» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.399

Samsung Galaxy Xcover Pro

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O lançamento mais inusitado da Samsung para 2020 foi o Galaxy XCover Pro, um aparelho voltado para o mercado corporativo, mas que tem seu apelo para os esportistas. Ele traz corpo robusto resistente a impactos e configurações de smartphone intermediário, mas cobra a mais por isso pela resistência extra. Se você é do tipo desastrado que vive derrubando o celular e ficou interessado no XCover Pro, confira agora com o TudoCelular o que a novidade da Samsung tem a oferecer.

Acessórios

O Galaxy XCover Pro vem em embalagem comum a de demais da linha Galaxy, e além do celular você recebe:

  • Carregador com 15W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Chavinha da gaveta do SIM card
  • Fone de ouvido básico
  • Bateria removível
  • Guia do usuário
Design e construção

Esse não é o primeiro celular robusto da Samsung no Brasil, mas já faz um tempo que não vemos um dessa linha por aqui. Com a LG investindo tanto em celulares com certificação militar, Samsung decidiu fazer o mesmo com o XCover Pro, que além de ter certificação IP68, traz corpo reforçado que absorve impactos de até 1,5m de altura.

Mesmo com sua proteção contra água, o XCover tem traseira removível, o que é algo muito raro de se ver. Aliás, celulares com bateria removível estão praticamente em extinção, e o último que testamos foi o Moto E6 Plus lançado em 2019.

O acabamento lateral e traseiro parece borracha, mas é apenas um plástico de alta densidade. É normal a tampa saltar da traseira quando o celular cai no chão e isso até ajuda a absorver o impacto da queda. A tela do aparelho tem proteção Gorilla Glass 5 para impedir que o vidro quebre com facilidade, mas são as bordas largas que realmente fazem diferença.

O XCover Pro possui dois botões para serem configurados, sendo um na lateral esquerda e outro no topo perto da entrada de fones de ouvido. Você pode usar o da lateral para acender o flash e ter o celular como lanterna, usar como atalho para algum app favorito ou mesmo transformar o celular em uma espécie de Walkie Talkie com o Microsoft Teams. Há também um LED no top para alertar sobre bateria fraca e notificações.

Tela e som

As bordas largas destoam do padrão que estamos acostumados agora em 2020. Mesmo que Samsung tenha adotado entalhe em forma de furo, ainda há bordas exageradas no XCover Pro. O que realmente decepciona é o painel adotado, sendo um LCD simples e não a tecnologia Super AMOLED presente em intermediários da linha Galaxy A.

A tela possui bom nível de brilho e garante boa visibilidade em ambientes muito iluminados. O contraste já não é dos melhores e o preto tem tom bastante acinzentado. Para quem é fã das cores saturadas da Samsung ficará decepcionado com a imagem entregue pelo XCover Pro, sem falar do seu ângulo de visão limitado.

Samsung reforça que a tela do XCover tem sensibilidade melhorada para que o aparelho possa ser usado com luvas. No entanto, este recurso também está presente em outros celulares da marca e fica nas configurações de tela na opção Sensibilidade de Toque.

O aparelho possui apenas uma saída de som na parte inferior, ao lado da porta USB-C. A potência sonora é decente, porém carece totalmente de graves. O áudio sai distorcido quando o volume está no máximo, o que complica usar o XCover para ouvir músicas. Já para vídeos ele dá conta do recado e as vozes não saem abafadas.

O fone que acompanha o celular é o mesmo basicão que vem na linha de entrada da Samsung. É um fone simples e que também carece de graves. Pelo menos o áudio distorce menos, o que já serve para ouvir músicas até você comprar um fone de ouvido melhor.

Desempenho

O hardware do XCover pode não impressionar: ele traz o Exynos 9611, mesmo chip presente no Galaxy A51 e outros intermediários recentes da Samsung. Aliado a isso temos 4G de RAM que deveria garantir uma boa experiência com muitos apps ao mesmo tempo, mas em nossos testes vimos o aparelho recarregar vários aplicativos.

O seu desempenho em benchmarks está na média de outros com hardware similar, porém fica abaixo de rivais na mesma faixa de preço com hardware da Qualcomm. Um exemplo disso é o A71 que alcança 50 mil pontos a mais no AnTuTu.


O peso do software mal otimizado afeta o desempenho em jogos que demoram para abrir e até mesmo apps sociais como o Facebook demoram mais que o usual para carregar. Não espere rodar games exigentes na qualidade máxima. O XCover não é voltado para o público gamer e serve apenas para uma jogatina casual no meio do dia.

Câmeras

Enquanto intermediários da Samsung chegam recheados de câmeras, o XCover Pro tem apenas duas na traseira. A principal traz resolução de 25 MP e a secundária tem lente grande-angular. E é isso, nada de câmera macro, teleobjetiva ou mesmo uma dedicada para modo retrato. A frontal também tem sensor simples de apenas 13 MP, mas veremos se registra boas selfies.

O público que o XCover Pro mira não é o que busca um cameraphone e neste território ele faz o básico. As fotos registradas pelo aparelho apresentam nível razoável de detalhes e cores frias com a principal e saturação mais elevada com ultra-wide.

Principal | Ultra-wide




Se pretende fotografar ao pôr do sol já terá fotos escuras com perda de detalhes nas sombras, e não há modo noturno para salvá-las. À noite a nitidez é comprometida e os ruídos surgem com frequência. O foco também fica mais lerdo em locais mais escuros.

Não há uma câmera dedicada para desfoque de fundo, mas o sensor secundário ajuda a criar um efeito de profundida e o resultado simulado via software até que agrada. Infelizmente, não podemos dizer o mesmo da frontal que falha neste aspecto e acaba devorando uma parte do rosto da pessoa.

Normal | Noturno


É possível registrar boas selfies com o XCover Pro, só evite tirar fotos com luz atrás de você ou terá o contraste sacrificado. À noite a nitidez cai um pouco, mas ainda assim poderá aproveitar as imagens nas redes sociais.

Selfie | Retrato


A filmadora é que decepciona pelo preço cobrado. Ela não grava em 4K, a qualidade é apenas decente, a estabilização eletrônica não elimina totalmente os tremidos e a captura de áudio é mediana. A ultra-wide peca bastante à noite com filmagens bastante escuras e a frontal sofre com muitos tremidos.

Resumindo: o XCover Pro pode não ter câmeras como ponto principal, mas registra boas fotos em situações favoráveis, o que pode ser suficiente para usuários comuns.

Bateria

Ter 4.050 mAh é uma quantidade generosa se levar em consideração que a bateria do XCover Pro é removível, mas a autonomia não empolga. Comparado a outros modelos Samsung com o mesmo chipset, ele perde em autonomia. E a diferença é substancial para o Galaxy A51, que tem a mesma capacidade de bateria.


A vantagem de ter bateria removível é que você poderá trocar o componente e ter o celular pronto para usar sem precisar esperar 2 horas para recarregá-lo. Com uma autonomia mediana será praticamente obrigatório comprar uma bateria extra, especialmente se você passa muito tempo longe de casa.


Caso prefira fazer uma carga rápida, você terá 17% recuperados com 15 minutos na tomada, chegando a um terço da carga com meia hora de espera.

Software

Por mais que seja um aparelho pensado para o público corporativo que trabalha em construção civil ou locais mais hostis que exigem celulares mais robustos, o software é basicamente o mesmo presente nos demais intermediários da Samsung. O XCover Pro vem com Android 10 e One UI 2.0 e deve receber a versão 3.0 após os modelos mais importantes da coreana.

A única diferença está na configuração dos botões extras para incluir alguma função especifica ou acessar os seus apps favoritos. No geral, você até terá uma boa experiência com o XCover Pro, desde que não espere carregamento rápido ao alternar entre vários apps.

Rivais

O XCover Pro é um aparelho de nicho e não possui rivais diretos no Brasil. A LG até aposta em vários modelos com certificação militar, mas não é a mesma proposta da Samsung de vender um aparelho “indestrutível”. Quais seriam então as melhores alternativas ao XCover?

Bem, você pode levar um Galaxy A71 que custa o mesmo e supera o modelo robusto em desempenho, bateria, jogos e câmeras. Seria possível comprar uma capinha de proteção emborrachada para dar maior resistência a impactos. Inclusive existem algumas marcas com certificação militar.

O mesmo podemos dizer do A51, que tem mesmo chipset, conjunto mais avançado de câmeras e custa muito menos. Por mais que a bateria seja igual, ela rendeu mais e recarregou mais rápido em nossos testes, porém não é removível.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Resistência reforçada contra impactos
  • Bateria removível

Pontos fracos

  • Excesso de bordas para o padrão atual
  • Desempenho abaixo da média
  • Bateria poderia durar mais
  • Câmeras fracas pelo preço
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Seu custo-benefício não é muito interessante pelo o que entrega

Embalagem e características

Galaxy XCover Pro vem em embalagem tradicional e traz apenas o essencial

Comodidade

Traseira tem boa textura o que evita o celular escorregar fácil, além de ser resistente a quedas

Facilidade de uso

É o mesmo Android modificado da Samsung presente em outros da marca

Multimídia

Experiência multimídia é boa, mas faltou um som estéreo

Votação Geral

O XCover Pro é um celular de nicho e para o público geral é melhor investir em similar da Samsung e usar capa de proteção

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Samsung Galaxy Xcover Pro