» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
4.099

Xiaomi Mi 10T Pro

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

A linha de smartphones da Xiaomi vem ficando cada vez mais confusa. O Mi 9T Pro foi apenas uma renomeação do Redmi K20 Pro, mas o seu sucessor, o Mi 10T Pro, é um aparelho completamente novo com design que foge dos demais da linha. Ele é mais um flagship com hardware similar a outros que testamos da marca. Você já deve até estar perdido diante de tantos lançamentos da Xiaomi, mas o TudoCelular vai te ajudar mostrando os prós e contras do Mi 10T Pro e se ele é mais interessante que o Mi 10 normal.

Acessórios

O Mi 10T Pro vem em embalagem escura com o nome do aparelho gravado em tom dourado com fonte grande na tampa. A empresa faz questão também de mencionar que ele possui conectividade 5G e câmera de 108 MP. Além do celular você recebe:

  • Carregador de 33W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Adaptador para P2
  • Chavinha da gaveta do SIM card
  • Capinha de silicone
  • Guia do usuário
Design e construção

O Mi 10T Pro pode não ser o celular mais avançado da Xiaomi, mas ele não deixa de ser premium com seu corpo em metal e traseira em vidro. A câmera pop-up do Mi 9T Pro deu lugar ao tradicional furo para selfies, que fica localizado no canto esquerdo.

A traseira é que mais chama a atenção, não por ter algum efeito degradê ou cromático, mas por causa das câmeras que são bastante saltadas e a principal é muito maior que as demais. Não há uma explicação para isso, e parece que tudo não passa apenas de apelo estético. Sem falar que o Mi 10T Pro tem apenas três câmeras, então um dos furos está ali apenas para completar a peça de dominó.

A traseira curva e o vidro liso tornam o Mi 10 Pro escorregadio. Por ser um aparelho grande será difícil manuseá-lo com apenas uma mão, mas Xiaomi manda na caixa uma capinha de proteção que tem o nome da marca estampado e acaba ofuscando a beleza do aparelho.

O leitor biométrico saiu da tela e agora fica incorporado ao botão de energia do lado direito. O emissor de infravermelho marca presença no topo do aparelho. Nas demais tecnologias tivemos evolução na versão do Wi-Fi e Bluetooth, e para complementar agora há suporte a internet 5G.

Tela e som

Porém, o maior salto está na tela. Xiaomi trocou o painel OLED por um LCD, o que pode parecer um retrocesso para alguns, mas a taxa de atualização saltou de 60 para 144 Hz. Talvez o maior ponto fraco do painel escolhido pela Xiaomi esteja no brilho máximo. Ele é suficiente para uma boa experiência em locais com forte iluminação, mas contra o sol pode ser um pouco sofrível.

O nível de contraste é alto a ponto de produzir cores saturadas e bom nível de preto. Já a calibração vem por padrão configurada para tons frios, o que deixa o branco azulado. Você pode corrigir isso facilmente nas configurações de tela.

Agora vamos ao ponto que realmente interessa: a taxa de atualização da tela. O Mi 10T Pro possui um recurso chamado de Smart AdaptiveSync, que sincroniza a velocidade da tela com o conteúdo exibido – algo como o que temos no Galaxy Note 20 Ultra, mas aqui alterna entre as velocidades 30, 48, 50, 60, 90 e 144 Hz.

O Mi 10T Pro também possui um chip MEMC para interpolação de imagens, mesmo tipo de recurso que você encontra nas melhores TVs. Vídeos gravados em 24 fps (séries e filmes em sua maioria) vão ser interpolados para 48 fps para casar com o modo 48 Hz da tela e temos a melhor fluidez com baixo consumo de bateria. Esse recurso funciona com apps de streaming e também arquivos de vídeos localizados na memória do aparelho.

Há suporte a HDR10 que está disponível para vídeos no YouTube e Netflix. Já quando você está visualizando conteúdo estático, o Mi 10T Pro reduz a velocidade da tela para 50 Hz para ajudar a economizar bateria.

O Mi 9T Pro pecava por não ter duplo alto-falante para som estéreo, problema que finalmente foi corrigido no sucessor. A potência sonora está no nível do Mi 10, porém o áudio é menos equilibrado e carece mais de graves. Ainda assim, você terá boa experiência musical, sem distorção de som com volume no máximo.

Desempenho

O Mi 10T Pro traz o mesmo hardware do Mi 10 e isso inclui o Snapdragon 865 com 8 GB de RAM. Em nosso teste de velocidade focado no multitarefas tivemos resultados diferentes em ambos, com o Mi 10 sendo mais ágil na abertura de apps e jogos. Fica claro que Xiaomi caprichou mais na otimização de software do seu carro-chefe.

Já em benchmarks, o Mi 10T Pro conseguiu superar o seu irmão em alguns testes e no AnTuTu tivemos uma pequena vantagem na pontuação. 580 mil pontos realmente vão empolgar muitos, mas já vimos outros baterem isso, como o Motorola Edge Plus.


Esse é mais um celular da Xiaomi ótimo para gamers. Ele conseguiu rodar todos os jogos que testamos na qualidade gráfica máxima e sem engasgos. Não espere ver muitos jogos tirando total proveito dos 144 Hz do painel. Ainda são poucos os títulos que rodam acima de 60 fps no Android, mas isso pode mudar em breve com a adoção cada vez maior de celulares com telas com alta taxa de atualização.

Câmeras

O conjunto de câmeras do Mi 10T Pro é parecido com o do Mi 10. Isso inclui um sensor de 108 MP como principal que vem acompanhado de câmera ultra-wide e uma dedicada para macro. Apenas o sensor de profundidade ficou de fora, mas o aparelho usa suas demais câmeras para gerar o efeito de desfoque.

A câmera principal comprime quatro pixels em um, como vimos em outros com sensor de 108 MP, mas ele acaba cortando as bordas das imagens, o que resulta em arquivo final de 25 MP e não 27 MP, como esperado. É bom para quem curte fotos em formato mais wide.

Padrão | 108 MP


Se quiser poderá usar a resolução máxima e ter fotos em formato convencional, mas não ganhará maior nitidez nas fotos e terá mais espaço ocupado na memória. No geral, o Mi 10T Pro não chega ao nível do Mi 10, mas é capaz de registrar imagens detalhadas, com cores próximas da realidade e poucos ruídos visíveis em cenários iluminados.

Em locais fechados há queda na nitidez com maior suavização nas bordas das fotos e os ruídos já ficam mais aparentes, mesmo em capturas diurnas. Usar a resolução máxima ajuda um pouco nestes casos.

Normal | Ultra-wide



O Mi 10T Pro não possui câmera com lente teleobjetiva, mas a vantagem de ter um sensor com resolução tão alta é que você pode usar o zoom digital sem ter uma perda acentuada na qualidade. Claro, quanto mais zoom você usar pior será a foto, mas ainda assim é melhor que outros tops de linha com câmera de baixa resolução.

Não espere por desempenho exemplar com a câmera ultra-wide, ela registra fotos mais suavizadas mesmo em dias ensolarados. Pelo menos as cores não fogem do que vimos com a principal e o software de correção de lente faz bem o seu trabalho. Agora se pretende fotografar à noite com esta câmera, esqueça.

Macro



Com a principal ainda terá fotos decentes, mas o modo noturno não ajuda tanto. Aqui é onde você verá a maior limitação do Mi 10T Pro ao fotografar.

A câmera macro possui foco automático para dar maior liberdade na hora de registrar pequenos detalhes. As fotos apresentam boa nitidez, cores e contraste. Xiaomi é uma das poucas que leva esse tipo de câmera a sério e até mesmo seus intermediários registram boas fotos em macro.

Noturno



Mesmo sem uma câmera dedicada para desfoque temos boas fotos com o Mi 10T Pro. O recorte é bem feito e a intensidade do efeito retrato é ótimo. O desfoque com a frontal também é convincente e apresenta poucas falhas ao redor da pessoa fotografada.

E se você é do tipo que curte montagens ao criar várias versões suas em uma mesma foto, há a opção Clonar que fica na aba ‘Mais’ da câmera. Ela apresenta um guia rápido de como usar o recurso e o resultado é bastante interessante.

Selfies




A câmera frontal tem seus erros e acertos. Ela é capaz de registrar boas selfies desde que não haja forte iluminação de fundo. O HDR falha em compensar o balanço de luz e o contraste será sacrificado. À noite temos perda considerável na nitidez, o que resulta em selfies abaixo de outros flagships que testamos em 2020. Ainda assim servem para serem publicadas em redes sociais.

A filmadora grava em 8K a 30 fps com a principal e 4K com a ultra-wide. As filmagens são ótimas em termos de detalhes, cores e contraste. A estabilização é eficiente e elimina por completo os tremidos e temos vídeos suaves quando gravados em Full HD. A frontal também apresenta boa estabilização que reduz bastante a tremedeira comum na maioria dos celulares.

A ultra-wide já não empolga. Ela registra menos detalhes e distorce as cores. Pelo menos não perde na estabilização. A captura de áudio tem boa qualidade, mas poderia controlar melhor o ruído do vento.

Bateria

A bateria aumentou 1.000 mAh da última geração para o novo na tentativa de lidar com a tela maior e mais veloz. A má notícia é que a autonomia caiu em média 10% e esse é o preço para ter uma fluidez superior com as animações do sistema.


Já a boa notícia é que a autonomia é suficiente para um dia inteiro de uso moderado. Mesmo que você abuse mais do aparelho com vários vídeos e jogos, ainda será possível sair de casa pela manhã e voltar à noite com um pouco de carga.


Xiaomi não economizou no carregador e temos um acessório potente que entrega no máximo 33W. Isso faz a bateria do Mi 10T Pro ir de 0 a 100% em pouco mais de uma hora. Caso precise dar uma carga extra no final do dia terá em média 20% recuperados em 15 minutos na tomada.

Software

Na parte de software não há novidades, o Mi 10T Pro está com Android 10 e a interface MIUI 12. A combinação de Snapdragon 865 com muita memória garante que o aparelho seja ágil em qualquer tarefa e sem nenhum engasgo.

Se você já recebeu a MIUI 12 em seu Xiaomi já deve ter notado que a interface chinesa está cada vez mais parecida com o iOS. E como a tela do Mi 10T Pro não é do tipo OLED, não há o Always on Display para exibir horas e notificações quando a tela apagada. Ainda há suporte a tema escuro, por mais que isso não ajude a economizar bateria.

O leitor biométrico é rápido e eficiente. Você pode configurar para que ele leia sua digital ao encostar seu dedo ou apenas quando você pressionar o botão de energia, o que evitará desbloqueios acidentais enquanto segura o aparelho.

Rivais

O Mi 10T Pro traz bons avanços comparado ao seu antecessor e mostra que a Xiaomi vem caprichando mais em seus flagships acessíveis. Ele não chega a se igualar ao Mi 10 em desempenho, bateria e câmeras, então saiba que este aqui foi feito para ser um produto levemente inferior.

E contra os rivais de outras marcas? Ele não consegue competir contra o Galaxy Note 20 Ultra e até mesmo contra o S20 FE fica abaixo em câmeras. O Motorola Edge Plus seria a principal alternativa com Snapdragon 865, com desempenho similar e melhor bateria, e sai mais barato.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Tela de 144 Hz
  • Som estéreo potente
  • Bateria recarrega rápido
  • Câmera principal tira boas fotos

Pontos fracos

  • Brilho da tela
  • Faltou lente teleobjetiva
  • Poderia ter qualidade de câmera do Mi 10
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O custo-benefício do modelo nacional é ruim e até importar sairá caro

Embalagem e características

Embalagem traz capinha e adaptador para P2; só faltou fone de ouvido

Comodidade

O Mi 10T Pro é grande e escorregadio, mas vem com capinha na caixa

Facilidade de uso

É a mesma MIUI 12 que encontra em outros aparelhos com boa fluidez e cheia de recursos

Multimídia

Tela de 144 Hz entrega ótima fluidez, só poderia ter brilho mais forte; som estéreo tem qualidade

Votação Geral

O Mi 10T Pro é um bom celular, mas vale a pena investir um pouco mais no Mi 10

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Xiaomi Mi 10T Pro