LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

O que muda no WhatsApp ao compartilhar dados com o Facebook em novas regras? | Detetive TC

13 de janeiro de 2021 11

Neste começo de ano, em uma atualização nos seus termos de consentimento, o WhatsApp gerou uma polêmica entre seus usuários, ao exigir compartilhamento de dados com o Facebook.

Isso gerou uma corrente migratória das pessoas para outros serviços de mensagens instantâneas concorrentes. Mas quais são as reais preocupações que os usuários devem ter? E que alternativas conseguem encontrar para o WhatsApp atualmente? O Detetive TudoCelular detalha esses pontos a você:

Entenda o caso

Desde a última semana, o WhatsApp comunicou que se tornaria obrigatório o compartilhamento de dados dos seus usuários com o Facebook – proprietário do mensageiro. A nova medida fez com que os usuários recebessem uma notificação para concordar ou não com as alterações – a serem aplicadas a partir de 8 de fevereiro deste ano.

Uma delas sinaliza que as informações pessoais poderiam ser usadas por empresas para serviços de hospedagem do Facebook, além de outras ofertas de integrações entre ambos os produtos. Caso você queira recusar, é convidado a excluir a sua conta no app.

Imagem: Reprodução / Twitter

Quais são os dados compartilhados?

De acordo com a agência AFP, o Facebook respondeu a um questionamento e afirmou que os novos termos “permitirão o compartilhamento de informações adicionais entre WhatsApp e Facebook e outros aplicativos como Instagram e Messenger”.

Já na página atualizada da Política de Privacidade do mensageiro, há a lista de informações que ficarão disponíveis a outros aplicativos do grupo. A relação inclui: número de telefone, nome e outros dados do seu acesso; detalhes sobre o celular, como marca, modelo e a operadora móvel; número de IP, com a localização da conexão à internet; dados de transações e pagamentos realizados pelo WhatsApp.

O que muda?

Não é uma novidade que o Facebook costuma compartilhar dados entre as ferramentas de sua propriedade. Mas os novos termos representam um aumento dessa integração, além de incluir novas informações no pacote – principalmente agora que o mensageiro tem ganhado recursos, como uma plataforma de pagamento.

Por outro lado, é importante ressaltar que as mensagens não estão inclusas no pacote de dados divulgados a terceiros. Isso porque as conversas do app possuem criptografia ponta a ponta e impede que até mesmo a equipe do WhatsApp tenha acesso.

Fake News sobre o tema

Depois da atualização dos termos do WhatsApp, várias Fake News começaram a circular pelo próprio mensageiro – por ironia do destino – sobre as supostas mudanças. Uma delas afirma que empresas de marketing terão acesso aos chats e a usar a câmera do celular o tempo todo no Instagram. Confira:

Com a atualização da política de privacidade do WhatsApp que entra em vigor a partir de fevereiro deste ano, você praticamente autoriza o WhatsApp a compartilhar SEUS CHATS com terceiros, sejam eles empresas de marketing ou o que for, a atualização da política de privacidade do Instagram os autoriza usar a câmera do seu celular o tempo todo e não só enquanto vai tirar uma foto ou gravar um vídeo com o app, ambas as empresas pertencem ao Facebook com o que podemos concluir que o Facebook está saindo do controle e evidenciando que o estado de vigilância vai aumentar muito a partir deste ano.Primeiro conectaram todos os nossos negócios ao wtsapp, agora o gratuito sairá caro.

Tom alarmista, erros de português e ausência de fontes confiáveis já são sinais antigos de notícias falsas. Mas, neste caso, se você for olhar os termos do WhatsApp de forma detalhada, não há qualquer sinalização para esse tipo de uso – como já mencionamos mais acima. Até mesmo no caso do Instagram, não existe qualquer previsão para que sua câmera seja utilizada sem consentimento.

Outro boato que, na verdade, tem se mostrado como uma interpretação errada do caso seria que os dados de telefone e foto do WhatsApp passarão a aparecer no Facebook de forma pública.

Da mesma forma, a questão não passa por tornar públicas as informações do WhatsApp no Facebook. Até porque a própria rede social já possui seus campos para inserir esses tipos de dados, com um seletor do lado para alterar o tipo de público que pode visualizá-los.

Alternativas ao WhatsApp

A polêmica que envolveu o WhatsApp fez disparar o número de downloads de outros mensageiros concorrentes, como foram os casos de Telegram e Signal. No primeiro, a motivação veio por já ter conhecimento do público, além de contar com recursos a mais que o WhatsApp, como armazenamento das conversas em nuvem e uso independente em PC. O app chegou a informar seus usuários que já

Já no caso do Signal, a principal motivação para o aumento da base de usuários ocorreu pela publicação do fundador da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, que recomendou o uso do aplicativo.

Como foi citado antes, os novos termos não preocupam mais do que já acontecia anteriormente. No entanto, considerar uma mudança de mensageiro pode ser uma prática positiva para os usuários.

Além dessas duas alternativas, há outras opções que podem oferecer experiências semelhantes ao WhatsApp. São os casos de Threema, Viber, Wire e Skype. O Google ainda tem o Hangouts, previsto para ser encerrado em 2021, mas será migrado em breve para uma nova versão gratuita do Google Chat, o qual pode também ser uma boa aos usuários.

Dentro do próprio Facebook, há o Messenger. Mas ele talvez não seja a melhor opção, caso a mudança seja devido à segurança. Um levantamento da Forbes deste começo de 2021 indicou que o app é o mensageiro com menos privacidade da App Store.

Cuidados com segurança

É importante ter em mente que simplesmente sair do WhatsApp e partir para outro mensageiro fora do “guarda-chuva” do Facebook não significa estar isento de problemas com cibersegurança.

De acordo com o analista sênior de segurança da Kaspersky, Fabio Assolini, para saber se um app é realmente seguro, há alguns quesitos a se considerar. O primeiro deles se trata de saber se utiliza o celular como credencial de acesso.

“Esta informação é praticamente pública hoje em dia, já que todos os membros de um grupo têm acesso ao nosso contato hoje. Além disso, esta informação pode estar disponível nas redes sociais, em sites e-commerce, cartão de visita e na agenda de diversas pessoas.”


Fabio Assolini

Analista sênior de segurança da Kaspersky

O especialista ainda alerta para considerar a forma de autenticação e elege quais são os mensageiros que oferecem mais recursos de segurança digital aos seus usuários.

“Um aplicativo que priorize a segurança precisa de uma autenticação via ID único – sem se basear no número de telefone –, senha, implementação do segundo fator de autenticação, criptografia de ponta a ponta, e verificação da veracidade de contatos. Um bom comparativo para escolher um app de comunicação seguro é o Secure Messaging Apps Comparison (https://www.securemessagingapps.com/). Neste sentido, podemos afirmar que aplicativos como o Signal e o Threema oferecem mais recursos de segurança do que o próprio WhatsApp.”

Por fim, acrescenta que nenhum aplicativo está livre por completo de possíveis ações contra a privacidade e cibercrime.

Como você avalia toda essa polêmica em torno dos novos termos de privacidade do WhatsApp? Chegou a trocar de mensageiro nos últimos dias ou pretende fazê-lo em breve? Interaja conosco!


11

Comentários

O que muda no WhatsApp ao compartilhar dados com o Facebook em novas regras? | Detetive TC
Android

Cyber Monday 2020 TudoCelular: as melhores promoções em celular

Android

Encontre ofertas e compare preços com o TudoCelular | Guia Black Friday 2020

Android

O melhor celular para comprar de presente no Natal 2020

Especiais

Nada de Black Fraude! Ferramenta do TudoCelular desvenda ofertas falsas