LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Huawei está construindo cadeia de fornecimento independente dos EUA na China

29 de setembro de 2020 95

Por mais que as sanções aplicadas pelo governo dos Estados Unidos estejam asfixiando a Huawei no mercado global de smartphones, a fabricante chinesa vai continuar investindo em sua terra natal.

Isso porque além de ser um mercado altamente confiável, a China também tem capacidade de sustentar uma cadeia de fornecimento totalmente nova. Por isso, a Huawei está investindo pesado em startups e empresas menores que podem virar parceiras no futuro.

A intenção é acelerar o desenvolvimento de tecnologia proprietária que garanta a total independência de soluções que possuem patentes nos Estados Unidos. Para isso, a fabricante chinesa lançou a empresa Habo Investments, que já concluiu 17 transações e começou a colher resultados.

O governo chinês também tem incentivado empresas menores em busca de criar uma indústria proprietária de semicondutores. A intenção é se livrar da interferência dos EUA.

O ponto mais curioso da estratégia da Huawei é que a companhia não está comprando essas startups. Na verdade, a fabricante prefere ficar com 10% de cada uma para que elas possam virar uma "fonte confiável" de fornecimento.

O primeiro resultado desse investimento massivo foi colhido neste ano. A empresa chinesa Vertilite recebeu dinheiro da Huawei e criou uma série de sensores de imagem que agora serão usados nos smartphones da fabricante.

Enquanto incentiva uma quantidade considerável de empresas menores, a Huawei também segue "ocupada" tentando dominar diversas tecnologias e componentes. Isso pode ser observado nos altos investimentos na HiSilicon para a produção de processadores.

Além disso, a fabricante é beneficiada diretamente por um programa desenvolvido pelo governo chinês. Lançada em Pequim, a iniciativa busca criar uma cadeia independente de semicondutores, algo que entrou na mira dos EUA nesta semana.


95

Comentários

Huawei está construindo cadeia de fornecimento independente dos EUA na China
  • Em cada crise uma oportunidade.

    A Paciência é um investimento, próprio de uma civilização milenar responsável por grandes e transformadoras descobertas.

    A Rota da Seda repete-se hoje, com todas as suas curvas.

    Ciclos para esse Povo é que não faltam e desde a década de 70 optaram por outra grandiosidade, a propria Mudança.

    Mais de 1 bilhão de seres Humanos...

    Deve ser interesante governar tal organismo.

      • Comprei um aparelho Huawei P30 Pro a 1 ano nunca vi um aparelho tão bom em tudo software câmera atendimento ao consumidor minha película formou bolha fui numa assistência técnica trocaram na hora sem custo nenhum e as pessoas governamental querem que se explodam quer dizer quando o produto é bom querem tirar do mercado É DEMAIS

        • Pelo visto a maioria em peso torce pela Huawei, tô gostando de ver!

            • Vivemos num época aonde o segundo lugar não tenta se melhorar para alcançar o primeiro e sim tenta segurar o primeiro para este não se distanciar mais ainda.

                • O ditado serve para os EUA : "Quem planta vento colhe furacões."

                    • A TERRA É REDONDA
                      "O povo apenas transfere livremente para o rei o poder que não domina totalmente". Spinoza


                      À diferença do padrão que conhecemos no século XX, os acordos com os chineses não são feitos com as armas na mão e nem tem, por baixo da mesa, cartas orientando a derrubada de governos

                      Por Alexandre G. de B. Figueiredo*

                      ?De mar a mar/de tierra a nieve/ todos los hombres te contemplan/China?. Hoje, mais de 60 anos depois de Pablo Neruda redigir esses versos, os olhos do mundo continuam postos sobre a China, com atenção redobrada. Chegando ao centro do tabuleiro geopolítico, a potência asiática recusa a pretensão de hegemonia e continua a se definir como um país em desenvolvimento, o que implica em uma abordagem de relações internacionais que prega o multilateralismo, a paz e a prosperidade para todos.

                      A Nova Rota da Seda ou Belt and Road Iniciative (Iniciativa Cinturão e Rota), como é mais conhecida internacionalmente, é a materialização dessa visão. Apresentada pelo presidente chinês Xi Jinping, em 2013, trata-se de um imenso projeto de parcerias oferecido pela China com o objetivo de construir a maior rede de infraestrutura para o transporte de mercadorias e pessoas do planeta, além de aprimorar a economia digital. Comporta obras como estradas e ferrovias atravessando toda a Ásia e chegando à Europa Ocidental, aeroportos, portos apoiando redes marítimas, oleodutos, dentre outros. Na definição oficial, ela envolve a coordenação de políticas, conectividade das infraestruturas, fluxo livre de comércio, integração financeira e entendimentos entre os povos. Até o final de 2018, apenas cinco anos após o lançamento da iniciativa, a China já havia assinado acordos com 106 países e 29 organizações internacionais.

                      Não se trata de um acordo multilateral, embora comporte relações e estabeleça instituições multilaterais, mas sim de acordos bilaterais que a China oferece aos parceiros. De forma sucinta, eles implicam no financiamento chinês para a construção da estrutura necessária para a interligação pretendida. Para tanto, Pequim criou, em 2014, o Fundo da Rota da Seda, com recursos de suas agências estatais e bancos de financiamento do desenvolvimento: um aporte inicial de 40 bilhões de dólares. Em 2017, quando se realizou o primeiro Fórum Internacional da Rota da Seda, novos aportes bilionários foram feitos, indicando tanto o sucesso da iniciativa como a vontade da China para levá-la adiante.

                      A iniciativa abrange especialmente a Ásia e a Europa, mas não exclui países em desenvolvimento de outras regiões. O que é natural: a China tanto se coloca como uma liderança desse grupo como já vem consolidando suas relações com as regiões desprezadas pelo Norte, como, por exemplo, a África, onde sua presença é cada vez mais relevante. E, não menos importante, com a América Latina, cuja aproximação com os chineses causa temores e fortes reações nos escritórios de Washington.

                      (...)
                      E o que seria esse ?espírito??

                      A consolidação de um Estado chinês unificado aconteceu em 221 a.C, pondo fim a um período de séculos de guerras internas, nas quais dezenas de pequenos estados disputavam a hegemonia na região que hoje compreende a China. O rei de Qin, um desses poderes, levou adiante a campanha militar que derrotou os oponentes e consolidou a centralização em um Império. Qin Shi Huangdi, como ele passa se se chamar (?primeiro imperador?), tomou diversas medidas para organizar a administração e proteger seu domínio. Uma delas consistiu na primeira construção da Grande Muralha, a partir de estruturas já existentes. A China, ciente de sua grandeza, procurava a ordem após as guerras internas e deixava o resto do mundo para além de sua muralha.

                      Já sob a Dinastia Han (206 a.C a 220 d.C), que sucederam a Qin, a China expandiu seus limites para além do Rio Amarelo, conquistando territórios que liberaram a passagem para o centro da Ásia, especialmente o Corredor de Hexi, faixa de terra entre o planalto tibetano e o deserto do Góbi. Já no início do século II, tanto as rotas comerciais estavam abertas como muitos estados da Ásia Central tornaram-se tributários do Imperador. A China agora se abriria e levaria suas realizações para toda a Eurásia. A Rota da Seda atingiu seu apogeu na Dinastia Tang (618-907) e só declinou com a conquista mongol, em 1297. Portanto, durante mais de mil anos, aqueles caminhos estabilizaram o intercâmbio de mercadorias e de visões de mundo.

                      Hoje, ao buscar a antiga Rota como símbolo e referência de sua proposta mais ambiciosa, a China se apoia na legitimidade histórica para se apresentar ao mundo como a potência que, salvo o período da dominação colonial, sempre foi. Evidentemente, há a vontade política de afirmar que esse retorno a uma condição que foi sua na maior parte da história não deve causar temores. Afinal, como insistem os chineses, a prosperidade da China será, assim como foi, a prosperidade de todos.

                      Como é natural, mesmo avançando rapidamente a construção dessa Nova Rota da Seda, enfrenta percalços que exigem da China muito de sua tradicional paciência estratégica.

                      Ao assinar seus acordos, a China se relaciona com países com demandas contraditórias e atravessa áreas de disputas latentes. O relacionamento com a Índia, por exemplo, é extremamente delicado. Ao elencar o Paquistão como aliado preferencial e anunciar acordos para obras de infraestrutura na região da Caxemira, que a Índia reivindica como sua, a China toma posição tácita diante de um conflito que envolve potências nucleares. Esse foi o preço a se pagar para conseguir firma-se na Ásia Central e se contrapor ao enclave militar norte-americano existente no Afeganistão.

                      Os Estados Unidos, por sua vez, procuram manobrar contra o projeto chinês explorando essas dificuldades e trabalhando no desentendimento entre a Índia e a China. Talvez seja essa a questão mais complexa no cenário na Nova Rota, mas a existência de objetivos estratégicos de longo prazo comuns entre as potências asiáticas pode colaborar para contornar as dificuldades.

                      Temores quanto ao incremento do poder chinês e o risco de endividamento crônico dos países parceiros também são levantados contra a iniciativa. Há quem lembre que o mundo já devia, em 2018, US$ 5 trilhões à China (6% do PIB mundial) e que, além disso, 7% do PIB dos EUA é propriedade chinesa em títulos do tesouro norte-americano. Porém, salta aos olhos a hipocrisia dos que chutaram a escada para interditá-la aos outros.

                      À diferença do padrão que conhecemos no século XX, os acordos com os chineses não são feitos com as armas na mão e nem tem, por baixo da mesa, cartas orientando a derrubada de governos. Esse é o grande trunfo que Pequim tem a ostentar contra a guerra de propaganda que acusa sua iniciativa.

                      ?Não há nada mais fluido e suave que a água e, no entanto, nada se iguala a ela para atacar a rudeza?, diz o Dao de Jing. Com suavidade, a água corta as montanhas rígidas. A referência a Laozi é de Xi Jinping que, anunciando o programa chinês para as relações internacionais, encerrou seu discurso no último Congresso do Partido Comunista afirmando que ?quando reina o grande Dao, o mundo pertence a todos?. É essa sabedoria milenar que dá o tom para enfrentar os desafios em torno da Nova Rota da Seda com a qual a China pretende interligar o mundo, de mar a mar, de terra a neve.

                      *Alexandre G. de B. Figueiredo é doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina (PROLAM-USP).
                      Fonte: aterraeredonda.com.br

                      • Creator in China

                          • Mano, eu tô rindo muito c esses comentários. Esquerdistas: " a China dando tijoladas nós EUA". Direitistas: "o Trump vai massacrar a China". O que realmente acontece: Intel e AMD já estão liberadas por Trump p vender pra Huawei. Enquanto a mesma deveria parar de usar o Android mas nunca parou. Enquanto vcs se engalhofam, EUA e China continuam sua "guerra" política e de palavras enquanto isso for benéfico p cada lado ou o ambos %uD83E%uDD11%uD83E%uDD2F%uD83E%uDD14%uD83E%uDD23%u D83E%uDD23%uD83E%uDD23%uD83E%uDD23

                              • Engano seu, basta olhar os números, não em fantasias delirantes de um país falido. Você acha que se os EUA estivessem tão bem, sentiriam-se tão ameaçados pela China, obviamente que não. Se não sentissem que o império que construíram no pós-guerra ameaçado, não estariam tão determinados, pois a China está invadindo áreas que eram tecnologias americanas, fato que aconteceu com o Japão, mas este foi neutralizado. Pensar que a China vai parar de Crescer, um absurdo, lembre-se, será o único país a crescer nesta pandemia.
                                Não é mais possível parar os chineses, era no passado, mas agora tornou-se muito mais difícil devido a cadeia de suprimentos altamente interligada, nem o Trump conseguirá tal façanha. Os países se renderão a um novo arranjo mundial que passará por reformas das instituições ou mesmo sua dissolução, pois os arranjos do pós-guerra não mais refletem à realidade do mundo atual.

                                Outra coisa que está cada dia mais alarmante é a dívida pública dos EUA, ela avançou enormemente no governo Trump e a guerra comercial somente vai agravar a situação com a conta da pandemia, pois os dois juntos levarão os EUA a um nível maior de desigualdade econômica.

                                  • O Android é livre ela pode usar de boa, até pq a maioria dos Só usam como base o Android, não tem pq mudar isso.

                                  • Trump acusa TikTok de Espionagem deade o inicio de campanha que ja faz mais de 4 meaes até hoje não teve prova.
                                    Isso só comprova que é uma manobra para enganar seus gados....

                                    O Google Mapa também devia ser acusado de Espionagem então, a mesma faz recolhimento de dados de usuários quando utiliza o APP em tempo real e os dados do celular e ficam disponíveis para os EUA.

                                    Quando é que esse Brasil "patriótico" tupiniquin vai exigir que os dados fiquem em território nacional? Já que são dados dos brasileiros?

                                      • VAI DUVIDANDO TEM MUITA GENTE QUE TORCE CONTRA MAS DÁ ASAS PRA COBRA LÁ NA FRENTE VAI SER DURO PRA DEDÉU É AGUARDAR E VER

                                          • Torço muito pela China nesse embate! Quero muito que os seus produtos cheguem mais ao Brasil.

                                              • (Bloomberg) -- O governo de Pequim acelera sua tentativa de liderança global em tecnologias-chave e planeja injetar mais de um trilhão de dólares na economia em projetos que vão desde redes sem fio até inteligência artificial.

                                                No plano diretor apoiado pelo presidente Xi Jinping, a China deve investir US$ 1,4 trilhão em seis anos até 2025 e pede que governos urbanos e gigantes de tecnologia do setor privado, como Huawei Technologies, implementem redes sem fio de quinta geração...
                                                É claro e notório que os americanos não alcançarão o seu intento, o de implodir a Huawei. Pois, não estão lhe dando com amadores nessa corrida tecnológica.

                                                  • A Huawei é e sempre será sinônimo de pura resiliência. Ninguém consegue parar essa máquina da invenção dos tempos modernos... Os Yankes já são por si mesmos os grandes perdedores dessa batalha tecnológica; por isso, tentam arranjar subterfúgios para esconder sua própria incompetência. _Toma-te Tumpalão!
                                                    Quem nunca ouviu falar da competição entre Thomas A. Edison e Nicola Tesla; E o mundo da eletricidade só teva a ganhar com essa competição. Naquele tempo ambos tiveram êxito em suas invenções.
                                                    O que é perturbador hoje em dia é que os Yankes que tanto pegaram a livre concorrência, o livre mercado, atuam agora como Al capone's, tentando mexer nas peças do tabuleiro tecnológico, sem êxito. Pois, vemos a Huawei hoje como massa de bolo; quanto mais se bate, mais se cresce.
                                                    Aos Trumpalhões vai uma reflexão: Será que os americanos querem ver a América Latina desenvolvida? Acredito que sob a batuta do "America first", isso é praticamente impossível

                                                      • Kkkkkk esquerdista não sabe o que fala! Os EUA são líderes em alta tecnologia e inovação deixando a china comendo poeira! Suas empresas dominam o mundo e vc está usando várias tecnologias Yankees agora mesmo para postar asneira! EUA. Domina a tecnologia e se tudo correr bem e o.trump ganhar a china pede arrego!!!!

                                                          • como se o trumpolho fosse maioral alias arrega pra Russia rapidinhoooooooooooooooooooooooooooooooooo khahahahahahahahaha

                                                              • Hey Bison bison!
                                                                Olha o que diz o noticiário: "Levantamento com gestores responsáveis por US$ 3 trilhões em ativos americanos mostra que 60% deles acreditam na vitória do democrata..." Por Colby Smith %u2014 Financial Times, de Nova York-------------------------------One Belt, One RoadNão é segredo ao leitor atento que a China vem aumentando sua participação no cenário internacional nos últimos anos. Além de ser hoje a segunda maior economia do mundo e o país mais populoso, com 1,38 bilhão de habitantes, o gigante asiático tem expandido seus investimentos em outras regiões. O mais grandioso desses investimentos é o projeto da Nova Rota da Seda, mais conhecido como One Belt, One Road.Fonte: polize.com.br-------------...Nesta semana o governo de Pequim começou a testar a tão esperada moeda digital chinesa, o e-RMB %u2013 descrito pela Forbes como o pesadelo do dólar.Fonte: cointimes.com.br Observa-se que o americanos encontraram um grande jogador. E a Huawei sairá muito mais forte no final. Já que o Trupalhão em breve sairá de cena.

                                                                • Não..quem quer ver a America Latina desenvolvida e próspera dão os comedores de cachorro e disseminadores de vírus...vá se catar XinPinGalhao
                                                                  A China é boa em quinquilharias....tecnologia de ponta não faz nada sozinha, rouba e cópia...quem defende ladrão, não merece crédito

                                                                    • Esta enganado, a China tem registrado mais patentes por ano que os americanos. Sua afirmação é coisa do passado. Realmente um aluno aprende copiando mas depois tem vida própria.

                                                                        • Hey Bison bison!
                                                                          Quando você fala de assuntos geopolíticos, deve-se se informar ao máximo e se afastar o quanto se pode da ótica ideológica. Pois, só assim terá a capacidade discernir por si mesmo o certo e o errado. Além disso, se desfazer do pensamento crítico e buscando um pensamento analítico das coisas, terá a capacidade de refletir e fugir ao mesmo tempo do que se conhece como efeito manada. Aqui não se tem e nunca se fez, uma defesa generalizada da china ou qualquer que seja a nação; mas, o que se engrandece em epígrafe, é aquilo que denominamos de "ponto fulcral", é a resistência e a disciplina de uns em detrimento da promiscuidade de outrem.

                                                                            • AMÉRICA LATINA DESENVOLVIDA PROS YANKES É UMA AMEAÇA TOTAL PRA ELES O QUINTAL DOS TIO SAM É AQUI

                                                                            • Prefiro mil vezes comprar da China por um preço justo, do que dos EUA e pagar um absurdo, como o iPhone.

                                                                                • Mr. Trump estava sendo avisado até pelas empresas americanas que isso acabaria acontecendo.
                                                                                  Semana passada, o Governo japonês anunciou que a China foi o Pais que mais imortou deles.
                                                                                  E o produto mais comprado foi justamwente máquinas para fazer chips.
                                                                                  Os chineses logo vão inundar o mercado com a produção em massa desses componesntes.
                                                                                  Fazer oquê?
                                                                                  Não foi por falta de aviso.i

                                                                                    • Os chineses estão desesperados e enlouquecendo,por causa da sanções do tio Sam.da pena kkkkkk

                                                                                      • A estatal Chinesa mesmo que não oficial, irá agir.
                                                                                        Mas o mundo acordou para os ditadores comunas.

                                                                                        • Essa frescura muricana de tentar boicotar concorrentes ao invés de tentar ser o mais competitivo possível só vai fazer a China se tornar o mínimo possível dependente dos murica land então parabéns burocratas americanos, só fortaleceram os china com isso

                                                                                            • E os rombos dos tiros nos pés do tio Sam, dado pelo Topete Bicudo, só aumentam.
                                                                                              %uD83E%uDD23%uD83E%uDD23%uD83E%uDD23%uD83E%uDD23%u D83E%uDD23

                                                                                                • Os chineses tem que se mexer mesmo, dependendo dos Yankees tão ferrados o ocidente acordou para vocês.continuem controlando e monitorando seu povo.aqui no ocidente,aqui não chinas.

                                                                                                  • Enquanto isso as empresas norteamericanas estão deixando de faturar bilhões ao ano por causa das sanções impostas pelo governo contra a Huawei

                                                                                                      • O que a China precisa é ser auto suficiente em
                                                                                                        Proução de chips:
                                                                                                        Litografia...
                                                                                                        Memoeia... Ram
                                                                                                        Armazenamento UFS
                                                                                                        WI-FI
                                                                                                        BLOETHOOTH
                                                                                                        ÁREA DE REDES JÁ DOMINAN E PROGRAMAÇÃO

                                                                                                        COM NOVO sistema operacional vai ser xuma. Boa competição com mercados Américona
                                                                                                        Torço para que dê certo.

                                                                                                        O equilíbrio do mundo depende de dois pesos e duas medidas

                                                                                                        • Eua e China que se destruam.
                                                                                                          Quero que o Japão cresça.

                                                                                                          • Estavam com. Esperança na smic porém a. Smic depende da AMR britânica que agora é Americana, Nvidia comprou.

                                                                                                              • A aprovação da venda da ARM depende da aprovação das autoridades reguladoras chinesas.
                                                                                                                Além do mais, o SoftBank vendeu as operações chinesas da ARM para os próprios chineses há uns três anos.
                                                                                                                Isso dá o tdeireto deles utilizaram essa arquitetura, só não podem obrigar a matriz a ter contato com eles.

                                                                                                                • Isso é evidente.
                                                                                                                  E acrescento.
                                                                                                                  Estão muito adiantados.
                                                                                                                  A questão dos chips nem será tão importante. A Huawei já resolveu isso.
                                                                                                                  O foco é a implementação do S.O.
                                                                                                                  Eu avisei: Mr. Trump. Isso não vai funcionar.
                                                                                                                  E ainda vai arrastar para o buraco várias empresas americanas e algumas de Taiwan.
                                                                                                                  Bem feito!

                                                                                                                    • Cheio de peças inferiores vai ser.
                                                                                                                      Ao menos o preço de custo vai cair uns 20%.

                                                                                                                      • Trump e os EUA deram um tiro no próprio pé, vão tornar a China auto independente

                                                                                                                          • E tenho quase certeza que a Qualcomm e TSMC serão as maiores prejudicadas.
                                                                                                                            Perderam o que, provavelmente, será o maior cliente do Mundo.

                                                                                                                              • Verdade.... Mas a longo prazo essa guerra vai prejudicar o próprio EUA, a China vai competir mercado pau a pau com os EUA e vai ser uma palia para qualquer duelo tecnológico com. Os EUA em termo de tecnologia

                                                                                                                              • Um baita exemplo, para eles. Ao firmar acordos e favorecer o desenvolvimento local de tecnologia, não somente ela sera beneficiada, mas toda uma cadeia produtiva regional.

                                                                                                                                E claro dessas pequenas podem sair tecnologias promissoras.

                                                                                                                                Imagine um subsideo desses para empresas regionais do Brasil?
                                                                                                                                Seria ótimo e quem sabe poderíamos ver mekhoria de qualidade nas brasileiras cono DL, Positivo, Multilaser entre outras. Pois é justamente qualidade que falta!

                                                                                                                                  • É uma pena que precisou a Huawei passar por isso para o Governo tomar providências e investir pesado em tecnologia própria....



                                                                                                                                    O que os EUA estão fazendo é tornar a China a próxima "potência" em tecnologia, isso se já não são.....

                                                                                                                                    • A China é o mundo todo devia ser livre dos EUA

                                                                                                                                      • Caralho. Huawei indo com tudo

                                                                                                                                          • E o que eu li ontem, é que a Huawei está começando a investir pesado no setor automobilísitco fornecendo peças para veículos elétricos e com condução autônoma.
                                                                                                                                            A expectativa é que substitua a Bosch como maior formecedora mundial do setor.

                                                                                                                                            Tech

                                                                                                                                            Coronavírus: Brasil chega a 156.469 mortes em 5.352.935 casos confirmados | Relatório diário

                                                                                                                                            Android

                                                                                                                                            Melhor celular ou smartphone: TOP 10 para você comprar | Setembro 2020

                                                                                                                                            Apple

                                                                                                                                            Agora tem widgets? iOS 14 e todas as suas novidades | Hands-on em vídeo

                                                                                                                                            Tech

                                                                                                                                            De Peste Antonina à Covid-19: pandemias que abalaram o mundo | Detetive TudoCelular