» Anuncie » Envie uma dica Ei, voc um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.849

Motorola One Fusion Plus

Review
Custo - benefcio
Embalagem e caractersticas
Comodidade
Facilidade de uso
Multimdia
Votao Geral

O One Hyper foi o primeiro smartphone com câmera pop-up da Motorola que chegou ao mercado no final de 2019. Agora temos o One Fusion Plus, que apesar de não ser oficialmente um sucessor, chega para ocupar o lugar do antigo intermediário e estreia pelo mesmo preço de antes. Será que o novo entrega um melhor custo-benefício ou a Motorola ainda continua devendo neste segmento? Vamos conferir.

Acessrios

O One Fusion Plus vem em embalagem escura com logo e nome cromados. Os acessórios são quase os mesmos dos demais da linha, com exceção do carregador.

  • Carregador TurboPower de 18W de potência
  • Cabo USB no padrão C nas duas pontas
  • Capinha de silicone
  • Chave para abrir gaveta do cartão SIM
  • Manuais de uso
  • Fone de ouvido com ponteiras de borracha
Design e construo

O One Fusion deixa de lado o design diferenciado do Hyper e adota o padrão de câmeras em formato de exclamação invertida como temos na linha Moto G. O diferencial fica para a opção branca do aparelho que tem frente da mesma cor, enquanto este em tom de azul que testamos traz moldura preta como é comum na grande maioria dos smartphones.

Para um intermediário premium esperávamos mais de sua construção. Ele tem uma única peça de plástico que cobre traseira e laterais. O leitor biométrico segue o padrão tradicional localizado no logo da Motorola, enquanto nessa faixa de preço era esperado ver o sensor de digitais integrado à tela. Pelo menos ele responde bem e não demora para desbloquear o aparelho.

O Fusion é ligeiramente maior que o Hyper, por mais que os dois tenham mesmo tamanho de tela. Não faz sentido aumentar a largura das bordas a troco de nada, ainda mais quando estamos falando de um celular que adota câmera pop-up para fugir de bordas, recortes ou furos na tela.

Sempre que a câmera frontal é acionada é possível ouvir o barulho do mecanismo em ação. Leva um segundo para ter a câmera pronta para usar e ela possui sistema antiqueda que se retrai ao detectar que o celular caiu de sua mão.

Há um botão dedicado ao Google Assistente que fica localizado do lado direito acima da tecla de controle de volume. Ele serve apenas como atalho para acionar o assistente virtual, já que não é possível alterar sua função. E se busca um celular com NFC, então é melhor esquecer o Fusion Plus.

Tela e som

A tela de 6,5 polegadas tem resolução Full HD+ e painel IPS LCD. A Motorola chama a sua tela sem cortes de Total Vision e alega que o painel é otimizado para o YouTube para tirar o máximo proveito de vídeos em HDR e 360°, além de reduzir o tempo de carregamento. O HDR10 também é compatível com Netflix.

Se você ficou decepcionado por não ver uma tela OLED no One Fusion Plus, imagina quando souber que o painel usado entrega brilho inferior ao de alguns membros da linha Moto G. Usá-lo fora de casa não será um problema, mas pelo preço que a Motorola cobra poderia ter caprichado mais na tela. Pelo menos o nível de preto, contraste e ângulo de visão são bons.

Outro ponto que não faz sentido é o áudio. Se temos modelos como o Moto G8 Power e G8 Plus com som estéreo, por que os mais caros trazem som mono? A boa notícia é que o alto-falante do Fusion é de qualidade e consegue reproduzir graves, médios e agudos de forma equilibrada. Só poderia ser um pouco mais alto.

Desempenho

Motorola finalmente abandonou os chips da série Snapdragon 600 e agora temos o 730 que é encontrado em muitos intermediários premium. Ele já mostrou bons resultados em modelos de outras marcas, mas ficamos decepcionados com o Fusion Plus. Em nosso teste de velocidade ele foi mais lento que o Moto G8 Plus que traz hardware inferior e ficou empatado com o One Hyper.

Há um modo de desempenho otimizado que não serve de nada. E se você acha pontuações de benchmarks mais importantes, então saiba que há uma diferença média de 20% entre o Snapdragon 675 e o 730 no AnTuTu.


O Fusion Plus é um bom celular para jogar. Todos os títulos que testamos rodaram sem engasgos... quer dizer, quase todos. A única exceção foi o Asphalt 9, mas aparentemente é um problema do game em si e não do celular. PUBG rodou de boa na qualidade HD alta. É possível bloquear chamadas e mensagens enquanto joga, mas nada de configuração de resolução ou fps.

Cmeras

O Fusion Plus traz a mesma câmera de 64 MP e ultra-wide de 8 MP do One Hyper, mas agora vem complementado com uma dedicada para macro e outra para desfoque de cenário. Como é de se esperar a câmera principal comprime quatro pixels em um só por padrão. Você pode optar pelo modo alta resolução para explorar o máximo do sensor. Ele amplia a nitidez e reduz os ruídos, especialmente à noite, mas acaba desativando o HDR.

A qualidade fotográfica é similar ao One Hyper. É possível registrar boas fotos com cores próximas da realidade e contraste sem exagero. A parte curiosa é que a ultra-wide faz upscaling para 16 MP, o que sacrifica a nitidez das fotos e torna a qualidade final apenas mediana. As cores também mudam e tendem para tons mais frios.

Padrão | 64 MP



Principal | Ultra-wide



A macro tem resolução suficiente para registrar boas fotos, mas sua distância focal poderia ser um pouco mais próxima, já que mesmo com foco automático não é possível chegar tão perto quanto temos por exemplo em alguns modelos da Xiaomi. Já a de desfoque funciona muito bem com a principal em modo 16 MP. O contraste não é afetado e a intensidade do efeito é boa, com poucas falhas.

Macro




Retrato



À noite temos a mesma qualidade de celulares intermediários na faixa dos R$ 2 mil. O diferencial do Fusion Plus está no seu eficiente modo noturno que realmente deixa as fotos mais claras sem comprometer a qualidade com excesso de ruídos. A ultra-wide que já não é muito boa de dia fica ainda pior em cenários com pouca luz.

Normal | Noturno



Selfie | Retrato



A câmera pop-up traz sensor de 16 MP que também comprime quatro pixels em um. Por padrão você terá fotos de apenas 4 MP, o que compromete a qualidade e resulta em selfies inferiores aos concorrentes. Você pode mudar para o modo 16 MP, se quiser. O desfoque de fundo apresenta mais falhas, mas gera um bom efeito. O HDR fica mais limitado e será normal ver fotos com luz estourada de fundo.

O Fusion Plus grava em 4K a 30 fps. A qualidade das filmagens é decente, tem boa estabilização e foco ágil. É possível filmar em 1080p a 60 fps, porém o foco fica mais lento. As demais câmeras gravam apenas a 30 fps nesta resolução. A captura de áudio é estéreo, porém não há um cancelamento de ruídos eficiente e o barulho do vento pode arruinar suas filmagens.

Bateria

Talvez o que vá atrair muitos é a generosa bateria de 5.000 mAh que rende bem. Em nosso teste padronizado tivemos mais de 24 horas de autonomia em uso moderado. Motorola promete duração média de 2 dias e realmente é fácil de conseguir isso com o Fusion Plus.


O que poderia ser melhor é o carregador. É o mesmo TurboPower de 18W de sempre. Ele demora quase duas horas e meia para fazer o Fusion Plus ir de 0 a 100%. Com uma carga rápida de 15 minutos, você não recupera nem 20% da bateria.

Software

Ele sai da caixa com Android 10 e a mesma interface limpa da Motorola que estamos acostumados. Você encontra no app Moto algumas configurações. Além dos gestos tradicionais presentes em outros celulares da marca, há o My UX com algumas opções de customização do Android 10 que vêm escondidas no menu de desenvolvedor.

É possível alterar o tamanho e formato dos ícones da tela inicial, mudar a fonte do sistema, e escolher uma cor de destaque para os atalhos do Android na tela de notificações. Não há nada de exclusivo ou revolucionário, mas é interessante ver a Motorola reunir isso em um só lugar e tornar a usabilidade mais amigável.

Rivais

O Fusion Plus é praticamente um One Hyper com duas câmeras extras e bateria com maior autonomia. A qualidade fotográfica é similar entre os dois e se você não faz questão de uma câmera macro, talvez seja melhor economizar e comprar o antigo que está mais barato. Tudo bem que sua bateria rende menos, mas ele leva metade do tempo para recarregar.

Quais alternativas temos da concorrência? Da Samsung você encontra o Galaxy A71 na mesma faixa de preço. Ele é mais rápido e tem melhores câmeras, porém a bateria dura menos. Da Xiaomi há o Redmi Note 9 Pro que oferece melhor desempenho e bateria, mas as câmeras não são melhores que as do Fusion Plus, exceto pela macro.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Alto-falante mono tem som equilibrado
  • Boa autonomia de bateria
  • Algumas customizações de interface
  • Boa câmera com modo noturno eficiente

Pontos fracos

  • Tela com brilho mediano
  • Desempenho abaixo dos concorrentes
  • Tempo de recarga
  • Falta NFC
Avaliao final do Tudocelular
Custo - benefcio

Ele custa muito pelo o que entrega; voc encontrar opes melhores no mercado

Embalagem e caractersticas

Embalagem vem com quase tudo que voc precisa, s faltou pelcula para a tela

Comodidade

One Fusion Plus um celular grande e escorregadio. Pelo menos vem com capinha na caixa

Facilidade de uso

O Android levemente modificado da Motorola muito simples e fcil de usar, alm de vir com alguns extras de customizao

Multimdia

O One Fusion Plus tem boa tela e som, mas faltou um painel AMOLED e um segundo alto-falante para som estreo

Votao Geral

O Fusion Plus um intermedirio bacana, mas no traz muito de novo comparado ao One Hyper que custa menos

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola One Fusion Plus