LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Auxílio Emergencial: 4ª parcela é antecipada para dois grupos beneficiários; veja calendário

15 de julho de 2021 45

Atualização (15/07/2021) por LL

Há exatamente um mês o Governo Federal anunciou a antecipação da terceira parcela do Auxílio Emergencial, que foi oficialmente prorrogado por mais três meses, conforme previamente sugerido pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes, para dois grupos beneficiários.

Agora, o mesmo ocorre com a quarta parcela: o calendário de pagamentos foi antecipado para o público inscrito via canais digitais e Cadastro Único, conforme publicação feita nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial da União.

O calendário original previa os créditos da quarta parcela do Auxílio para quem não é do Bolsa Família entre os dias 23 de julho e 22 de agosto, com saques e transferências liberados entre os dias 13 de agosto e 10 de setembro.

Com a mudança, os depósitos em poupança social digital terão início a partir deste sábado (17) para quem não é do Bolsa Família e todos os beneficiários receberão o crédito da 4ª parcela até 30 de julho. Já os saques em dinheiro e autorização para transferências serão liberados entre 2 e 18 de agosto.

Para os beneficiários que fazem parte do Bolsa Família, porém, nada muda. Os pagamentos começam no dia 19 de julho e seguirão o calendário já estabelecido para o benefício — sempre nos últimos dez dias úteis de cada mês.

Confira abaixo como ficam os calendários de pagamentos, segundo o G1:

Novo calendário para beneficiários do Auxílio Emergencial inscritos via canais digitais e CadÚnico. Imagem: G1

Calendário do Auxílio Emergencial para quem é do Bolsa Família (nada muda). Imagem: G1

Cerca de uma semana após o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciar que o Auxílio Emergencial poderia ser estendido por mais 3 meses, o Governo Federal decidiu antecipar os pagamentos da terceira parcela do benefício para o público inscrito via canais digitais e do Cadastro Único. Para os inscritos no Bolsa Família nada muda.

Vale lembrar que recentemente o ministro da Cidadania, João Roma, havia se pronunciado a respeito do benefício, informando que a extensão poderia ser de dois meses e que novos programas sociais estavam sendo preparados.

De acordo com o novo calendário, que foi publicado nesta terça-feira (15) no Diário Oficial da União (DOU), os pagamentos irão começar já na sexta-feira (18) e os saques em dinheiro serão liberados a partir de 1º de julho. Pelo calendário anterior, o crédito em poupança digital só iniciaria no dia 20, com saques a partir de 13 de julho.

Confira abaixo os calendários de pagamentos publicados pelo G1:

Novo calendário para Cadastro Único e inscritos via app e site. Imagem: G1

Calendário para público do Bolsa Família não muda. Imagem: Ministério da Cidadania/via G1

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sinalizou nesta semana que o governo federal poderá prorrogar o Auxílio Emergencial por mais 3 meses, visto que a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) ainda não acabou. Os valores das próximas parcelas podem variar entre R$ 175 e R$ 375, bem distante dos R$ 600 anunciados em abril de 2020.

Guedes afirmou que a quantidade de parcelas será definida em reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro da Cidadania, João Roma. É esperado que o Ministério da Saúde também seja consultado antes do anúncio da nova rodada do Auxílio Emergencial, que dessa vez poderá ser definido a partir do número de vacinados no Brasil.

Assim como nos pagamentos anteriores, caso haja de fato a extensão do benefício os usuários poderão visualizar se foram aprovados através do portal da Dataprev, bastando informar alguns dados pessoais.

A nova rodada do Auxílio Emergencial para frear os efeitos econômicos da pandemia na população começou a ser paga ainda em abril, com a segunda parcela sendo antecipada para maio, fora do Bolsa Família. Agora, o Governo Federal pretende estender o benefício por mais dois meses, nos moldes e valores pagos atualmente, de R$ 150 a R$ 375.

A nova rodada do auxílio tem custo estimado em R$ 9 bilhões por mês, o que somaria R$ 18 bilhões. Uma fonte da área econômica afirma que há uma sobra, dos recursos já autorizados pelo Congresso, de R$ 7 bilhões.

A ideia inicial era estender o benefício emergencial por três meses, mas o ministro da Cidadania, João Roma, quer lançar ainda em setembro um novo programa social, no último trimestre do ano, que sirva de carro-chefe eleitoral do governo em 2022.

Esse programa seria uma reformulação do Bolsa Família com o intuito de abarcar mais pessoas que hoje engordam a fila de espera para uma ajuda permanente.


Além disso, o governo terá mais dois programas focados em jovens e em beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

O programa para jovens tem o intuito de promover qualificação para aqueles que hoje não estudam ou trabalham. Esse novo programa teria parte do valor pago pelo governo e parte pelas empresas que absorvessem, ao longo de um ano, os interessados.

A outra novidade em estudo no governo, voltada para beneficiários do BPC, é para aqueles que têm condições de voltar ao mercado de trabalho, mas não o fazem por medo de ser excluído do programa, que paga um salário mínimo. A ideia é que os indivíduos voltem a trabalhar e sigam recebendo metade do BPC como estímulo.

A estimativa, com os dois programas adicionais, é que o governo precise de aval do Congresso para novos créditos extraordinários, fora da regra do teto de gastos. Seriam cerca de R$ 14 a R$ 15 bilhões.

A Caixa Econômica Federal decidiu antecipar o pagamento da segunda parcela do Auxílio Emergencial para beneficiários que não recebem o valor pelo Bolsa Família. Dessa forma, quem nasceu em janeiro já começa a receber a quantia a partir do próximo domingo (16 de maio).

Com isso, consequentemente, os beneficiários nascidos em fevereiro, que no calendário antigo receberiam a partir de 19 de maio, passarão a receber um dia antes, em 18 de maio, e assim por diante. No cronograma anterior, a data limite para o fim do pagamento do Auxílio Emergencial era 16 de junho e, com a alteração, a segunda parcela passa a ser quitada até o dia 30 de maio.

É importante destacar que essa mudança no calendário de pagamento do Auxílio Emergencial feita pela Caixa Econômica Federal será válida apenas para os cidadãos que recebem o benefício fora do Bolsa Família. Para aqueles que recebem pelo programa, a data para recebimento segue de acordo com o cronograma inicial.

Calendário completo de pagamento

Como dito, com a alteração, a segunda parcela do Auxílio Emergencial começará a ser creditada para o beneficiário a partir do dia 16 de maio, com término do cronograma no dia 30 de maio. Já para o saque, o pagamento para os nascidos em janeiro começa em 31 de maio e vai até o dia 17 de junho, para quem nasceu em dezembro.

Confira, abaixo, os calendários completos de crédito e saque do Auxílio Emergencial:



Vale lembrar que o Ministério da Cidadania disponibilizou um site, no qual os cidadãos podem consultar se têm direito a receber o Auxílio Emergencial. Enquanto essa é uma plataforma oficial do governo, é preciso ficar atento para aplicativos disponibilizados para celulares, já que dezenas de aplicações falsas ou maliciosas foram encontradas na Google Play Store.


45

Comentários

Auxílio Emergencial: 4ª parcela é antecipada para dois grupos beneficiários; veja calendário
Android

Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

Android

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

Android

Cyber Monday 2020 TudoCelular: as melhores promoções em celular

Android

Encontre ofertas e compare preços com o TudoCelular | Guia Black Friday 2020