» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.769

Realme 7

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

Interessado nas novidades da Realme que chegaram recentemente ao mercado nacional? O modelo mais avançado da marca é o 7 Pro, que o TudoCelular já fez uma análise completa, agora temos aqui o Realme 7. Os dois possuem design similar, mas este aqui troca o hardware da Qualcomm por MediaTek, deixa a tela AMOLED de lado e traz painel LCD de 90 Hz, além de bateria maior – tudo isso por R$ 500 a menos. Será que este entrega um melhor custo-benefício? Vamos conferir.

Acessórios

O Realme 7 Pro vem em embalagem amarela com o nome do modelo na tampa, mas sem ilustração do aparelho. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador de 65W
  • Cabo USB no padrão C
  • Chavinha para a gaveta do cartão SIM
  • Capinha de silicone
  • Guia do usuário
Design e construção

O Realme 7 Pro tem corpo de plástico com acabamento fosco e este é o mesmo caso do Realme 7. O design é parecido, com uma faixa que corta o módulo de câmera e gera um efeito holográfico de dois tons. O modelo pode ser encontrado nas cores branca ou azul.

O modelo mais barato é maior, mais espesso e pesado do que a variante Pro. Isso acontece porque aqui temos uma tela maior e bateria mais generosa. Porém, os dois oferecem a mesma boa pegada com a leve curvatura na traseira, enquanto a parte frontal é totalmente plana e traz proteção Gorilla Glass 3. Por mais que o acabamento fosco evite que o celular escorregue da mão, a Realme ainda manda uma capinha de proteção na caixa.

Ao contrário da variante Pro, que possui leve proteção contra água, o que garante que o aparelho sobreviva a uma chuva leve, o Realme 7 não possui qualquer tipo de proteção, então é bom ter mais cuidado.

O Realme 7 vem completo em termos de conectividade, com direito a slot para dois cartões SIM e microSD, entrada para fones de ouvido na parte inferior, Wi-Fi 5GHz e NFC. A diferença para o Pro está apenas na posição do leitor biométrico, que ao invés de ficar integrado à tela, está localizado no botão de energia na lateral direita. Ele reconhece rapidamente sua digital, quando você acerta a posição do sensor.

Tela e som

O furo para a câmera de selfies é um pouco maior por conta da tela ser LCD e não AMOLED como no outro. O painel de 90 Hz entrega bom nível de brilho e contraste alto, até mais do que rivais da Xiaomi e Motorola, o que garante pretos mais profundos e cores vibrantes. O nível de brilho mínimo é tão baixo quanto o de algumas telas AMOLED, tornando o Realme 7 um bom celular para usar no escuro sem agredir os olhos.

É possível travar a tela em 60 ou 90 Hz. Também há um modo automático que regula a velocidade a depender da demanda. Isso ajuda a ter ótima fluidez quando necessário sem sacrificar a bateria. Um ponto negativo está na ausência de suporte a HDR, que já é comum em intermediários rivais.

O que decepciona é a Realme ter cortado o som estéreo neste modelo. O Pro possui duas saídas de som, mas neste há apenas um alto-falante ao lado da porta USB. Pelo menos a potência sonora está na média do segmento e a qualidade sonora não chega a ser ruim. O áudio é desbalanceado e tende muito para os agudos, mas não sofre muita distorção.

Desempenho

Alguns podem até achar que o hardware da MediaTek é inferior, mas em nossos testes vimos o Helio G95 até superar o Snapdragon 720G da variante Pro por uma pequena margem. No teste de velocidade focado no multitarefas tivemos um melhor tempo de resposta na abertura de apps e jogos.

O mesmo aconteceu com benchmarks, com pontuações um pouco acima no Realme 7 Pro, como no caso do AnTuTu. É uma diferença pequena e podemos até declarar que os dois entregam desempenho similar. Isso é ótimo, pois você não levará para casa um celular mais lento ao decidir pelo mais barato.


Por ter uma tela de 90 Hz, você pode esperar que o Realme 7 seja um verdadeiro smartphone gamer. Bem, a GPU Mali-G76 com quatro núcleos gráficos não é tão poderosa assim para empurrar 90 fps na resolução Full HD. Em vários jogos que testamos vimos que o Realme 7 até sofre para segurar 60 fps. No PUBG terá pouco acima dos 30 fps na qualidade HD Alta, sendo possível ter 60 fps na qualidade baixa.

No Asphalt 9 vimos pequenos congelamentos, algo que vem acontecendo em celulares com hardware da MediaTek. De qualquer forma, é um bom celular para jogar e que apresenta boa fluidez no geral.

Câmeras

O Realme 7 pode ser encontrado em duas configurações de câmera. O global traz sensor máximo de 48 MP, enquanto o modelo lançado no Brasil é o mesmo do mercado asiático e compartilha do sensor de 64 MP da variante Pro. Será que isso quer dizer que temos a mesma qualidade das fotos da versão mais cara?

Na teoria sim, mas na prática vemos que o hardware da MediaTek tem um pós-processamento mais precário e assim perdemos alguns detalhes nas fotos. Enquanto na variante Pro temos fotos mais nítidas ao fotografar na resolução máxima, no Realme 7 acontece o contrário, porque o Helio G95 é fraco para lidar com tantos pixels.

Padrão | 48 MP



As fotos registradas pelo Realme 7 estão longe de serem ruins, mas falta nitidez, vivacidade nas cores e detalhes no que está distante. Aqui vemos que ele entrega qualidade de modelos bem mais baratos da concorrência.

Principal | Ultra-wide




O maior problema fica ao fotografar em locais escuros. Os ruídos tomam conta das fotos e isso fica ainda mais agravado com a ultra-wide. A câmera com lente mais ampla até registra boas fotos de dia, mas será quase inútil à noite. Pelo menos há modo noturno que ajuda a salvar as fotos em locais em que haja uma fonte de luz por perto.

A câmera macro é a mesma do modelo Pro e também entrega fotos razoáveis. Por ter apenas 2 MP não espere por imagens nítidas e o foco fixo não ajuda a chegar muito perto sem ter fotos borradas. É apenas um extra que será pouco usado.

Macro




Noturno



A quarta câmera tem a promessa de melhorar o contraste com o modo retrato, mas na prática só ajuda a desfocar o fundo das fotos. O resultado é apenas decente e nem sempre a separação entre planos é completa.

A frontal registra boas selfies, seja em locais iluminados ou até mais escuros. Um detalhe curioso é que ao usar o modo retrato a resolução cai para apenas 4 MP, mas ainda é suficiente para termos boas selfies.

Selfies




O Realme 7 captura vídeos com boa qualidade e tem foco ágil em todas as resoluções. Já a estabilização eletrônica não funciona tão bem em 4K e Full HD a 60 fps. A ultra-wide registra bons vídeos de dia, porém à noite sofre com um tom avermelhado estranho, além de muitos ruídos. O som não é abafado como o modelo Pro por ter um controle de redução de ruídos menos agressivo.

Bateria

O Realme 7 tem 500 mAh a mais de bateria e mesmo com sua tela de 90 Hz ainda é capaz de entregar maior autonomia que a variante Pro. Ele fica entre os melhores e tem carga suficiente para render dois dias em uso mais leve. Mesmo que você jogue e assista muitos vídeos será difícil fazer uma segunda carga no mesmo dia.


O carregador não é o mesmo de 65W do Realme 7 Pro, mas ainda assim faz com que o Realme 7 passe pouco tempo na tomada. Para ir de 0 a 100% terá que esperar pouco mais de 1 hora. Uma carga rápida de 15 minutos recupera um terço da bateria e com apenas meia hora de carga você terá bateria para usar o dia inteiro.

Software

O Realme 7 sai da caixa com Android 10 e interface Realme UI. A aparência é agradável e com poucas modificações. É possível alterar os ícones e escurecer a interface com o tema escuro – só não espere ver algum ganho em bateria já que a tela não é AMOLED como a do Realme 7 Pro.

Apesar da Realme seguir um caminho próximo da Motorola quando o assunto é modificações do sistema, a chinesa deixa alguns apps do Google de lado e oferece os seus próprios, como Galeria, Music Player e Reprodutor de vídeos.

O que importa é que a Realme UI flui bem e mostra que a empresa se preocupa com otimização, enquanto a Xiaomi não parece se importar com a MIUI que vem sofrendo bastante com gerenciamento de RAM precário em vários intermediários.

Rivais

Vale a pena economizar ou é melhor investir mais na variante Pro? O Realme 7 se destaca pela tela de 90 Hz, mas são poucos os jogos que tiram proveito disso. Pelo menos terá maior fluidez ao navegar. A bateria dura um pouco mais, mas demora mais para carregar. O desempenho no geral é similar entre os dois, porém o Realme 7 Pro tem melhores câmeras.

Ele entrega o mesmo nível de desempenho do Moto G 5G e supera o Galaxy M31 e Poco X3 em uso com vários apps. Em bateria pode até perder para os rivais da Motorola e Samsung, mas recarrega bem mais rápido. Já em câmeras terá melhores fotos com os aparelhos das concorrentes.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Tela de 90 Hz
  • Desempenho ágil
  • Autonomia de bateria
  • Tempo de recarga

Pontos fracos

  • Som mono
  • Câmeras poderia ser melhores
  • Filmadora tem estranho tom avermelhado
  • Demora nas atualizações do Android
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Há opções mais interessantes na mesma faixa de preço do Realme 7

Embalagem e características

Embalagem traz capinha de proteção, mas nada de fone de ouvido

Comodidade

O Realme 7 é um celular grande, mas acabamento fosco evita que escorregue fácil

Facilidade de uso

A Realme UI é simples e fácil de usar

Multimídia

Tela tem boa qualidade, mas faltou som estéreo para completar o pacote

Votação Geral

O Realme 7 é um celular bacana com preço salgado; será uma boa compra quando estiver por menos de R$ 2 mil

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Realme 7