LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Proibição de vendas na Índia pode colocar Xiaomi mais exposta quanto a violação de patentes

14 de dezembro de 2014 2

A Xiaomi enfrentou recentemente uma decisão judicial que pode colocar em risco todo o futuro da empresa em mercados emergentes. Por ter infringido patentes da Ericsson, a empresa não poderá mais comercializar os seus smartphones na Índia, o que além de ser péssimo para a empresa pode se tornar também um problema muito maior em uma pequena guerra no mundo de patentes.

Com marketing mínimo e um público muito fiel, a Xiaomi começou a vender na Índia em julho deste ano e viu o seu crescimento no país decolar. Os aparelhos da empresa já vendem mais do que os de baixo custo da Google rodando Android One. "Foi muito mais do que esperávamos. A comunidade realmente nos abraçou", disse Hugo Barra, até então CEO da Xiaomi, em declaração à Reuters.

A recente proibição, que veio à tona na última quarta-feira (14) e proíbe a companhia de vender no país, porém, foi arquivada pela fabricante de equipamentos de telecomunicações Ericsson. Em 5 de fevereiro o tribunal deverá ouvir o caso novamente, e até lá, a batalha poderá ser ainda mais específica e rigorosa.

A jovem companhia pode enfrentar alguns problemas sobre direitos de propriedade intelectual (IP) até a data posterior.

Fontes próximas a Xiaomi dizem que a sua liderança reconheceu privadamente, durante anos, a sua vulnerabilidade sobre as patentes e complicações que isso poderia trazer à empresa. Os maiores riscos de quebra de patente que a empresa pode enfrentar não é nem deixar de vender, e sim deixar de crescer em países asiáticos, onde atualmente concentra-se o maior público da Xiaomi.

Em comunicado, a Xiaomi diz que "não é fácil" para construir um portfólio de patentes com uma empresa de start-up, mas pretende ter arquivado cerca de 8 mil pedidos até 2016.

Até mesmo na sua própria casa a Xiaomi vem enfrentando controvérsias sobre IP's com outras empresas chinesas, principalmente sobre os direitos de conteúdo do seu serviço de streaming para TVs.


2

Comentários

Proibição de vendas na Índia pode colocar Xiaomi mais exposta quanto a violação de patentes
  • Pra manter os baixos custos de seus aparelhos tendo que pagar direito de patentes a todo mundo vai ser difícil. Vamos ver a estrategia da Xiaomi em relação a isso aqui no Brasil.
    Se a apple queria proibir a venda do Galaxy S só por ter cantos arredondados imagina a Xiaomi que até os ícones são bem parecidos ao IOS?

      • Sucesso dá nisso mesmo! Vem aí a nova novela das 7h....

          Galaxy Z Fold 2: dobrando melhor do que você esperava | Hands-on em vídeo

          Moto G9 Plus vs Moto G8 Plus: uma nova geração realmente evolui? | Comparativo

          Galaxy A20s vs A21s: vale trocar ou ir direto no mais novo? | Comparativo

          Galaxy M31 vs LG K61: qual o melhor celular intermediário barato? | Comparativo