LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Shadow of the Erdtree é um bom motivo para retornar a Elden Ring? Análise / Review

28 de junho de 2024 0

Elden Ring foi lançado em 2022 e faturou o prêmio de “Jogo do Ano”, entrando para a história como um dos games mais aclamados de todos os tempos. O mundo aberto intrigante e o combate afiado do diretor Hidetaka Miyazaki conquistaram uma legião de fãs, rompendo a bolha da comunidade soulsborne.

Um ano depois do lançamento de Elden Ring, o estúdio FromSoftware confirmou que preparava uma expansão para o game. Ela seria intitulada Shadow of the Erdtree e traria a história de Miquella, o fascinante irmão de Malenia, que foi mencionado no jogo base, mas não havia efetivamente aparecido.

Como Elden Ring foi lançado há mais de dois anos, boa parte dos jogadores já concluíram tudo o que o game tinha a oferecer e seguiram para outros jogos. Será que Shadow of the Erdtree justifica o retorno? Confira em nossa análise!

Terra das Sombras

Enquanto a história principal de Elden Ring ocorria Terras Intermédias, a expansão Shadow of the Erdtree é situada em um local chamado Terra das Sombras. Esse reino sombrio (sem trocadilhos) é misterioso e esconde ameaças ainda maiores do que o jogo base.

Na história, a Terra das Sombras é o local onde a deusa Marika fez a sua primeira aparição. Entretanto, o reino acabou escurecido pela Térvore após uma batalha e dominado pelo poderoso tirano Messmer.

Então, entra o fascinante Miquella. Ele viajou para as Terras das Sombras, abandonando a carne para aguardar o retorno de seu Senhor prometido. Entretanto, ele deixou seguidores fiéis que o cultuam e irão interagir com o jogador.

Reprodução: Marcus Vinicius Rosa / TudoCelular.

Shadow of the Erdree traz uma mitologia profunda que complementa bem o jogo base. Porém, é um pecado começar a expansão sem lembranças de Elden Ring, principalmente da história de Miquella e Malenia. Caso você esteja disposto a rejogar tudo para lembrar, a experiência será completa, mas é possível caçar um vídeo de resumo no YouTube.

Colocar um tempo para terminar a expansão é difícil porque ela depende da sua habilidade no combate e exploração na Terra das Sombras. No geral, os jogadores encontrarão dezenas de horas de conteúdo.

Prepara-se para morrer... MUITO!

Para acessar a DLC, os jogadores precisam concluir duas tarefas difíceis do jogo base: matar o Flagelo Estelar Radahn e Mohg, o Lorde do Sangue. No cenário de batalha do segundo, basta interagir com o casulo para ser enviado à Terra das Sombras.

Elden Ring: Shadow of the Erdtree traz uma experiência semelhante ao jogo base, mas com algumas pequenas novidades. No geral, se você conseguiu zerá-lo, ira se sentir em casa ao explorar a Terra das Sombras.

O novo mapa tem tamanho impressionante para uma DLC, com boas doses de verticalidade. O level design é fantástico, com as áreas trazendo ramificações inesperadas. Seguir rotas desconhecidas e ver onde vai sair é sempre empolgante, mesmo que você acabe obliterado por um inimigo poderoso.

Reprodução: Marcus Vinicius Rosa / TudoCelular.

No combate, você precisa estar ciente de algumas coisas. A primeira é que Hidetaka Miyazaki não é considerado um gênio da indústria de games por nada e a segunda é para estar preparado para enfrentar o conteúdo mais difícil já lançado pela FromSoftware até o momento.

Miyazaki traz uma mecânica muito interessante para nivelar os jogadores, sejam aqueles na primeira jogada ou no NG +7 com personagens no nível 800. Aqui, todos irão sofrer por igual, por mais "apelões" que sejam.

Não é que seu nível ou equipamento não importem, mas na Terra das Sombras o jogador será “equilibrado” conforme a “Benção da Umbrárvore” e a “Benção da Cinza Espiritual Reverenciada.” A primeira irá aumentar o poder do jogador em causar e negar dano, enquanto a segunda é voltada para as invocações (summons).

Reprodução: Marcus Vinicius Rosa / TudoCelular.

Na prática, o jogador precisará coletar fragmentos de ambas até que aumentem o nível das bençãos. Elas podem ser encontradas em altares espalhados pelo mapa, recompensas por derrotar inimigos fortes, etc. No início, eu subestimei os itens e decidi ignorá-los completamente, seguindo o jogo. Resultado: eu quebrei a cara em todos os confrontos.

Com um personagem no New Game + (segunda sessão) e acima do nível 200, eu precisei repensar a minha estratégia diante de tudo o que se movia na Terra das Sombras. As coisas melhoraram apenas quando eu entendi que precisava dos fragmentos para aumentar o poder das bençãos.

Essa mecânica me trouxe uma sensação fantástica: eu me senti no início de Elden Ring novamente. Shadow of the Erdtree foi pensada para derrubar os jogadores confiantes que acham que já dominam o título. Entretanto, a curva de aprendizado é ainda mais pesada, principalmente por ser um conteúdo voltado para veteranos.

Reprodução: Marcus Vinicius Rosa / TudoCelular.

Falar de um jogo da FromSoftware sem falar dos confrontos memoráveis contra chefes é impossível. Se você estava preocupado com a qualidade dos novos oponentes, pode ficar tranquilo. O estúdio apresenta o acervo de inimigos mais difíceis e épicos que já enfrentei em qualquer título da empresa.

Enfrentar cada chefão foi uma experiência incrível, satisfatória e por vezes, frustrante, mas faz parte do jogo. Os jogadores mais tradicionais precisarão entender que as invocações fazem parte de Elden Ring e devem ser utilizadas, já que os oponentes “amassam” o jogador sem piedade e fazem uma pressão absurda, dificultando até utilizar itens de cura, o que torna essencial um companheiro, mesmo que seja controlado pelo computador.

Para os jogadores que gostam de criar “builds”, Shadow of the Erdtree traz uma quantidade impressionante de equipamentos e itens novos, para todos os gostos e classes. Mesmo que você tenha um personagem voltado para Força ou um para Destreza, certamente irá encontrar algo que vale a pena ser testado.

Reprodução: Marcus Vinicius Rosa / TudoCelular.

Apesar de trazer novidades e oponentes inéditos, Shadow of the Erdtree ainda repete muitos inimigos do jogo base, mesmo que tenham algumas variações de ataque. Por ser uma área nova, eu confesso que esperava mais variedade nesse sentido, principalmente pela longa duração da DLC.

Paisagens belíssimas e mortais

Elden Ring: Shadow of the Erdtree tem estilo bem próximo do jogo base, trazendo ambientação na mesma linha e gráficos no mesmo nível. Castelos, cemitérios, paisagens decrépitas e masmorras entregam uma ambientação fascinante e bem detalhada.

Vale destacar que a direção de arte da FromSoftware continua impressionante, trazendo cenas inesquecíveis, mesmo que poucas. Os visuais de personagens e chefes são criativos, imponentes e memoráveis, com a fotografia sendo um colírio. Outro ponto notório é a trilha sonora, com diversas faixas novas mais épicas do que nunca.

Reprodução: Marcus Vinicius Rosa / TudoCelular.

Assim como no jogo base, Shadow of the Erdtree possui algumas quedas de FPS, principalmente em locais muito detalhados. É algo frequente, mas algo que os veteranos da série já se acostumaram. Outro ponto são bugs visuais, como "pop in" e algumas texturas que piscam à distância.

Vale o investimento?

Caso Elden Ring tenha conquistado seu coração, Shadow of the Erdtree é uma compra obrigatória. A expansão é o melhor conteúdo extra que a FromSofware já criou, trazendo uma experiência robusta e melhorando o que já era excelente.

Apesar da dificuldade elevada frustrar em alguns momentos, a superação dos desafios, o mundo memorável e os chefões implacáveis fazem Shadow of the Erdtree ser uma despedida imperdível de Elden Ring.

Reprodução: Marcus Vinicius Rosa / TudoCelular.

Elden Ring: Shadow of The Erdtree já está disponível para PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X|S, Xbox One e PC.

Mapa gigantescoHistória intriganteChefões memoráveisDesafio elevadoNovas armas e itensAmbientação majestosaTrilha sonora épica
Quedas de FPSBugs visuaisRepetição de inimigos do jogo base
Jogabilidade

Shadow of the Erdtree não destoa do jogo base em estilo, mas traz uma nova mecânica para equilibrar os jogadores com a DLC, oferecendo uma experiência desafiadora para todos.

Gráficos

A expansão traz gráficos detalhados e uma direção de arte fascinante, com visuais belíssimos.

História

A narrativa dá destaque ao fascinante Miquella, trazendo algumas reviravoltas e aprofundando a mitologia de Elden Ring.

Trilha Sonora

A expansão traz diversas faixas novas que embalam os conflitos épicos, proporcionando uma experiência incrível.

Imersão

O novo conteúdo é uma experiência envolvente e viciante do início ao fim, proporcionando combate desafiador e exploração viciante.

Nota Total

Shadow of the Erdtree encerra Elden Ring com uma expansão robusta, envolvente e inesquecível que vale cada centavo investido.

O TudoCelular agradece a TheoGames por ceder uma cópia de Shadow of the Erdtree para Elden Ring no PlayStation 5 para esta análise!

Veja também


0

Comentários

Shadow of the Erdtree é um bom motivo para retornar a Elden Ring? Análise / Review
Economia e mercado

Huawei Kirin 9010L: chipset inédito é encontrado em smartphone intermediário da chinesa

Android

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

Android

Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

Windows

Versão 122 beta do Microsoft Edge com melhorias e atualização de recursos