» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
3.599

Samsung Galaxy S9 Plus

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral
Introdução e unboxing

Ao contrário do que sempre fez, a Samsung decidiu seguir a Apple na geração 2018 de seus flagships da linha Galaxy S, oferecendo no Galaxy S9 Plus algumas características ausentes em seu "irmão menor". A mais sentida delas provavelmente será a presença de um módulo duplo de câmeras, que permite aproximação de duas vezes e uso de um modo retrato customizável e muito mais preciso do que o feito apenas por software.

Dentro da caixa, não temos nenhuma novidade. O aparelho vem acompanhado dos mesmos acessórios que já vinham com o antecessor, que é o adaptador de parede com Quick Charge da Samsung, cabo USB-C, manuais, extrator da gaveta de chips, adaptadores micro USB para USB-C e USB para USB-C, e o fone de ouvidos da AKG, um dos melhores que acompanham um smartphone, com som bastante limpo.

Design e construção

E vamos ao aparelho. A aparência é bastante similar à do antecessor, o S8 Plus. Porém, o modelo mais novo é um pouco mais baixinho e mais largo, além de mais espesso, por conta da proteção extra de vidro. São menos bordas, e o aparelho é construído com material mais resistente, o que deve evitar que se quebre com tanta facilidade.

A maior mudança visual está na parte traseira: além de trazer a câmera dupla no modelo Plus, a Samsung mudou a posição do leitor de impressões digitais para um local mais confortável de usar. O leitor de batimentos cardíacos também mudou do lado esquerdo para o direito.

Na parte frontal, temos uma tela de mesmo tamanho e aspecto, ficando a diferença para o sistema de som. Os flagships da Samsung agora trazem alto-falantes estéreo, sendo usada a saída inferior em conjunto com a frontal para multimídia.

Podemos comentar também sobre a ausência do entalhe na tela, mas isso é uma questão de opinião.

Na parte inferior do Galaxy S9 Plus temos a porta USB-C, o já comentado alto-falante, um microfone, e a porta P2 para fones de ouvido. Felizmente a Samsung se manteve firme nesse ponto ao invés de seguir a tendência ditada pela Apple.

Já na lateral de cima temos apenas mais um microfone para cancelamento de ruído, não sendo dessa vez que a sul-coreana trouxe de volta o IR Blaster para controlar outros dispositivos.

Olhando pela lateral direita temos apenas o botão de energia, ficando do lado oposto as teclas de volume e para controle da assistente pessoal Bixby, que ainda não fala nosso idioma. Esse botão acaba mais atrapalhando do que ajudando por enquanto, já que não são poucas as vezes em que você acabará tocando nele por acidente ou confusão e assim convocará a Bixby, parando tudo o que estiver fazendo para ouvir a assistente.

Felizmente é possível desativar o uso com um toque do botão da Bixby no menu de configurações, mas caso você o mantenha pressionado a assistente por voz será chamada assim mesmo.

Tela e som

A tela não mudou muita coisa. Temos ainda um painel Super AMOLED de 6,2 polegadas. A diferença está na capacidade de brilho, que alcança níveis maiores, segundo a Samsung. Bom, a gente fez o teste.

Embaixo do sol, o iPhone X ficou com a imagem mais visível que o Galaxy S9 Plus, que não chega a ser ruim, apesar do brilho máximo mais baixo que o do concorrente. Também não é muito mais visível que o Note 8, que seria um bom parâmetro de comparação para a melhoria em relação à geração anterior. Além disso, notamos que a curvatura das laterais da tela mostram muitos reflexos.

Quanto às cores, são bem mais saturadas e vivas no Galaxy S9, com exibição bastante parecida com o Note 8. Caso desejado é possível mudar bastante no menu de configurações, sendo incluídos modos predefinidos e uma opção de ajuste manual para que você escolhe seu próprio nível de contraste, balanço de branco e saturação.

O sistema de som do Galaxy S9 Plus é um dos grandes destaques do aparelho. O áudio mostrou qualidade superior a concorrentes como iPhone X ou Pixel 2 XL, e melhora impressionante em comparação ao Note 8.

Tudo isso graças à combinação do som estéreo com a tecnologia Dolby Atmos, entregando som cristalino e imersivo.

Desempenho e jogos

Dentro do Galaxy S9 Plus, temos um novo chipset top de linha, que agora é o modelo da Qualcomm no Brasil. O ganho pode chegar a até 30% na comparação do Snapdragon 845 com o 835. É mais ou menos a mesma coisa em relação ao Exynos que temos no Galaxy S8.

Mas vamos à prática, que é o que interessa. O nosso teste de velocidade mostrou que os 6 GB de RAM seguram bem os processos em segundo plano, e o dispositivo levou 58 segundos na soma das duas voltas. É apenas o sétimo melhor tempo nos registros aqui do TudoCelular, ficando atrás do OnePlus 5 e 5T, do iPhone X, do Mi MIX 2, do iPhone 8 Plus e até do Galaxy Note 8. Sim, o phablet da própria Samsung foi mais rápido que o flagship mais novo, que tem hardware teoricamente mais potente.

A explicação talvez seja a otimização da Samsung Experience 9.0. A interface ainda não está tão madura quando a 8.5 presente no Galaxy Note 8, que é um aperfeiçoamento da 8.1 inaugurada com o Galaxy S8.

Os resultados nos testes de benchmark mostram que o dispositivo tem potencial para entregar mais. Foi, inclusive, a maior pontuação que já registramos no AnTuTu. Então o jeito é esperar as atualizações e torcer para melhorar essa performance. Nos testes, tivemos:

  • AnTuTu: 263 mil pontos
  • GeekBench: 1.985 pontos (single-core), 8.254 pontos (multi-core) e 13.763 pontos (GPU)
  • GFX Bench: 33 fps (Car Chase), 59 fps (Manhattan) e 60 fps (T-Rex)
  • 3D Mark (Sling Shot Extreme): 4.661 pontos (OpenGL ES 3.1) e 3.750 pontos (Vulkan)

Nos jogos, não vimos nenhum grande problema. Os títulos que testamos alcançaram taxa de quadros máxima sem exigir muito da CPU, ficando sempre em torno de 3% e 6%. A GPU já trabalhou um pouco mais, chegando a 36% no Injustice 2, que é o jogo mais pesado da nossa lista.

Nossa lista inclui:

  • Asphalt 8: 30fps
  • Vainglory: 30 fps
  • Modern Combat 5: 60 fps
  • Injustice 2: 30 fps
  • Clash Royale: 59 fps
  • Subway Surfers: 60 fps
Câmera

Mas a grande novidade do novo flagship da Samsung está nas câmeras. Assim como o modelo básico, esse aqui tem a lente com abertura variável. Para locais com muita iluminação, dá para tirar ótimas fotos com a lente em f/2.4; em ambientes com pouca luz é só abrir para o f/1.5 para não ficar no escuro.

Nosso comparativo contra iPhone X, Pixel 2 XL e Note 8 comprovou que a câmera do S9 Plus está um pouco melhor que os concorrentes.

  • Ponto fraco: selfies. Pós-processamento muito pesado, você fica parecendo um boneco de cera em algumas situações.
  • Ponto forte: Vídeo. Captação de áudio em modo estéreo é boa, estabilização é OK.

Ele tem ainda a opção de gravar em 4K a 60 fps, apesar do limite de 5 minutos, que não existe no iPhone X.

Também dá para fazer super câmera lenta a 960 quadros por segundo, mas em HD. No Xperia XZ2 esse recurso permite o uso da resolução Full HD.

A câmera traseira extra funciona como auxílio para melhorar a qualidade das capturas, além de oferecer um zoom ótico de 2 vezes e o Modo Retrato com foco seletivo um pouco mais preciso.

Bateria

A Samsung manteve a mesma carga de bateria do Galaxy S8 Plus para o dispositivo mais novo, que tem a tela do mesmo tamanho. A aposta é que o novo chipset, mais econômico, poderia manter ou até melhorar a autonomia.

Mas, infelizmente, não foi o que aconteceu. O resultado em nossos testes se mostrou consideravelmente inferior no Galaxy S9 Plus comparado ao antecessor. A simulação de uso real ficou em 14 horas e 22 minutos, quatro horas a menos que o Galaxy S8 Plus. E quase todos os testes específicos deram tempos menores, também, exceto pelo de videochamadas.

O tempo de recarga, ao menos, manteve-se igual, com cerca de 1 hora e 40 minutos para ir de 0% a 100%.

O Galaxy S9 Plus ainda consegue entregar um dia de uso, mas você vai extrair mais de um Galaxy S8 Plus e de outros flagships, exceto pela linha iPhone. Até o Galaxy S9 entregou autonomia maior, apesar de ter só cerca de uma hora a mais.

Em resumo, tivemos:

  • O smartphone completou um total de 14 horas e 22 minutos de uso, com (incluindo tela ligada e desligada) durante o teste.
  • Realizamos 10 ciclos completos de testes, que incluíram:
    • 60 minutos de navegação no Chrome;
    • 300 minutos de WhatsApp, Spotify, Apple Música (música offline), Loopideo (vídeo) e YouTube (60 minutos cada);
    • 60 minutos de jogos (Pokémon Go, Subway Surfers, Candy Crush, Modern Combat 5, Injustice e Asphalt 8);
    • 60 minutos de Facebook, Gmail e Google Maps (20 minutos cada);
    • 40 minutos de chamadas de voz conectado às redes móveis;
  • O app que mais consumiu bateria foi o Spotify.
Sistema operacional

O Galaxy S9 Plus tem uma interface que é muito parecida com a do Galaxy Note 8, com algumas pequenas novidades. Não dá para falar de tudo aqui, então vamos fazer um resumo dos pontos principais.

Antes, vamos falar do leitor de batimentos cardíacos. Ele já está na linha Galaxy S desde o S5, e agora além de medir o batimento cardíaco também mede a pressão sanguínea com um bom nível de precisão.

A Bixby também ficou um pouco mais poderosa, mas ainda não fala português do Brasil e, no fundo, continua sendo quase inútil.

Mas a grande novidade em software é o My Emoji, como ficou conhecido aqui no Brasil. É o Animoji da Samsung. Ele ainda precisa de muitos retoques e aperfeiçoamentos. Por enquanto, é só uma função pra fazer marketing que o Galaxy S9 não está atrás do iPhone X, mesmo não chegando aos pés do que é oferecido pela Apple.

De resto, como dissemos, a Samsung Experience 9.0 é visualmente idêntica à 8.1 e 8.5 presente em outros modelos da marca. E roda por cima do Android 8 Oreo.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Ótimo design;
  • Melhor tela em um smartphone;
  • Ótimo sistema de áudio;
  • Desempenho de sobra para tarefas mais pesadas;
  • Bom conjunto de câmeras com abertura variável e gravação em super câmera lenta;
  • Vários métodos de biometria;
  • Dual-SIM.

Pontos fracos

  • Bateria fraca;
  • Interface continua pesando em transições e troca entre apps;
  • AR Emoji inacabado;
  • Bixby sem fala em português do Brasil.
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Apesar de oferecer tudo o que há de mais recente, o Galaxy S9 Plus não justifica em melhorias frente à geração passada o alto preço cobrado.

Embalagem e características

Samsung continua entregando uma gama de acessórios bem grande junto de seus flagships, além de uma embalagem onde tudo fica muito seguro e organizado.

Comodidade

O Galaxy S9 Plus tem basicamente o mesmo tamanho de seu antecessor, o que não é muito para uma tela de 6,2 polegadas. Entretanto, temos um corpo que escorrega bastante em dias mais secos e um botão para assistente pessoal que mais atrapalha do que ajuda, ao menos no Brasil.

Facilidade de uso

Interface da Samsung vem evoluindo a cada dia, sendo extremamente intuitiva mesmo para usuários iniciantes. Fica um adendo aqui apenas para alguns apps duplicados que podem acabar confundindo alguns, já que a Samsung oferece soluções já ofertadas pela Google nativamente.

Multimídia

O Galaxy S9 Plus é, até o momento, um dos melhores modelos para consumir multimídia do mundo, seja com seus fones de ouvido ou com os alto-falantes estéreo.

Votação Geral

Não fosse pelo alto preço o Galaxy S9 Plus poderia ser indicado para praticamente qualquer um, mas no momento é mais vantagem optar por um antecessor como o Galaxy Note 8, que entrega basicamente o mesmo por quase R$ 1 mil a menos.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Samsung Galaxy S9 Plus