LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Bitcoin em queda: após alta de US$ 62 mil, moeda desvaloriza com novo plano tributário dos EUA

25 de abril de 2021 19

Atualização (25/04/2021) por EB

O Bitcoin tem registrado valores recordes em 2021, recentemente a moeda virtual chegou a passar de US$ 62 mil, mas agora os planos tributários do governo de Joe Biden nos EUA já fazem com que as criptomoedas desvalorizem. Segundo a Reuters, somente a menção dos planos já fez com que o Bitcoin registrasse uma queda de 8,59% em 24 horas.

Atualmente a criptomoeda mais famosa do mundo vale US$ 49,9 mil, que é um dos menores valores desde março de 2021. Anteriormente o Bitcoin já foi cotado até por 44 mil, após uma brusca queda em fevereiro.

Chamado de Made in America Tax Plan, o plano de tributação de Joe Biden tem como objetivo aumentar impostos sobre ganhos de capitais com uma taxa de 39,6% para aqueles que faturem mais de US$ 1 milhão.

Nick Spanos, fundador do Bitcoin Center NYC, comentou a mudança em uma entrevista à Reuters:

Com uma alta taxa de crescimento no preço do bitcoin, os donos de criptomoedas que acumularam ganhos estarão sujeitos a esse aumento nos impostos.


Além disso, o Bitcoin não foi a única moeda afetada. A Dogecoin, por exemplo, registrou uma queda de 6.63% na última semana, chegando a registrar uma desvalorização de 22,97% em menos de 24 horas após notícias sobre o novo plano correrem na mídia.

Por outro lado, especialistas em criptomoedas afirmam que as novas políticas de taxação do governo Biden não devem ter grande influência em seus valores. De qualquer forma, o ideal é permanecer atento a essas mudanças caso você seja um investidor.

Atualmente, segundo o CoinMarketCap, o Bitcoin vale US$ 49.863,46 com uma queda de 7.57% nos últimos 7 dias.

A criptomoeda bitcoin alcançou novo recorde apenas um mês após ultrapassar o valor de US$ 61 mil. A cotação da moeda foi registrada em US$ 62.732 (cerca de R$ 358.871), o que representa um aumento de 114% em seu valor desde o início do ano.

A notícia chega na véspera da estreia da Coinbase, uma das maiores plataformas de negociação de criptomoedas na Bolsa. Muitos investidores tradicionais têm demonstrado interesse pelo bitcoin, a principal criptomoeda, e grandes nomes de Wall Street, como JP Morgan ou BlackRock, oferecem fundos especializados a seus clientes.

A "moda" parece estar se tornando popular aos poucos. Recentemente, o ator Terry Crews lançou uma criptomoeda própria, que garante acesso a conteúdo exclusivo. Ainda assim, analistas alertam que o bitcoin está longe de se tornar uma forma de pagamento amplamente usada e que o risco de explosão da bolha continua existindo.

O mercado de bitcoin está acostumado aos movimentos bruscos. Em 2017, a criptomoeda iniciou o ano a menos de 1.000 dólares, antes de se aproximar de US$ 20 mil em dezembro e retornar para um nível inferior a US$ 4 mil em 2018. No final de março deste ano, chegou a sofrer uma retraída de 11% em apenas 24h.

O ano de 2021 tem sido movimentado quando o assunto é o Bitcoin, tendo sido pontos altos por aqui o investimento do Elon Musk na moeda levando a um recorde de US$ 44 mil, a possibilidade de o Twitter passar a usar a criptomoeda para pagar seus funcionários e até a expectativa de que a Samsung Pay pode passar a suportar pagamento com elas em breve.

Considerado principal culpado pela alta de preços nas placas de vídeo da NVIDIA, o Bitcoin conseguiu bater mais um recorde nessa semana, atingindo o valor de US$ 61.683, ou seja, algo próximo dos R$ 342.488 em conversão direta para nossa moeda.

Esse crescimento exponencial no valor de conversão do Bitcoin, fez por sua vez que o mercado relacionado a ele tenha ultrapassado com folga o total de mais de US$ 1 trilhão pela primeira vez e com possibilidade de ir ainda mais longe, considerando que atualmente estão disponíveis 18,53 milhões de bitcoins globalmente e a expectativa é que em 2040, cheguemos ao marco de 21 milhões emitidos.

Além disso, a adesão de grandes empresas à criptomoeda ajuda a impulsionar e tornar mais robusta a oferta dela no mercado, além de fazer com que o mercado gradativamente se torne autossuficiente para sua própria demanda com o passar do tempo.

Assim como o Bitcoin, Ethereum, Binance e Polkadot seguem em alta nos últimos 7 dias

Outro detalhe perceptível é que as demais criptomoedas estão em alta quando consideramos o período de 24h, incluindo o crescimento percentual até maior do Ethereum (apesar de o valor nominal ser consideravelmente menor quando comparado com o Bitcoin).

Resfriamento a óleo vira aliado de mineradores

Um dos problemas enfrentados pelos mineradores é o aquecimento das GPUs utilizadas para a mineração de Bitcoin e com isso, soluções de resfriamento começam a ser trabalhadas e implementadas por donos de fazendas de mineração ao redor do mundo.

A mais óbvia e conhecida solução é a de resfriamento líquido, tendo sido vista a divulgação de um vietnamita de uma fazenda com "apenas" 10 placas NVIDIA GeForce RTX3090 em um radiador circulante refrigerando o conjunto e mantendo ele frio, como pode ser visto no print divulgado pelo dono (abaixo).


Além do resfriamento líquido, uma das possibilidades que vem sendo utilizada é a de resfriamento com óleo mineral com imersão dos clusters na substância, auxiliando assim a diminuir a temperatura do conjunto, dando mais eficiência ao processo.

No entanto, essa modalidade de resfriamento é mais limitada, sendo dificultadores para a implementação o alto custo de manutenção, a complexidade para utilizar, a limpeza difícil e a vida útil, que acaba sendo mais curta devido a corrosão.


19

Comentários

Bitcoin em queda: após alta de US$ 62 mil, moeda desvaloriza com novo plano tributário dos EUA
Android

Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

Android

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

Android

Cyber Monday 2020 TudoCelular: as melhores promoções em celular

Android

Encontre ofertas e compare preços com o TudoCelular | Guia Black Friday 2020