LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Comparativo em tamanho real: iPhone 13 contra antecessores

14 de setembro de 2021 16

A Apple anunciou a linha iPhone 13 na tarde desta terça-feira (14), durante um evento impressionante que renovou as gerações das principais linhas de dispositivos eletrônicos da marca e seus softwares.

Dentre as principais novidades estão o iPad 9 e a nova geração do iPad Mini, o Apple Watch Series 7, o anúncio de lançamento da plataforma Fitness Plus no Brasil e muito mais.

A apresentação dos smartphones iPhone 13 e iPhone 13 Mini, bem como seus irmãos maiores iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max, porém, roubaram a atenção ao serem anunciados como os melhores celulares já criados pela Gigante de Cupertino.

71.5 x 146.7 x 7.65 mm
6.1 polegadas - 2532x1170 px
71.5 x 146.7 x 7.4 mm
6.1 polegadas - 2532x1170 px
75.7 x 150.9 x 8.3 mm
6.1 polegadas - 1792x828 px
Ir para página de comparação

Mas será que o novo smartphone carro-chefe da Apple, iPhone 13, recebeu mudanças realmente significativas em termos de construção, hardware e promessa de performance em comparação com os modelos anteriores?

Para responder essa pergunta, o TudoCelular preparou um dos clássicos comparativos que levam em consideração a nova geração da linha e as predecessoras nos quesitos tela e design, hardware e câmeras. Ao final do texto você confere nossa conclusão em relação às diferenças e similaridades entre os iPhone 13, iPhone 12 e iPhone 11.

Tela e design

A Apple investiu muito mais em novas tecnologias aplicáveis a um mesmo hardware poderoso do que em aprimoramentos diretos nos componentes do novo iPhone 13.

Como é possível perceber a partir da tabela comparativa acima, as duas últimas gerações de iPhones possuem a mesma tela OLED Super Retina XDR de 6,1 polegadas com resolução FHD+ e taxa de atualização de 60 Hz. Somente o iPhone 11 fica atrás com display de resolução HD+ e tela LCD.

No entanto, a Gigante de Cupertino promete 28% mais brilho no novo iPhone 13, totalizando 1200 nits. O display ainda possui suporte a tecnologias como Dolby Vision, HDR10 e HLG, contando ainda com aprimoramentos para eficiência energética.


O iPhone 13 chega também com grandes mudanças no design, com laterais ainda mais chapadas em comparação às dos iPhone 12 e iPhone 11. Na traseira, o bloco de duas câmeras permanece posicionado no canto esquerdo, mas as lentes ficam distribuídas na diagonal.

O vidro na frente segue contando com o mesmo Ceramic Shield para dar uma proteção extra, mas o notch para acomodação da câmera frontal passou por uma redução há muito aguardada por vários usuários: as dimensões são 20% menores que os antecessores. A novidade tem ainda proteção contra água e poeira, concedida pela certificação IP68.

Como a geração passada, as laterais seguem de alumínio, enquanto a família ainda segue sem uma autenticação biométrica física, mas conta com o Face ID – cujo sensor fica dentro do entalhe.

Hardware

Em termos de hardware, as mudanças começam a se mostrar mais significativas. Isso porque um dos grandes destaques da Apple, o chip próprio A15 Bionic, chega com a nova geração iPhone 13. Além disso, o novo dispositivo não terá mais a opção de 64 GB de memória interna, diferentemente das gerações anteriores, mas passará a contar com a variante de 512 GB.

A Apple não revelou a memória RAM utilizada no iPhone 13, mas os iPhones 12 e 11 possuem os mesmos 4GB e se diferenciam pela presença dos chips Apple A14 Bionic e A13 Bionic, respectivamente. A performance de cada processador se mostrou melhor a cada geração, e a Apple promete grandes avanços para o A15 Bionic.

A nova plataforma entrega processador de seis núcleos, dos quais dois são de alta performance, enquanto outros quatro entregam alta eficiência. A Apple promete uma rapidez até 50% maior que a concorrência, sem contar a presença do 5G – que foi primeiramente introduzido no iPhone 12 – para uma conexão mais veloz.


Em termos gráficos, a GPU do iPhone 13 ainda fornece quatro núcleos, mas com 30% a mais de velocidade em comparação com os modelos rivais tops de linha. A Apple ainda inseriu uma Neural Engine de 16 núcleos, capaz de realizar 15,8 trilhões de operações por segundo.

Outra grande mudança é a autonomia da bateria, ao menos de acordo com a Gigante de Cupertino. Embora não tenha revelado a potência exata empregada no iPhone 13, a Apple prometeu nada menos que 2.5 horas a mais de vida útil para a bateria de sua nova geração de smartphone.

Câmeras

Nesse quesito temos grandes novidades introduzidas pela Gigante de Cupertino também, muito embora a tabela geral nos leve a crer no contrário. Isso porque a Apple investiu em mudanças sutis, focando em detalhes do hardware e software que têm capacidade para fazer toda a diferença na performance de um sensor fotográfico.

Os sensores de 12 MP cada seguem idênticos. A lente principal é uma grande-angular com abertura f/1.6, enquanto a secundária consiste em uma ultrawide com abertura f/2.4 e um campo de visão de 120 graus. O conjunto é capaz de gravar vídeos em 4K a 60 fps; para selfies, há uma câmera frontal também de 12 MP.

No entanto, o sensor wide está 47% maior no iPhone 13 em comparação com o iPhone 12, tornando possível a captura de mais luz em ambientes escuros. A Apple incluiu ainda modo noturno em todas as opções e a tecnologia de estabilização sensor-shift, que reduz turbulências nas imagens durante a movimentação física da lente maior.

O iPhone 12 já era capaz de capturar imagens em RAW nativamente e câmera frontal compatível com o Deep Fusion, o que também garante mais detalhes em fotografias tiradas em baixa iluminação.


A Apple introduziu ainda uma grande novidade no software de câmera do iPhone 13 que certamente animará entusiastas de fotografia e cinematografia. O modo Cinemático é capaz de gravar vídeos de pessoas, animais e objetos com mudanças automáticas no efeito de profundidade, o que possibilita a captura de verdadeiros momentos dignos de cinema mesmo em situações "amadoras".

O foco do modo Cinemático pode ser modificado tanto durante quanto após a gravação e as filmagens podem ser feitas em Dolby Vision HDR. Além disso, a Apple introduziu um novo processador de sinal de imagem multiframe empregado no A15 Bionic possibilita avanços como o Estilos Fotográficos, que permite aos usuários criarem preferências pessoais para a captura de imagens, e Smart HDR 4 com mais cor, contraste e luz.

Conclusão

As mudanças empregadas na nova geração de iPhones foram sutis em grande parte do hardware, mas não podemos negar as diversas novidades que a Maçã trouxe para o software. Tais avanços se devem, majoritariamente, ao novo chip Apple A15 Bionic, que promete ter performance 50% mais poderosa que a de concorrentes, ao menos no momento.

Os usuários entusiastas da Apple interessados em fazer o upgrade para o iPhone 13 devem estar interessados principalmente em um smartphone com desempenho geral aprimorado, maior aproveitamento de tela, processador mais poderoso, bateria maior e novas possibilidades fotográficas. A falta de avanço sólido nos componentes e configurações cruciais, porém, decepcionam.

O que você achou do novo iPhone 13? Acha que vale a pena o upgrade para essa nova geração?

Veja mais

(atualizado em 25 de setembro de 2021, às 03:18)

16

Comentários

Comparativo em tamanho real: iPhone 13 contra antecessores

Agora tem widgets? iOS 14 e todas as suas novidades | Hands-on em vídeo

iPhone XR vs iPhone SE: vale comprar o mais novo, mesmo mais simples? | Comparativo

iPhone SE vs iPhone 8: qual celular menos caro da Apple você deve escolher? | Comparativo

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho