» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
3.057

Motorola Edge 30

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O Edge 20 foi a aposta da Motorola em celular intermediário fino com fortes especificações e agora no Edge 30 ela decidiu deixar o modelo premium ainda mais fino e leve ao mesmo tempo em que melhorou o que o antigo tinha de bom. Pelo menos essa é a promessa da fabricante. Será que o Edge 30 está ainda melhor? Vamos conferir.

Acessórios

O Moto Edge 30 vem em caixa similar ao seu antecessor e traz os seguintes acessórios:

  • Carregador com 33W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Capinha transparente de silicone
  • Guia do usuário
  • Fone de ouvido com plug USB-C
  • Chavinha da gaveta do cartão SIM
Design e conectividade

O design não sofreu fortes mudanças, porém o celular ficou mais compacto com a redução da tela. Isso faz com que o Edge 30 seja um celular ainda mais agradável de segurar. O acabamento fosco na traseira passa a impressão de ser vidro, porém é o mesmo plástico de boa qualidade da geração anterior.

A traseira está mais plana, diferente do Edge 30 Pro que apela mais para as curvas. As laterais continuam de plástico e possuem acabamento brilhante nos cantos e fosco na maior área. O bloco de câmera foi reformulado seguindo a linha mais atual do design adotado pela Motorola e também destoa do acabamento fosco da traseira.

O leitor biométrico fica localizado na tela em posição um pouco baixa, mas responde bem quando você acerta o local corretamente. Assim como antes, não há entrada para fones de ouvido e isso pode ser justificado pela fina espessura do aparelho. A Motorola também deixou o slot para micro SD de fora nesta geração.

Na parte inferior temos a gaveta que suporta dois chips, assim como a entrada USB-C, o alto-falante principal e um dos microfones. Na lateral direita há o botão de energia e a tecla de volume, enquanto no topo temos mais um microfone.

Em conectividade temos Wi-Fi de sexta geração, Bluetooth 5.2, NFC e 5G. Se esperava por carregamento sem fio, então terá que investir mais no Edge 30 Pro.

Tela e som

A Motorola reduziu a tela do Edge 30 para 6,5 polegadas mantendo a resolução Full HD+ de antes. O painel OLED segue com a mesma taxa de 144 Hz para entregar ótima fluidez e o nível de brilho não foi alterado entre as gerações. Usar o Edge 30 fora de casa é tão confortável quanto antes, sem falar que contraste, temperatura do branco e calibração nativa de cores se destacam para a categoria.

O painel vem por padrão em modo automático que alterna a velocidade a depender da necessidade. Assim, você terá ótima fluidez com animações do sistema e melhor desempenho em jogos, enquanto economiza bateria em outros momentos.

A parte sonora apresenta uma evolução superior e agora temos duas saídas de som para áudio estéreo. O alto-falante de chamadas atua como canal secundário e assim a Motorola finalmente corrige uma grande falha de sua linha premium. A potência é boa e está a par dos rivais, enquanto o som entrega bom equilíbrio sonoro entre graves, médios e agudos; apesar de distorcer um pouco no máximo.

Desempenho

O Edge 30 vem com a recente plataforma Snapdragon 778G Plus da Qualcomm. Ela é apenas uma versão levemente turbinada da Snapdragon 778G presente no Edge 20 e em vários outros intermediários como o Galaxy A73 e M52. Com isso em mente, saiba que o salto em desempenho foi pequeno entre gerações. Em nosso teste de velocidade focado no multitarefas tivemos uma pequena diferença de poucos segundos.


O mesmo acontece em benchmarks, já que o processador agora trabalha em velocidade um pouco superior, foi possível arrancar alguns pontos extras de testes sintéticos. No AnTuTu, tivemos uma diferença de quase 50 mil pontos entre o Edge 30 e o seu antecessor.

O intermediário da Motorola vai bem em jogos e rodou tudo de forma suave. Até mesmo com PUBG e Call of Duty na qualidade máxima com filtros ativados. Claro, não espere por jogos assim tirando proveito da tela de 144 Hz, mas games mais casuais vão passar dos 100 fps facilmente.

Bateria

É bom ver que a Motorola conseguiu deixar seu celular mais fino sem comprometer a bateria. No Edge 30 temos 4.020 mAh que garantem boa autonomia para o dia todo. Não é o tipo de celular que vai impressionar em duração, mas não deixará na mão aqueles que não exigem muito do aparelho.


Um detalhe curioso é que o carregador subiu de 30W para 33W nesta geração, mas em nossos testes acabou levando 5 minutos a mais para recarregar. Ainda assim, você precisa esperar apenas 1 hora para ter a bateria cheia, enquanto rivais como o Galaxy A73 demoram o dobro do tempo.


Uma carga rápida de 15 minutos recupera 29% da bateria e chega a 57% com meia hora na tomada.

Câmeras

A Motorola tentou emplacar uma poderosa câmera de 108 MP no Edge 20, mas acabou não dando muito certo. O software mal otimizado, assim como o hardware não muito potente, não resultou na experiência fotográfica premium que se esperava.

Agora no Edge 30, a empresa trocou o sensor para um mais modesto de 50 MP. Ela também fez isso com a ultra-wide que agora tem a mesma resolução da principal, mas a teleobjetiva foi trocada por um sensor simples de desfoque.

Principal | Ultra-wide



Se o antigo não impressionava em câmera, podemos dizer o mesmo do novo. O Edge 30 até registra boas fotos e captura imagens com cores mais fiéis que os intermediários da Samsung. O problema está quando há luz de fundo e o HDR não consegue balancear bem o lado escuro com o claro.

Normal | HDR



As fotos noturnas são apenas decentes. Sem o modo noturno ativado temos imagens suavizadas com baixa nitidez e cores distorcidas. Já com o Night Vision ligado temos imagens claras e mais nítidas, porém com excesso de ruídos e aberração cromática evidente.

Noturno



A ultra-wide captura imagens mais escuras e apesar de ter a mesma resolução da câmera principal registra fotos com menos detalhes. Usar esta câmera à noite é mais complicado e terá cantos borrados e escuros. Pelo menos há foco automático, o que permite usar a ultra-wide para macros. Já a de desfoque não faz muito sentido e está ali apenas para fechar o conjunto de câmeras.

Macro


Desfoque



A frontal de 32 MP faz boas selfies. Em alguns cenários, especialmente com o sol de fundo, será normal ter fotos escuras, então é bom evitar tais situações. Selfies noturnas apresentam granulados, mas nada que comprometa as fotos.

Selfies



A filmadora grava em 4K, mas limitada a 30 fps. Há boa estabilização, mesmo na opção mais alta, diferente do antecessor que só lidava bem com os tremidos quando gravava em Full HD. As filmagens noturnas apresentam excesso de ruídos, então tente não gravar em locais muito escuros. A captura de som é estéreo com boa qualidade, sendo possível gravar com a câmera traseira e frontal ao mesmo tempo.

Software

O Edge 30 vem com Android 12 com a interface MyUX da Motorola por cima. No momento que testamos, ele estava com pacote de segurança recente e a empresa promete que a linha Edge receberá pelo menos duas atualizações do Android.

O modelo testado possui 8 GB de RAM, sendo possível expandir para até 10 GB com a RAM virtual. Independente de você usar este recurso terá ótima fluidez com o sistema e seus apps mantidos em aberto em segundo plano.

Além dos gestos tradicionais da Motorola para acionar a câmera ou ligar a lanterna, também temos a plataforma Ready For no Edge 30. Com ela você poderá transformar uma TV ou monitor em PC com uso de cabo HDMI ou mesmo via Wi-Fi.

Rivais

O Edge 30 é bom o suficiente para superar a concorrência? O seu maior rival atualmente no Brasil é o Galaxy A73. O modelo coreano tem como diferencial vir com proteção contra água, porém é maior e mais pesado. Sua tela pode não ter 144 Hz, mas tem brilho forte e ótimas cores. O som também é estéreo e com melhor qualidade. O Galaxy perde em desempenho multitarefas, mas ganha em bateria com folga. E câmeras? O A73 registra melhores fotos e vídeos.

O realme 9 Pro Plus vem com o mesmo sensor de 50 MP e registra melhores fotos que o Edge 30. Sua tela é de apenas 90 Hz, apesar da boa qualidade; o som estéreo é que poderia ser melhor. O realme perde em desempenho, porém ganha em bateria.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Design fino
  • Bela tela de 144 Hz
  • Som estéreo de qualidade
  • Bom desempenho

Pontos fracos

  • Bateria poderia ser melhor
  • Câmeras abaixo da concorrência
  • Poucas mudanças para o antecessor
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

É um bom intermediário para quem não se importa tanto com câmeras

Embalagem e características

Edge 30 vem com bom carregador, fone de ouvido e capinha de silicone

Comodidade

É um celular fino e não muito grande, além de vir com capinha para proteção

Facilidade de uso

É o mesmo Android limpo com poucos recursos dos demais celulares da Motorola

Multimídia

Tela com brilho forte, ótimas cores e agora com som estéreo de qualidade

Votação Geral

O Edge 30 é um bom intermediário premium, mas poderia ter melhores câmeras

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Edge 30