» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.504

Motorola Moto G30

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O Moto G10 nos decepcionou por não trazer uma evolução comparado à linha Moto G9 e na verdade nem sequer supera os modelos da linha Moto E. Agora temos em mãos o G30, este sim é o verdadeiro sucessor da antiga linha Moto G e traz uma mistura de G9 Play com G9 Power. Será que o básico com pegada de intermediário da Motorola entrega um bom conjunto? Vamos conferir.

Acessórios

O Moto G30 vem em embalagem escura com o logo branco da Motorola e o nome do aparelho em verde. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador de 20W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Fone de ouvido básico
  • Capinha transparente de silicone
  • Chavinha da gaveta do SIM card
  • Guia do usuário
Design e construção

G10 e G30 são bastante parecidos. Eles possuem o mesmo tamanho, peso e entalhe em formato de gota para a câmera de selfies. O que ajuda a diferenciar os novos celulares da Motorola é o acabamento traseiro. O mais barato tem traseira de plástico fosco em padrão de pequenas ondas, enquanto o mais caro tem traseira lisa, mas com o mesmo toque acetinado do G10. O G30 chegou ao mercado nacional em duas opções de cores: branca com toque de lilás e preta com toque de verde.

O conjunto de câmera lembra o do G10, tanto em tamanho, quantidade de câmeras e posição na traseira. O leitor biométrico fica próximo, integrado ao logo da Motorola, ele funciona bem, mas poderia ser mais ágil.

Na lateral direita do G30 encontramos o botão de energia, controle de volume e um dedicado para o Google Assistente. Do lado oposto há apenas a gaveta híbrida do Sim Card e microSD, enquanto no topo temos a entrada para fones de ouvido. Na parte inferior há a entrada USB-C, alto-falante e o microfone de chamadas.

É basicamente isso, nada de design requintado com bordas fininhas, proteção avançada contra água ou mesmo um segundo alto-falante para som estéreo. O Moto G30 também não vem com NFC, mas traz o básico como Wi-Fi 5 GHz e giroscópio.

Tela e som

Talvez o maior destaque do Moto G30 seja a sua tela de 90 Hz, sendo o mais barato da Motorola com painel deste tipo. O lado ruim é que o brilho é tão baixo quanto o do Moto G10. Usar o G30 fora de casa será um desafio nos dias mais ensolarados, mas pelo menos o contraste é excelente e entrega cores mais vivas e preto mais profundo que qualquer celular de entrada com tela LCD.

Há três opções de velocidade para a tela: você pode travar o painel em 60 ou 90 Hz, como também usar o modo automático. Neste modo, o G30 vai subir a velocidade para 90 Hz apenas quando você toca na tela, mantendo o display em 60 Hz a maior parte do tempo para ajudar a economizar bateria.

A experiência multimídia fica limitada pelo som mono. A Motorola já chegou a investir em celulares com som estéreo nesta faixa de preço, mas parece que decidiu economizar nas últimas gerações da linha Moto G.

Com isso em mente, saiba que o G30 faz apenas o básico na parte sonora. A potência é mediana e o som passa longe do ideal em termos de reprodução de graves, médios e agudos. Pelo menos as vozes saem menos abafadas do que vimos no Moto G10, mas se busca um celular com som estéreo nessa faixa de preço, terá que recorrer aos rivais da Xiaomi. Pelo menos a Motorola ainda envia fone de ouvido na caixa, já que até a Samsung desistiu disso.

Desempenho

O Moto G30 vem equipado com o chip Snapdragon 662 aliado a 4 GB de RAM, sendo esta a mesma combinação presente no Moto G9 Play e G9 Power. Ficamos decepcionados com o desempenho multitarefas no G10 e podemos dizer que o G30 também poderia ser melhor. Ele até consegue segurar uma quantidade razoável de apps abertos em segundo plano, mas já vimos melhores da Motorola em nosso teste.

Em benchmarks não há o que reclamar, já que o G30 conquista a mesma pontuação que outros com mesmo hardware. No caso do AnTuTu temos uma média de 170 mil pontos, sendo 20% a mais do que o Moto G10.


E jogos, o G30 é capaz de rodar algum game a 90 fps? Não espere isso do básico da Motorola. Todos os jogos que testamos rodaram na configuração baixa e ainda apresentaram alguns engasgos. No PUBG é possível jogar em HD com fluidez decente, mas fica claro que o Moto G30 não é um celular gamer.

Bateria

O Moto G10 manda bem em bateria, será que o G30 também consegue ótima autonomia com sua tela em 90 Hz? A resposta é sim. Por mais que a autonomia caia algumas horas na velocidade máxima da tela, ainda é possível ter bateria para mais de um dia.


O G30 vem com carregador TurboPower de 20W na caixa que demora duas horas e meia para encher completamente a bateria. Com uma carga rápida de 15 minutos terá 17% de bateria recuperada, que chega a 31% em meia hora na tomada.

Câmeras

O conjunto quádruplo de câmeras do G30 é quase o mesmo do G10, a única mudança fica para a principal que traz o novo sensor de 64 MP da Samsung. As demais câmeras incluem uma com lente ultra-wide, uma macro e uma dedicada para desfoque de fundo.

Por ter um sensor mais avançado e um hardware mais potente, esperávamos uma diferença considerável da câmera do G30 para o G10, mas acontece que os dois registram fotos quase idênticas. Em dias ensolarados terá imagens com bom nível de detalhes e cores sem saturação excessiva, mas em locais escuros a qualidade cai bastante. O G30 possui modo noturno que deixa as fotos mais claras, porém tomadas pelo excesso de ruídos.

Principal | Ultra-wide




A ultra-wide entrega o mesmo visto no G10 com fotos mais suavizadas, com poucos detalhes e ruídos mais nítidos. Pelo menos o HDR funciona bem e o algoritmo de correção de lente evita termos distorção nos cantos das imagens.

A câmera de desfoque também é similar entre os dois aparelhos, mas notamos que as fotos saem um pouco mais claras no G30, já que ele tende a prender o ISO em valores mais altos, além de tender para branco mais frio. A macro é tão limitada quanto a do modelo mais barato, sendo a câmera mais descartável do conjunto.

Desfoque



Macro


A câmera frontal traz sensor mais avançado no G30, mas esperávamos mais das selfies. Em dias ensolarados ou locais com boa iluminação terá fotos detalhadas e com tom de pele próximo do natural, porém basta ir para lugares fechados e mais escuros que as selfies perdem nitidez e apresentam ruídos e falhas nas texturas. O modo retrato é decente e apresenta poucas falhas.

Selfies



É uma pena que o sensor mais avançado do G30 não tenha aprimorado sua capacidade de gravar vídeos e aqui ficamos limitados a Full HD a 60 fps como temos no Moto G10. A qualidade dos vídeos poderia ser melhor também, mas em filmagens de dia até temos resultados decentes, porém à noite cai bastante a qualidade – especialmente com a ultra-wide. A frontal surpreende por ser boa para filmar em locais escuros, superando muito celular mais caro. A captura de áudio é estéreo, mas não há um controle eficiente de redução de ruídos.

Software

O Moto G30 vem com Android 11 e as poucas modificações por parte da Motorola que estão reunidas no app Moto, que oferece algumas opções de customização para alterar fonte, formato e cores dos ícones.

Há uma sessão dedicada aos clássicos gestos da Motorola, como o de sacudir o celular para ligar a lanterna ou girar o aparelho para abrir a câmera. Há a opção de exibir notificações na tela do aparelho, no mesmo estilo do Always on Display. Também é possível manter a tela sempre ligada enquanto você estiver olhando para o celular.

É basicamente a mesma experiência que você terá no Moto G10, mas com interface que engasga menos e com atualização prometida para o Android 12, enquanto o mais barato pode morrer com a mesma versão do robozinho com a qual foi lançado.

Rivais

O Moto G30 é um celular que poderia ser melhor pelo preço que a Motorola pede nele. A melhor alternativa atualmente no mercado nacional é o Galaxy A32, que também possui tela de 90 Hz, mas vem com painel Super AMOLED muito melhor que o LCD simples da Motorola. O da Samsung entrega melhor autonomia de bateria e tem desempenho multitarefas um pouco superior. Em câmeras, o A32 também leva vantagem.

Não faz questão de um lançamento 2021 da Motorola? Então o Moto G9 Power pode ser uma melhor opção. Ele custa menos atualmente e entrega melhor desempenho multitarefas, sua bateria dura mais e a tela é maior. O lado ruim é não ter painel de 90 Hz, mas compensa com conjunto mais acertado de câmeras.

Da Xiaomi temos o Poco M3 com configuração similar ao G30, sendo capaz de se superar em bateria e câmeras, mas o desempenho não é dos melhores por conta da MIUI mal otimizada.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Tela de 90 Hz
  • Boa autonomia de bateria
  • Boa câmera para fotos diurnas

Pontos fracos

  • Tela com brilho baixo
  • Desempenho multitarefas
  • Câmera ultra-wide e desfoque poderia ser melhores
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Há opção mais interessantes, até mesmo da própria Motorola

Embalagem e características

Embalagem traz capinha de proteção e fone de ouvido

Comodidade

Moto G30 tem traseira com acabamento fosco que não ajuda na pegada, mas vem com capinha na caixa

Facilidade de uso

É o mesmo Android simples, porém peca por falta de fluidez

Multimídia

Tela tem brilho baixo e o som mono poderia ser mais equilibrado

Votação Geral

O Moto G30 é uma celular bacana, mas com preço errado

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto G30