LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Coronavírus: Reino Unido confirma parceria com Apple e Google para mapeamento de dados

18 de junho de 2020 4

Atualização em 18/06/20 - BB

Originalmente, as autoridades do Reino Unido utilizam um sistema próprio para criar um aplicativo para fazer o mapeamento de casos de contaminação na região. No entanto, conforme relatamos em abril, havia indícios de que isso poderia mudar, com a possibilidade de os responsáveis pelo bloco firmar parceria com a Apple e o Google para utilizar as APIs das empresas em seu app de monitoramento e mapeamento dos casos.

Essa mudança é devido aos grandes problemas que a plataforma própria do Reino Unido enfrenta. De acordo com relatórios, o sistema anterior não possui suporte aos dispositivos da gigante das buscas e da empresa de Cupertino.

Dessa forma, por filtrar os dados de conexões bluetooth dos usuários de dispositivos das respectivas empresas, afim de mapear quem pode ter entrado em contato físico com pessoas que estão contaminadas, a plataforma antiga acaba sendo inutilizada, já que não tem um retorno mais fidedigno dos dados.

Agora, com a nova parceria, as duas gigantes da tecnologia se unem para desenvolver a plataforma que será mais útil para as autoridades da união, utilizando a API das duas empresas para mapear as informações com mais efetividade.

Confira o que diz o relatório da BBC sobre essa mudança:

Em uma grande reviravolta, o Reino Unido está abandonando os fundamentos de seu aplicativo de rastreamento de coronavírus existente e mudando para um modelo baseado na tecnologia fornecida pela Apple e pelo Google.

A decisão ocorreu no dia seguinte à revelação da BBC de que um ex-executivo da Apple, Simon Thompson, estava assumindo o comando do projeto de execução tardia.

O design Apple-Google foi promovido como sendo mais centrado na privacidade.

Essa troca do sistema de execução do mapeamento ocorre após meses de testes da plataforma antiga, que não atendeu às expectativas necessárias para o projeto.

Os casos de Covid-19 no Brasil já atingiram mais de 45.500 mortes e os números de infectados ultrapassa 955 mil.

Artigo original em 12/04/20:

Coronavírus: Apple e Google podem ter se aliado ao Reino Unido para monitorar possíveis infectados

Notícias recentes indicaram que a Google está colaborando no rastreamento do coronavírus em todo o mundo e isso incluí até mesmo dados do Mapas. Agora, ficamos sabendo que a Apple se aliou à "empresa das buscas" para ajudar nesse processo. Até aqui tudo bem, mas fontes indicam que eles estariam se aliando à um governo para monitorar os usuários para evitar o contágio.

As fontes são do jornal The Times e elas dizem que as duas empresas se aliaram ao Serviço de Saúde do Reino Unido para criar um aplicativo para rastreamento de usuários. Seriam monitorados especificamente aqueles que tiveram contato com os infectados pelo coronavírus. Isso seria particularmente útil para evitar a disseminação do vírus.

Isso porque seria possível estimar com quais pessoas um possível infectado pode ter entrado em contato, mapeando melhor a doença. Segundo informações, o aplicativo utilizaria o Bluetooth para rastrear com quais aparelhos o monitorado teve contato. Caso o resultado do teste da pessoa monitorada fosse positivo, todos os que estiveram em contato com ela receberiam um aviso sugerindo para ir até um posto de saúde para fazer um teste.


Os delatores dizem que a ordem para criar o aplicativo veio dos ministros e seria essencial para um controle apurado caso o contágio do COVID-19 se torne mais agressivo, o que exigiria medidas de bloqueio mais rigorosas no final de maio. Embora as fontes não digam exatamente como o aplicativo deve funcionar, é possível dizer que ele pode ser mais avançado do que imaginamos.

Isso porque ele pode funcionar por meio de um aplicativo instalável por notificação ou até mesmo via sistema ou ainda em uma atualização de um aplicativo como a Assistente do Google ou o aplicativo de pesquisas do Google. Embora ainda seja difícil saber com precisão, mas um sistema desses seria muito invasivo se funcionasse sem a permissão do usuário, embora estejamos em tempos críticos devido à pandemia.

Vale lembrar que em São Paulo o rastreamento já está ocorrendo em parceria com operadoras de celular para evitar aglomerações, que insistem em surgir nas ruas.


4

Comentários

Coronavírus: Reino Unido confirma parceria com Apple e Google para mapeamento de dados
Tech

Coronavírus: Brasil chega a 65.487 mortes em 1.623.284 casos confirmados | Relatório diário

Google

Nearby Share: "AirDrop do Google" começa a chegar aos usuários Android em versão beta

Apple

Agora tem widgets? iOS 14 e todas as suas novidades | Hands-on em vídeo

Android

Melhor celular ou smartphone: TOP 10 para você comprar | Junho 2020