LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Realme C25: aposta robusta no mercado de celular básico | Vídeo hands-on

23 de junho de 2021 17

A realme apresentou hoje no Brasil os seus novos lançamentos: os celulares C25 e 8 Pro. O evento foi comandado por Camilla de Lucas, uma das finalistas da última edição do BBB. E claro que o TudoCelular não deixaria este evento passar batido e temos em mãos o realme C25 que você confere todos os detalhes agora. Ah, e não esqueça que já fizemos um hands-on com o realme 8 Pro há algumas semanas; se você ainda não viu, só conferir o card acima ou o link na descrição.

Índice do hands-on

Design e construção

O realme C25 é um celular mais básico que o 8 Pro e isso fica nítido ao segurar o aparelho. Apesar de ambos terem corpo de plástico, o C25 tem design mais simples que deixa claro que ele é um celular mais barato.

O modelo que recebemos é de cor prateada com leve tom azulado; há também uma segunda opção de cor com cinza mais puxado para o grafite. A traseira tem acabamento de dois tipos: a parte mais estreita com o nome da empresa é lisa, enquanto a parte maior traz linhas finas que deixam o celular menos escorregadio por causa da textura.

A realme manda na caixa uma capinha de silicone para proteção, além de um carregador de 18W com carregamento acelerado, mas nada de fones de ouvido como é comum em produtos chineses.

75.9 x 164.5 x 9.6 mm
6.5 polegadas - 1600x720 px
Ir para página de comparação

Pelo menos há entrada P2 na parte inferior, o que permite usar qualquer fone de ouvido. Ao lado desta entrada temos dois microfones, a entrada USB-C e o alto-falante. Do lado direito há o botão de energia e de controle de volume, enquanto do lado esquerdo temos apenas a gaveta que suporta dois chips e um cartão de memória ao mesmo tempo.

O leitor biométrico fica na traseira em posição agradável para qualquer tamanho de mão. O conjunto de câmera segue no estilo cooktop, sendo formado por três lentes e um LED em flash. Na parte frontal há entalhe de gota que ainda é comum em celulares chineses mais baratos, enquanto a borda inferior é mais larga que as demais.

Em termos de conectividade há Wi-Fi AC para redes 5 GHz, Bluetooth 5.0 e giroscópio (que faz falta em muito celular básico), mas o C25 não vem com NFC.

Tela e som

Se o design não empolga, podemos dizer o mesmo da tela do aparelho. O C25 vem com painel LCD de 60 Hz com 6,5 polegadas e resolução HD+. O nível de brilho é bom para ambientes muito iluminados, mas pode não ser suficiente para garantir uma boa visibilidade em dias ensolarados. Ainda assim, está acima de muitos aparelhos básicos da Xiaomi e Motorola.

A qualidade de imagem está dentro do esperado para um celular da categoria. Uma tela AMOLED seria bem-vinda, mas são poucas as fabricantes que trazem esta tecnologia em aparelhos mais baratos. Pelo menos o nível de contraste e o ângulo de visão não comprometem a experiência multimídia no C25.

Já a experiência sonora poderia ser melhor. Há apenas uma saída de som na parte inferior, o que limita a som mono. Não apenas isso, mas a potência é apenas decente e falta graves e médios. É o tipo de celular que serve para ver vídeos no YouTube, mas fica limitado para jogos e filmes. Sem falar que não vem com fones para contornar tal problema.

Hardware e software

O C25 é equipado com a plataforma Helio G70 da MediaTek. Ela é formada por processador octa-core, sendo dois núcleos Cortex-A75 com velocidade máxima de 2 GHz acompanhado de mais seis núcleos Cortex-A55 de 1,7 GHz; e a GPU é a Mali-G52. O C25 vem com 4 GB de RAM em versões com 64 ou 128 GB de armazenamento.

Com esta configuração temos em média 200 mil pontos no AnTuTu, o que o coloca pouco acima do Moto G20. Inclusive os dois entregam desempenho próximo em nosso teste de velocidade focado no multitarefas, então já saiba que o realme C25 não é muito rápido.

Especificações técnicas

  • Tela IPS LCD de 6,5 polegadas com resolução HD+
  • Display com entalhe de gota e proporção de 20:9
  • Processador MediaTek Helio G70
  • 4 GB de RAM
  • 64 GB ou 128 GB de armazenamento interno
  • Memória expansível com cartão MicroSD
  • Câmera frontal de 8 MP
  • Três câmeras traseiras
    • Sensor principal de 48 MP
    • Sensor macro de 2 MP
    • Sensor preto e branco de 2 MP
  • Entrada P2 e dual-SIM
  • Bateria de 6.000 mAh com carregamento rápido de 18W
  • Android 11 rodando sob a realme UI 2.0

O software é uma versão modificada do Android 11 que vem com a interface Realme UI 2.0 por cima. Esta atualização busca entregar uma experiência ainda mais limpa e pessoal do que a versão anterior, que já era boa, se afastando cada vez mais do que temos em interfaces de outras chinesas.

O problema é que o software foi otimizado para favorecer ao máximo a bateria e com isso acaba matando os apps em segundo plano de forma agressiva. Seria interessante ter uma opção de escolher entre desempenho ou autonomia, ainda mais em um celular com bateria grande.

Bateria

O Helio G70 é um chip fabricado a 12nm, o que pode causar certa preocupação com relação à bateria, mas o C25 acabou batendo recorde em nosso teste padrão e sua bateria de 6.000 mAh rendeu tanto que ele superou com folga o Redmi Note 10 que era nosso rei em autonomia.

Daremos mais detalhes na análise completa, mas já podemos adiantar que o carregador de 18W não é tão ágil e demora mais de 3 horas para recarregar a bateria totalmente. Considerando o tamanho da bateria até que não está tão ruim, apesar de que o Moto G60 demora quase 1 hora a menos para recarregar com mesmo tamanho de bateria, mas vem com carregador de 20W.

Câmeras

O realme C25 possui duas configurações distintas de câmeras: o modelo indiano vem com sensor de 13 MP, enquanto o global (o mesmo que veio para o Brasil) traz câmera principal de 48 MP. Ainda temos câmera secundária com sensor preto e branco e uma terceira com lente macro, ambas com apenas 2 MP. Na parte frontal há uma câmera de 8 MP para selfies.

E as fotos, são boas? A capacidade fotográfica do C25 é limitada. Em situações favoráveis terá fotos decentes, mas contra a luz há perda de texturas e o alcance dinâmico fica limitado. Há inteligência artificial que exagera no contraste e só piora as fotos.

Falta câmera ultra-wide para capturar imagens de cenários mais amplos, o que seria bem mais útil que a câmera macro que tem resolução muito baixa e peca na capacidade de foco. O efeito retrato é bastante artificial e apresenta falhas. Fotos noturnas não apresentam muitos ruídos, mas o modo noturno exagera na exposição e deixa a luz estourada.

A filmadora é capaz de gravar a no máximo Full HD seja com a traseira ou frontal, a diferença é que a câmera principal pode fazer vídeos a 60 fps. O som capturado é estéreo, mas a qualidade é apenas mediana.

Daremos mais detalhes das câmeras na análise completa, mas os primeiros testes mostram que fotos e vídeos não são o ponto forte desse modelo.

Primeiras impressões e preço

O realme C25 tem seus prós e contras. A primeira impressão que temos é que se trata de um celular para quem se preocupa mais com bateria do que desempenho e câmeras. Veremos em nossa análise se isso se confirma.

O C25 chega ao Brasil por R$ 1.599, mas pode ser adquirido em pré-venda por R$ 1.199 a partir de hoje, 23 de junho, até 1° de julho. O realme 8 Pro é um modelo superior e será vendido por R$ 2.099 na pré-venda, entre os dias 23 e 28 junho, com valor oficial de lançamento de R$ 2.599 após esta data. Ambos os modelos podem ser encontrados no Submarino, Americanas e Shoptime.

(atualizado em 23 de julho de 2021, às 17:30)

17

Comentários

Realme C25: aposta robusta no mercado de celular básico | Vídeo hands-on

Galaxy Z Fold 2: dobrando melhor do que você esperava | Hands-on em vídeo

Moto G9 Plus vs Moto G8 Plus: uma nova geração realmente evolui? | Comparativo

Galaxy A20s vs A21s: vale trocar ou ir direto no mais novo? | Comparativo

Galaxy M31 vs LG K61: qual o melhor celular intermediário barato? | Comparativo