LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
Registre-se
Page 2 of 2 PrimeiraPrimeira 12
Resultados de 31 a 39 de 39
  1. #31
    Bom dia.Amiga...sinceramente vice acha que os Hospitais estão preparados?Se pacientes com câncer não tem nem tratamento..estão praticamente morrendo pois não tem nenhum tipo de assistência!Não é para alarmar..moro no Rio de Janeiro..se este vírus se alastrar por uma favela..será um desastre.
    Vai abalar a economia..tudo cai parar..as pessoas estarão com medo de sair de suas casas..as rua ficarão desertas..poderá ter saques a lojas(principalmente pela bandidagem).O Brasileiro mais simples nao tem noções de higine..vamos pedir ai bom Deus que nos proteja e que O forte calor do Brasil..o clima seja uma defesa para a nossa população.

  2. #32
    Bom dia!
    E respondendo acredito que não, mas a maioria das pessoas que converso aqui na minha cidade não parece muito preocupada com a situação atual, é estranho isso, até começar a chegar aqui na cidade não quero nem ver...aqui na minha cidade nem hospital tem os upas ficam lotados, da última vez que fui demorou 5 h para eu ser atendida e depois mais 1h na fila de espera para ser medicada e a profissional toda atrapalhada não conseguia achar minha veia fiquei toda rocha e ela não sei como conseguiu me furar toda e jorrava sangue para todo lado eu fiquei desesperada, sem brincadeira, eu pensei mais facil eu morrer na mão dela do que da própria doença, trist nossa realidade.

  3. #33
    Eu estou achando as autoridades muito tranquilas aqui no Rio de Janeiro.Antes disto o secretário de saúde falava que não devíamos nos preocupar com o sarampo..e pouco dias atrás ocorreu uma correria para tomar a vacina.Vamos esperar e torcer que este vírus não se modifique..e que o calor faça com que ele não se espalhe.

  4. #34
    Junior Member
    Membro desde
    Feb 2020
    Posts
    8
    Boa noite...
    Não devemos desanimar e nem estagnar-mos...
    As notícias, aqui no Brasil são mais animadoras, mas contudo ficamos em alerta.
    Sempre é bom compartilhar uma positividade em meio a tantos caos.

    As brasileiras que lideraram o sequenciamento do novo coronavírus
    Equipe conseguiu divulgar sequência completa do genoma viral apenas 48 horas após a confirmação do primeiro caso da doença no Brasil; estudo ajudará no desenvolvimento da vacina.
    Ester Cerdeira Sabino e Jaqueline Goes de Jesus fazem parte da equipe que fez o sequenciamento do sequenciamento do genoma do novo coronavírus, que teve casos confirmados no Brasil em fevereiro de 2020.
    Duas cientistas brasileiras tiveram papel essencial no sequenciamento do novo coronavírus, que teve primeiro caso na América Latina confirmado em 26 de fevereiro. Publicado em uma rapidez surpreendente – apenas dois dias após a verificação do primeiro paciente com a doença no Brasil –, o estudo que elas conduziram ao lado de outros pesquisadores do Instituto Adolfo Lutz (IAL), da Universidade de Oxford e do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-USP) ajudará epidemiologistas, virologistas e especialistas em saúde pública a desenvolverem vacinas e testes diagnósticos.
    Uma das pesquisadoras envolvidas no estudo é Ester Sabino, diretora do Instituto de Medicina Tropical (IMT) da USP e coordenadora do Centro Conjunto Brasil-Reino Unido para Descoberta, Diagnóstico, Genômica e Epidemiologia de Arbovírus (CADDE), que é apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de S. Paulo (Fapesp) e pelos britânicos Medical Research Council e Fundo Newton. A intenção do CADDE é reunir cientistas para realizar estudos em tempo real de epidemias de arboviroses, como é o caso da zika e da dengue. "A proposta é realmente ajudar os serviços de saúde e não apenas publicar as informações meses depois que o problema ocorreu”, explicou Sabino à Agência FAPESP.
    Plataforma destaca 250 mulheres protagonistas na ciência brasileira
    Estudo esclarece pela primeira vez como o coronavírus afeta os pulmões
    Jaqueline Goes de Jesus, pós-doutoranda na Faculdade de Medicina da USP e bolsista da FAPESP, por sua vez, liderou a equipe que fez o sequenciamento do genoma viral ao lado de Claudio Tavares Sacchi, responsável pelo Laboratório Estratégico do Instituto Adolfo Lutz. A cientista desenvolve pesquisas na área de arboviroses emergentes e faz parte do ZiBRA Project - Zika in Brazil Real Time Analysis, um projeto itinerante de mapeamento genômico do vírus Zika no Brasil. Durante seu doutorado, ela contribuiu para o aprimoramento de protocolos de sequenciamento de genomas completos pela tecnologia de nanoporos dos vírus Zika e HIV.
    A pesquisa sobre o novo coronavírus de que Sabino e Goes de Jesus participaram determinou a sequência completa do genoma viral encontrado no Brasil, que foi chamado de SARS-CoV-2. Ela foi divulgada no fórum de discussão Virological.org. “Ao sequenciar o genoma do vírus, ficamos mais perto de saber a origem da epidemia", aponta Sabino.
    Embora outros países tenham levado cerca de duas semanas para fazer o sequenciamento do coronavírus, a pesquisa brasileira foi concluída em dois dias; os cientistas já previam que, cedo ou tarde, a doença chegaria aqui.
    A sequência analisada no Brasil apresenta diferenças em relação ao genoma identificado em Wuhan, o epicentro da epidemia na China. Porém, ela se aproxima das amostras do coronavírus observadas na Alemanha no final de janeiro deste ano. “Esse é um vírus que sofre poucas mutações: em média uma por mês. Por esse motivo, não adianta sequenciar trecho pequenos do genoma. Para entender como está ocorrendo a disseminação e como o vírus está evoluindo, é preciso mapear o genoma completo”, explicou Sabino à Agência Fapesp.
    Em entrevista ao site G1, Goes de Jesus também observou: "Alguns vírus são mais estáveis e outros, como os respiratórios, acabam mutando muito. É o que acontece com o vírus da gripe: todo ano a gente tem uma vacina nova, porque há muitas mutações".

  5. #35
    Bom dia.
    É..minha amiga agora ė torcer que não se alastre e que surja logo uma vacina.
    Não confio em nossas autoridades.
    Nunca se preocuparam realmente com a saúde do povo.

  6. #36
    Junior Member
    Membro desde
    Feb 2020
    Posts
    8
    Bom dia.
    Temos que estar sempre com um pé atrás...rsrsrs

  7. #37
    Fui criticado..e zombado..nos meus comentários Falei que a porta de entrada seria com o Carnaval.. mas a ganância de alguns brasileiros em colocar dinheiro no bolso..e de querer se promover deixou está praga entrar..fora este Governo deste Líder Cego que fez descaso com o assunto é não preparou o País e os pobres brasileiros contra esta epidemia..falei que poderia ser um apocalipse tupiniquim os comentários que eu fiz.Sinceramente gostaria de ter errado..para não ver a quantidade de pessoas que podem morrer(Um virologista já previu 1 milhão de pessoas..outro pesquisador disse que pessoas vão morrer nas portas dos hospitais)
    Todos brincando o carnaval com a bunda de fora..mulheres é homens se beijando..sexo..cerveja.E a praga se alastrando por todo mundo e ninguém se importando.
    Me lembra muito um conto de Edgard Allan Poe.

    A Máscara da Morte

    conta uma história de horror, vivida há muitos anos atrás, em um distante país. A Morte Escarlate, segundo o autor, dizimava parte da população de um reino. Diz que ela era horrível e, quem a tocasse, tinha o lado esquerdo do corpo e rosto banhados de sangue,exterminando suas vítimas em 30 minutos. Por isso era temida por todos.O único que não a temia era o Príncipe Próspero, que se isolou em seu castelo levando provisões e pessoas para diverti-lo: músicos,atores e dançarinos. Passaram a viver cheios de folguedos, longe do país onde, lá fora, a Morte Vermelha assolava. Acharam-se tão seguros no castelo, pois este, depois de fechado, não possibilitaria a entrada ou saída de alguém, que jogaram a chave fora.Ao fim de seis meses, Príncipe Próspero realizou em seu castelo um baile de máscaras para seus amigos. Ele escolheu as mais diversas máscaras, misturando o horrível com o belo, o macabro com o assustador. Parecia um pesadelo. Todos se alegravam e sorriam, enquanto lá fora era só morte. Porém, ao badalar sinistro do relógio de hora em hora, os músicos paravam de tocar e todos ficavam amedrontados, mas quando o relógio parava, voltavam a sorrir, fingindo não ter medo do barulho do relógio.Este castelo era diferente dos outros. Possuía sete salões, cada qual com uma cor diferente e as janelas combinavam com a cor de cada salão, exceto o último salão, cujas paredes e carpetes eram pretos e as janelas vermelhas. As pessoas evitavam entrar lá, porterem medo das sinistras badaladas de um grande e negro relógio que lá se encontrava.O baile transcorria tranquilamente. Porém, ao soar as doze badaladas, fez-se um silêncio tenebroso e a multidão percebeu a presença de um estranho mascarado entre eles. Irritado com a presença da estranha figura, puxou a espada e seguiu o mascarado por entre os salões até o sétimo salão, onde o estranho penetrara. Ao olhar para o estranho, a própria Morte Escarlate, a espada caiu de suas mãos e, seguido por um grito estridente, caiu inerte sobre o carpete preto. A multidão furiosa adentrou na sala negra, arrancando a máscara do intruso e, horrorizados, constataram não haver nada debaixo das roupas. Então cada um entendeu que a Morte Escarlate estava lá, junto a eles. Ela tinha entrado como um ladrão à noite. Um a um foram

  8. #38
    Junior Member
    Membro desde
    Feb 2020
    Posts
    8
    Triste...esse inferno chegou até nós!
    Tudo por dinheiro.
    O Brasil muito dado por pouco lá fora.