LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Coronavírus: Anvisa autoriza importação de vacinas Covaxin e Sputnik V com restrições

05 de junho de 2021 32

Nesta sexta-feira (4), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o pedido de importação excepcional das vacinas Covaxin e Sputnik V, mas com algumas restrições.

A decisão não significa o mesmo que autorização de uso emergencial. Ela é uma definição voltada a lotes específicos de ambos os imunizantes. A aceitação veio após a Anvisa receber mais documentos das fabricantes, visto que havia recusado anteriormente.

Aplicação controlada

Como não são aprovadas, as duas vacinas em questão terão uso em condições controladas, sob a responsabilidade do Ministério da Saúde. No caso da indiana Covaxin, serão 4 milhões de doses, as quais terão situações específicas para aplicação e um acompanhamento de quem tomou as doses.

Já a russa Sputnik será restrita a 1% da população de cada um dos seis estados do Consórcio do Nordeste, encarregados pelo pedido do imunizante. A quantidade permitida para ser aplicada é dividida em:

  • Bahia: 300 mil
  • Pernambuco: 192 mil
  • Ceará: 183 mil
  • Maranhão: 141 mil
  • Piauí: 66 mil
  • Sergipe: 46 mil
Tecnologias das vacinas

A Covaxin, criada pelo laboratório Bharat Biotech, utiliza uma técnica similar à CoronaVac. Isso significa que aqui temos uma vacina de vírus inativado, a qual utiliza o próprio SARS-CoV-2 “morto” para a criação do produto.

Do outro lado, a Sputnik V é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Gamaleya e aplica o método de vetor viral, por meio de adenovírus humanos Ad5 e Ad26, cada um para uma dose distinta, com proteínas do coronavírus para gerar a resposta imune. Outras vacinas que usam formatos semelhantes são a de Oxford/AstraZeneca e a da Janssen.

Eficácia

Em estudo preliminar dos dados da Fase 3, a Covaxin foi capaz de gerar uma eficácia de 78% em casos sintomáticos. Em outras palavras, ela diminuiu em 78% os casos de Covid-19 no grupo vacinado, na comparação com o grupo controle. Além disso, os dados indicaram para ser 100% eficaz na redução de casos graves.

Por outro lado, a Sputnik V registrou uma porcentagem de 91,6% de eficácia nos resultados publicados do ensaio clínico de Fase 3. Além disso, em uma segunda pesquisa, esta para medir a efetividade, foi possível reduzir em 97,6% os casos da doença na vida real.

E aí, quais são as suas expectativas para a chegada de mais essas duas vacinas para a imunização dos brasileiros contra o novo coronavírus? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.


32

Comentários

Coronavírus: Anvisa autoriza importação de vacinas Covaxin e Sputnik V com restrições
Android

Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

Android

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

Android

Cyber Monday 2020 TudoCelular: as melhores promoções em celular

Android

Encontre ofertas e compare preços com o TudoCelular | Guia Black Friday 2020