LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Pressa para desbloquear o Galaxy S10 com reconhecimento facial pode custar caro

08 de março de 2019 28

O desbloqueio facial no universo Android existe desde pelo menos a versão 4.0 do sistema, mas ele nunca foi seguro. Qualquer fotografia do usuário - mesmo quando exibida na tela de outro smartphone - no geral é capaz de dar acesso ao sistema, sendo necessário ainda usar um sistema de biometria digital ou por padrão/PIN.

As coisas só começaram a melhorar um pouco a chegada do iPhone X em 2017, quando a Apple ainda conseguia surpreender com algumas novidades, anunciando um sensor de profundidade capaz de reconhecer várias dezenas de pontos no rosto de um usuário para providenciar o acesso ao sistema. O Face ID.

Assim, esse se tornou um recurso visado pelos usuários, mesmo que a Samsung já estivesse há algum tempo com o seu leitor de íris nos seus tops de linha.

Hoje, uma parte das fabricantes traz aparelhos Android com hardware exclusivo na frontal para o recurso funcionar de forma mais segura. É o caso da Huawei, e da própria sul-coreana, que combina o scanner de olhos com reconhecimento facial. Mas bem, parece que nada disso adianta muito se os usuários optarem por ter um pouco mais de pressa.

Isso porque quando o desbloqueio rápido está ativado nas configurações de qualquer versão do Galaxy S10 isso torna possível que fotos e vídeos da pessoa registrada como dona liberem o acesso. Como o nome dessa opção sugere, ela providencia um uso mais rápido, mas a Samsung não avisa que ele é menos seguro.

O método provavelmente não combina essas duas verificações - leitura de íris e reconhecimento facial - e por isso tem uma taxa de burlamento bem mais alta. Quem for usar essa opção, é altamente recomendado que não marque a checkbox para que a leitura aconteça de forma mais rápida, sob sério risco de poder ter seus dados acessados na eventual perda ou roubo do aparelho.

Vale lembrar, o S10e conta com desbloqueio por biometria digital, e os S10 e S10 Plus trazem esse recurso diretamente na tela, sendo uma aposta bem mais segura.

Não se sabe se a Samsung trabalhará em eventuais patches de segurança para prevenir que mesmo no modo rápido esse acesso seja possível. Mas com os aparelhos custando até R$ 10 mil no Brasil, o mínimo que o público interessado deve fazer questão de esperar é por correções rápidas dos eventuais problemas com os celulares.

E você, tem por hábito usar desbloqueio facial nos seus smartphones, ou prefere outras opções? Conte para a gente nos comentários!

(atualizado em 11 de agosto de 2020, às 01:16)

28

Comentários

Pressa para desbloquear o Galaxy S10 com reconhecimento facial pode custar caro
Tech

Coronavírus: Brasil chega a 101.752 mortes em 3.057.470 casos confirmados | Relatório diário

LG

Moto G8 Plus vs LG K51S: mais câmeras fazem fotos melhores? | Comparativo

Android

Novo Tracker 2021: app e WiFi a bordo fazem diferença? | Análise / Review

Google

Nearby Share: "AirDrop do Google" começa a chegar aos usuários Android em versão beta