LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Multilaser MS80 fica um degrau abaixo de concorrentes em bateria e desempenho

10 de setembro de 2018 97

A Multilaser anunciou um smartphone intermediário no primeiro semestre de 2018, para tentar entrar de vez no competitivo mercado de dispositivos móveis. A companhia já oferecia aparelhos mais modestos, além de vários tablets, mas aposta forte em um modelo com o chipset Snapdragon 430 e tela em 18:9 para se destacar e ganhar espaço.

O TudoCelular já publicou o review do MS80, mas ainda não divulgamos os resultados de todos os testes de desempenho e bateria que passamos no dispositivo. Pois chegou a hora de destrinchar esses números, sempre buscando uma comparação com concorrentes da mesma faixa de preço disponíveis no Brasil.

73 x 152 x 8.3 mm
5.7 polegadas - 1440x720 px
Ir para página de comparação

O dispositivo, que tem uma bateria de 3.000mAh para alimentar a tela de 5,7 polegadas e o já citado chipset Snapdragon 430 consegue oferecer autonomia para um dia inteiro ao usuário. Quanto à performance, está dentro do que se espera de um modelo intermediário de entrada, mas fica um degrau abaixo, por exemplo, do Moto G6 Play.

Confira a seguir todos os resultados dos nossos testes de velocidade, benchmarks, jogos e autonomia de bateria.

Teste de velocidade

O MS80 não mostrou boa fluidez em nosso teste de velocidade. Somente a primeira volta levou tempo maior que todo o teste no Moto G6 Play, que tem o mesmíssimo hardware. Foi preciso 1min45s para o dispositivo da Multilaser fazer a abertura inicial de todos os aplicativos dessa parte da prova.

Já na segunda volta, o aparelho conseguiu apresentar multitarefas decente, segurando praticamente todos os apps - apenas Netflix recarregou do zero, estranhamente. Com isso, passaram-se mais 33 segundos, com o teste totalizando 2min15s.

O Moto G6 Play levou 1min32s neste teste, enquanto o LG Q6 Plus, que tem chipset um pouco melhor e mais memória RAM, precisou de 1min46s. O Moto G6, que é mais potente, mas tem multitarefas comprometido, realizou o teste em 2min24s. Se você quiser comparar com um smartphone da Samsung, podemos pegar o Galaxy J5 Pro de exemplo, que fez o teste em 2min40s.

Caso você seja novo por aqui, vamos resumir como esse teste de velocidade é realizado. Pegamos 12 aplicativos com diferentes níveis de exigência para abrir um de cada vez, aguardando o carregamento, e partimos para o próximo. Depois, voltamos à estaca zero para ver se esses aplicativos ficam abertos e acessíveis, verificando a velocidade do multitarefas.

Os 12 aplicativos são Câmera, Galeria, Configurações, Facebook, WhatsApp, Chrome, Netflix, Spotify, Photoshop Mix, Pokémon GO e Asphalt 8, além do relógio, que cronometra o tempo total.

Benchmarks

Passamos também os testes de benchmark no MS80, e os resultados ficaram dentro da faixa já mostrada pelo Moto G6 Play. Na maior parte dos casos, a pontuação total do dispositivo da Multilaser ficou um pouco abaixo, mas há um ou outro em que o dispositivo nacional superou o resultado do modelo da Motorola. O mesmo vale para o Galaxy J5 Pro e para o Q6 Plus.

  • AnTuTu
    • 57.475 pontos
  • GeekBench
    • CPU: 664/2.480 pontos (single/multi-core)
    • GPU: 2.107 pontos
  • 3D Mark
    • OpenGL: 297 pontos
    • Vulkan: 273 pontos
  • GFX Bench
    • Manhattan: 10/4,6 fps
    • T-Rex: 25/16 fps
Jogos

Testamos a nossa lista de jogos de sempre no MS80, com o auxílio do Gamebench para saber como fica autonomia e performance de títulos leves, médios e pesados.

Começando com os mais leves, Subway Surfers e Clash Royale rodaram sem grande problemas, ficando na taxa máxima de quadros ou próximo dos 60 fps. O mesmo vale para os jogos de exigência média. Apesar de não ter chegado à taxa de quadros máxima, o MS80 ficou em 30 fps ou acima disso em Asphalt 8, Modern Combat 5 e Vainglory.

Já nos jogos mais pesados, representados aqui por Injustice 2 e PUBG Mobile, a taxa de quadros ficou um pouco abaixo dos 30 fps, mas com performance razoável para quem não é muito exigente.

A autonomia média ficou em pouco mais de cinco horas, que é um tempo baixo na comparação com outros dispositivos que testamos aqui na bancada do TudoCelular.

Jogo FPS Estabilidade CPU GPU Memória
Asphalt 8 29 75% 10% - 508 MB
Clash Royale 58 95% 8% - 385 MB
Injustice 2 29 62% 12% - 631 MB
Modern Combat 5 40 63% 16% - 446 MB
PUBG Mobile 26 85% 17% - 689 MB
Subway Surfers 60 94% 9% - 345 MB
Vainglory 35 47% 10% - 615 MB
Testes de bateria

Já nos testes de bateria, tivemos pouco mais de 12 horas na reprodução de vídeos em Full HD, utilizando o aplicativo MX Player para tocar um mesmo vídeo em loop; a gravação de vídeos, também em Full HD, ficou em pouco mais de três horas, utilizando sempre o aplicativo nativo de câmera do dispositivo; e no Skype, o teste de videochamadas durou pouco menos de quatro horas.

Os resultados individuais (veja os tempos exatos no gráfico acima) não ficaram tão abaixo do que vimos no Moto G6 Play, que é o grande concorrente do MS80. Mas ficaram bastante abaixo do Galaxy J5 Pro, que tem tela de tamanho parecido - 5,5", mas na proporção 16:9 - e mesma carga.

O tempo de recarga do MS80 também não foi dos melhores. O MS80 não tem carga rápida, e precisa de quase duas horas e meia para preencher os 3.000 miliampéres/hora da bateria em seu interior.

Simulação de uso real

A simulação de uso real é dividida em ciclos de uso, nos quais uma lista padronizada de aplicativos são rodados com tempo cronometrado para cada um. Eis a lista e tempos de utilização:

  • 6 minutos de navegação no site do Tudo Celular usando o Chrome, vídeos no YouTube, vídeo no MX Player, streaming no Spotify, músicas no PowerAMP, WhatsApp e jogos;
  • 4 minutos de chamadas via 3G;
  • 2 minutos de Facebook, Gmail e Google Maps.
  • Serão repetidos vários ciclos com intervalos de 30 minutos até esgotar totalmente a bateria do aparelho. Desta forma, temos uma ideia mais precisa da real autonomia.

O teste de bateria do MS80 da Multilaser foi realizado com o brilho da tela mantido em 200 lux durante todo o tempo, de modo a mantermos um padrão para todos os dispositivos que passam por nossa bancada.

Resultados
  • Foram necessárias 14 horas e 34 minutos para esgotar quase que totalmente a bateria do MS80 com o brilho da tela em 200 lux (próximo de 80%).
  • A tela permaneceu ligada por 7 horas e 34 minutos.
  • Realizamos 10 ciclos de testes que incluíram:
  • 420 minutos de WhatsApp, Spotify, PowerAmp, Chrome, MX Player e YouTube (60 minutos cada);
  • 60 minutos de jogos (Pokémon Go, Subway Surfers, Asphalt 8, Modern Combat 5, Candy Crush e Injustice);
  • 60 minutos de Facebook, Gmail e Google Maps (20 minutos cada);
  • 40 minutos de ligações conectado em rede 4G
  • Temperatura da bateria ficou entre 22 e 28°C.
  • O aplicativo que mais devorou a bateria foi o Chrome.
Conclusão

Com tela de 5,7 polegadas em resolução HD, bateria de 3.000 mAh e um chipset com eficiência energética baixa, o Snapdragon 430, o MS80 da Multilaser conseguiu aguentar mais de 14 horas e meia em nosso rígido teste de bateria. Ou seja, oferece carga para o dia inteiro para usuários moderados.

O dispositivo conseguiu entregar mais tempo de uso que a linha Moto G5 e G5S, exceto pelo Moto G5S Plus (mas incluindo o G5 Plus). Também foi superior ao Moto G6, que tem tela de mesmo tamanho, mas usa a resolu;áo Full HD.

Enfim, resta verificarmos o desempenho e como este aparelho se sai nos testes específicos de bateria, incluindo a recarga. FIque ligado aqui no TudoCelular que vamos trazer todas essas informações em breve.

Transmissão encerrada!

13/8/2018 - 21.57

Agradecemos a companhia de todos durante este dia de testes. Abraço e fique ligado que em breve temos vídeo de desempenho e outros testes de bateria.

13/8/2018 - 21.56

Pronto, todas as capturas estão aí. A pauta será atualizada em um minuto.

13/8/2018 - 21.56
13/8/2018 - 21.56
13/8/2018 - 21.55
13/8/2018 - 21.41

Vamos atualizar a pauta com todos os resultados dentro de alguns minutos. Logo mais também vamos incluir todas as capturas de tela do GSam.

13/8/2018 - 21.40

Foram mais de 14 horas e meia de teste. Mais de 7 horas e meia de tela ligada. Média de 6,7% de carga consumida a cada hora.

13/8/2018 - 21.38

E passados 30 minutos, a carga está em 3%. Realmente, nem tem como fazer nem mesmo metade de um ciclo, então encerramos por aqui.

13/8/2018 - 21.07

Como você pode ver, a bateria caiu para 4% enquanto pegávamos as capturas.

13/8/2018 - 21.07
13/8/2018 - 21.05

Encerrado o décimo ciclo. A carga caiu para 5%, e não é suficiente para mais meia rodada. Vamos deixar o aparelho descansar por 30 minutos e encerrar o teste.

13/8/2018 - 20.09

E já começou o décimo - e, talvez, último? - ciclo no MS80. Bateria em 14%.

13/8/2018 - 19.39

O MS80 reduziu bastante o brilho e cortou as animações. Isso deve ajudar a chegarmos, pelo menos, até a metade do ciclo onze. Como é padrão, vamos deixar assim, pois é a experiência mais pura que o usuário comum terá.

13/8/2018 - 19.37
13/8/2018 - 19.36

O nono ciclo acaba com 15% de carga. Bateria vai se aguentando um pouco mais neste final.

13/8/2018 - 18.40

Nono ciclo já em andamento no MS80. Bateria apontava 23% quando iniciamos

13/8/2018 - 18.09
13/8/2018 - 18.07

E depois de oito ciclos de uso, a bateria do MS80 vai para 23%.

13/8/2018 - 17.12

O oitavo ciclo de uso no MS80 se inicia com 31% de carga.

13/8/2018 - 16.52
13/8/2018 - 16.42

Sétimo ciclo fechado, e a bateria do MS80 está em 33%.

13/8/2018 - 15.46

Já está iniciado o sétimo ciclo no MS80. A bateria ficou em 42% nestes 30 minutos de descanso.

13/8/2018 - 15.15
13/8/2018 - 15.12

A bateria do MS80 depois de seis ciclos está em 42%.

13/8/2018 - 14.18

E ainda com 51% de carga, vamos ao sexto ciclo.

13/8/2018 - 13.47
13/8/2018 - 13.46

O quinto ciclo no MS80 encerra com a bateria em 51%. Estamos na metade deste teste.

13/8/2018 - 12.50

O quinto ciclo de uso do MS80 começou com a carga em 61%.

13/8/2018 - 12.21

Com quatro ciclos completos, já estamos com quase três horas de tela ligada, e mais de 60% de carga restante.

13/8/2018 - 12.20
13/8/2018 - 12.19

E o MS80 tem 62% de carga restante depois de quatro ciclos completos.

13/8/2018 - 11.23

O quarto ciclo já está em andamento, com a bateria em 71%.

13/8/2018 - 10.54

Chrome é o app que mais consumiu energia até aqui. Curiosamente, não é o YouTube e nem algum jogo.

13/8/2018 - 10.53
13/8/2018 - 10.51

Acabou o terceiro ciclo. O MS80 tem 72% de carga da bateria.

13/8/2018 - 09.55

Bateria em 81% da carga e vamos para o terceiro ciclo no MS80.

13/8/2018 - 09.26
13/8/2018 - 09.25

O MS80 se segura com 82% de bateria após o segundo ciclo.

13/8/2018 - 08.28

E vamos para o segundo ciclo. Bateria está com 91%.

13/8/2018 - 08.00
13/8/2018 - 07.57

E depois do primeiro ciclo de uso, o MS80 manteve 92% da carga de bateria.

13/8/2018 - 07.02

E está valendo! Primeiro ciclo de uso no MS80 já foi iniciado.

13/8/2018 - 06.57

Abaixo é possível ver que o aparelho está em 100% de sua carta neste instante - ainda na tomada para manter esse nível até o início do teste. Também dá para ver onde fica mais ou menos o nível do brilho para manter a emissão em cerca de 200 lux.

13/8/2018 - 06.56
13/8/2018 - 06.55

Bom dia. O teste de bateria do MS80 começa em poucos minutos.

O Multilaser MS80 está disponível na Kabum por R$ 768. O custo-benefício é ótimo. Existem 18 modelos melhores. Para ver as outras 102 ofertas clique aqui.
(atualizado em 14 de dezembro de 2018, às 07:48)

97

Comentários

Multilaser MS80 fica um degrau abaixo de concorrentes em bateria e desempenho

OnePlus 6 e Redmi Note 5 entram na lista dos 15 aparelhos mais radioativos

Huawei no Brasil fará diferença? Positivo fecha trimestre no vermelho

Samsung Galaxy J7 Pro ou Motorola Moto G5S Plus? Comparativo TudoCelular ajuda a escolher

Ranking TudoCelular: gráficos com todos os testes de desempenho e autonomia até junho