LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Redmi 7: quando o barato já não é tão vantajoso | Análise / Review

13 de maio de 2019 65

O Redmi 7 chegará ao mercado nacional oficialmente pelas mãos da DL. Se você está ansioso pela chegada do novo básico chinês, o TudoCelular analisou a versão com 3/32 GB para ver o que ela tem a oferecer. Lembrando que o mais barato vem com 2/16 GB.

A Xiaomi decidiu tornar a linha Redmi uma marca independente, como faz com a Pocophone. O foco é oferecer bons celulares com preços mais acessíveis que a concorrente. A fórmula pode funcionar na China, mas por aqui a história é diferente.

Na faixa de R$ 900 temos boas opções no mercado nacional, como o Galaxy M10, LG K12 Plus e o Moto G7 Power. Esse último é quem complica a vinda do Redmi 7. O modelo da Motorola entrega melhor desempenho e bateria muito superior, o que põe em risco o bom custo-benefício que a marca Redmi deveria oferecer.

Claro, você pode decidir importar o Redmi 7 pela GearBest ou Banggood para conseguir um preço melhor, mas se está esperando que a novidade chinesa chegue por aqui com preço agressivo pela mãos da DL, é melhor manter suas esperanças baixas para não se decepcionar.

No geral o Redmi 7 é um bom smartphone. Abaixo você pode conferir a nossa análise completa e ver tudo o que o básico chinês tem a oferecer. Também colocamos algumas ofertas do Redmi 7 caso decida importá-lo.

Onde importar

65

Comentários

Redmi 7: quando o barato já não é tão vantajoso | Análise / Review

OnePlus 6 e Redmi Note 5 entram na lista dos 15 aparelhos mais radioativos

Huawei no Brasil fará diferença? Positivo fecha trimestre no vermelho

Samsung Galaxy J7 Pro ou Motorola Moto G5S Plus? Comparativo TudoCelular ajuda a escolher

Ranking TudoCelular: gráficos com todos os testes de desempenho e autonomia até junho