LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Black Friday: Qualcomm dá dicas sobre o que priorizar na compra de um celular | TC Entrevista

25 de novembro de 2020 7

Você pretende comprar um celular nesta Black Friday 2020, mas ainda não sabe qual modelo escolher nem quais características devem ser a sua prioridade? Essas são dúvidas comuns dos consumidores que ainda estão indecisos sobre qual smartphone comprar.

Para tirar as dúvidas, nada melhor do que ouvir um especialista no assunto. Por isso, o TudoCelular entrevistou o diretor de produtos da Qualcomm para a América Latina, Hélio Oyama. Você pode conferir todos os detalhes em dois formatos: em vídeo, no player acima; ou pelo texto a seguir:

Quais são as prioridades?

Segundo o especialista, pesquisas internas da Qualcomm mostram que a câmera tem sido uma das características que mais tem chamado a atenção do consumidor é a câmera. Ele ressalta que, para ter um bom componente para a captura de imagens, é necessário analisar um conjunto de fatores.

Esses pontos incluem não somente a quantidade de megapixels, mas também o sensor, a qualidade da lente e a quantidade de possibilidades entregues – como opções grande-angular e teleobjetiva, por exemplo. Hélio Oyama ainda acrescenta que, para ter a acesso às funções, a plataforma móvel – no caso da empresa, o Snapdragon – precisa ter suporte.

“O que nós temos verificado em nossas pesquisas, de forma bastante consistente, é que uma das características principais que o consumidor em geral tem prestado bastante atenção e também valorado muito em termos de atributo e funcionalidade é a câmera. Como podemos verificar, ela tem tido uma atenção muito grande. O usuário em geral tem prestado cada vez mais atenção nessa função. E câmera, como você sabe, é uma conjunção de vários fatores que você tem uma qualidade de imagem muito boa. Primeiro, obviamente, o Snapdragon tem que suportar uma determinada funcionalidade. O Snapdragon, em termos de câmera, tem tido qualidade extremamente alta. Já suporta qualidade de 200 MP. Mas não é só a quantidade de pixels que realmente importa para a qualidade da imagem. É uma conjunção de vários outros fatores também, além do processador. O sensor é extremamente importante, a qualidade da lente. Tem aumentado a quantidade de câmeras, seja da parte frontal ou traseira, para trazer uma qualidade maior. Ou seja, um grande-angular, super grande-angular, telefoto também, dependendo da imagem que o usuário quer captar.”


Hélio Oyama

Diretor de produtos da Qualcomm para a América Latina

O executivo ainda explica sobre os recursos de Inteligência Artificial, que estão entre os principais investimentos da Qualcomm. Um smartphone que tenha IA aplicada em suas câmeras, na prática, tende a render muito melhor em determinados cenários mais difíceis de se retratar.

“Outro aspecto que eu gostaria de mencionar para a qualidade da imagem é a Inteligência Artificial. E a Qualcomm nesse sentido tem investido bastante também em IA. A nossa plataforma atual premium, por exemplo, da série Snapdragon 800, já estamos na quinta geração da plataforma de Inteligência Artificial. E ela realmente traz uma melhoria na qualidade da imagem, principalmente em ambientes desafiadores e de pouca luminosidade.”

Câmera frontal vs traseira

Em meio à pandemia do coronavírus, foi possível constatar que a câmera frontal também passou a ter uma importância maior aos usuários. O crescimento no uso de videoconferências, por exemplo, colocou o componente – até então mais restrito a selfies – em um papel diferenciado na comunicação entre as pessoas.

Apesar disso, Hélio Oyama acredita que a alta na utilização do sensor frontal – apesar de ser um ponto de destaque – não irá superar a importância da câmera traseira para os smartphones.

“Já é uma tendência da importância da câmera frontal. Certamente, com a pandemia e o uso de videocalls, tem ganhado cada vez mais importância. No entanto, eu acredito que ainda a câmera traseira continua sendo a mais importante.”

5G no Brasil: é a hora de investir?

Aos poucos, o 5G tem ganhado espaço no Brasil. Por enquanto disponível somente pela tecnologia DSS – compartilhamento dinâmico de espectro com o LTE –, o leilão das frequências deverá acontecer em 2021, para expandir as possibilidades da rede móvel de quinta geração no país.

Por outro lado, os aparelhos compatíveis passaram a surgir no mercado nacional, para introduzir as novidades aos consumidores finais. Mas já é a hora de investir em um dispositivo com suporte ao 5G?

O diretor de produtos da Qualcomm afirma ser um fator que já tem se mostrado um ponto de decisão de compras em estudos globais. Além disso, explica algo a ser considerado: os aparelhos atuais, apesar de funcionarem somente com o DSS por enquanto, poderá receber atualização de software no futuro, para habilitar o uso dos 3,5 GHz

“O 5G realmente é uma tecnologia bastante interessante. Vai trazer muito benefício para o mercado brasileiro, não só para os consumidores, mas para o mercado em geral. Certamente, o 5G DSS é um excelente começo para introdução da tecnologia no Brasil. Um outro ponto que temos verificado em nível mundial, pesquisas têm mostrado que 5G é uma tecnologia muito apreciada e é um ponto de decisão de compras também. Agora, é importante? Certamente que sim. E muitas das plataformas e dos dispositivos que já estão vendendo aqui no Brasil, futuramente, quando houver disponibilidade das frequências 5G em 3,5 GHz ou ondas milimétricas – principalmente 3,5 GHz –, alguns dos fabricantes têm plano de fazer atualização de software, habilitando os 3,5 GHz. E aí sim, realmente, o usuário vai ter uma experiência ainda melhor, se comparado com o que nós temos hoje.”

Entre os modelos compatíveis com a rede móvel de quinta geração que utilizam chipsets da Qualcomm e já são vendidos no Brasil, Hélio ressalta cinco deles: Motorola Edge, Edge, Plus, Moto G 5G, Xiaomi Mi 10T Pro e ASUS ROG Phone 3.

“Alguns dos nossos fabricantes e parceiros anunciados, já há o Moto G 5G, o Edge e o Edge Plus. Temos também o anúncio do Xiaomi Mi 10T Pro. A própria ASUS fez o lançamento do ROG Phone 3. O mercado brasileiro já começa a ser servido por vários dos nossos parceiros, que eu acho ser bastante interessante para o usuário final. Acho que o 5G é um atributo, sim, que o consumidor tem buscado.”

76.1 x 166.1 x 9.9 mm
6.7 polegadas - 2400x1080 px
71.1 x 161.64 x 9.29 mm
6.7 polegadas - 2340x1080 px
71.4 x 161.1 x 9.6 mm
6.7 polegadas - 2340x1080 px
76.4 x 165.1 x 9.33 mm
6.67 polegadas - 2340x1080 px
78 x 171 x 9.85 mm
6.59 polegadas - 2340x1080 px
Ir para página de comparação
Games: foco em hardware e software

A pandemia também tem ressignificado o papel dos jogos entre os usuários. De lazer, os games passaram a ter funções de socialização e até educação. Neste contexto, o diretor de produtos da Qualcomm destaca que a quantidade de jogadores no mobile já ultrapassou o número para desktop.

Além disso, ele detalha os diferenciais dos chipsets próprios para gaming da companhia. Geralmente, são aqueles seguidos por um “G” ou um “Plus” no nome. O segredo está em “turbinar” a CPU e a GPU, em relação às versões convencionais.

“Game é um outro mercado que a gente tem verificado que tem crescido bastante. Inclusive, a quantidade de usuários de games móveis. O mobile gaming tem crescido de forma consistente e bastante rápida a nível mundial. Inclusive, a quantidade de gamers móveis já suplantou a quantidade de gamers em desktop. É por isso também que a Qualcomm, antenada nesse sentido, tem as versões ‘G’ para gaming. Se da forma convencional, já é bem posicionada. A versão ‘G’ é uma edição ‘turbinada’ da convencional. Basicamente, nós aumentamos o clock e o desempenho da CPU e da GPU para ter uma experiência ainda melhor das nossas plataformas.”

Imagem: Reprodução

Mas os esforços da desenvolvedora de semicondutores não se limitam apenas ao componente físico. Hélio declara que, para ter uma experiência melhor nos jogos, é preciso se atentar à combinação entre hardware e software.

Para realizar essa conjunção, a Qualcomm criou o chamado Elite Gaming, que são APIs customizadas, com as quais os desenvolvedores de games conseguem inserir para extrair o máximo das plataformas móveis para a função.

“Uma outra iniciativa que vale menção é o Elite Gaming. O que a Qualcomm faz? Basicamente, nós trabalhamos junto com os nossos desenvolvedores de games, desde a concepção e o desenvolvimento desses aplicativos, para que esses nossos parceiros possam extrair o máximo da nossa plataforma. São APIs feitas de forma customizada, para dar o melhor dos dois lados: o melhor do hardware mais o melhor do software para o nosso usuário.”

Em outras palavras, se o seu foco for um celular para games, é importante conferir tanto se o chipset tem preparação para a funcionalidade, quanto se o seu jogo de preferência consegue extrair o máximo que a plataforma pode oferecer.

Chipset, o “cérebro” do celular

Analisar os componentes de um celular não é simplesmente comparar números. Se fosse dessa maneira, smartphones com a mesma capacidade de bateria durariam exatamente o mesmo tempo fora da tomada, ou aparelhos com conjuntos de câmeras similares registrariam fotos idênticas. Mas não é assim que funciona na prática.

Prestar atenção no chipset – ou SoC (System-on-a-Chip), como é chamado tecnicamente – significa muito para o consumidor. Isso porque o componente é como se fosse o “cérebro” do dispositivo, como definiu Hélio Oyama, que permitirá aproveitar ao máximo os recursos dos demais hardwares.

O especialista ressalta que os SoCs – compostos por CPU, GPU, modem e outras soluções – são os responsáveis por fazer o processamento e definir a experiência do usuário. Ele ainda destaca que o desafio da indústria é sempre aliar uma alta performance com um baixo consumo energético.

“Chipset é o conjunto de processadores. Quando nós falamos de SoC (System-on-a-Chip), estamos falando de CPU, GPU, modem – que é a parte toda de conectividade, 5G, Wi-Fi, Bluetooth –, é um conjunto que faz a gente ter a solução final. Isso tem um papel fundamental. É o cérebro do smartphone. Ele que faz toda a parte de processamento. E o grande desafio da indústria – e principalmente a de smartphones – é conjugar altíssimo desempenho e um baixíssimo consumo de energia. Isso que vai dar a melhor experiência para o usuário. O SoC é um elemento fundamental para garantir todo o desempenho de um aparelho celular.”

Conectividade Wi-Fi

Em seu destaque final, Hélio Oyama fala sobre a importância da rede Wi-Fi na escolha do celular. Por mais que o 5G seja de extrema relevância, a conectividade sem fio ainda mantém a sua popularidade entre os usuários. Ele usa como referência o pedido pela senha do Wi-Fi sempre que alguém chega em um lugar.

A recomendação, neste caso, é procurar por um smartphone que tenha, ao menos, suporte ao Wi-Fi 5 – ou seja, que acesse redes de 5 GHz e seja compatível com velocidades maiores. O executivo ainda sugere a procura por um sistema 2x2, composto por duas antenas.

“Para finalizar, eu acho que um ponto extremamente importante na decisão de compra é a conectividade Wi-Fi. Hoje, como nós sabemos, 5G é bastante importante, mas Wi-Fi continua sendo uma conectividade bastante popular. Tanto é que, em qualquer lugar onde o usuário chega, a primeira coisa que se pede é a senha do Wi-Fi. E isso é um item extremamente importante. Existem várias versões e tecnologias de Wi-Fi. E a gente sugere que o consumidor procure um telefone celular que seja, pelo menos, Wi-Fi 5. Melhor ainda se tiver um Wi-Fi 2x2. Ou seja, com duas antenas. Eu acho que, com essa característica de Wi-Fi, ele vai ter uma experiência ainda melhor.”

Black Friday no TudoCelular

Assim como nas edições anteriores, o TudoCelular fará uma cobertura ampla da Black Friday 2020. Você poderá contar com um live-blogging que atualizará em tempo real com as principais ofertas ao longo dos próximos dias. O site também possui um canal de ofertas no Telegram para notificar você sempre que surgir uma promoção.

Você ainda pode contar com as ferramentas de comparação de características, para identificar qual celular atende melhor às suas necessidades, e de preços de lojas confiáveis do varejo brasileiro, a fim de saber a evolução dos valores e evitar qualquer fraude.

E aí, conseguiu tirar as suas dúvidas sobre o que procurar no seu próximo celular? Quais são as suas prioridades para um smartphone? Participe conosco!


7

Comentários

Black Friday: Qualcomm dá dicas sobre o que priorizar na compra de um celular | TC Entrevista

Galaxy Z Fold 2: dobrando melhor do que você esperava | Hands-on em vídeo

Moto G9 Plus vs Moto G8 Plus: uma nova geração realmente evolui? | Comparativo

Galaxy A20s vs A21s: vale trocar ou ir direto no mais novo? | Comparativo

Galaxy M31 vs LG K61: qual o melhor celular intermediário barato? | Comparativo