LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Globo quer liderar mercado de streaming no Brasil com Globoplay | TudoCelular Entrevista

28 de outubro de 2019 61

Em uma crescente fase no Brasil, os serviços de streaming têm ganhado cada vez mais adeptos e players no mercado. Uma das grandes empresas que está nesse setor desde 2015 é o Grupo Globo, com a plataforma Globoplay.

Apesar de ocupar atualmente a segunda posição no streaming em território nacional – atrás somente da Netflix –, o conglomerado de mídia brasileiro tem pretensões de liderar o segmento, assim como faz na TV aberta e na fechada.

Para entender mais sobre os objetivos e a atuação da Globo entre as plataformas online, o TudoCelular entrevistou o diretor-geral do Globoplay, Erick Brêtas, e conta os detalhes a seguir:

Aposta dobrada para liderar o mercado

Sobre o crescimento do streaming tanto no mercado brasileiro quanto a nível mundial, o executivo entende que esse tipo de serviço será duradouro. Uma das justificativas para isso é a expansão da liberdade que o cliente tem ao selecionar um conteúdo que deseja consumir.

Por essas características, Brêtas afirma que a Globo dobrou as apostas na sua plataforma para alcançar a liderança neste segmento no Brasil e repetir a sua colocação entre as emissoras de TV, no meio convencional.

“O streaming é uma realidade que veio para ficar. Se soma a outros meios de distribuição e amplia a liberdade de escolha do consumidor. O Grupo Globo decidiu dobrar as apostas no Globoplay e está seguro de que poderá assumir a liderança nesse mercado, no Brasil, a exemplo do que já ocorre na TV aberta e na TV paga.”


Erick Brêtas

Diretor-geral do Globoplay

Evolução, não reinvenção

No cenário atual, o Grupo Globo já oferece assinaturas de conteúdos como Premiere, Combate e Telecine de forma independente da TV fechada, por meio dos seus respectivos serviços de streaming.

Contudo, apesar de dar essa opção alternativa aos seus usuários, a empresa não entende que as plataformas de vídeo substituirão a televisão fechada/aberta convencionais no futuro. Nem compreende as novas tecnologias como uma “reinvenção”, e sim uma “evolução”.

O entendimento da companhia é que, ao possuir os diferentes meios para assistir ao conteúdo favorito, o consumidor tem mais poder de escolher quando e onde vai vê-lo.

“Não vemos como substituição ou reinvenção, mas como evolução dos meios tradicionais de distribuição de TV. Hoje, no Globoplay, temos toda a programação da TV, além de programas dos canais Globosat, filmes, séries originais, como 'Aruanas' e 'Sessão de Terapia', e produções licenciadas de produtoras internacionais, entre elas séries exclusivas, como 'Manifest'. Mas o catch-up da TV aberta é responsável por uma parcela importante do tempo de consumo do assinante na plataforma, o que atesta que o consumidor também quer ter o poder de escolher quando e onde vai assistir ao seu conteúdo favorito.”

Espaço na concorrência

Além de Netflix, Globoplay e Amazon Prime Video, por exemplo, outros concorrentes estão próximos de entrar no país, como o Apple TV Plus e o Disney Plus. Em um mercado competido, Erick Brêtas entende existir espaço para as diversas opções.

Entretanto, segundo o executivo, o fator de maior relevância para se destacar entre a concorrência é a oferta de conteúdo. Por abranger um público diversificado, alguns usuários prefeririam contar com várias assinaturas, enquanto outros optariam por apenas uma.

“Existem diferentes perfis de consumidores com diferentes interesses, níveis de renda e acesso à tecnologia. Um jovem da periferia que deixou recentemente a casa dos pais e está em seu primeiro emprego tem um comportamento diferente de uma família de classe média-alta com três crianças. Alguns consumidores terão vários serviços de streaming em suas carteiras, outros só estarão dispostos a pagar uma única assinatura. O fator de decisão mais importante em todos os casos, acreditamos, será a oferta de conteúdo. Nesse ponto, o Globoplay tem um grande diferencial em relação à concorrência porque, além de parceria com estúdios internacionais importantes, como a que anunciamos recentemente com a BBC Studios, contamos com o melhor conteúdo brasileiro – tanto o produzido pelos Estúdios Globo, como o oriundo do mercado independente.”

Sem revelar previsão para alcançar o objetivo de chegar ao topo do streaming brasileiro, resta aos usuários a espera para ver até onde irá o avanço da plataforma de vídeos do Grupo Globo.

E aí, você acredita que o Globoplay tem potencial para assumir a liderança do setor de streaming no Brasil? Participe conosco!

Globoplay

Desenvolvedor: Globo

Grátis - oferece compras no app

Tamanho: Varia de acordo com o sistema


61

Comentários

Globo quer liderar mercado de streaming no Brasil com Globoplay | TudoCelular Entrevista

Moto G8 Power Lite vs Galaxy A30s: uma comparação com pouco sentido | Comparativo

Galaxy A30s vs Galaxy A31: e agora, as mudanças são para valer? | Comparativo

Galaxy A50 vs Moto G8 Plus: você ficaria com atualização ou bateria? | Comparativo

MIUI, OneUI, EMUI: as diferenças entre as interfaces Android | TudoCelular Entenda