LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Realme 8 Pro tem cara de celular novo, mas interior bastante conhecido | Vídeo hands-on

26 de março de 2021 9

A Realme anunciou essa semana a chegada de seus novos intermediários realme 8 e realme 8 Pro, ambos contando com especificações potentes e design reformulado.

Vamos dar uma olhada mais atenta à versão mais completa, graças aos nossos irmãos do HD Blog, para poder ver se realmente os 300 euros pedidos pela realme são uma boa pedida, ou se é melhor partir para algum rival como o Redmi Note 10 Pro da Xiaomi, que também já teve um vídeo de hands-on publicado aqui no TudoCelular.com.

Quer conferir de perto o que o realme 8 Pro tem a oferecer? Então continue descendo a página.

Design e construção

A primeira coisa que você nota ao pegar o realme 8 Pro é que o aparelho é totalmente feito em plástico, o que segue o que vem sendo feito por Samsung e Motorola, mas vai na contramão do que a Xiaomi fez com o Redmi Note 10 Pro, que trouxe de volta o uso do acabamento em vidro para a parte traseira da linha.

Além disso, temos um aparelho compacto para os padrões atuais, já que a tela de 6,4 polegadas com poucas bordas fazem com que o realme 8 Pro tenha praticamente o mesmo tamanho de seu antecessor (160.59 x 73.85 x 8.12 mm contra 160.9 x 74.3 x 8.7 mm do realme 7 Pro), sendo até um pouco menor, mais fino e mais leve (176 contra 182 gramas).

Na parte traseira as câmeras agora estão organizadas em cooktop, com um bloco preto bem grande para os quatro sensores e um espaço espelhado onde ficam o flash LED e a inscrição que destaca a câmera principal de 108 megapixels.

Esse acabamento espelhado também é visto no enorme “Dare to Leap” (ouse pular, em tradução livre) que ocupa quase toda a parte direita da tampa traseira, criando um efeito de cores dependendo de como a luz bate e da cor escolhida, e criando contraste com o resto do acabamento fosco. Quem não gostar dessa frase enorme na traseira vai ter que comprar a versão Punk Black, que é toda espelhada.

O bloco de câmeras é bem saltado do corpo, mas pelo menos a realme manda capinha na embalagem para ajudar a proteger o aparelho e isso praticamente elimina o degrau. Ela também manda película aplicada de fábrica, um extra legal que já estava presente no realme 7 Pro.

Tela e som

Se você esperava que a realme seguisse a moda das telas com alta taxa de atualização, ficará desapontado. A empresa entrega no realme 8 basicamente o mesmo painel AMOLED Full HD com leitor de digitais integrado de antes, com aprimoramentos basicamente no brilho máximo alcançado e nos ajustes para reprodução de cores.

A tela é boa, e se você não se preocupa com a máxima fluidez ao jogar ou navegar pelo sistema não deve sentir tanta falta, mas já começa a ficar estranho ver um aparelho nessa categoria travado em 60 Hz.

Outro ponto que pode desapontar, e esse não faz o menor sentido, é que a realme tirou os alto-falantes estéreo que tínhamos no 7 Pro, e agora temos apenas uma saída para mídia no realme 8 Pro. O som é até legal, mas novamente fica a pergunta: por quê?

Pelo menos ainda temos porta P2 para fones de ouvido, ainda que não venha nenhum na caixa.

Hardware e Software

Se você ficou confuso com as escolhas feitas na parte de multimídia, agora é que as coisas se confundem de vez.

A realme manteve o mesmo Snapdragon 720G com 6 ou 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno. Esse é o chip usado pela marca desde o realme 6 Pro, e, ainda que não tenhamos muitas opções de chips 4G atualmente para a categoria, era possível adotar pelo menos o Snapdragon 732G usado pela Xiaomi no Redmi Note 10 Pro e outros modelos que ela não quer que tenham 5G.

O desempenho ainda é muito bom para basicamente todo tipo de usuário, mas se a LG é justamente criticada por usar o Helio P22 em vários modelos por consecutivas gerações não teria como não comentar que a realme vem fazendo o mesmo.

Pelo menos o software da realme ganhou uma boa repaginada com a chegada do Android 11. A chamada Realme UI 2.0 focou em entregar uma experiência ainda mais limpa e pessoal do que a versão anterior, que já era boa, se afastando cada vez mais do que temos em interfaces de outras chinesas.

Bateria

Outro ponto mantido no realme 8 Pro foi sua bateria, pelo menos em capacidade. Como todo o conjunto é basicamente o mesmo, a bateria de 4.500 mAh segue durando um dia inteiro sem grandes dificuldades, mas é na hora da recarga que as coisas voltam a ficar esquisitas.

Um dos pontos de maior destaque do realme 7 Pro, sua recarga de 65W, foi trocada por uma de 50W no realme 8 Pro, ainda que o mesmo carregador de 65W seja mandado na caixa. Faz sentido? Bom, fazendo ou não, agora o aparelho leva uns minutos a mais para ir de 0 a 100%, mas ainda consegue fazer isso em menos de 1 hora.

Câmeras

O grande ponto de mudança do realme 8 Pro para o seu antecessor está nas câmeras, ou mais precisamente em sua câmera principal, já que as outras três câmeras traseiras foram mantidas e o sensor frontal até teve sua resolução cortada pela metade.

Agora a grande estrela é o sensor ISOCELL HM2 de 108 megapixels produzido pela Samsung, mesmo usado pela Xiaomi no Redmi Note 10 Pro. O sensor combina 9 pixels em um para entregar fotos de 12 megapixels com mais qualidade, ao menos em teoria.

Na prática o avanço em relação ao realme 7 Pro não é tão visível assim, já que o modelo do ano passado já tinha câmeras bastante competentes no geral. Temos fotos boas em ambiente favorável e aceitáveis em ambiente noturno, com cores equilibradas e bom alcance dinâmico, exceto quando no modo de 108 megapixels.

Ao usar todo o potencial do sensor você terá mais detalhes em troca de algumas aberrações cromáticas e ausência de HDR, prejudicando áreas muito claras ou escuras da cena.

As selfies tiveram qualidade recuada e apresentam menos detalhes se comparado ao realme 7 Pro, o que pode desapontar especialmente aos brasileiros que são aficionados por selfies.

Ainda vamos precisar de testes mais profundos aqui no TudoCelular.com para explorar todo o potencial das câmeras, mas as expectativas não estão muito altas.

Conclusão

O realme 8 Pro é um aparelho que sofre pelo próprio cronograma de lançamentos da empresa chinesa. Ao apresentar novos modelos da linha a cada 6 meses temos uma janela muito curta para que novidades relevantes em tecnologia cheguem ao mercado, fazendo com que tenhamos um modelo praticamente idêntico em experiência ao que já era encontrado no realme 7 Pro, e até com alguns pontos de corte que não fazem sentido como ausência de som estéreo e recarga mais fraca.

A câmera principal vale tudo isso para garantir a troca de um pelo outro? Achamos que não, especialmente quando alguns rivais como Redmi Note 10 Pro e Galaxy A52 são encontrados em faixa de preço similar, este segundo já em vias de chegar ao Brasil oficialmente.

De qualquer forma, ainda vamos esperar que o aparelho chegue em nossas bancadas para que possamos analisar a fundo todas as suas características e ver se ele vale a compra em nosso país, lembrando que a realme tem evento marcado no Brasil para o próximo dia 6 de abril, quem sabe não aparece alguma surpresa?

O Realme 8 Pro ainda não está disponível nas lojas brasileiras. Para ser notificado quando ele chegar clique aqui.

9

Comentários

Realme 8 Pro tem cara de celular novo, mas interior bastante conhecido | Vídeo hands-on

Galaxy Z Fold 2: dobrando melhor do que você esperava | Hands-on em vídeo

Moto G9 Plus vs Moto G8 Plus: uma nova geração realmente evolui? | Comparativo

Galaxy A20s vs A21s: vale trocar ou ir direto no mais novo? | Comparativo

Galaxy M31 vs LG K61: qual o melhor celular intermediário barato? | Comparativo