LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Como o Google conseguiu inserir carregamento sem fio no Pixel 5? | Detetive TudoCelular

01 de outubro de 2020 7

Diversas tecnologias precisam de uma estrutura adequada para que sejam viáveis em um celular. São os casos de biometria sob a tela em um painel LED, economia de bateria no modo escuro em um AMOLED e também o carregamento sem fio em um corpo de vidro ou policarbonato. É sobre este último tópico que a coluna desta quinta-feira (1º) tratará.

Nesta semana, o Google subiu ao palco para apresentar seus novos smartphones, Pixel 5 e Pixel 4a (5G). Um dos destaques do modelo mais sofisticado é a presença de suporte a carregamento sem fio.

Contudo, como também foi informado pela companhia, o corpo do Pixel 5 consiste em um bloco único de alumínio. E a estrutura necessária para esse recurso não funciona normalmente em um chassi feito de metal, que bloquearia as ondas magnéticas responsáveis por encher a bateria.

Mas como será que a gigante de Mountain View se virou para viabilizar a ferramenta no seu novo aparelho? O Detetive TudoCelular explica em detalhes a situação:

Camada sobre o alumínio

Além do corpo em alumínio, o Google inseriu uma camada adicional no seu novo hardware. Ela consiste em uma espécie de biorresina – basicamente, um plástico super fino com um nome mais chique – colocada sobre o metal, na parte externa do dispositivo.

Em outras palavras significa dizer que a pegada no aparelho é feita em cima desse material, e não do alumínio em si – que continua como a substância fundamental para dar a estrutura do celular.

Imagem: Divulgação

Furo no metal

Explicada a base da construção do Pixel 5, chegou a hora de detalhar como o carregamento sem fio foi adicionado. Apesar da aparência extremamente fina, a biorresina possui uma resistência acima do que pode parecer.

Desta maneira, o Google fez um buraco físico na estrutura interna de alumínio, onde conseguiu posicionar a bobina responsável por captar as ondas responsáveis por encher a bateria de maneira wireless.

Resultados no design

Afinal, o que teria motivado o Google a aplicar uma solução mais complexa, e não utilizar o vidro na tampa traseira? De acordo com o site Android Authority, o Google confessou a eles que a resposta para essa pergunta tinha a ver com a “finura” do smartphone.

Vale destacar que o Pixel 5 possui a bateria com a maior capacidade já inserida em um celular da marca, o que demandaria mais espaço utilizado para a sua colocação. Além disso, em uma estrutura convencional, a bobina de carregamento sem fio seria mais um objeto a ocupar espaço dentro do aparelho.

A biorresina, portanto, foi a resposta da gigante de buscas para o desejo de ter um smartphone fino, com bateria grande e carregamento sem fio, sem perder a espessura fina e ter um design premium.

Imagem: Reprodução

Vai resistir?

Por mais que a combinação usada no Pixel 5 pareça atender com perfeição a todos os requisitos, ainda há uma interrogação sobre a sua funcionalidade: ela é durável? Se você acompanha as notícias relacionadas ao mundo dos dispositivos móveis, deve saber que uma estrutura de metal costuma durar mais que uma de vidro.

Apesar de existir o Gorilla Glass ou outros que prometem uma resistência maior, vidro é vidro – com perdão pela redundância. Portanto, é um material que se quebra com uma certa facilidade, em relação a outros. Desta maneira, espera-se que o alumínio impeça o novo celular do Google de se quebrar com facilidade.

Mas a grande questão fica por conta da atuação dessa biorresina. Os consumidores ainda não têm parâmetros para saber como o plástico superfino se comporta quando exposto a gotas, ou se pode apresentar algum tipo de rachadura com facilidade. Essa é uma questão que somente será respondida com o tempo.

70.4 x 144.7 x 8.1 mm
6 polegadas - 2340x1080 px
Ir para página de comparação
Resposta oficial

O Detetive TudoCelular chegou a entrar em contato com a assessoria do Google no Brasil, para obter a confirmação e mais detalhes sobre a estrutura e os motivos para a sua utilização no novo celular da marca.

No entanto, até o momento, este espaço espera por um retorno da empresa com as informações. Quando chegar uma resposta, o texto será atualizado.

O que você achou da estratégia de usar uma biorresina sobre o alumínio para ter carregamento sem fio e design fino no Pixel 5? Dê a sua opinião para a gente!

O Google Pixel 5 ainda não está disponível nas lojas brasileiras. Para ser notificado quando ele chegar clique aqui.

7

Comentários

Como o Google conseguiu inserir carregamento sem fio no Pixel 5? | Detetive TudoCelular
Tech

Coronavírus: Brasil chega a 154.837 mortes em 5.273.954 casos confirmados | Relatório diário

Android

Melhor celular ou smartphone: TOP 10 para você comprar | Setembro 2020

LG

Moto G8 Plus vs LG K51S: mais câmeras fazem fotos melhores? | Comparativo

Android

Novo Tracker 2021: app e WiFi a bordo fazem diferença? | Análise / Review