LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

EUA vs Games 2: Pesquisa mostra que 80% dos atiradores nem sequer jogam videogames

12 de março de 2018 4

De acordo com uma pesquisa levantada pelo psicólogo Patrick Markey, cerca de 80% dos atiradores em massa não mostraram interesse em games violentos, contrariando a crença reacendida por Donald Trump de que jogos do gênero influenciam no comportamento dos jovens.

Essa informação é endossada pela Entertainment Software Association, a ESA, que comunicou a Trump que há "numerosos estudos científicos que demonstram não haver conexão entre videogame e violência". Curiosamente, Markey concluiu que assim que um novo jogo violento é lançado, a taxa de crimes diminui.

Recentemente a pauta voltou ao debate depois que o atual presidente dos Estados Unidos prometeu conversar com pessoas importantes da indústria dos games afim de debater o tema após o massacre na Marjoty Stoneman Douglas High School em Parkland, na Flórida, onde 17 pessoas morreram.

Montagem publicada pelo canal oficial da Casa Branca no YouTube mostra a violência em games

Por outro lado, também há críticas sobre o aparecimento de armas específicas em videogames, como o rifle de assalto Remington em Call of Duty. Nesse caso, diversos pais de alunos mortos durante o massacre do colégio Sandy Hook em 2012 alegam que o atirador, Adam Lanza, tomou conhecimento sobre a arma de fogo ao jogar o game.

Essa pauta gera polêmica em ambos os lados, já que muitos acreditam que os videogames não têm esse poder, e caso a pessoa reproduza um comportamento de um game, isso significa que ela já sofre de algum processo latente dentro de si de desequilíbrio emocional em que qualquer estímulo (games, filmes, livros, música) a levaria a tomar tal atitude.

Já outros tantos argumentam que os videogames têm um poder de influência maior quando comparado a outras produções audiovisuais devido a interatividade, dando imersão maior ao jogador e, portanto, sendo potencialmente mais perigoso quando comparado a outras mídias.

Agora queremos saber a sua opinião. Videogames influenciam ou não a violência?


4

Comentários

EUA vs Games 2: Pesquisa mostra que 80% dos atiradores nem sequer jogam videogames
  • Esse filhote de cacatua não tem mais o que fazer não, que tal uma lei que dificulte a compra de armas hein? Que seja proibida a compra de fuzil por parte do cidadão comum? Pra mim está claro! ele tá só tentando mudar o foco do responsável pelos massacres(que são as armas pesadas na mão de qualquer pessoa, inclusive as malucas) para os games! Ele precisa de um bode expiatório!

      • Copiando o Link para mandar para as pessoas que falam que jogos estimulam a violência

          • Se ha pesquisas científicas demonstrando que não tem nenhuma ligação entre games e violência, já não é questão de opinião, é um fato, games não influenciam as pessoas. é muito irônico um presidente do pais que mais participou de guerras da história, ter apoio da industria de armas, onde não quase nenhum critério para a compra das mesmas, colocar a culpa na industria de games, é algo que só pode vir de um retardado.

              • Ah vah !!

                  Android

                  Melhores smartphones: TOP 10 do TudoCelular para você | Abril 2019

                  Especiais

                  Nada de Black Fraude! Ferramenta do TudoCelular desvenda ofertas falsas

                  Android

                  TOP 10 smartphones de elite com melhor desempenho | Guia do TudoCelular

                  Android

                  TOP 10 smartphones de elite com melhor autonomia | Guia do TudoCelular