LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

PS5 vs Xbox Series X e S: confira as principais diferenças da nova geração de consoles

09 de setembro de 2020 20

Depois de sete longos anos após o lançamento do PlayStation 4 e do Xbox One, chegou a aguardada hora da próxima geração assumir o mercado. O PlayStation 5 e o Xbox Series X já estão quase entre nós, e vêm tendo cada vez mais detalhes divulgados nas últimas semanas.

Hoje o dia foi marcado pelo anúncio oficial dos preços do Series X e de seu irmão mais modesto recém-anunciado, o Xbox Series S. Diante disso, não há dúvidas que a Sony também deva revelar os valores de seu aparelho muito em breve.

Assim sendo, chegou a hora de realizar um comparativo preliminar das plataformas, com os dados já disponibilizados pelas fabricantes. Qual é o melhor console para você? O poderoso Xbox Series X, o mais modesto PlayStation 5 ou ainda o baratinho Xbox Series S? Confira!

Design

A proposta de cada console não é só diferente em seu nível de poder, como também em seu visual. O PlayStation 5 é o que apresenta o visual mais agressivo, com linhas curvas e um misto das cores preta e branca, com LEDs azuis. Suas laterais se destacam pelo formato que se assemelha a uma gola de camisa, com rumores apontando para a possibilidade de fácil acesso aos componentes internos devido à sua fácil remoção.

O ponto mais importante do aparelho, no entanto, é o seu tamanho. Apesar de ainda não termos um comparativo oficial com gerações passadas e seus concorrentes, usuários e fãs já se moveram para criar uma imagem utilizando o tamanho da abertura de leitor de discos como escala. Caso a comparação esteja correta, o PS5 pode ser o maior console já fabricado.


Em contrapartida, o Xbox Series X chega com aparência mais sóbria, com menor estatura, mas largura acima da média, lembrando computadores portáteis como o Corsair One. De acordo com a Microsoft, o sistema de resfriamento teve um papel crucial nas decisões de design, idealizado para lidar com o calor gerado pelos componentes potentes.

Por fim, o Xbox Series S é o mais compacto e tradicional dos três aparelho, sendo anunciado como o menor Xbox já feito. O console, consideravelmente menos potente que seu irmão e seu concorrente, segue um design mais próxima da geração anterior, especialmente do Xbox One X, com o diferencial de mesclar elementos brancos e pretos, além de abolir o uso de leitores de disco.

Processamento e capacidade gráfica

A parte mais essencial dos dispositivos, e possivelmente um fator de compra importante para alguns dos usuários. PlayStation 5, Xbox Series X e Xbox Series S compartilham boa parte dos elementos de processamento, trazendo CPUs AMD baseadas na mesma arquitetura Zen 2 presente na linha Ryzen 3000, GPUs também da AMD baseadas na nova RDNA 2, além de estrearem o uso de SSDs em consoles.

O Xbox Series X é o mais potente entre os três, oferecendo processador de 8 núcleos com uma configuração curiosa: operando com 16 threads, o chip é capaz de atingir os 3,6GHz. No entanto, os desenvolvedores terão a opção de desabilitar a tecnologia de múltiplas threads, limitando-as para 8, para poder aumentar a velocidade da CPU para 3,8GHz. Há ainda 16GB de RAM GDDR6, dividida entre memória dedicada aos jogos e ao sistema, e uma grande GPU de 52 CUs (Unidades Computacionais) rodando a 1,8GHz com poder computacional de 12 TFLOPs.

O Xbox Series X é o aparelho mais potente, com especificações robustas que o levam a atingir 12 TFLOPs de poder computacional.

Já o PlayStation 5 se estabelece entre os dois rivais, também contando com CPU de 8 núcleos e 16 threads, mas utilizando a tecnologia AMD SmartShift, que estabelece um limite de energia e temperatura compartilhado entre processador e GPU. Com isso, o chip roda a 3,5GHz, acompanhado de 16GB de RAM GDDR6 e de um processador gráfico de 36 CUs rodando a impressionantes 2,23GHz para um total de 10,28 TFLOPs.

O PlayStation 5 é mais modesto que seu rival, com clocks menores e GPU reduzida que resultam em 10,28 TFLOPs de poder computacional.

Por fim, o Xbox Series S é o menos robusto dos três, sendo equipado com a mesma CPU vista no irmão mais potente, mas com clocks inferiores. Com multithread, o Series S chega aos 3,4GHz, aumentando sua frequência para 3,6GHz com a função desativada. Outras configurações incluem 10GB de RAM GDDR6 e 20 CUs rodando 1,5GHz, que resultam em singelos 4 TFLOPs.

O Xbox Series S assume a posição de console de menor desempenho, com reduções nos clocks, RAM e GPU resultando em apenas 4 TFLOPs de poder computacional.

De acordo com as empresas, tanto o PS5 quanto o Xbox Series X serão capazes de rodar jogos em 4K a 60FPS, com eventuais games atingindo a marca dos 120FPS, como o recém-anunciado Call of Duty: Black Ops Cold War. Enquanto isso, o Xbox Series S é mais conservador, atingindo respeitáveis 2K a 60FPS, com alguns títulos chegando aos 120FPS. Os três trarão ainda suporte a Ray Tracing, técnica de iluminação avançada presente em games como Minecraft RTX.

Armazenamento

Como dito anteriormente, os aparelhos estreiam os SSDs em consoles, mas abordando a tecnologia de maneira diferente. O PlayStation 5 conta com o sistema de armazenamento mais robusto, com capacidade de 825GB que atingem impressionantes 5,5GB/s de leitura, e até 9GB/s na ocasião dos dados estarem comprimidos.

A Sony desenvolveu um sistema próprio que a permite eliminar eventuais gargalos em seu SSD. Tamanha velocidade levou a Epic Games a reescrever trechos da Unreal Engine 5, e permite que jogos como Kena: Bridge of Spirits seja carregado do zero em míseros 2 segundo.

O sistema de armazenamento desenvolvido pela Sony é bastante complexo, e promete manter o SSD do PS5 operando sempre nas mais altas velocidades.

Tanto Xbox Series X e Xbox Series S abordam tecnologias de armazenamento semelhantes, ainda que o primeiro ofereça 1TB de capacidade, enquanto o segundo se limita a 512GB, algo bastante curioso se levarmos em conta a exclusividade de mídia digital no modelo mais básico. A chamada Xbox Velocity Architecture, alimentada pela API DirectStorage do DirectX 12, faz com que os aparelhos da Microsoft atinjam respeitáveis 2,4GB/s de leitura, com até 5GB/s com arquivos comprimidos.

A tecnologia, que combina recursos proprietários da gigante de Redmond com padrões da indústria, permite criação de filas de acesso a arquivos, uso do armazenamento como RAM e acesso instantâneo da GPU e da CPU a certos arquivos para acabar com qualquer latência.

Os três permitem expansão do armazenamento, mas mais uma vez de maneiras diferentes. O PlayStation 5 contará com um espaço para adição de qualquer SSD NVMe M.2 certificado capaz de atingir as velocidades de leitura do consoles, enquanto Xbox Series X e Series S dependerão de cartões especiais desenvolvidos por empresas como a Seagate, que contarão com as mesmas especificações do armazenamento interno da linha.

Recursos únicos

O PlayStation 5 é o que parece contar com mais recursos especiais, voltados para a experiência de gameplay como um todo. Além do sistema de áudio Tempest Engine, que promete áudio 3D mesmo através dos speakers da TV, o controle DualSense é o principal destaque. Com tecnologia de feedback háptico de alta resolução, o novo controle deve oferecer grande imersão ao jogador, reproduzindo com maior fidelidade vibrações causadas por terrenos, chuva e outros efeitos, além de replicar a sensação de uso de equipamentos com os gatilhos ajustáveis.

O DualSense é um dos maiores destaques do PS5, prometendo oferecer altíssimo nível de imersão por meio do feedback háptico e dos gatilhos ajustáveis.

Enquanto isso, o Xbox Series X e Series S tirarão proveito do Ray Tracing para realizar cálculos voltados ao áudio, também prometendo oferecer áudio 3D de qualidade. Os aparelhos da Microsoft devem se concentrar nos serviços reconhecidos da empresa, como o Xbox Game Pass, para oferecer uma grande biblioteca de games mensalmente por um preço mais acessível, com o Project xCloud também chegando em breve, para fornecer acesso ao console na nuvem. Além disso, o programa Smart Delivery deve garantir upgrades gratuitos de games participantes para a nova geração.

A Microsoft deverá se concentrar em seus serviços oferecendo novidades como o Project xCloud, via Xbox Game Pass, para permitir que os usuários joguem de qualquer lugar.
Preço

Por fim, o preço. A Microsoft revelou hoje que seu monstruoso Xbox Series X chegará ao mercado em 10 de novembro por US$499 (~R$2.649), ao lado de seu irmão Xbox Series S por modestos US$299 (~R$1.589). Infelizmente, a fabricante não divulgou até o momento os valores oficiais a serem praticados no Brasil.

A Sony ainda mantém o mistério em se tratando do preço de seu PlayStation 5, que será oferecido em duas variantes: a comum e a Digital Edition, que segue o mesmo caminho do Xbox Series S ao suportar apenas mídia digital. A diferença aqui é que não haverá variação de desempenho entre os dois modelos de PlayStation. De toda forma, se levarmos em conta a movimentação da Microsoft, a gigante japonesa certamente revelará valores muito em breve.

E você, leitor? O que está achando da nova geração? Já decidiu qual deles vai comprar? Conte pra gente nos comentários!


20

Comentários

PS5 vs Xbox Series X e S: confira as principais diferenças da nova geração de consoles
Tech

Coronavírus: Brasil chega a 135.793 mortes em 4.495.183 casos confirmados | Relatório diário

LG

Moto G8 Plus vs LG K51S: mais câmeras fazem fotos melhores? | Comparativo

Android

Melhor celular ou smartphone: TOP 10 para você comprar | Agosto 2020

Android

Novo Tracker 2021: app e WiFi a bordo fazem diferença? | Análise / Review