» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
845

Redmi 9A

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

Redmi 9A é o celular mais básico da Xiaomi de 2020 que chega para competir com Galaxy A11, K41s e Moto E7 Plus. Será que o modelo de entrada chinês é uma melhor opção do que os rivais da Samsung, LG e Motorola? Você vai conferir com o TudoCelular tudo o que o Redmi 9A tem a oferecer e se vale a pena comprar.

Acessórios

O Redmi 9A vem em embalagem tradicional na cor branca com ilustração do aparelho na tampa. Além do celular, você encontrará os seguinte acessórios:

  • Carregador de 10W de potência
  • Cabo USB no padrão micro
  • Chavinha da gaveta do SIM card
  • Guia de uso
Design e construção

O foco do Redmi 9A é ser um celular barato, e para isso ele abre mão de ser equipado com várias câmeras, sensor biométrico ou até mesmo vir acompanhado com capinha de brinde na caixa. Se você está interessado no básico da Xiaomi saiba que levará para casa um aparelho extremamente básico que se propõe a tarefas simples.

Seu corpo feito de plástico tem textura na traseira que melhora a pegada. Essa é uma escolha sábia já que o novo básico da Xiaomi está maior do que antes. Isso evita que o aparelho fique escorregando da sua mão.

Por não ter leitor de digitais, você terá que se contentar com biometria facial. Ela é até ágil, porém menos segura. Serve para desbloquear o aparelho, mas não pode ser usada com aplicações de internet banking, por exemplo.

A câmera traseira e o logo da Redmi saíram da parte central e agora ficam próximos da borda esquerda. Na parte frontal continuamos com entalhe de gota e a mesma largura de bordas de antes. Não dá para esperar grandes mudanças no design neste segmento, mas o que decepciona é ver que a porta USB-C foi trocada por uma micro USB.

O Bluetooth evoluiu para a versão 5.0, enquanto o Wi-Fi 5 GHz continua ausente. Também não espere por giroscópio ou bússola, o Redmi 9A vai na linha de que para ser barato é preciso fazer alguns sacrifícios.

Tela e som

A tela cresceu para 6,5 polegadas mantendo a resolução HD+ e o painel IPS LCD de antes. A Xiaomi promete um brilho máximo de 400 nits e é basicamente isso que o Redmi 9A entrega. Usar o celular fora de casa pode ser complicado nos dias de sol forte. Pelo menos o nível de contraste é superior ao Redmi 9, resultando em imagem menos lavada.

É muito comum vermos celulares de entrada com telas mal calibradas exibindo cores bastante frias e branco azulado. O Redmi 9A foge disso e a temperatura das cores está próxima do ideal. Você pode até achar o branco dele um pouco amarelado, mas isso causa menor fadiga visual. Se não curtiu poderá mudar nas configurações de tela.

Há apenas uma saída de som ao lado da porta micro USB. A potência sonora é apenas mediana e fica abaixo dos rivais das outras marcas e até mesmo perde para o Redmi 9. A qualidade sonora também não empolga, com ausência total de graves e médios bastante lineares. É basicamente um celular com som focado nos agudos que serve para vídeos, mas é ruim para curtir músicas. E como esperado de um aparelho da Xiaomi, nada de fones na caixa.

Desempenho

Agora vamos para a parte que talvez seja a mais polêmica desta análise: o desempenho. O Redmi 8A veio equipado com Snapdragon 439 que foi trocado pelo Helio G25 no 9A. Em benchmarks temos as mesmas pontuações de antes, então se você esperava por números maiores no AnTuTu, pode esquecer.

O maior problema do 9A está no gerenciamento de RAM. Por ter apenas 2 GB de memória é complicado manter vários apps rodando ao mesmo tempo. O antigo também sofria com isso e agora na MIUI 12 parece que tudo piorou. O sistema está mais pesado e exige mais memória para rodar bem.


O Helio G25 também não ajuda. Por ser um chip recente, ainda carece de otimização. Sentimos isso com os jogos, onde alguns títulos não conseguem ser executados no Redmi 9A, como foi o caso do Asphalt 9. A GPU é a mesma PowerVR GE8320 do Helio P22, mas aqui sofre mais nos jogos e apresenta engasgos frequentes. No PUBG terá média abaixo dos 30 fps mesmo na configuração mais baixa.

Se você é gamer ou está buscando um celular barato para jogar, poderá ficar decepcionado com o que o novo básico da Xiaomi entrega. Há diversos modelos de entrada com hardware da MediaTek que entregam melhor desempenho nos jogos.

Câmeras

O Redmi 9A traz apenas uma câmera na traseira e uma na frontal. A resolução subiu para 13 MP, porém a abertura focal caiu comparado ao antecessor. Com isso já espere por fotos mais escuras à noite.

O básico da Xiaomi faz apenas o básico em câmera. Será que é possível ter boas fotos para publicar no Instagram? Sim, mas em condições de luz bastante favoráveis. Até mesmo de dia em locais fechados já se nota uma leve granulação nas imagens.

Normal | IA



Há inteligência artificial que aumenta a exposição e satura as cores, mas o efeito fica tão artificial que é melhor usar um programa de edição ou filtro se quiser deixar a imagem mais bonita. O modo retrato é feito via software e apresenta erros constantes, podendo borrar até a foto inteira.

Fotografar à noite com o Redmi 9A é bastante complicado. As fotos saem tão escuras que quase não é possível identificar onde foi feita a captura. Não há modo noturno para tentar salvar as imagens.

Noite



A Xiaomi capou a câmera frontal que está com resolução ainda menor. O resultado é o que o 9A registra selfies sem nitidez. Há ruídos até mesmo em fotos tiradas perto da luz e o modo retrato apresenta falhas visíveis.

Selfies | Retrato




A filmadora grava apenas em Full HD a 30 fps com as duas câmeras. A qualidade é razoável, não há estabilização para lidar com os tremidos, e o foco fica bastante lerdo à noite. Para piorar tudo, a captura de som é mono e com áudio abafado.

Bateria

Se o desempenho não é o forte do Redmi 9A, bateria, por outro lado, é o seu maior destaque. Temos os mesmos 5.000 mAh de antes que rendem o dia todo sem dificuldade. É interessante ver que a autonomia aumentou mesmo com a tela maior nesta geração. Talvez seja este o benefício de trocar o hardware da Qualcomm pelo mais recente da MediaTek.


Em uso leve terá carga para mais de um dia tranquilamente, superando o que os rivais de outras marcas entregam neste segmento, mas o que poderia ser melhor é o tempo de recarga. A Xiaomi economizou no carregador fornecido com o aparelho, com potência máxima de 10W e isso faz o 9A passar 3h na tomada.


Está com pressa em sair de casa? Uma carga rápida recupera apenas 11% de bateria e mesmo com 1 hora na tomada não terá nem metade da bateria para usar.

Software

O Redmi 9A sai da caixa com Android 10 e MIUI 12. É curioso ver que o mais básico da linha já conta com a versão mais atual da interface da Xiaomi, enquanto vários modelos mais caros da empresa ainda continuam esperando por esta versão.

Algumas mudanças foram feitas na tela de recentes e no painel de notificações, mas percebemos que o sistema está mais pesado, nem sempre reconhece rapidamente um comando do usuário e apresenta engasgos mais constantes do que é esperado para um celular dessa faixa.

Isso poderá mudar em atualizações futuras, mas é bom ter em mente que a Xiaomi não é uma das que possuem bom suporte em updates do Android. Há modelos na mesma faixa de preço que entregam uma experiência mais fluida e menos frustrante.

Rivais

A Xiaomi já foi boa no segmento de entrada, mas o Redmi 9A é tão básico que chega a ser um celular ruim. Seu único ponto forte é a bateria, porém há vários na mesma faixa de preço que também entregam boa autonomia.

Moto E7 Plus, Galaxy A11 e K41s são muito mais rápidos, sofrem com menos engasgos e rodam jogos com fluidez superior. Todos eles trazem conjuntos mais completos de câmeras, com o Motorola sendo o melhor para fotografar à noite e o LG sendo o mais versátil com direito a câmera ultra-wide e uma dedicada para macros.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Autonomia de bateria

Pontos fracos

  • Tela e som
  • Desempenho no geral e jogos
  • Tempo de recarga
  • Qualidade das fotos
  • Filma com som mono
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O Redmi 9A não tem um custo-benefício interessante

Embalagem e características

Embalagem simples traz apenas o essencial, sem fone de ouvido ou capinha

Comodidade

O Redmi 9A não é um celular tão grande e a textura na traseira ajuda na pegada

Facilidade de uso

Temos a mesma MIUI dos demais celulares da Xiaomi, mas peca bastante na fluidez

Multimídia

Tela tem brilho apenas mediano e som mono não ajuda na experiência multimídia

Votação Geral

O Redmi 9A não é um bom celular e tem mais contras do que prós

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Redmi 9A