LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Extinção em massa: asteroide que eliminou dinossauros também reescreveu a evolução das aves

24 de maio de 2018 11

Uma nova pesquisa mostra como o impacto que matou os dinossauros também teria influenciado a história das aves. Com o fim de muitas florestas e árvores, muitas espécies de pássaros teriam sido extintas, e isso aparentemente teve um profundo impacto sobre os tipos de aves que existem hoje.

Há 65 milhões de anos, um asteroide atingiu a Terra, possivelmente por causa da influência de uma suposta estrela gêmea 'maligna' do Sol, o que causou a extinção dos dinossauros. Mas os lagartos gigantes não foram os únicos que sofreram durante o impacto - incêndios teriam queimado florestas inteiras, e a escuridão e o frio eliminaram espécies e diminuíram a quantidade de plantas.

Após o impacto, uma era de gelo veio em consequência do "espessamento" das camadas intermediárias da atmosfera, por causa das partículas de cinza vulcânica, que refletem os raios solares, antes que eles aqueçam a Terra. Isso certamente afetou profundamente as árvores do planeta.

Como sabemos, as florestas e plantas são o habitat natural de muitos animais, em especial, das aves. Com o cenário que resultou em gás bloqueando a luz do sol, apenas os pássaros terrestres teriam sobrevivido.

De acordo com o autor do estudo, Daniel J. Field, "a eliminação das florestas basicamente deixou uma assinatura de longo prazo na história evolutiva subsequente das aves". O pesquisador acredita que apenas as espécies de aves não-arbóreas tiveram chance de sobreviver.

Entre as pistas que originaram a hipótese, são citados dados como o desaparecimento do pólen de árvores do registro fóssil por mil anos após o impacto do asteroide. Além disso, os fósseis de pássaros desse espaço de tempo parecem consistir apenas dos tipos que habitam no chão.


Claro, hoje temos inúmeras espécies de pássaros que habitam as árvores hoje. Isso porque o planeta começou a se recuperar enquanto o clima voltava ao normal, coisa que se iniciou no período Paleogeno, que é quanto os pequenos mamíferos proliferaram e as aves assumiram o topo da cadeia alimentar.

Foi na época Oligocénica, há cerca de 36-23 milhões de anos, que o clima começou a se tornar mais semelhante ao atual, bem como a flora. Uma vez que as florestas voltaram, houve uma enorme diversificação de espécies, e os pássaros teriam voltado aos ciclos da evolução, colonizado rapidamente as árvores.

Mas caso a extinção em massa não tivesse ocorrido, essa história teria sido bem diferente, e provavelmente as espécimes de aves que habitam as árvores poderiam ser bem diferentes. Afinal, com a interrupção causada pelo asteroide, os pássaros voadores que vieram depois teriam sido a evolução das aves terrestres que sobreviveram.

Alguns cientistas disseram que esta pesquisa é uma maneira interessante de contar a história evolutiva após a extinção em massa. É uma explicação interessante sobre o porquê de apenas algumas linhagens de aves sobreviverem ao evento de extinção e depois diversificarem-se tremendamente nos habitats em recuperação - enquanto outras desapareceram para sempre.


11

Comentários

Extinção em massa: asteroide que eliminou dinossauros também reescreveu a evolução das aves
Android

Evite golpes: passo a passo para obter o auxílio de R$600 | Tutorial TudoCelular

Tech

Coronavírus: Brasil chega a 667 mortes em 13.717 casos confirmados | Relatório diário da Covid-19

Android

Melhor celular ou smartphone: TOP 10 para você comprar | Abril 2020

Economia e mercado

Coronavírus: como diferenciar doenças como resfriados, rinite e mais da COVID-19