto tela, você ainda pode ativar o filtro de luz azul, que deixa a exibição mais confortável aos olhos à noite.

Quanto ao áudio, o posicionamento do alto falante não é dos melhores. Um usuário canhoto pode facilmente tampar a saída, assim como qualquer usuário que estiver assistindo vídeos. A qualidade do áudio também não é muito bacana, com muitos agudos e som abafado.

Hardware e desempenho

O chipset snapdragon 430 do G5S tem oito núcleos e clock máximo a 1,3GHz, e é auxiliado pela placa gráfica Adreno 505, 2GB de memória RAM e ele tem 32GB de armazenamento interno, expansível via cartão micro SD de até 128GB.

O nosso teste de velocidade, que você está vendo aí na tela em velocidade aumentada, mostrou que a otimização deste dispositivo melhorou em relação ao seu antecessor, cravando 2 minutos e 55 segundos para completar as duas voltas.

Passamos algumas ferramentas de benchmark neste aparelho, que trouxeram os resultados abaixo:

  • AnTuTu: 45.731
  • GeekBench: 633 / 2.260 (CPU) e 1.868 (GPU)
  • 3D Mark: 295
  • GFX Bench:
    • Manhattan: 5 / 4,6 fps
    • T-Rex: 16 / 16 fps

Em jogos, os resultados foram bem razoáveis, e se você não for muito exigente, pode rodar até alguns mais pesados. Da lista de seis títulos que testamos, o Injustice 2 é o mais exigente, e, apesar de retornar uma média de 16 quadros por segundo, rodou bem o suficiente para jogar sem muita dificuldade. Foram utilizado 17% de CPU e 663MB de RAM durante a jogatina.

O Asphalt 8 retornou média de 25 fps, usando 13% da CPU e 544Mb de memória RAM, enquanto seu "irmão" Asphatl Xtreme cravou 29 fps, com 12% de CPU e 5312MB de RAM. Fechando a lista dos jogos com exigência média, Modern Combat 5 obteve média de 27 fps, com 51% de CPU e 454MB de RAM.

Nos títulos mais casuais, Clash Royale conseguiu 58 fps com 8% de CPU e 348MB de RAM. E Subway Surfers atingiu 60fps com 15% de CPU e 298MB de RAM.

Dá para jogar, desde que você não exija um super desempenho e entenda que o multitarefas será prejudicado. Ah sim, o aparelho esquenta um pouco ao rodar os jogos, melhor evitar um tempo muito grande jogando no G5S.

Câmeras

A câmera principal do G5S tem resolução máxima de 16MP, com uma lente de abertura f/2.0 e distância focal de 4mm. A câmera frontal tem 5MP, abertura f/2.2 e distância focal de 2mm. Os dois sensores gravam em Full HD a 30 fps.

O aplicativo de câmera é bem simples. Você pode acessar as configurações deslizando para a esquerda, e o rolo da câmera ao deslizar para a direita. Deslizando para cima e para baixo, você altera o zoom. Ao tocar e segurar em uma parte da tela, é possível ajustar a exposição para mais ou para menos.

Os modos são acessados em um atalho bem no canto direito (ou em cima). Mas agora está mais fácil transitar para o vídeo, com um atalho direto ao lado (ou em cima, em modo paisagem) do botão de captura..

Esse aparelho traz uma opção de câmera lenta, como já vimos no G5. Porém, o vídeo fica bem mais escuro, então só é recomendável utilizar essa opção em ambientes bastante claros. Além disso, a resolução fica em 960 x 540 pixels.

As fotos do G5S são as melhores da categoria. No comparativo com o J7 Neo, Muv Up e K10 Novo, que você pode rever no card aí no topo da tela, o dispositivo foi votado o melhor por nossos leitores, e eu concordo.

O nível de detalhes não é comparável a aparelhos mais poderosos, mas é bem aceitável. As cores são bem próximas do cenário real, com uma leve puxada para as cores quentes.

As imagens não ganham nenhum contraste e nem saturação exagerados, sendo mais sóbrias - e, consequentemente, abrindo mais espaço para edições do usuário.

Com o modo HDR automático, o aparelho consegue bons resultados em cenas com áreas muito claras e muito escuras.
Infelizmente, porém, à noite as coisas mudam para pior. O nível de ruídos é bem grande. Mas até dá para tirar boas fotos, desde que você tenha paciência.

A câmera frontal consegue selfies bem interessantes tanto em ambiente interno como em local com bastante luz. É possível ativar um flash frontal para melhorar a quantidade de luz.

No geral, um bom aparelho para fotos. Se quiser, você pode arriscar o modo profissional, com ajustes personalizados para cada cenário. Mas o modo automático é bem aceitável para a faixa de preço deste aparelho.

Bateria

A bateria teve um aumento leve na capacidade em relação ao G5, chegando agora aos mesmos 3.000mAh do G5 Plus. Se a autonomia melhorou bem em relação ao primeiro, ainda não consegue chegar à do segundo, por conta do chipset mais econômico no modelo mais potente.

Nosso teste de uso real da bateria durou 12h47 minutos com o G5S, totalizando 9 ciclos de uso e 6h 25 de tela. Uma faixa muito boa, que deve garantir autonomia para um dia inteiro com pequena sobra em uso moderado.

Outra melhoria em comparação com o G5 é a presença do carregamento rápido já na caixa. O adaptador de parede que vem com o dispositivo levou apenas 1 hora e 31 minutos para preencher a carga de 0 a 100%.

Fizemos alguns testes específicos de autonomia, cujos resultados estão aí na lateral da tela. Você pode rever todos no card que pulou aí no topo da tela.

Software

O Moto G5s já vem com a versão do Android 7.1.1 Nougat da Motorola. São poucas alterações em comparação com a versão das linhas Pixel e Nexus. No total, o sistema aqui ocupa cerca de 7,4GB dos 32GB de armazenamento interno.

Entre as alterações, temos as Moto Ações, que te permitem habilitar alguns gestos, com o a navegação em um toque, agitar para ligar a lanterna ou girar para abrir a câmera, entre outros.

Tem também o Moto Tela, que mostra algumas informações úteis com a tela apagada, quando você mexe no dispositivo, e o filtro de luz azul, que vai se tornando padrão no mercado.

Aqui no Brasil também já temos acesso ao Google Assistente, como você deve ter reparado com o anel extra aqui no botão Home virtual.

A gaveta de apps é acessada igual nos outros aparelhos da linha Moto G5. Ou seja, basta deslizar para cima em qualquer tela inicial para abrir a lista de aplicativos instalados. Ou tocar na setinha para cima.

A Motorola mantém uma política de instalar poucos bloatwares, e se você pegar a versão desbloqueada não vai ter muito app inútil pré-instalado. O G5S tem, basicamente, alguns apps do pacote Google, o Moto Ações e um rádio FM.

Pontos positivos e negativos

Pontos positivos

  • Boa qualidade do conjunto de câmeras, um pouco acima de concorrentes na mesma faixa de preço;
  • Acabamento todo em alumínio, bem elegante;
  • Presença de um software limpo, praticamente sem bloatwares;
  • Desempenho, levemente melhorado em relação ao G5, mesmo com o hardware igual;
  • Moto Ações, com navegação por um toque e atalhos por gestos.

Pontos negativos

  • Slot híbrido para cartão SIM ou micro SD, obrigando usuário a escolher entre a segunda linha ou a expansão da memória;
  • Apenas 2GB de RAM, apesar de dentro do esperado para a faixa de preço;
  • Brilho da tela não é muito bom nem para uso embaixo do sol e nem em ambientes escuros.
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O preço pedido pela Motorola é um pouco alto, mas no varejo já começa a compensar, ficando abaixo dos R$ 1.000.

Embalagem e características

Nenhuma evolução em comparação com outros dispositivos intermediários da Motorola. Acessórios de qualidade aceitável. Ponto forte é o carregador rápido, desta vez incluído no kit.

Comodidade

Boa pegada, bordas e laterais curvas ajudam bastante. Mas, em tempos de bordas mínimas, Motorola peca em manter espaços gigantes em cima e embaixo da tela.

Facilidade de uso

Interface bastante limpa, sem firulas. O acréscimo da Motorola, Moto Ações, é muito bem vindo e está praticamente completo aqui.

Multimídia

Brilho da tela é desconfortável para uso embaixo do sol e também no escuro. Alto falante mudou de posição e ficou em local ruim, com som abafado.

Votação Geral

Motorola podia ter esperado mais um pouco e atualizado seu intermediário já com essas características. Mesmo assim, é um upgrade bem vindo.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto G5S