LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Preços do iPhone 11 e XR sobem no Brasil após estreia da nova geração

13 de outubro de 2020 132

Gostou dos novos iPhone 12 anunciados hoje pela Apple? Certamente alguns recursos chamam a atenção nessa grande atualização que agora adiciona o chip A14 nos smartphones da Maçã, e que pela primeira vez traz um iPhone Mini para o catálogo, para quem desejava um produto menor mas não era simpático ao design do iPhone SE.

Os preços no Brasil ainda não foram anunciados, mas a gente avisa que desde já é bom se preparar: enquanto lá fora os preços começam em US$ 699, por aqui não faz muito sentido esperar preços abaixo dos R$ 5.699 pelo dispositivo mais barato.

Isso porque apesar dos valores ainda não terem sido anunciados para o mercado local, a Apple reajustou o preço de todos os iPhones no seu site brasileiro. Obviamente para cima, como fez no mês passado com os iPads, que passaram a custar até 40% mais.

Com isso, o iPhone 11 que inicialmente cobrava R$ 4.999 passou a ser precificado em R$ 5.699 pelo seu modelo mais simples. Enquanto aqui o preço aumenta R$ 700, nos Estados Unidos o dispositivo recebeu um corte de preço de US$ 100.


Outro aumento que chama a atenção é o do iPhone XR, que foi de R$ 4.299 para R$ 4.999. Claro, qualquer pessoa com o mínimo bom senso e amor ao seu dinheiro não compra pelo site da Apple como primeira opção, já que o varejo costuma oferecer preços mais baixos e condições melhores de parcelamento. Porém, esse é um nítido demonstrativo de como a gigante de Cupertino deverá precificar a linha iPhone 12 no Brasil.

O iPhone SE manteve seu preço pelo modelo de 64 GB em R$ 3.699, mas opções de 128 e 256 GB receberam aumentos de até R$ 700.

Não se sabe se o varejo embarcará nessa onda de reajustes, ou se os estoques atuais são suficientes para a manutenção dos preços que já são vistos em e-commerces e lojas físicas.

A Apple não se deu ao trabalho de explicar o motivo por trás dos reajustes, que foram iniciados no mês passado. Nos resta deduzir que isso acontece em virtude da forte desvalorização do real frente ao dólar. Mas seria legal a empresa ser transparente com o seu potencial consumidor quanto a essas atualizações nada agradáveis.

Vale lembrar, os novos iPhones - e também os antigos - passarão a vir sem carregador (mas com cabo) e fones de ouvido na caixa. Tem coisas que só a Apple faz por você pelo meio-ambiente.

E você, o que acha dos novos reajustes da Maçã para o Brasil? Conte para a gente nos comentários!

(atualizado em 24 de outubro de 2020, às 02:10)

132

Comentários

Preços do iPhone 11 e XR sobem no Brasil após estreia da nova geração

Agora tem widgets? iOS 14 e todas as suas novidades | Hands-on em vídeo

iPhone XR vs iPhone SE: vale comprar o mais novo, mesmo mais simples? | Comparativo

iPhone SE vs iPhone 8: qual celular menos caro da Apple você deve escolher? | Comparativo

Ranking TudoCelular: gráficos com todos os testes de desempenho e autonomia até novembro de 2019