LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Cerca de 25% dos celulares vendidos no Brasil são irregulares, indica levantamento

04 de junho de 2024 24

Cerca de 25% dos celulares comercializados no Brasil são irregulares. Pelo menos, é o que diz um levantamento feito pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Electrônica (Abinee) a respeito de modelos de dispositivos que não possuem homologação pela Agência Nacional de telecomunicações (Anatel).

Kim Rieffel é vice-presidente de Telecomunicações da Associação Brasileira de Avaliação da conformidade (Abrac) e falou sobre o cenário do chamado “mercado cinza” de aparelhos:

O que atrai o consumidor para o chamado mercado cinza de celulares é o preço mais baixo, mas, sem a garantia de que o aparelho passou pelos testes de segurança necessários, isso configura um fator de risco. A homologação pela Anatel inclui uma série de verificações, como testes de capacidade técnica, desempenho, segurança elétrica, se os softwares são seguros para os usuários, entre outros.

Em geral, o ato de homologação certifica que os smartphones atendem aos padrões técnicos e regulatórios da agência para operar com as redes de telecomunicações brasileiras. Nesse sentido, o papel da Anatel é o de proteger os clientes de fraudes e produtos de baixa qualidade. Rieffel ainda conclui que:

Ao adquirir um celular homologado, além da segurança garantida, há também a garantia do funcionamento do aparelho, podendo ser trocado em caso de defeito, resultando em um investimento confiável

Imagem: George Beridze (Unsplash)

Comprar um aparelho não homologado pode trazer riscos ao próprio consumidor. Do mesmo modo, a comercialização desses aparelhos vai contra a legislação, podendo resultar em multas e outras sanções. Os riscos, por sua vez, incluem problemas de compatibilidade, bem como superaquecimento, possíveis explosões e até radiação excessiva.

Veja também: o lançamento de um site pela Anatel com comparador de ofertas de operadoras e o aval dado pela agência para o Nubank ter sua operadora de celular.


24

Comentários

Cerca de 25% dos celulares vendidos no Brasil são irregulares, indica levantamento
  • Há mais de 6 anos de parei de comprar smartphones no país, somente boa importação. Já imaginando o que vou fazer no futuro quando for trocar de smartphone, daqui uns 3 anos, pois acabou a importação de smartphones da China com o remessa conforme.
    Provavelmente terei de visitar o Paraguai, pq comprar aqui custa 2 ou 3 vezes mais caro.
    Acredito que o turismo e a economia do Paraguai vai crescer muito nos próximos anos de tantos brasileiros indo lá.
    Kkkkkk

      • Se o Pixel não vende oficialmente no Brasil... Eu tenho um aparelho irregular? kkkk

        • Quais aparelhos não homologados que eles reclamam? Xiaomi com suas versões indianas, americanas e até europeias vendidas aqui?
          Dos iPhone americanos que o pessoal traz via aeroportos nas malas, na cota dos 1000 dólares?
          Fora as outras marcas.
          Conta básica.
          Se eles sabem que 25% dos aparelhos do Brasil, não pagaram a propina estatal para estar no Brasil, não era melhor reduzir o imposto de todos os aparelhos?
          Se reduzir o imposto em 6,25%, que é a diferença de 25% para os outros 75%. Facilmente para o consumidor, vai resultar em uns 8% mais barato.
          Agora consulte o preço de Galaxy, Motorola, Realme no Paraguai?
          A maioria ficará quase o mesmo preço do Brasil ao tirar entre 7 e 8% do valor.
          Quem mora perto da fronteira não vai mais comprar de fora, e para atravessador, nem vai compensar.
          Se reduzir 20% dos impostos, a pirataria cinza vai ir lá embaixo, pois a margem de lucro de quem atravessa ou revende, já era.
          Fora que iria aquecer as vendas.

            • É igual Porsche 992 quando lançou. Ele custava aqui no Brasil mais barato do que custava se você importasse de fora. E olha que é um produto de tickte médio de 700K. Imagine um Celular que no máximo vai custar 4K ou 5k.

              • O único risco de um celular não-homologado é que o consumidor poderia comprar um aparelho decente sem se submeter aos abusos do varejo nacional.

                  • Governo está preocupado é com o imposto que deixou de arrecadar

                      • Se a homologação prezasse pela qualidade do aparelho não haveria smartphone da Multilaser nem positivo no mercado kkkk Casa uma

                        • Governo preocupado só com imposto, não com o bem estar do brasileiro. Nós lojistas locais é um assalto os smartphones, paga muito e leva pouco

                            • Basta pagar o imposto que o mesmo aparelho fica regular ao olho do governo!

                                • Também né, no mercado nacional tirando os iphones, só tem tranqueira e ainda por cima, mais caros que os importados.. pra quem não que iphone, o mercado cinza ou importação fora do assalto conforme são as melhores opções.. mais variedade, qualidade e preços mais baixos em aparelhos que entregam mais.

                                  Economia e mercado

                                  Huawei Kirin 9010L: chipset inédito é encontrado em smartphone intermediário da chinesa

                                  Android

                                  Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

                                  Android

                                  Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

                                  Windows

                                  Versão 122 beta do Microsoft Edge com melhorias e atualização de recursos