LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Novo Tracker 2021: app e WiFi a bordo fazem diferença? | Análise / Review

27 de julho de 2020 24

Carro também é tecnologia. Hoje em dia, são necessárias bem mais linhas de código em um carro do que no Google Chrome, sabia? Isso porque automóveis vêm com tanta tecnologia embarcada que são praticamente smartphones com rodas.

Um dos modelos mais interessantes para vermos isso no Brasil é o Novo Tracker da Chevrolet. Análises de motor, consumo de gasolina e coisas do tipo você vê em outros canais. Aqui vamos focar na parte tecnológica, nas novidades que esse carro tem quanto a isso.

Funciona certinho? Tem utilidade ter WiFi embarcado como é o caso desse carro? Serve para alguma coisa ter um app para controlar o carro? É o que você vai conferir nesta análise, aqui no TudoCelular.com.

O carro tem uma tela

O carro é bonitão, é um SUV, tipo de carro que está fazendo muito sucesso entre os brasileiros. Mas vamos direto para a parte de dentro, onde fica uma tela de toque de 8 polegadas, maior do que a dos concorrentes dele.

A moda de tirar as bordas não chegou aqui, e essa tela tem muita, além de botões físicos que ajudam o motorista a não ter que usar o toque para tudo, o que pode distrair durante a direção. Tem acabamento brilhante que pode ficar ruim se bater luz.

Android Auto e CarPlay salvam interface

A interface é simples, apresentada nesses círculos, e não é bonita como a interface de um smartphone. No geral, carros têm interfaces com botões maiores, para facilitar o uso, e costumam ter essa cara mais carregada em detalhes que imitam metal. Esperamos que isso mude logo.

Porém, apesar de simples, não é das mais fáceis de navegar. São poucas opções dentro de cada coisa e isso faz com que você não consiga resolver tudo que precisa pela tela. Há uma outra tela atrás do volante, com 3.5 polegadas, que apresenta algumas funções do carro e é controlada por botões no comando do limpador. Por ele você também chama o assistente de voz.


Sim, tem Google Assistente no carro desde que ele tenha um Android conectado via USB nele. Isso porque o que vai ajudar mesmo na interface é a presença do Android Auto e CarPlay, bem atualizados. O iPhone também vai precisar ser conectado no USB para funcionar, e no caso dos dois apenas alguns apps funcionam na tela maior.

É possível navegar usando o Google Maps ou Waze, ouvir Podcasts ou audiolivros, escutar música no Spotify, conferir agenda e clima, ouvir mensagens do Telegram, ver o que tem de novo no WhatsApp, entre outros.

A interface do Android Auto e do CarPlay estão parecidas, mas a da Apple parece estar mais cuidada, traz botões maiores e mais visíveis, facilitando a navegação, além de também ter a Siri. Os menus dos dois são parecidos, e é uma pena que não seja possível usar qualquer app com eles, ou espelhar conteúdos próprios.


WiFi dentro do carro é útil?

O que a GM mais propagandeia sobre este carro é o WiFi embarcado. Mas para quê serve ter WiFi dentro do carro? Uma das vantagens é poder rootear esse WiFi para até 7 aparelhos, e eles podem estar a uma distância de até 15 metros do carro, ou seja, pode ser usado fora dele também. Se alguém está sem créditos ou dados, isso já resolve.

Ele consegue fornecer o WiFi porque, como pode ser visto no painel, ele tem sinal de 4G/3G. Dentro do carro tem um eSIM, um chip embutido, e o sinal dele é aumentado porque o Tracker tem um amplificador de sinal para aumentar a recepção da antena em até 12 vezes.

Em uma viagem ou percurso, na hora de seguir o mapa, é importante que tenha sinal de rede, e em alguns lugares seu celular não dá sinal e o carro dá. Quando você vai para um lugar afastado, isso faz diferença. Não foi sempre que o 4G do carro pegou, mas foi bem eficiente no geral.


Mas há um porém nisso. Quem paga por esses dados? Você, e ainda paga bem caro. Esse chip embutido é da Claro, e você não pode trocar, nem usar seu chip. E para contratar um pacote de dados, você precisa escolher entre os planos especiais para o carro, que são mais caros do que aquele que você contrata para o seu celular.

Quando você compra esse carro zero, vem junto três meses de franquia ou 3 GB de dados, o que acabar primeiro. Depois, você pode contratar um plano, cujos valores vão de 2 GB a 30 reais a 20 GB a 85 reais. Ou seja, melhor não usar para ver vídeos no smartphone, e usar mais para navegar ou em emergências, quando ficar sem sinal.

Em um carro que pode passar dos 100 mil reais, gastar 85 reais a cada dois ou três meses não parece nada terrível, mas a falta de liberdade de escolha da operadora não facilita muito.

OnStar agora é pago e mais útil

O coração da tecnologia do Novo Tracker é algo que está fora dele, o OnStar. Esse é um serviço que a GM oferece em seus carros já a alguns anos, e se até 2018 ele era gratuito, passou a ser pago nos modelos mais recentes, mas também está mais útil.

Quase tudo o que você precisa fazer de burocracia é com ele. Através de um botão perto da luz dos bancos da frente, ou pela interface, você fala diretamente com um atendente humano para pedir uma série de coisas. Uma delas é renovar o plano de internet.


Dependendo do plano do OnStar, você pode rastrear seu carro, e em caso de roubo a central pode desacelerar o carro e até pará-lo para facilitar a recuperação. Se sofrer um acidente, o OnStar pode intermediar a chamada para a polícia ou ambulância. O botão SOS leva a uma linha prioritária.

Se bater o carro ou algo parecido, a central detecta o uso dos air bags e liga para você, não apenas fazendo as ligações necessárias como passando localização precisa que eles já têm e até destravando as portas à distância. Isso acontece mesmo com você inconsciente. Se uma luz acender no painel, é possível obter instruções do que fazer ao ligar para o OnStar, que também pode mandar mecânico e guincho.

Ah, e caso queira, o OnStar pode ajudar a encontrar restaurantes e outros pontos de interesse na sua região. São três planos, que vão de 55 a 90 reais por mês. Ou seja, para usar tudo o que o carro tem de legal, vão 100 reais ao mês, no mínimo (incluindo um plano básico de internet.

Para quê serve o app MyChevrolet?

Outra coisa legal é o aplicativo MyChevrolet, disponível para iOS e Android. Com ele você pode controlar o carro à distância e, por exemplo, travar e destravar as portas, ligar e desligar o motor e ativar e desativar a buzina e as luzes.

São coisas úteis para esquecidos que querem garantir que a porta está trancada, ligar o carro por algum motivo ou ativar a buzina e luzes para espantar pessoas mal intencionadas. Pena que não tem como acender as luzes separado da buzina, e pena que o vidro não pode ser aberto ou fechado. Se você esquecer ele ligado pelo app, o motor se desliga em 10 minutos.


E funcionou direitinho, mesmo bem distante do carro. O app mostra a última vez que a função foi utilizada com sucesso ou falha e só deixa as funções serem ativadas mediante PIN ou leitura biométrica no celular. A indicação dos comandos acontecendo é bem clara.

Também dá para ver a situação de itens como combustível no tanque, pressão dos pneus, vida útil do óleo, a eficiência do combustível e odômetro. Em emergências ou apenas se você é distraído, é possível localizar o Tracker em tempo real. Quando algo de errado é detectado no carro, você recebe uma notificação a respeito no celular e pode pedir ajuda.


Na área de condução inteligente o app informa sobre o trajeto com número de frenagens e acelerações bruscas, quanto tempo dirigiu à noite, velocidade média e outros, ensinando mais sobre uma direção mais consciente. Você também checa se há recalls para o carro, agenda e gerencia serviços e fala com a central de ajuda.

São funções muito interessantes, que trazem dados que são muito difíceis de serem obtidos normalmente, e você aprende mais sobre o carro. Mas, infelizmente, é preciso ter um dos planos do OnStar contratados para usar as funções, e todas elas só estão disponíveis no plano mais caro.

Outras tecnologias embarcadas

E o que mais temos no Tracker em matéria de tecnologia? É um carro que pode ter seu software atualizado over the air, e você pode conectar ele a outras redes sem fio para não gastar seu caro plano de dados do carro para isso.

Perto da conexão USB ele tem um carregador sem fio para aparelhos compatíveis com a tecnologia Qi. Enquanto dirige, seu smartphone ou fone de ouvido podem ficar carregando nessa área, em velocidade normal. Pode esquentar um pouco o aparelho, mas é uma praticidade interessante.


O Tracker conta com sistema de estacionamento semi autônomo. Quando ele encontra uma vaga perpendicular ou paralela com o carro andando a menos de 8 km/h, ele inicia um processo de estacionamento. Você tira as mãos do volante e controla apenas acelerador e freio, e ele estaciona o carro para você. Funcionou perfeitamente.

Câmeras e sensores no carro avisam sobre o perigo de colisões ao se aproximar de objetos em velocidade alta, e podem até frear o carro para evitar acidentes. Sistemas especiais de tração e estabilização ajudam a manter o carro no caminho, e até balanceiam a força no volante dependendo do trajeto.


Conclusão

Mas nem tudo foram flores. Deu para perceber que, quanto mais tecnologia um carro traz, mais problemas que você não pode resolver aparecem. Se antes bastava abrir o capô e usar seus conhecimentos de mecânica, agora é mais difícil encostar em qualquer coisa.

No primeiro dia em que peguei o carro, ele não quis ligar. Alegava um problema no sistema de estabilização de rota. No dia seguinte, ligou como se não tivesse acontecido nada. Tive problemas com o WiFi, que precisou ser reiniciado para que eu pudesse usar com celulares, já que ele conectava mas não permitia a navegação em nada.


O aplicativo MyChevrolet, por algum problema na central da GM, não me deixou usar as funções disponíveis. Só depois que técnicos da GM entraram em contato com quem cuidava do sistema, o app voltou ao normal. Por fim, eu acabei arriando a bateria do carro por uma porta mal fechada, e descobri que se o motorista sai pela porta do passageiro, o carro entende que o motorista nunca saiu do carro e pode gastar toda a bateria também.

São complexidades que os carros não tinham antes, e com as quais vamos ter que nos acostumar, pois a tendência é que todos fiquem assim. De qualquer forma, quando passou a funcionar azeitado, todas as funções foram muito legais, principalmente as do aplicativo.

Por fim, agora ainda é preciso gastar dinheiro por mês para ter acesso a tudo o que o carro oferece. Sim, temos carros com DLC, a EA Games está fazendo escola.

Curtiu? Você acha que carros vão se tornar mais inteligentes do que celulares? Conta pra gente aí nos comentários o que achou dessa análise! Eu fico por aqui e até a próxima!


24

Comentários

Novo Tracker 2021: app e WiFi a bordo fazem diferença? | Análise / Review

Galaxy A20s vs A21s: vale trocar ou ir direto no mais novo? | Comparativo

Galaxy M31 vs LG K61: qual o melhor celular intermediário barato? | Comparativo

Galaxy M31 vs A51: você tem certeza que deve levar o celular mais novo? | Comparativo

Galaxy M31 vs Moto G8 Power: buscando o melhor intermediário de 2020 | Comparativo