» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.231

Samsung Galaxy A12

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

A Samsung nunca se destacou no segmento de entrada, mas ainda assim é a que mais vende celulares de baixo custo. O Galaxy A11 é um aparelho até bacana, só que não consegue ir além do que a LG e Motorola entregam. Será que isso muda com o A12?

O novo basicão coreano sofreu um tapa no visual, trocou o hardware da Qualcomm pelo da MediaTek, recebeu upgrade na memória e agora tem conjunto de câmeras mais potente e completo. O problema é que o preço subiu e compete até com alguns intermediários da própria Samsung. Será que vale investir no Galaxy A12 ou tem opções melhores? O TudoCelular vai te ajudar a descobrir.

Acessórios

O Galaxy A12 vem em caixa branca com a ilustrução do aparelho na tampa, assim como nos demais da linha A. Diferente de outros modelos baratos da Samsung, este não vem com fone de ouvido.

  • Carregador de 15W de potência
  • Cabo USB no padrão A em uma ponta e C na outra
  • Chavinha da gaveta do SIM Card
  • Guia do usuário
Design e construção

O novo básico da Samsung chega com design atualizado e mais próximo dos demais da linha A, com suas câmeras traseiras em estilo cooktop. A novidade foi lançada em quatro opções de cores no mercado nacional, indo além do branco e preto básico, e apostando em tons de azul e vermelho. Todas as opções apresentam um padrão de dois tons com a parte superior exibindo pequenas linhas na diagonal. Apesar de plástico, o acabamento tem brilho metálico.

O leitor biométrico saiu da traseira e agora está incorporado ao botão de energia na lateral direita. Ele funciona bem e raramente apresenta erros. Na parte frontal é que temos uma mudança inusitada: a coreana decidiu retroceder ao entalhe em formato de gota visto lá no Galaxy A10. Pelo menos as bordas estão mais finas, mesmo que ainda tenhamos um queixo protuberante.

O A12 está maior para abrigar a tela que cresceu. Ele também ficou mais gordinho e pesado devido ao aumento de bateria. Isso não chega a comprometer tanto a ergonomia, já que o novo é mais esticado e segue o padrão atual dos demais celulares da Samsung. Falta Wi-Fi AC e giroscópio, mas LG e Motorola também pecam nisso em seus básicos.

Tela e som

A tela de 6,5 polegadas traz resolução HD+ e painel LCD com brilho razoável. Pode dificultar um pouco a visualização em dias ensolarados, mas o contraste alto ajuda a ter uma boa experiência, enquanto há fabricantes que investem em telas simples com cores lavadas em seus basicões. Só não espere cores precisas exibidas na tela do Galaxy A12. No geral, a experiência entregue pelo aparelho é mais positiva do que negativa.

Só não podemos dizer o mesmo da parte sonora. O seu único alto-falante exagera nos agudos e até distorce quando no máximo. Celulares de entrada pecam bastante nesta parte e o Galaxy A12 não é uma exceção. Pelo menos a potência sonora é boa, assim você poderá ouvir o que estiver assistindo mesmo em locais mais barulhentos.

Se quiser fugir das limitações do alto-falante, então terá que comprar um fone de ouvido, já que o A12 não vem com o acessório na embalagem. Pelo menos há entrada P2 para que você use qualquer fone.

Desempenho

Na parte interna temos uma boa e má notícia: o Snapdragon 450 foi trocado pelo defasado Helio P35, enquanto a quantidade de RAM aumentou. O resultado disso é que o desempenho foi sacrificado em nosso teste de velocidade focado no multitarefas e vemos o Galaxy A12 não apenas comer poeira para seu antecessor, mas até fica abaixo de rivais da LG com o mesmo hardware.


A otimização precária do software afeta até nos resultados de benchmarks. O A12 fica abaixo do antigo e de outros com o chip Helio P35 no AnTuTu. Esse hardware da MediaTek também é fraco para jogos e apresenta lentidão em games mais atuais. No caso do Asphalt 9, além de engasgos, também temos uma demora acima da média para o jogo carregar. No PUBG será possível jogar na qualidade média, mas se quer boa fluidez terá que se contentar com a qualidade visual mínima.

Câmeras

E as câmeras, será que elas apresentam uma boa evolução? O sensor principal saltou de 13 para 48 MP, enquanto a ultra-wide e a de desfoque seguem inalteradas. A novidade fica para uma câmera extra dedicada para macros, algo que virou tendência em celulares básicos e intermediários. Já a frontal não teve mudanças.

O grande aumento de resolução não resulta em imagens muito melhores. O hardware da MediaTek não consegue explorar todo o potencial do sensor e isso fica nítido ao usar a resolução máxima de 48 MP que resulta em imagens até piores comparado ao modo padrão.

Padrão | 48 MP




No geral, o Galaxy A12 entrega a qualidade esperada de um celular de entrada. Ele é capaz de registrar boas fotos em situações favoráveis de luz. Já fotografar à noite será um desafio com este aparelho. A Samsung ainda peca por não incluir modo noturno nos modelos mais baratos, diferente da Motorola que oferece isso até mesmo no Moto E7 Plus que é bem mais barato.

A câmera ultra-wide não apresentou evolução e serve mais como um quebra galho para quando não for possível enquadrar tudo com a principal. As fotos possuem nitidez inferior e ruídos mais evidentes, especialmente em locais fechados. Pelo menos a qualidade não cai tanto comparada à outra câmera em fotos noturnas.

Normal | Ultra-wide




A de desfoque faz um trabalho decente, apesar de apresentar algumas falhas. Já a macro tem uma distância focal mais longa do que gostaríamos, o que impede chegar muito perto do que deseja fotografar. A resolução baixa também limita a qualidade das fotos, então não espere muito do A12 para registrar pequenos detalhes.

Desfoque



Macro




A frontal pode não ter evoluído em resolução, porém o software da Samsung pega mais leve no efeito suavizante de pele e com isso temos selfies mais nítidas no A12. Claro, não espere boas fotos em locais com luz precária, mas ainda é possível ter boas selfies à noite se você ficar próximo de uma fonte de luz. O modo retrato funciona bem e apresenta poucas falhas.

Selfies





A filmadora apresenta uma evolução mais notável comparada à geração anterior. O A12 grava em Full HD com a principal, ultra-wide e frontal. O foco é ágil e não temos vídeos com tantos tremidos. A captura de áudio é alta e limpa, diferente do A11 que apresenta um estranho ruído metálico. Só não espere por bons vídeos ao usar a ultra-wide em locais escuros.

Bateria

A Samsung aumentou a bateria do seu basicão e agora temos 5.000 mAh, sendo 1.000 mAh a mais do que antes. Esse aumento de 25% na capacidade acabou refletindo na autonomia, o que nem sempre acontece. Se o A11 já entregava bateria para o dia todo, o novo consegue durar dois dias facilmente.


A bateria cresceu, mas o carregador é o mesmo de antes. Os 15W de potência fazem com que o A12 passe duas horas e meia na tomada para ter sua bateria completamente recarregada. Uma recarga rápida de 15 minutos recupera apenas 12% da bateria, que chega a 44% com uma hora na tomada.

Software

O Galaxy A12 sai da caixa com Android 10 modificado pela interface One UI da Samsung. Ele deve receber pelo menos uma atualização do sistema este ano, mas não espere ver o Android 12 nele algum dia.

Os recursos são os mesmos presentes em outros básicos e intermediários da marca com a mesma versão do software. O A12 não é dos mais ágeis, mas o que decepciona é não conseguir segurar os aplicativos abertos em segundo plano, mesmo que tenha 4 GB de RAM para isso.

Rivais

O Galaxy A12 é um celular bastante básico que chegou custando salgados R$ 1,8 mil. Claramente, não vale pagar tudo isso por ele. E quais seriam as melhores alternativas? Se você é fã da Samsung, o Galaxy A21s pode ser encontrado por menos. Ele entrega melhor desempenho, bateria dura bem e tem câmeras muito melhores.

Da LG há o K62, que traz o mesmo chip e quantidade de RAM, mas entrega melhor desempenho graças ao software bem otimizado. Ele registra boas fotos e a bateria dura quase o mesmo do rival da Samsung. Agora se busca um celular melhor para fotografar à noite, então o Moto G9 Play pode ser a melhor pedida.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Design traseiro elegante
  • Ótima autonomia de bateria
  • Boa câmera de selfies

Pontos fracos

  • Design frontal desatualizado
  • Experiência multimídia decepcionante
  • Desempenho abaixo da média
  • Longo tempo de recarga
  • Falta modo noturno na câmera
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Preço de intermediário no lançamento complica a escolha pelo Galaxy A12

Embalagem e características

Embalagem vem apenas o essencial e deixa de lado fone de ouvido

Comodidade

O Galaxy A12 é um celular grande, mas não tão escorregadio; poderia vir com capinha na caixa

Facilidade de uso

É a mesma One UI presente em outros da Samsung, mas falta otimização do software

Multimídia

Tela tem brilho razoável e som precário que complica experiência multimídia

Votação Geral

O Galaxy A12 não chega a ser um celular básico ruim, mas Samsung ainda peca para a concorrência

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Samsung Galaxy A12