LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Dê sua nota! Idec quer sua ajuda para pressionar TIM, Oi, Vivo, Claro e outras

10 de abril de 2018 53

Muito se fala sobre a qualidade do serviço prestado pelas gigantes da telecomunicação no Brasil. Em pesquisas recentes o Brasil aparece como um dos maiores consumidores de internet do mundo, por exemplo. Ainda assim, não é difícil encontrar alguém reclamando de algum serviço prestado por operadoras.

O Idec, Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, quer que os clientes sejam mais ativos no sentido de avaliar os serviços das operadoras. A ideia é aproveitar a existência do Comitê de Defesa dos Usuários dos Serviços de Telecomunicações da Anatel (CDUST), e reforçar a comunicação do órgão regulador com os consumidores de forma transparente.


O Instituto busca a inclusão de indicadores de qualidade com informações técnicas que não apresentem diferenças em relação à qualidade real percebida pelo cliente, e também encontrar formas de definir um padrão de qualidade baseado na concorrência entre as empresas em cada região. É indicado que um aumento na transparência e na quantidade de informação fornecida ao consumidor seria benéfico, pois isso acarretaria em pressionar as operadoras a fornecer serviços de melhor qualidade.

Ainda é dito que um "esforço da agência em reforçar as capacidades de pressão da sociedade civil e de regulação social do mercado de telecomunicações" seria necessário, pois a Anatel tem problemas em relação a aplicação de multas. Isso remete, inclusive, a situação com a operadora Oi e a compra da Brasil Telecom.

A EAQ, Entidade Aferidora de Qualidade criada pela Anatel em 2011 com o objetivo de auxiliar nos indicadores de qualidade de internet banda larga e móvel, acredita que o Idec quer dispositivos que permitam a intervenção do Tribunal de Contas da União (TCU) para garantir a regularidade em relação a regulamentação. Entretanto, o Instituto afirma que busca apenas garantir a colaboração entre a agência e o TCU de forma construtiva.

Nextel quer estilo de avaliação semelhante ao usado no Uber

Ainda pensando nisso, a Nextel opinou em dois pontos interessantes. O primeiro foi a ideia de distinguir melhor o tamanho de cada operadora, e a partir disso definir obrigações mínimas diferentes. Por fim, a empresa disse que um processo de avaliação das operadoras simplificado e com participação ativa dos consumidores, um pouco menos técnico, seria viável.

A Nextel defende que esse novo processo de avaliação deve ser baseado em indicadores simples e de fácil compreensão. Assim, partindo da visão do consumidor, ter uma percepção da qualidade do serviço prestado. Também é dito que seria interessante que esses resultados fossem divulgados por faixas, somente se o nível de aprovação fosse satisfatório. A empresa ainda indica que um estilo de avaliação parecido com o aplicado pelo Uber para avaliação dos motoristas, ou pelas lojas de aplicativos seja seguido, mas com um foco mais aprofundado.

O que você acha disso tudo? Os consumidores brasileiros conseguiriam colaborar nessa avaliação? Isso faria alguma diferença na qualidade oferecida pelas operadoras? Diga sua opinião nos comentários.


53

Comentários

Dê sua nota! Idec quer sua ajuda para pressionar TIM, Oi, Vivo, Claro e outras
Android

Melhores smartphones: TOP 10 do TudoCelular para você | Março 2019

Especiais

Nada de Black Fraude! Ferramenta do TudoCelular desvenda ofertas falsas

Android

TOP 10 smartphones de elite com melhor desempenho | Guia do TudoCelular

Android

TOP 10 smartphones de elite com melhor autonomia | Guia do TudoCelular