» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.551

Realme 9

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O realme 9 chegou ao Brasil este mês e vem apostando na nova geração do sensor ISOCELL de 108 MP da Samsung. A promessa é de fotos incríveis sem pagar uma fortuna por um celular top de linha. Será que o intermediário chinês está com essa bola toda? Nesta análise do TudoCelular vamos descobrir o que ele tem de bom e se vale os R$ 3 mil que a realme chega pedindo pela novidade.

Acessórios

O realme 9 vem em embalagem amarela com o nome do modelo na tampa, mas sem ilustração do aparelho. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador de 33W
  • Cabo USB no padrão C
  • Chavinha para a gaveta do cartão SIM
  • Capinha de silicone
  • Guia do usuário
Design e conectividade

O design do realme 9 é o mesmo do irmão 9 Pro Plus que o TudoCelular já fez análise completa. Podemos até dizer que a fabricante usou a mesma carcaça nos dois, já que possuem as mesmas medidas. O realme 9 é até mais leve por ter traseira de plástico, enquanto o mais caro da linha possui peça de vidro.

O plástico na traseira do realme 9 possui acabamento fosco e isso torna o aparelho mais escorregadio, por mais que não seja grande e difícil de segurar com uma mão. A realme trouxe seu novo intermediário nas cores branca e preta para o Brasil, ambas com pintura metalizada com efeito furta-cor.

As bordas na traseira são levemente curvadas e exibem um design fluido que se encaixa perfeitamente com as laterais com acabamento fosco. O realme 9 é um celular agradável de segurar e apresenta boa qualidade de construção apesar de não ter apelo premium.

O bloco de câmeras é feito de plástico brilhante e fica bastante saltado, talvez por culpa do sensor de alta capacidade. Nele encontramos duas câmeras com lentes maiores e uma menor que fecha o trio juntamente de um flash simples em LED.

A frontal do aparelho apresenta moldura razoável com borda inferior consideravelmente mais larga que as demais. A câmera fica em furo no canto superior esquerdo, como também temos no realme 9 Pro Plus. O vidro possui proteção Gorilla Glass 5 para ajudar a sobreviver a impactos e riscos.

O leitor biométrico fica na própria tela bastante próximo da borda inferior, o que exige um pouco de manobra para acertar o polegar na posição correta. O sensor é bom e responde rapidamente, mas poderia ser mais alto.

Na lateral direita do realme 9 temos apenas o botão de energia e do lado oposto há a gaveta para acomodar dois chips e um cartão microSD ao mesmo tempo, além da tecla de volume. Na parte inferior encontramos a entrada USB-C, o alto-falante, o microfone de chamadas e a entrada para fones de ouvido. No topo há apenas um segundo microfone.

Na parte de conectividade temos Wi-Fi AC e Bluetooth 5.1. Esta versão do realme 9 não possui conectividade 5G, mas a fabricante lançou outro modelo com esta tecnologia, porém com especificações diferentes. Além disso, ele fica devendo NFC.

Tela e som

O realme 9 herda a tela do 9 Pro Plus e temos um painel Super AMOLED de 90 Hz com 6,4 polegadas e resolução Full HD+. Este é um dos pontos em que o modelo 4G se diferencia da versão 5G que vem com tela IPS LCD de 120 Hz e 6,6 polegadas.

A tela tem brilho forte e garante boa visibilidade em qualquer situação. Por ser um painel AMOLED temos contraste infinito para preto perfeito e amplo ângulo de visão. O que incomoda é o excesso de saturação na calibração padrão que deixa as imagens distantes do que são na realidade. A boa notícia é que o perfil Natural resolve totalmente o problema.

Não há suporte a HDR, então não espere melhorias no brilho ou cores ao assistir filmes e séries nos principais serviços de streaming. A taxa de atualização é dinâmica e reduz para 60 Hz sempre que você não toca na tela por alguns segundos e também fica nessa velocidade ao ver vídeos.

O que decepciona é a parte sonora. Há apenas uma saída de som no lado inferior do aparelho e com isso ficamos limitados a som mono. Além disso, a potência não é das melhores, assim como o equilíbrio sonoro que peca nos graves e médios. Isso faz com que o realme 9 tenha uma experiência multimídia limitada, especialmente com músicas.

Desempenho

O realme 9 vem equipado com a plataforma Snapdragon 680 acompanhado de 8 GB de RAM. Na teoria, é um hardware inferior ao do modelo Pro Plus, como é de ser esperar, mas em nosso teste de velocidade focado no multitarefas vimos o realme 9 superar o modelo mais avançado com Dimensity 920. Será falta de otimização de software?

O Android modificado pela realme usa por padrão 3 GB do armazenamento para estender a RAM e ajudar a segurar mais apps abertos em segundo plano. E realmente chega a funcionar bem, já que o realme 9 não fica recarregando aplicativos com frequência.


Em benchmarks já vemos um cenário diferente com o realme 9 conquistando números inferiores ao modelo Pro Plus. No caso do AnTuTu temos quase metade da pontuação e isso mostra que o hardware da MediaTek tem maior potencial, mas que não foi bem aproveitado pelo software da realme.

E nos jogos? Call of Duty rodou bem na qualidade gráfica média com filtros extras desativados. No PUBG é possível ter bom desempenho ao configurar o jogo na opção balanceada e até ativar os demais recursos. Games mais casuais vão rodar bem e até tirar proveito da tela de 90 Hz, mas jogos não chegam a ser o foco do realme 9.

Bateria

Talvez a parte mais impressionante do realme 9 seja sua autonomia. Ele é mais um celular com bateria de 5.000 mAh, o que não é nada demais para os dias atuais, mas rendeu mais de 30 horas em nosso teste de autonomia. Isso faz com ele entregue quase 10 horas a mais de duração de bateria comparado ao modelo Pro Plus com 4.500 mAh.


A realme já mostrou em outros aparelhos que sabe bem otimizar a bateria com a Realme UI e no caso do realme 9 foi possível fazer um bom balanço sem comprometer o desempenho. Além disso, o carregador de 33W não demora tanto para recarregar a bateria e demora 1 hora e 20 minutos para ir de 0 a 100%.


Com uma carga rápida de 15 minutos terá 27% para usar, chegando a 47% em meia hora na tomada.

Câmeras

O grande destaque do realme 9 está na sua câmera de 108 MP. Pode não parecer grande coisa atualmente, mas ainda são poucos intermediários que investem em tantos megapixels. A câmera secundária tem sensor de 8 MP com lente ultra-wide e a última é mais simples de 2 MP para macros.

Realmente a câmera é o grande destaque do realme 9. Ela é capaz de registrar fotos nítidas, com amplo alcance dinâmico e contraste na medida. Apenas a temperatura do branco que tende um pouco para o tom frio. A boa notícia é que isso pode ser corrigido facilmente com uma simples edição.

Principal | Ultra-wide



Há um atalho para zoom de 3x, por mais que o realme 9 não tenha uma câmera dedicada para isso. Como temos um sensor de alta resolução, o celular captura a imagem em 108 MP e então faz um corte na parte central ampliando a imagem com pouca perda. O resultado fica até melhor do que outros celulares com zoom digital de 2x.

Zoom



A ultra-wide também registra boas fotos, apesar de exagerar mais no contraste e matar os detalhes de sombras. As cores ficam próximas às da câmera principal e você não perde tanta nitidez, apesar da resolução deste sensor ser bastante inferior. O ponto fraco mesmo fica para fotos noturnas.

Noturno



Se você pretende fotografar à noite, então é melhor ficar limitado à câmera principal. Essa sim registra boas fotos sem pecar na nitidez, cores e contraste. Ainda há um modo noturno que realça os detalhes do cenário e prolonga a exposição para uma foto mais clara sem comprometê-la com excesso de ruídos.

Macro



A macro é o ponto fraco do conjunto. É um sensor de apenas 2 MP que não possui foco automático. O resultado é que temos fotos similares a de outros intermediários e até modelos inferiores com imagens suavizadas, cores ser vivacidade e com distância focal limitada.

Desfoque



O realme 9 não possui uma câmera dedicada para desfoque. As empresas estão abandonando este tipo de câmera e focando no software para borrar o fundo das fotos. A boa notícia é que o intermediário da realme faz isso muito bem; ele não chega a ser imune a erros, mas no geral entrega resultados similares a muitos com câmera retrato dedicada.

Selfies



A frontal faz boas selfies mesmo em locais com luz mais fraca. É bom ver que a realme continua investindo em bons sensores e você terá fotos nítidas, com boas cores, contraste e tom de pele ideal para compartilhar no Instagram.

O realme 9 filma em Full HD com a traseira e frontal ficando limitado a 30 fps. A qualidade dos vídeos é decente, apesar de termos imagem mais suavizada do que nas fotos e cores um pouco distantes da realidade. Há estabilização eletrônica que reduz bastante os tremidos. O foco é bom e a captura de áudio é estéreo com qualidade decente.

Software

O realme 9 sai da caixa com Android 12 modificado pela Realme UI 3.0. No momento em que testamos o aparelho, ele estava com pacote de segurança dois meses atrasados. Apesar do atraso nas atualizações, o software flui bem no aparelho, especialmente quando a tela está atualizando a 90 Hz.

É possível aumentar a RAM para 13 GB roubando mais do armazenamento interno. Só não espere que isso fará uma grande diferença no desempenho. O leitor biométrico possui sensor de batimentos cardíacos integrado, sendo um diferencial raro de ver em celulares atualmente.

Há recursos interessantes como o menu lateral no estilo do Tela Edge da Samsung. A possibilidade de incluir atalhos próximos ao leitor biométrico para que você acesse imediatamente um app frequentemente usado ao desbloquear o celular, assim como um modo infantil que limita o acesso a certos apps e recursos.

Rivais

Como visto, o realme 9 é um celular bacana, mas pode decepcionar alguns pelo preço para um celular sem 5G e com Snapdragon 680 que está abaixo da concorrência em potência.

O Galaxy A33 seria uma boa alternativa para quem busca um celular compatível com a nova geração da internet móvel e ainda leva de bônus um aparelho com resistência à água e alto-falantes estéreo. O realme 9 é mais ágil no multitarefas, apesar do Galaxy conseguir números maiores em alguns benchmarks. O da Samsung perde em autonomia e tempo de recarga, enquanto se destaca em filmadora ao gravar em 4K.

O Moto G82 traz o Snapdragon 695, um chip levemente mais potente que consegue números maiores em benchmarks e agrega conectividade 5G. O intermediário da Motorola possui tela de 120 Hz e som estéreo como diferenciais, mas perde em desempenho multitarefas e autonomia de bateria. Em fotos e vídeos temos vantagem para o realme 9.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Boa tela AMOLED
  • Desempenho multitarefas acima da média
  • Ótima duração de bateria
  • Câmera acima da concorrência

Pontos fracos

  • Faltou som estéreo
  • Poderia ter hardware mais potente
  • Não grava em 4K
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Seu custo-benefício é um pouco complicado no Brasil, mas valerá a pena em promoções

Embalagem e características

Embalagem traz carregador potente e capinha de silicone

Comodidade

O realme 9 é um celular de plástico liso e escorregadio, mas vem com capinha na caixa

Facilidade de uso

A Realme UI é uma interface cheia de recursos que não pesa no desempenho

Multimídia

O realme 9 possuiu boa tela AMOLED, mas o som mono compromete a experiência multimídia

Votação Geral

O realme 9 é um celular que equilibra bem desempenho, bateria e câmera

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Realme 9