LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Apple dá 'segunda chance' para BOE produzir telas para o iPhone 14, mas há um porém

06 de julho de 2022 4

Atualização (6/7/2022) - HA

A Apple decidiu "perdoar" a BOE e liberar a chinesa para produzir telas para a linha iPhone 14 —dessa vez, considerando que eles façam da maneira que a empresa americana quer. Isso porque a fabricante foi pega no pulo, quando sem avisar mudou as especificações dos painéis OLED que estava fornecendo à Apple para o modelo de 6,1 polegadas do iPhone 13. Com isso, a produção foi paralisada em maio.

A empresa tinha ficado de fora das encomendas da Apple para o novo smartphone, mas agora a dona do iPhone parece ter voltado atrás, não sem uma leve punição pela desonestidade da fornecedora — os pedidos devem ser bem menores que o esperado, quase simbólico. Os rumores são de que a BOE forneça cerca de 5 milhões de unidades no máximo.


A BOE é há anos um terceiro fornecedor de telas para os iPhones LCD mais antigos da Apple, mas só começou a fabricar painéis OLED para a Apple a partir do iPhone 12. Ela estava prestes a receber pedidos de 30 a 40 milhões de iPhones este ano. Após a polêmica com os painéis OLED, executivos da empresa chinesa visitaram Cupertino para explicar a situação à Apple e receber a aprovação dos painéis OLED destinados ao iPhone 14.

Ainda assim, a empresa parece preferir manter a chinesa na sua lista de fornecedores para ter mais poder de barganha com a Samsung e a LG, as sul-coreanas que hoje fornecem mais componentes para a Apple.

Atualização (21/06/22) - JB

Apesar de ter sido "pega" pela Apple num esquema que reduzia a qualidade dos seus displays para a linha iPhone 13 e até mesmo ter sido deixada de lado no fornecimento para a família iPhone 14, a BOE enviou novas amostras de painéis OLED para aprovação da empresa de Cupertino.

De acordo com o pessoal do The Elec, a BOE está tentando uma "nova chance" com a Apple, sendo que os representantes da empresa da maçã estão dispostos a avaliar as melhorias da chinesa.

A Apple sabe que não pode ficar recusando displays em um momento onde o mercado ainda apresenta grande instabilidade. Por isso, avaliar o novo material da BOE e ampliar a fiscalização da chinesa pode ser uma boa solução para a linha iPhone 14.

Caso a Apple aprove os painéis da BOE, ela deve começar a produção em massa em julho ou agosto e isso deve deixar a chinesa atrasada em relação às concorrentes Samsung e LG.

Por enquanto, Apple e BOE não comentam o assunto, mas a chinesa já conseguiu uma segunda chance quando o assunto é o fornecimento de painéis OLED para a linha iPhone 13.

Imagem ilustrativa.

Atualização (20/05/22) - JB

Apple deve comprar 150 milhões de telas OLED para linha iPhone 14, mas BOE fica de fora

De acordo com novas informações compartilhadas por pessoas que possuem acesso aos planos da Apple, a gigante de Cupertino deve solicitar a produção de até 150 milhões de displays OLED para a linha iPhone 14.

Contudo, após ser pega alterando o design dos transistores dos seus painéis, a BOE corre o risco de ficar de fora da cadeia de produção da empresa de Cupertino. A informação foi compartilhada nesta sexta.

Essa mudança feita sem aviso prévio para a Apple tem feito a fabricante do iPhone desconfiar da BOE e isso pode fazer a chinesa perder a encomenda de 30 milhões de painéis OLED para o iPhone 14.

Em busca de contornar os problemas, tudo indica que a LG deve assumir os pedidos da BOE. Com isso, a chinesa seria "castigada" por não ser transparente.

Por enquanto, Apple e BOE não comentam o assunto.


Texto original (05/05/22)

BOE paralisa produção de displays OLED para linha iPhone 13, diz rumor

Apesar de ter fechado um acordo vantajoso com a Apple para a venda de telas para a família iPhone 14, a BOE paralisou a entrega de displays OLED para a linha iPhone 13. A informação foi revelada por pessoas que trabalham na fabricante chinesa.

Segundo o coreano The Elec, a entrega de painéis para a Apple está pausada desde fevereiro deste ano e isso está acontecendo porque a BOE alterou a configuração do circuito sem aviso prévio para a empresa de Cupertino.

Essa alteração foi feita porque a BOE tem enfrentado dificuldades para a compra de semicondutores CIs. O problema começou quando o governo chinês ampliou o lockdown em virtude da nova onda de Covid no país.

Imagem/reprodução: Apple iPhone 13/acervo TC.

Por mais que possa parecer algo simples, as alterações feitas pela BOE acontecem principalmente no transistor de filme fino e isso afeta a arquitetura interna de qualquer smartphone.

O The Elec afirma que a relação entre a BOE e a Apple continua acontecendo normalmente e que essa mudança unilateral não deve impedir contratos futuros.

Por enquanto, Apple e BOE não comentam o assunto. De toda forma, por mais que a chinesa esteja passando por uma série de dificuldades, a expectativa é que o segundo semestre seja mais produtivo e que a empresa consiga entregar displays OLED para a linha iPhone 14.

A Apple tem tentado diversificar a sua cadeia de fornecimento para não ficar apenas nas mãos de Samsung e LG. Por isso, a BOE está recebendo um tratamento diferenciado.

O Apple iPhone 14 está disponível na Mercadolivre por R$ 3.888. O custo-benefício é médio mas esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. Para ver as outras 154 ofertas clique aqui.
(atualizado em 24 de julho de 2024, às 17:42)

4

Comentários

Apple dá 'segunda chance' para BOE produzir telas para o iPhone 14, mas há um porém
Economia e mercado

Huawei Kirin 9010L: chipset inédito é encontrado em smartphone intermediário da chinesa

Android

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

Android

Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

Windows

Versão 122 beta do Microsoft Edge com melhorias e atualização de recursos