» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
579

Motorola Moto E13

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O Moto E13 foi lançado no Brasil no começo do ano juntamente com o Moto G23. O TudoCelular já analisou o modelo mais avançado e agora chegou a hora de conferir o novo basicão da Motorola voltado para quem busca um baratinho de qualidade. Nesta análise vamos conferir seus prós e contras para saber se vale a pena comprar.

Acessórios

O Moto E13 vem em embalagem escura com o logo branco da Motorola e o nome do aparelho em verde. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador de 10W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Chavinha da gaveta do SIM card
  • Guia do usuário
Design e conectividade

Apesar do Moto E13 ser um celular de baixo custo, o seu design é caprichado e temos visual atual com aspecto minimalista. Ele é feito de peça única de plástico com acabamento fosco que traz leve curvatura nas bordas para uma pegada confortável. É um aparelho mais espesso do que outros mais caros da marca, mas não temos um módulo saltado para a câmera.

Isso faz com que a traseira seja praticamente reta. Há uma moldura que separa a única câmera do restante do design. A Motorola incluiu o flash em LED no segundo aro para deixar o visual mais harmônico e dar a impressão de que o E13 vem com duas câmeras.

Esse que testamos é a versão grafite, enquanto há mais duas opções para escolher no mercado nacional. A mais clara, chamada de ‘off white’, traz um tom meio perolado. A terceira opção é na cor verde e reflete mais luz do que as demais.

A parte frontal ainda ostenta o clássico entalhe em formato de gota que segue presente em celulares mais baratos de diversas marcas. A borda inferior tem o triplo da espessura das demais e também não podemos reclamar já que ainda é algo comum no segmento.

Talvez o maior ponto negativo seja a ausência de leitor biométrico. Para proteger o seu celular será preciso usar biometria facial ou então adotar uma senha ou padrão. Pelo menos temos gaveta tripla para usar dois chips e um cartão de memória ao mesmo tempo, além de entrada para fones de ouvido no topo.

Em conectividade temos Wi-Fi de quinta geração para conectividade com redes de 5 GHz e Bluetooth 5.0. Por ser um celular de entrada não espere por NFC ou suporte a 5G.

Tela e som

O Moto E13 vem com tela de 6,5 polegadas com resolução HD+ e painel IPS LCD com taxa de atualização de 60 Hz. O nível de brilho está a par da categoria e até acima de outros celulares básicos da Motorola que testamos nos últimos anos. É bom ver que a marca vem dando mais atenção a este ponto.

Apesar de vir com uma interface mais básica que os modelos da linha Moto G, o E13 ainda traz opções para escolher a calibração da tela entre cores mais próximas do ideal ou uma imagem mais saturada. Também é possível controlar a temperatura das cores para deixar o branco mais frio ou quente.

Há apenas uma saída de som na parte inferior e com isso ficamos limitados a áudio apenas mono. Ainda é comum ver celulares de entrada com apenas um alto-falante, porém é decepcionante ver que o E13 não empolga em potência e muito menos em qualidade sonora. Os graves e agudos saem abafados, enquanto os médios são praticamente inexistentes.

Há equalizador básico com suporte a Dolby Atmos que fica disponível apenas quando usamos fones de ouvido.

Desempenho

O Moto E13 vem equipado com o Unisoc T606, um hardware encontrado com frequência em celulares básicos e vimos anteriormente em vários modelos da Nokia, Samsung e da própria Motorola.

O novo básico da fabricante é encontrado no mercado em duas opções de memória. Este que testamos traz 2 GB para RAM e 32 GB para armazenamento. Há também outro com o dobro de ambas as memórias.


Se você pretende economizar e pegar o mais barato já fique ciente de que ele sofre para segurar vários apps abertos. O Moto E13 não é um celular rápido, mas até que se saiu melhor em nosso teste de velocidade comparado a rivais.

Testamos alguns benchmarks e apesar de nenhum apresentar números impressionantes, conseguimos média de 150 mil pontos no AnTuTu. Testamos o desempenho do aparelho no Call of Duty e foi possível ter experiência agradável na qualidade baixa. No PUBG conseguimos bom desempenho na opção HD com todos os extras gráficos ativados.

Bateria

O Moto E13 vem com bateria de 5.000 mAh e apresentou bom rendimento em nosso teste padronizado com vários apps populares e alguns jogos. Em uso moderado será possível ter pouco mais de 23 horas de autonomia.


Ele não chega a ser o melhor em duração de bateria da sua categoria, mas está acima de muitos celulares básicos que testamos. Caso não vá jogar com o celular terá autonomia ainda maior, sendo até possível chegar a dois dias longe de tomadas.


A Motorola manda um carregador de 10W na caixa que leva quase 3 horas para encher totalmente a bateria. Uma carga rápida de 15 minutos recupera apenas 14% e chega a 23% com meia hora na tomada.

Câmeras

O Moto E13 vem com apenas uma câmera na traseira que possui um sensor simples de 13 MP com abertura focal f/2.2. Na parte frontal há um sensor de 5 MP com abertura menor de f/2.4.

Como é de se esperar de um celular simples, câmera não é o seu forte. O E13 até consegue fotos decentes, desde que você evite fotografar contra a luz. Como a faixa dinâmica do aparelho é limitada e o HDR nem sempre funciona como deveria, terá sombras muito escuras que escondem muitos detalhes.

Noturno



O desempenho à noite é ainda mais limitado com baixa nitidez e ruídos bastante evidentes. A Motorola até incorporou um modo noturno que prolonga a exposição para maior entrada de luz. Ele só vai ajudar a ter fotos mais claras, sem resolver qualquer problema de limitação do sensor.

O desfoque é feito via software e no aplicativo é possível escolher o nível de intensidade. O efeito é apenas razoável e deixa falhas bastante evidentes. A depender da intensidade do efeito, terá fotos mais claras ou escuras.

Desfoque



O zoom é puramente digital e não há qualquer tratamento de qualidade de imagem, sendo possível aproximar em até quatro vezes o que deseja fotografar. Claro que a qualidade cai bastante com o zoom no máximo. As macros também são bem limitadas por conta da longa distância focal da única câmera do E13.

Zoom


Apesar da câmera frontal ser bastante simples, o básico da Motorola até que faz boas selfies em dias ensolarados. O modo noturno pesa mais no contraste e perdemos detalhes de partes mais escuras. Selfies noturnas saem granuladas e com nitidez inferior, ficando mais evidente ao usar o modo flash de tela.

Selfies



A filmadora grava em Full HD com a traseira e frontal. A qualidade é decente em filmagens diurnas, enquanto à noite temos vídeos escuros e com ruídos. Não há estabilização para lidar com os tremidos e o foco não é dos mais ágeis. A captura de som é apenas mono e abafada.

Software

O básico da Motorola sai da caixa com Android 13 em sua versão Go Edition. Ou seja, temos aqui um software mais enxuto para pesar menos no desempenho, o que é essencial especialmente na versão com apenas 2 GB de RAM.

Ele deixa de lado alguns recursos que vemos por padrão em celulares com a versão completa do Android, como os apps em tela dividida. Também não há todas as opções de customização da interface e nem os gestos da Motorola presente na linha Moto G.

É até possível ativar a lanterna ao sacudir o celular, mas para acessar a câmera terá que usar o atalho no botão de energia. A interface até que flui bem para o modelo básico, porém não está livre de engasgos.

Rivais

Será que temos opções melhores de outras marcas no segmento de entrada? Da Samsung há o Galaxy A04e que vem com versão mais antiga do Android, porém com software mais recheado de recursos. Ele traz tela do mesmo tamanho com resolução igual e taxa de atualização de 60 Hz. Enquanto fica próximo em brilho, entrega som um pouco melhor apesar de também ser mono. Seu desempenho é mais lento e a bateria rende um pouco menos, mas em troca temos melhores fotos devido ao HDR mais eficiente.

Se ter leitor biométrico é tão importante para você, então o realme C30s pode ser uma alternativa interessante. Por outro lado, ele decepciona por não ter Wi-Fi AC para dual-band. Sua tela também é de 60 Hz e tem nível de brilho equivalente, enquanto a parte sonora não empolga em potência e distorce no máximo. O desempenho é mais lento e a bateria dura menos. Ele também tem câmera simples que fica no nível do Motorola.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Desempenho acima da média
  • Boa duração de bateria
  • Interface flui bem para a categoria
  • Wi-Fi padrão AC

Pontos fracos

  • Faltou leitor biométrico
  • Tela de apenas 60 Hz
  • Som mono com qualidade mediana
  • Versão de 2 GB de RAM não vale muito a pena
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Pode ser uma compra interessante se estiver mais barato que rivais

Embalagem e características

Embalagem traz apenas o essencial com carregador de 10W

Comodidade

Não é um celular grande e escorregadio, mas poderia vir com capinha na caixa

Facilidade de uso

Ele vem com Android 13 Go e não traz todos os gestos da Motorola

Multimídia

A tela é decente, enquanto o som mono poderia ter qualidade melhor

Votação Geral

O Moto E13 garante bom desempenho e bateria, enquanto fica abaixo da média em câmera

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto E13