LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Amazon Echo e Echo Dot 4ª geração: novo design é a única mudança? | Análise / Review

15 de janeiro de 2021 6

A Amazon renovou sua linha de speakers da família Echo Dot, e fez grande alarde para anunciar a quarta geração de seus dispositivos, que ganharam ainda mais notoriedade ao longo deste primeiro ano de operação no Brasil. As novas Echo e Echo Dot ganharam novo design, mas isso é o suficiente para o upgrade?

O TudoCelular testou, nos últimos meses, os dois dispositivos cedidos Amazon para saber se vale o upgrade para quem possui modelos da terceira geração e também dizer se a Echo e a Echo Dot de quarta geração cumprem com maestria o papel de serem a porta de entrada para uma casa inteligente.

Confira nossa análise completa a seguir.

Design

Essa talvez seja a principal mudança entre as duas gerações. A Echo Dot de terceira geração era um disco, com parte superior e inferior retas, que abrigavam os quatro botões do alto-falante inteligente. E esse formato de bolacha – ou biscoito, se preferir – deu lugar a uma esfera de 328g – mais pesado que seu antecessor, com 300g – , com acabamento em tecido e plástico, e é difícil resistir à tentação de chamar a Echo Dot de bola de cristal. Essa é, basicamente, a principal mudança visível da nova Echo Dot, mas tem efeitos em diversas outras áreas, que vamos te explicando ao longo dessa análise.

A Echo tem exatamente o mesmo design, mas é maior e mais pesada, com seus 900 g, mas mantém exatamente o mesmo design da Echo Dot. Ambas mantêm um anel iluminado de LED na parte inferior, muito próxima daquilo que podemos chamar de suporte, sua única área reta para que ela permaneça em alguma superfície lisa. O lado ruim da posição do anel é que fica mais difícil saber exatamente o nível de volume por conta da posição em que está instalado.

Já os botões ficaram menores, mas seu design mudou completamente. São construídos em plástico emborrachado, sem nenhuma moldura em volta que fica mais alta que o tecido que encapa o falante, e sua posição também é diferente.

Os botões não ficam tão retos, a 180º da base, mas um pouco mais próximos à traseira, que conta com a conexão de energia e a entrada P2, que um dia já esteve presente na maioria absoluta dos celulares. A localização dos botões pode atrapalhar quem tem TOC, mas ajuda na ergonomia, facilitando na hora de encostar na Echo para fazer algum comando neles. Um deles é o que habilita a escuta da Alexa, que ao ser tocado deixa o anel vermelho e ela deixa de te ouvir, garantindo maior privacidade.

A Amazon envia uma fonte de energia para os dois modelos e, assim como acontece no Fire Stick Lite, a fonte é bem robusta e oferece 15W de potência nos dois modelos.

Instalação e primeiros passos

Tudo que você precisa para instalar uma Echo ou Echo Dot é uma tomada, uma superfície lisa e um celular com o aplicativo Amazon Alexa baixado com uma conta ativa. Em poucos minutos já é possível utilizar os dois dispositivos e, se quiser, fazê-los funcionarem juntos para reproduzir conteúdos.

A Alexa fala português e reconhece até mesmo falas regionais. Depois de instalar os Echo, basta pedir à assistente da Amazon que execute algum comando, e ela escutará e responderá com rapidez na maior parte dos casos. Por meio do app Amazon Alexa é possível instalar skills de casa inteligente ou uma série de outros disponíveis, assim como parea-los com dispositivos Bluetooth, como celular ou notebook, e transformá-los em suas saídas de som. Eles também se conectam ao Wi-Fi para funcionar, seja de 2,4 GHz ou 5 GHz.

Funções e skills

As skills são as habilidades que a assistente da Amazon tem para realizar tarefas. Elas podem ser da própria Amazon ou de empresas que desejam adicionar funções a seus dispositivos inteligentes. Em nossos testes, utilizamos a Alexa para controlar lâmpadas de Philips e Positivo, dois interruptores inteligentes e TV da TCL. As três marcas contam com skills habilitadas no app da Amazon, que facilitam os comandos de voz.

Mas as skills não são apenas funcionais. Elas servem também para entreter. Seja jogando Akinator ou Show do Milhão, seja pedindo para ela imitar personalidades como Michael Jackson, Bob Esponja ou Silvio Santos, ou ainda contando piadas, fazendo beat-box ou reproduzindo músicas de serviços como Amazon Music Spotify, há um mundo de habilidades disponíveis.

Entre as preferidas nos nossos testes estão a do iFood, que avisa por voz quanto tempo falta para seu pedido chegar, e a possibilidade de criar timers rapidamente ou ainda fazer dela um despertador. Porém, a mais usada pelos brasileiros foi o simples bom dia, que sempre retorna com alguma curiosidade, efeméride ou simplesmente alguma frase.

Casa inteligente

Lembra quando dissemos que o design traria mudanças em outras áreas? É aqui que seu efeito é mais sentido. Isso porque na terceira geração o falante era 360°, enquanto a nova Eco Dot conta com alto-falante de 1,6 polegada com direcionamento frontal. Isso significa, na prática, que você não vai ter nenhum abafamento de som se colocar sua caixa de som em locais próximos de paredes, mas precisará ajustar a posição para que a saída de som fique livre de interrupções.

No caso da Echo, o falante é mais potente e alto, com 3 polegadas, além de dois tweeters de 0,8 polegadas. Nos dois casos, embora haja uma diferença clara de volume entre os dois dispositivos, os graves foram privilegiados e o som ficou mais encorpado.

Mas a linha Echo não foi feita apenas para ser ouvida, como também para ouvir. E é aí que mora seu principal problema até o momento. Apesar de ter microfones que captem muito bem o som, bastando apenas dizer o nome da assistente pessoal – que pode ser trocado nas configurações do app para Echo ou Amazon – é possível notar que nem sempre ela ouve o que você diz, e muitos outros colegas alertaram para essa possível surdez da Alexa. Em nossos testes, notamos que a Echo maior é justamente a que menos ouve, mas isso pode se dar pela diferente posição em que cada uma está.

Várias vezes, ao fazer um comando, era o dispositivo de terceira geração que ouvia primeiro e dava a resposta, mesmo ele estando em um escritório, enquanto os testes eram feitos na sala.

Conclusão

Sejamos francos: há aqui uma clara evolução entre a terceira e a quarta geração, especialmente em termos de design e som. Mas, por outro lado, elas talvez não sejam suficientes para fazer um upgrade, embora sejam boas para quem quer mais dispositivos Amazon em casa ou para quem deseja ter seu primeiro alto-falante inteligente.

Por falar em upgrade, elas também contam com mais recursos e integração quando comparadas ao seu concorrente direto, o Google Nest Mini, que é mais limitado e dependente do próprio Google.

Entre seus principais pontos fortes estão a qualidade sonora, que evoluiu quando comparada ao modelo anterior, e o design que fez da Echo Dot um elemento de decoração, com um visual mais elegante que sua antecessora. Por outro lado, se o som melhorou, o microfone precisa de melhorias para ouvir todas as vezes em que a assistente for acionada, e o anel de LED ficou numa posição que nem sempre é a melhor para perceber mudanças no volume, mas faz um bom efeito de iluminação ficando próximo à superfície.

Design renovadoSuporte a Zigbee na Echo de 4ª geraçãoQualidade sonora aprimoradaMais skillsControle de casa inteligente
Falhas no microfonePosição do LED indicadorFaltam novidades em relação a antecessores

6

Comentários

Amazon Echo e Echo Dot 4ª geração: novo design é a única mudança? | Análise / Review
  • Assistente inteligente é coisa pra pais de primeiro mundo, onde toda a casa ja é smart, aqui no brasil so serve pra ver hora, por isso ngn usa

      • Não vejo graça em ficar pedindo hora, tarefas etc p uma caixa.
        É legal nos primeiros dias. Depois já tá juntando pó.
        Igual assistente de smartphone. No segundo dia já tá desativado.

        Sou mais gastar o valor num conjunto semi profissional de caixas de som com bluetooth.

        Depois que fui acordado por um monte de luz infernal no meio da madrugada pq as lâmpadas smarts se desconfiguraram pela queda de energia, desisti de vez destas merdas inteligentes. Vou até dar as lâmpadas, troquei tudo no outro dia kkkkkk. Já tenho insônia, e qdo eu durmo me acontece isto. Que inferno! Hahaha

          • Lâmpada inteligente é o pior investimento. A regra é clara, sempre tenha um opção com botão físico, nesse caso, melhor opção é comprar interruptor wifi.

              • Nada a ver. Meus pais, de 70 anos, usam a Alexa pra lembrar eles de tomar os remédios, olhar o fogão, etc. Perderam o medo de usar, agora usam sempre. Eu uso no quarto, com lâmpadas, controle de tv, ventilador, etc. Nem sempre vc ta com o controle, as vezes é mais fácil pedir. Tudo automatizado. Vai da pessoa curtir ou não.

                  • Compartilho da mesma opinião.

                      • Isso da lâmpada dar pau quando cai energia é um inferno mesmo, acontece direto aqui %uD83E%uDD23

                        Galaxy Z Fold 2: dobrando melhor do que você esperava | Hands-on em vídeo

                        Moto G9 Plus vs Moto G8 Plus: uma nova geração realmente evolui? | Comparativo

                        Galaxy A20s vs A21s: vale trocar ou ir direto no mais novo? | Comparativo

                        Galaxy M31 vs LG K61: qual o melhor celular intermediário barato? | Comparativo