» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.059

Realme C55

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O realme C55 chegou recentemente ao Brasil como mais uma opção de celular acessível da fabricante chinesa, mas ele chamou a atenção por tentar copiar a Ilha Dinâmica do iPhone. Será que este é o único destaque do aparelho ou temos um smartphone que entrega bom conjunto por um preço justo? Vamos conferir.

Acessórios

Realme C55 vem em embalagem amarela com o nome do modelo na tampa, mas sem ilustração do aparelho. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador de 33W
  • Cabo USB-C
  • Chavinha para a gaveta do cartão SIM
  • Capinha de silicone
  • Guia do usuário
Design e conectividade

O realme C55 é um celular com corpo feito de plástico simples, mas que entrega boa qualidade de construção. Ele é um aparelho grande que não fica desconfortável de segurar por ser mais fino que outros da categoria.

A novidade da fabricante chinesa chegou ao mercado em duas opções de cores, sendo este um dos seus principais destaques. Há a versão clara chamada de Sunshower que imita os raios solares que disparam do conjunto fotográfico e se espalham pela traseira numa mistura de cores como prata, laranja e rosa. A versão escura Rainy Night imita uma noite chuvosa com pequenos pontos no estilo gotas de chuva.

É inegável que a empresa realmente caprichou na aparência do realme C55 para chamar a atenção do consumidor que está cansado de aparelhos com cores sólidas sem graça. A traseira é feita de plástico fosco em sua maior parte, enquanto há uma peça menor com acabamento brilhante onde ficam as duas câmeras com aros grandes cromados.

As laterais também possuem acabamento fosco para ajudar na pegada e tornar o celular menos escorregadio. Já a parte frontal exibe o tradicional entalhe em furo que traz truques via software para imitar a Ilha Dinâmica da Apple. As bordas possuem boa espessura na parte superior e laterais, mas a inferior tem o dobro da largura das demais.

É bom ver que o realme C55 vem com entrada padrão para fones de ouvido, algo que está entrando em extinção. O conector fica na parte inferior ao lado da entrada USB-C e do único alto-falante do aparelho. Na lateral esquerda encontramos a gaveta tripla que permite usar dois chips e um microSD ao mesmo tempo. Já o leitor biométrico está localizado no botão de energia na lateral direita e você precisa apenas tocar no botão para ele ler sua digital.

Na parte de conectividade temos Wi-Fi de quinta geração para redes 5 GHz de alta velocidade. O Bluetooth é 5.2 e há suporte a NFC, mas fica devendo conexão 5G para redes de nova geração.

Tela e som

O realme C55 traz tela de 6,72 polegadas com painel IPS LCD Full HD+ com taxa de atualização de 90 Hz. O brilho máximo está acima de outros celulares com tecnologia LCD e ajuda ao realme C55 entregar uma melhor experiência fora de casa, especialmente em dias ensolarados.

O nível de contraste é bom, o que garante que o preto não fique acinzentado como é comum em celulares de entrada com tela LCD. O ângulo de visão também é amplo o suficiente para garantir uma boa visualização de qualquer posição. O brilho mínimo não é dos menores, mas não deve incomodar muito quem gosta de usar o celular no escuro.

A calibração tende para cores frias e deixa o branco com tom azulado. Isso pode ser corrigido ao deslizar o slider de temperatura de cor para o mais quente nas configurações de tela. A taxa de atualização vem no automático por padrão e reduz a velocidade para 45 Hz em conteúdo estático para ajudar a economizar bateria.

O realme C55 vem com apenas um alto-falante e com isso temos som mono. A potência sonora é apenas mediana e há um modo boost que turbina o volume para 200%, o que a fabricante alega que será suficiente para ouvir o que estiver assistindo no celular mesmo em locais bastante ruidosos.

Na prática, esse modo boost não faz muita diferença na potência, mas compromete ainda mais a qualidade sonora ao forçar demais os agudos, o que deixa o som estridente e distorcido.

Desempenho

O realme C55 vem equipado com o chip Helio G88 da Mediatek. Este é o mesmo chip presente em celulares chineses como o Redmi 10 Prime da Xiaomi. Ele não é dos mais potentes da categoria, mas aqui no celular da realme apresentou bom desempenho no multitarefas graças aos 8 GB de RAM.


Além disso, o modelo à venda oficialmente no Brasil traz 256 GB de armazenamento e permite expandir a memória com cartão microSD de até 1 TB. Este é realmente um diferencial para quem busca um celular intermediário acessível com muita memória. Sem falar que o bom gerenciamento de RAM faz ele ser mais rápido que rivais da Samsung e Motorola no multitarefas.

Em benchmarks tivemos pontuações um pouco acima do modelo da Xiaomi com média de 200 mil pontos no AnTuTu. E nos jogos? Ele vai bem no Call of Duty, desde que você jogue na configuração média com recursos gráficos extras desativados. No PUBG é possível arriscar na opção HD com taxa de quadros em alto e extras habilitados sem sofrer com aquecimento excessivo.

Bateria

A bateria de 5.000 mAh é um padrão no segmento, mas o realme C55 conseguiu superar outros com o mesmo tamanho de bateria. Em nosso teste padronizado conseguimos mais de 25 horas de uso moderado, o que garante que terá autonomia para o dia todo com folga.


Outro destaque fica para o carregador de 33W que acompanha o aparelho e leva pouco mais de 1 hora para encher completamente a bateria, enquanto ainda é comum ver intermediários mais acessíveis levando quase duas horas para recarregar.


Com uma carga rápida de 15 minutos temos 27% de bateria para usar e pouco mais da metade com meia hora na tomada, o que já é suficiente para muitas horas de autonomia.

Câmeras

O conjunto fotográfico é simples e traz dois sensores na traseira: o principal possui resolução de 64 MP, algo que era comum em intermediários nos últimos anos. A secundária tem apenas 2 MP e serve para desfoque de cenários. A frontal traz um sensor simples de 8 MP que deve dar conta de registrar boas selfies.

O sensor principal é da OmniVision e comprime quatro pixels em um, o que resulta em imagens finais de 16 MP. As demais câmeras possuem sensores distintos, podendo ser OmniVision ou Samsung. Essa não é a primeira vez que vemos um celular usar componentes de fabricantes diferentes.

Zoom


As fotos registradas em dias ensolarados apresentam boas cores sem exagero na saturação e ruídos controlados. A faixa dinâmica é decente e o HDR faz bem o seu trabalho quando é ativado automaticamente.

Você pode usar o modo 64 MP para capturar imagens na resolução máxima e ter fotos mais nítidas que ajudam na hora de editá-las. Fotografar nessa resolução fará com que o triplo de armazenamento seja ocupado, mas como o C55 tem muita memória, isso não será um problema.

Desfoque



Há atalho para três níveis de zoom no app de câmera. O padrão de 2x faz fotos decentes, enquanto na opção 5x temos uma queda considerável na nitidez. Talvez seja melhor fotografar no modo 64 MP e cortar a imagem manualmente para ter uma foto com mais detalhes.

Como não há uma câmera dedicada para macros, terá que usar a principal que não possui uma distância focal curta, então espere fotos borradas ao tentar chegar muito perto do que deseja fotografar. A câmera secundária responsável pelo desfoque de cenários é bastante decepcionante. O resultado apresenta falhas e sofre bastante ao ser usado com objetos.

Noturno


As fotos noturnas saem escuras por conta das limitações do sensor e lente, mas há modo noturno que ajuda bastante a recuperar as partes perdidas na escuridão, mas em troca deixa as falhas e ruídos mais evidentes.

A câmera frontal faz boas selfies. Apesar de não serem as fotos mais nítidas da categoria, temos bom contraste, cores e tom de pele dentro do ideal. O HDR funciona bem para compensar o excesso de luz de fundo, mas o desfoque é tão falho quanto o do conjunto traseiro.

Selfies


A filmadora grava em Full HD com a câmera traseira e frontal. A diferença é que na principal temos 60 fps e apenas metade na câmera selfie. A qualidade dos vídeos é decente, mas sofrem com tremidos por falta de estabilização eletrônica. O foco é ágil e está acima de muitos da categoria, enquanto o som capturado, apesar de ser estéreo, é bastante abafado e sofre com ruídos de vento.

Software

O realme C55 sai da caixa com Android 13 modificado pela Realme UI 4.0 que vem com visual mais limpo e moderno que os modelos anteriores da marca. O sistema permite customizar alguns elementos, mas nada tão avançado quanto a One UI da Samsung ou MIUI da Xiaomi.

A grande novidade do software fica para a Mini Cápsula, que pode ser encontrada no menu Realme Lab, juntamente com as opções de áudio de modo duplo para usar com dois fones de ouvido ao mesmo tempo e o Cápsula de Sono que traz ajustes e dicas para ajudar a dormir melhor.

O recurso Mini Cápsula imita o Ilha Dinâmica do iPhone ao usar animações que se integram ao furo para a câmera de selfies. Os recursos são bem mais limitados do que temos no celular da Apple e aqui se resumem a status de carregamento da bateria e consumo de pacote de dados. Outros recursos serão adicionados via atualização de software.

Rivais

O realme C55 é uma melhor compra que outros intermediários do segmento? O Galaxy A23 traz conectividade 5G para quem busca estar preparado para a nova geração da internet. Ele conta com tela de 120 Hz para fluidez superior e possui melhores câmeras, com direito a ultra-wide. O C55 ganha no desempenho multitarefas e sua bateria dura mais e recarrega mais rápido.

O Moto G53 também é outra alternativa para quem prioriza ter um celular 5G. Ele traz tela IPS LCD de 120 Hz para fluidez superior e som estéreo com boa qualidade. A parte decepcionante fica para o desempenho multitarefas inferior e a bateria que dura muito menos e ainda demora mais para recarregar. Em câmera, o da Motorola até leva vantagem em ambientes com pouca luz e faz melhor desfoque de fundo.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Desempenho acima da média
  • Bateria dura bem
  • Recarga rápida para o segmento
  • Boas câmeras

Pontos fracos

  • Brilho de tela abaixo dos rivais
  • Som mono
  • Modo retrato problemático
  • Preço salgado no Brasil
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Seu custo-benefício no Brasil é complicado, mas é fácil encontrá-lo no mercado cinza

Embalagem e características

Embalagem traz carregador potente e capinha de silicone

Comodidade

É um celular grande e escorregadio, mas vem com capinha na caixa

Facilidade de uso

Realme UI vem evoluindo e está cada mais vez mais limpa e ágil

Multimídia

Tela tem bom brilho, enquanto som mono não empolga em potência e qualidade

Votação Geral

O realme C55 é um celular bacana para quem não está preocupado com o 5G

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Realme C55