» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
3.499

Samsung Galaxy Z Flip 5

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O Galaxy Z Flip chega à sua quinta geração com mudanças externas e internas. A tela secundária cresceu bastante e o hardware foi aprimorado para entregar melhor desempenho. Uma grande mudança esperada finalmente aconteceu para tornar o Flip 5 um dos melhores dobráveis do mercado. O que mudou? Vale a pena comprar? É isso que essa análise do TudoCelular vai ajudar a responder.

Acessórios

O Galaxy Z Flip 5 vem em embalagem compacta e traz apenas o essencial em acessórios:

  • Carregador de 25W
  • Cabo no padrão USB-C nas duas pontas
  • Manuais do usuário
  • Chavinha para abrir gaveta do cartão SIM
  • Película de proteção já aplicada na tela
Design e conectividade

A mudança mais importante no design do Galaxy Z Flip está na nova dobradiça que elimina aquele vão entre as duas partes e agora temos um celular que fica completamente fechado, como era de se esperar desde a primeira geração. Isso fez o celular ficar mais compacto no bolso já que agora tem a mesma largura quando fechado em toda a sua extremidade.

A segunda mudança externa está na nova tela secundária que ocupa grande área da parte superior do aparelho e divide espaço com as câmeras. Para tentar aproveitar ao máximo o espaço, a Samsung fez um pequeno recorte que deixou a tela com formato de pasta. Essa é uma abordagem diferente do que a Motorola fez no Razr 40 Ultra, onde suas câmeras ficam na própria tela.

As câmeras ficam organizadas verticalmente no Flip 4, mas por conta do crescimento da tela externa, a Samsung teve que reorganizá-las e agora estão alinhadas horizontalmente. As laterais seguem iguais às da geração anterior feitas de metal com acabamento brilhante. A parte externa continua de vidro, porém agora vem com proteção Gorilla Glass Victus 2.

Não foi dessa vez que a certificação IPX8 evoluiu para trazer proteção contra poeira ao dobrável da Samsung. A empresa alega que está trabalhando para aprimorar a resistência da linha Galaxy Z futuramente, mas, por enquanto, temos apenas proteção contra água.

Quando aberto não temos diferença para o modelo anterior, seja em tamanho, largura, espessura ou mesmo peso. A parte interna traz o mesmo tamanho de tela e sem redução para as bordas. O vinco na dobra continua tão perceptível quanto antes e se esse ponto acabava incomodando você, então saiba que o novo também não vai te agradar.

A dobradiça não recebeu melhorias com relação à durabilidade, porém alguns testes mostram que o dobrável da Samsung possui alta longevidade e consegue resistir mais processos de abertura e fechamento que rivais, como o Razr 40 Ultra, o que garante que passe vários anos antes de começar a apresentar problemas.

O leitor biométrico segue na lateral incorporado ao botão de energia e funciona bem. Não há slot para cartão de memória, como antes, porém o modelo mais acessível agora vem com o dobro de armazenamento. Em conectividade temos Wi-Fi de sexta geração, Bluetooth 5.3, NFC e 5G.

Tela e som

A tela principal não traz muitas novidades. Ainda temos um painel Dynamic AMOLED 2X de 6,7 polegadas com resolução Full HD+ e taxa de atualização de 120 Hz. O nível máximo de brilho evoluiu, porém não a ponto de ficar igual ao da linha Galaxy S23. Há suporte a HDR10+, como antes, mas nada de Dolby Vision.

A taxa de atualização da tela reduz até 1 Hz em conteúdo estático para ajudar a economizar bateria, mesmo que você opte pela Suavidade de Movimento Padrão, ele não vai segurar a tela em 60 Hz por muito tempo. A calibração nativa está a par de outros celulares avançados da Samsung e exibe cores próximas da realidade mesmo no perfil saturado.

A principal novidade em telas fica para o display externo que agora tem 3,4 polegadas e resolução superior. Aqui temos um painel Super AMOLED com taxa de atualização de apenas 60 Hz, o que é decepcionante perto do Razr 40 Ultra que chega até 144 Hz com sua tela externa.

A boa notícia é que a tela externa tem seu próprio sensor para ajustar o brilho automático e consegue ser tão brilhante quanto a tela interna, o que mostra um belo salto comparado ao Galaxy Z Flip 4. No geral, essa tela mostra alta qualidade com belas imagens para uma experiência satisfatória sem precisar ficar abrindo o celular a todo momento.

O Flip 5 vem com os mesmos dois alto-falantes de antes. Como não tivemos uma mudança no hardware, também não houve melhorias na parte sonora. A potência é a mesma de antes, não que seja algo ruim. A qualidade sonora entrega bom equilíbrio entre graves, médios e agudos, apesar da linha S23 ter graves mais nítidos para uma melhor experiência com músicas.

Desempenho

Internamente temos de novidade o Snapdragon 8 Gen 2, a mesma versão turbinada que estreou na linha S23 no início do ano. Há um bom salto na velocidade do processador comparado ao Snapdragon 8 Plus Gen 1 da geração anterior, assim como também a GPU Adreno 740 que promete maior poder gráfico.


Como o novo hardware impacta no desempenho? Em nosso teste de velocidade focado no multitarefas não vimos uma evolução notável. O novo foi ligeiramente mais rápido na abertura de apps e jogos e continua segurando tudo em segundo plano com seus 8 GB de RAM. Em benchmarks tivemos um salto mais considerável.

Todos os jogos que testamos rodaram bem mesmo na qualidade máxima para Call of Duty e PUBG. Apenas notamos que o celular tende a esquentar próximo das câmeras, o que indica que o Flip 5 não tem o mesmo sistema de dissipação térmica do Galaxy S23.

Bateria

A bateria é a mesma da geração passada e aqui temos 3.700 mAh com a promessa de autonomia para o dia todo. Em nosso teste padronizado vimos o Galaxy Z Flip 5 render mais devido ao Snapdragon 8 Gen 2 ser mais eficiente e consumir menos energia do que o Snapdragon 8 Plus Gen 1.


Ele fica abaixo do que temos na linha Galaxy S23 e até consegue render o dia inteiro em uso moderado com alguns jogos inclusos. Só não espere bateria para dois dias como é possível ter no Galaxy S23 Plus.


O carregamento continua limitado a no máximo 25W, sendo esta a potência do carregador que vem na caixa. É preciso esperar mais de uma hora para ter a bateria completamente recarregada. Com 15 minutos na tomada terá um terço recuperado e metade com meia hora de carga.

Câmeras

Não foi dessa vez que a Samsung fez um upgrade nas câmeras. Se esperava pelo sensor de 50 MP presente no Galaxy S23, então ficará decepcionado em saber que continuamos com o sensor Samsung de 12 MP da geração passada. A ultra-wide também é a mesma com sensor Sony de 12 MP e sem foco automático.

Apesar de não termos mudanças no hardware, a Samsung aprimorou o software para fazer melhor uso do sensor com um pós-processamento menos agressivo que preserva mais detalhes, especialmente em locais com muita vegetação.

Principal | Ultra-wide



Temos fotos com cores bastante vívidas e alto contraste, sem comprometer detalhes nas sombras. O HDR funciona bem e consegue balancear corretamente o brilho para evitar fotos escuras com o sol de fundo; pelo menos com a principal, já que a ultra-wide é um pouco mais limitada neste ponto.

O zoom é puramente digital e garante boas imagens se não passar de 2x de aproximação. Além dessa distância teremos qualidade inferior ao zoom digital do Galaxy S23. O desfoque feito via software funciona bem, apresentando poucos erros e sem limitar o HDR.

Zoom


A câmera ultra-wide evoluiu, especialmente em locais com pouca luz. Ainda não chega ao nível da linha S23, porém temos imagens mais nítidas e com menos ruídos. O modo noturno é bastante eficiente e resulta em ótimas fotos com a câmera principal.

Noturno


A câmera de selfies também foi reaproveitada e continuamos com o sensor de 10 MP da própria Samsung que estreou no Galaxy S20. Porém, nem tudo é igual nesta câmera e temos uma maior abertura focal do que antes, o que ajuda a ter selfies mais claras à noite.

Selfies com câmera interna



Você nem precisa ficar preso às limitações da câmera interna, já que o grande diferencial do Galaxy Z Flip é poder usar o conjunto externo para selfies. Você não apenas terá um sensor mais avançado para capturar melhores fotos, como também poderá tirar proveito da ultra-wide para selfies em grupo.

Selfies com câmera externa



Outro ponto em que o Galaxy Z Flip 5 fica abaixo da família S23 é na filmadora. Enquanto a linha principal da Samsung é capaz de filmar em 8K, no dobrável continuamos limitado a 4K no máximo. A câmera traseira e frontal gravam a 60 fps, enquanto a ultra-wide fica limitada a 30 fps. A qualidade das filmagens é boa, temos estabilização eficiente e foco ágil. A captura de som estéreo tem boa qualidade.

Software

O Galaxy Z Flip 5 sai da caixa com Android 13 modificado pela One UI 5.1.1. Esta versão vem com alguns extras focados nos dobráveis. Ele também faz parte da lista de celulares da Samsung que recebem quatro atualizações do Android com cinco anos de updates de segurança.

Os recursos em grande parte são os mesmos que encontramos nos principais celulares da coreana. A diferença fica para alguns dedicados à Tela Flex, como a Samsung chama o display externo do aparelho.

Por essa pequena tela é possível saber como ficará a temperatura durante o dia, controlar suas músicas favoritas nos serviços de streaming, usar o Samsung Wallet para fazer pagamentos e ativar Wi-Fi ou Bluetooth. Se quiser responder uma mensagem, você nem precisa abrir o Galaxy Z Flip 5, já que a Tela Flex conta com um teclado completo para digitação.

Você ainda pode visualizar todos os widgets de uma só vez usando o Visualização de Vários Wigets, facilitando as funções multitarefas na tela externa do Galaxy Z Flip 5. Vários apps também podem ser usados na tela secundária e com o Good Lock será possível expandir o suporte para apps não compatíveis. Só sentimos falta da plataforma DeX, que continua ausente na linha Flip. Seria interessante poder usar o dobrável em modo PC.

Rivais

O Razr 40 Ultra é o maior rival do Flip 5 no mercado nacional. O dobrável da Motorola possui telas maiores com taxa de atualização superior, além de som mais potente. O da Samsung traz hardware mais atual que entrega desempenho mais ágil, possui autonomia de bateria próxima, enquanto captura melhores fotos noturnas. Outros destaques ficam para a resistência à água e o maior suporte a atualizações do Android.

Vale a pena comprar o Flip 5 ou o Galaxy S23 Plus é uma melhor escolha? Se você não faz tanta questão de ter um celular dobrável, o modelo mais tradicional da Samsung vai te oferecer tela com mais brilho, maior duração de bateria e câmeras superiores. A resistência do Galaxy S23 é mais completa e ainda temos o DeX para usar o celular como PC.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Mais compacto quando fechado
  • Tela externa maior e mais funcional
  • Desempenho na média
  • Boa autonomia de bateria
  • Ótimas câmeras

Pontos fracos

  • Ainda deixa vinco na tela
  • Não tem suporte ao Samsung Dex
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O Galaxy Z Flip 5 apesenta melhor custo-benefício que rivais

Embalagem e características

Embalagem vem com carregador de 25W e apenas o essencial

Comodidade

É um celular compacto quando dobrado e ocupa menos espaço no bolso que o antecessor

Facilidade de uso

O Galaxy Z Flip 5 permite usar os aplicativos na tela externa e entrega usabilidade superior ao antecessor

Multimídia

Tela tem alto brilho e ótimas cores; som estéreo tem qualidade, apesar de não ser o mais potente da categoria

Votação Geral

O Galaxy Z Flip 5 não chega a ser tão completo quanto o Galaxy S23, mas compensa pela flexibilidade de usar as câmeras externas para selfies

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Samsung Galaxy Z Flip 5