» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.259

Samsung Galaxy A23

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

Se você está em busca de um celular barato, mas não quer um aparelho de entrada, há várias opções que ficam entre os modelos básicos e os intermediários, e uma opção que chegou recentemente ao mercado nacional foi o Galaxy A23 da Samsung. Lançado por R$ 2 mil, já é possível encontrá-lo em promoções por volta dos R$ 1.200. Será que vale o investimento? Vamos descobrir.

Acessórios

O Galaxy A23 vem em caixa branca tradicional no mesmo estilo dos demais lançamentos da Samsung. Além do celular, você recebe:

  • Carregador de 15W de potência
  • Cabo USB no padrão A em uma ponta e C na outra
  • Chavinha da gaveta do SIM Card
  • Guia do usuário
Design e conectividade

O design do A23 lembra o dos seus irmãos mais caros, diferente do A13 que não possui bloco saltado de câmeras. O que muda é que enquanto o A53 ou demais mais avançados possuem acabamento fosco na traseira, o A23 é feito de plástico brilhante que risca e suja facilmente.

Você vai encontrar o novo Galaxy nas cores azul, branca e preta. Em todas temos um acabamento simples feito de duas peças, separando a lateral da traseira. A frontal segue o modelo mais simples da linha ao adotar entalhe em formato de gota, diferente dos mais caros com furo para a câmera de selfies.

A Samsung não se importou em aproveitar melhor a área frontal e ainda temos borda mais larga na parte inferior. Pelo menos o vidro possui proteção Gorilla Glass 5, o que é raro no segmento considerando que muitos modelos na mesma faixa de preço sequer trazem qualquer tipo de proteção para a tela.

O leitor biométrico fica na lateral direita em posição confortável para posicionar o polegar. O sensor é ágil e responde prontamente ao mais leve toque. Do mesmo lado temos a tecla para controle de volume, enquanto do lado esquerdo do aparelho encontramos a gaveta que suporta dois chips e um cartão microSD ao mesmo tempo. Se você precisar ir além dos 128 GB de armazenamento, poderá expandir a memória com cartão de até 1 TB.

Há entrada para fones de ouvido na parte inferior, onde também encontrará a entrada USB-C, microfone de chamadas e alto-falante. Há um segundo microfone no topo para a captura de áudio estéreo nas filmagens.

Assim como acontece com o Galaxy A13, a Samsung também decidiu economizar nos sensores no A23. Ele não possui sensor de proximidade e nem de luz ambiente. Assim, precisa usar a câmera frontal para detectar quando o aparelho está próximo da sua orelha para desligar a tela durante uma ligação. O brilho automático também é regulado pela câmera e é mais lento do que outros celulares com sensor dedicado.

Pelo menos o Wi-Fi não foi capado e temos a quinta geração no padrão AC com suporte a redes de 5 GHz. O Bluetooth é o 5.0 e há NFC, diferente do modelo mais barato da linha.

Tela e som

A tela do A23 possui 6,6 polegadas com 1080 x 2408 pixels. É um painel LCD de 90 Hz com bom nível de brilho, mas acaba sendo um pouco decepcionante se lembrarmos que o antecessor veio com painel Super AMOLED que exibe cores mais vibrantes, melhor preto e ângulo de visão mais amplo.

Outro ponto decepcionante fica para a calibração padrão de cores que está longe do ideal. Tanto o branco quanto o cinza apresentam um tom azulado e sequer há qualquer opção de configuração para reduzir o problema.

Pelo menos a taxa de atualização alterna automaticamente entre 90 e 60 Hz a depender do conteúdo, enquanto alguns celulares de outras marcas nessa faixa de preço obrigam o usuário a escolher entre fluidez ou economia de bateria. Caso você não faça questão de ter mais bateria, o A23 traz opção de deixar a tela sempre em 60 Hz.

A única saída de som limita a experiência sonora a áudio mono. A potência é decente, enquanto o equilíbrio entre graves, médios e agudos está longe do ideal. Com o volume no máximo é fácil notar distorção pelo excesso de agudos. É basicamente o que vimos no Galaxy A13, porém um pouco melhor neste.

Há equalizador e suporte a Dolby Atmos, que funciona apenas com fone de ouvido.

Desempenho

O A23 vem com Snapdragon 680, mesmo hardware encontrado em lançamentos recentes de outras marcas, como o Moto G52 da Motorola e o realme 9. No caso do Galaxy temos 4 GB de RAM física e mais 4 GB de RAM virtual e mesmo assim o aparelho sofre para segurar jogos abertos em segundo plano.

Não é um aparelho que vai impressionar em desempenho e até apresenta lentidão acima da média para carregar o conteúdo de alguns aplicativos, o que mostra que a Samsung pecou na hora de otimizar o software. E nos benchmarks? Ele consegue ficar pouco acima dos 200 mil pontos no AnTuTu, ficando próximo de modelos com Dimensity 700, mas acaba perdendo em testes gráficos para o hardware da MediaTek.


O A23 roda bem jogos como Call of Duty e PUBG, só não espere ter boa fluidez na qualidade máxima. No CoD conseguimos bom desempenho com gráficos no alto e taxa de quadros no médio e antialiasing ativado. Já no PUBG tivemos uma boa experiência no modo balanceado com taxa de quadros no médio e todos os recursos extras ligados.

Bateria

O A23 é mais um com bateria de 5.000 mAh e também é outro da Samsung que conquista ótima autonomia em nossos testes. Parece que o software prioriza bateria ao invés de desempenho.


Lembrando que nosso teste foi feito no modo adaptável que vem por padrão e regula a velocidade do display automaticamente. Se você travar o painel em 60 Hz terá bateria para dois dias facilmente.

O carregador que vem na caixa entrega potência máxima de 15W, mas você pode tirar proveito do suporte ao padrão Power Delivery 3.0 do Snapdragon 680, o que permite que o A23 receba até 25W de potência via USB.


Usando o carregador que vem com o aparelho precisamos esperar 1 hora e 40 minutos para encher totalmente a bateria. Uma carga rápida de 15 minutos recupera 17% e chega a 33% com meia hora na tomada.

Câmeras

O conjunto fotográfico do A23 é praticamente o mesmo do A13, com a diferença que neste temos estabilização na câmera principal, mas é o mesmo sensor de 50 MP do mais barato, assim como a ultra-wide de 5 MP e as demais de 2 MP para desfoque e macro.

O sensor principal registra boas fotos com nível de detalhes dentro do esperado para a categoria e cores um pouco saturadas demais, mas quem é fã da linha Galaxy já está acostumado. Em locais bastante iluminados verá poucos ruídos nas fotos, com a exceção de sombras que tendem a perder detalhes com a distância.

Principal | Ultra-wide




A ultra-wide mantém a saturação similar à da câmera principal, assim como o contraste e alcance dinâmico, porém a nitidez é bastante inferior, especialmente nas bordas. O grande ponto fraco da ultra-wide está ao fotografar à noite. A qualidade cai drasticamente e boa parte das imagens saem borradas e com muito ruído.

Noturno



A câmera principal também é bastante limitada para fotografar em locais escuros, ela perde nitidez e contraste. Pelo menos a estabilização óptica evita termos fotos tremidas e até ajuda a controlar os ruídos. Há modo noturno que deixará suas fotos um pouco melhores, mas em muitos casos mal se nota a diferença.

Macro



A macro é simples e como em qualquer celular com sensor de 2 MP peca em nitidez e as cores saem bem apagadas. A distância focal é maior do que deveria, não sendo possível chegar muito próximo do que deseja fotografar e não há foco automático. A de desfoque é melhor e acerta no modo retrato, apesar de deixar as fotos mais escuras à noite.

Desfoque



A frontal registra boas selfies, desde que você evite luz de fundo. Nitidez e pequenos detalhes são capturados como se espera de um aparelho deste porte. O modo retrato funciona bem e exibe pequenas falhas que acabam passando despercebidas para os olhares menos atentos.

Selfies



O A23 é capaz de gravar vídeos em Full HD, seja com a traseira ou frontal. Esse é o padrão para modelos mais acessíveis, mas ele se destaca por ter estabilização óptica que ajuda a reduzir bastante os tremidos. A qualidade dos vídeos é boa, assim como a captura de som. O foco é ágil e está acima de muitos que testamos recentemente da mesma categoria.

Software

O A23 sai da caixa com Android 12 modificado pela One UI 4.1. No momento em que testamos o aparelho ele estava com pacote de segurança alguns meses defasado, mas vem recebendo updates com frequência em alguns mercados. O que importa é que receberá atualizações futuras do robozinho, enquanto outras fabricantes ignoram modelos mais básicos.

Ele não vem com o Android completo de modelos mais caros, mas também não é a versão One UI Core mais capada presente no A13. Você fica sem o Always on Display devido à falta de tela AMOLED e também perde o assistente de voz Bixby e Windows Link. Porém, a Pasta Segura está presente, assim como o Smart View que ficaram de fora do modelo mais barato.

O desempenho geral é decente, mas é possível sentir o peso do sistema por falta de melhor otimização do software. Esse é um ponto que a Samsung vem pecando em alguns modelos, até mesmo mais caros da linha Galaxy A.

Rivais

O Galaxy A23 é uma boa compra ou tem opções melhores na mesma faixa de preço? O Moto G52 é um celular mais compacto e com mesmo tamanho de tela. Ele vem com painel OLED de 90 Hz e som estéreo para uma melhor experiência multimídia. Apesar de ter o mesmo Snapdragon 680, ele foi mais rápido em nosso teste multitarefas, porém sua bateria rende menos, mas recarrega mais rápido. O G52 possui qualidade fotográfica similar com modo noturno mais eficiente.

Há também o realme 9i que vem com Snapdragon 680 e foi muito mais rápido em nosso teste de velocidade. Sua tela é LCD de 90 Hz como no Galaxy, mas temos som estéreo como diferencial. Sua bateria dura mais e recarrega mais rápido, enquanto as câmeras capturam melhores fotos em qualquer situação.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Bom desempenho em jogos
  • Bateria para o dia todo
  • Câmera com estabilização óptica

Pontos fracos

  • Tela inferior aos concorrentes
  • Desempenho abaixo da média
  • Câmera ultra-wide fraca
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Seu custo-benefício é ruim pelo preço de lançamento, mas pela metade do valor pode ser interessante

Embalagem e características

Embalagem traz apenas o básico, incluindo um carregador de 15W

Comodidade

O Galaxy A23 é um celular grande com traseira lisa e escorregadia; ele não vem com capinha na caixa

Facilidade de uso

É o mesmo Android de outros aparelhos, mas fica devendo alguns recursos comparado aos superiores da linha

Multimídia

Tela LCD tem brilho decente, mas peca na calibração de cores; som mono distorce facilmente

Votação Geral

O Galaxy A23 é um celular decente com preço salgado; há opções mais interessantes na mesma faixa de preço

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Samsung Galaxy A23