» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
629

Motorola Moto E6 Plus

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

Motorola lançou este mês o Moto E6 Plus, seu novo smartphone basicão que fica abaixo da linha Moto G7, mas que chega com preço acima do modelo mais básico da linha.

Seu design foi renovado e traz mais câmera do que antes e também adota entalhe como os demais da linha G7. Quais diferenciais oferece o Moto E6 Plus, é isso que você descobre agora com a análise completa do TudoCelular.

Acessórios

O Moto E6 Plus vem em caixa laranja com tom chamativo, talvez uma possível alusão às opções de cores. Ele vem com acessórios que não víamos faz um bom tempo:

  • Carregador de 10W de potência
  • Cabo USB no antigo padrão micro
  • Bateria removível de 3.000 mAh
  • Fone de ouvido e ponteiras em três tamanhos
  • Adaptador para nano SIM para micro SIM
  • Capinha de silicone
  • Manuais do usuário

Fazia tempo que não víamos um celular com bateria removível, mas o que chama a atenção é o adaptador para micro SIM, algo também em extinção.

Design e construção

O E6 Plus traz design mais moderno com bordas mais finas e entalhe no topo, assim como os modelos da família G7. Isso deixou ele mais compacto, temos 155,6 x 73,1 mm contra 160,9 x 75,3 mm de antes. Ele também está mais fino e leve devido à menor bateria.

Apesar do seu acabamento em plástico, a empresa adotou cores mais elegantes para atrair o público jovem, como a opção em vermelho brilhante, o cinza metálico e até mesmo a cor Rubi.

Um detalhe curioso é que a tampa traseira é removível, algo que foi deixado de lado pelas fabricantes e até pela própria Motorola que não tinha adotado este design no Moto E5 Plus.

A boa notícia é que você tem acesso à bateria, que também é removível. Mas em troca a capacidade energética foi reduzida bastante, o que vai comprometer a autonomia.

Ao tirar a tampa você também tem acesso aos dois slots para chip, sendo um no tamanho nano e outro micro. Há também um slot para microSD. Isso nos faz lembrar os antigos celulares básicos lá de 2016 que foram sumindo do mercado a partir de 2017.

Há leitor biométrico na traseira onde fica a clássica logo da Motorola. Ele funciona bem e reconhece a digital de primeira na maioria das vezes. Também há biometria por facial, mas a diferença na velocidade do desbloqueio é mínima.

Tela e som

Sua tela continua IPS LCD e ganhou alguns pixels a mais. Agora a resolução salta para 720 x 1560, sendo uma pequena diferença para o que tínhamos antes.

Assistir vídeos nas 6,1 polegadas do E6 Plus será uma boa experiência desde que evite locais com forte iluminação. O nível máximo do brilho não é alto, como típico de um celular básico da Motorola, e o reflexo do vidro é maior do que normalmente vemos nesta categoria.

Há apenas um alto-falante na parte inferior que entrega boa potência sonora. A qualidade do som em si não é das melhores e fica abaixo de outros nessa faixa de preço, especialmente se comparado com os novos básicos da LG.

O mesmo acontece com o fone de ouvido que vem junto: faz apenas o básico e não empolga em som.

Desempenho e jogos

Resultados em benchmarks:

  • AnTuTu: 77.369 pontos
  • GeekBench: 830 (single-core) e 3.728 (multi-core)
  • GFX Bench [off-screen]: 2,6 fps (Car Chase), 9,6 fps (Manhattan) e 19 fps (T-Rex)
  • AndroiBench: 275,03 MB/s (leitura sequencial) e 111,09 MB/s (escrita sequencial)

Motorola trocou Qualcomm por MediaTek. Sai o processador quad-core de antes e entra o Helio P22 com oito núcleos e velocidade superior.

Era esperado ver um salto considerável no desempenho, mas isso não aconteceu. O E6 Plus é um pouco mais rápido que o Moto E5, e parte da culpa pode estar nos mesmos 2 GB de RAM.


Esse modelo também foi lançado com o dobro de memória. Depois veremos se isso realmente faz diferença. A verdade é que o E6 Plus é mais lento que o G7 Play e rivais de outras marcas.

A diferença maior fica para benchmarks, mostrando que o Helio P22 tem mais força que o Snapdragon 425 de antes, especialmente em GPU.

Em jogos, no entanto, a diferença foi pouca. O Moto E6 Plus ainda sofre para entregar uma experiência suave. Até mesmo games mais antigos como Asphalt 8 e Modern Combat 5 não rodam a 30 fps constantes.

Usamos a ferramenta Gamebench para medir o desempenho em jogos no Moto E6 Plus:

JOGOS FPS
Asphalt 8 26
Asphalt 9 23
Injustice 2 29
Modern Combat 5 24
PUBG Mobile 25
Subway Surfers 59
Vainglory 39

Caso tenha interesse em testar o desempenho em jogos no seu Android, basta fazer o download do Gamebench via Play Store.

Câmera

A câmera principal agora traz 13 MP, sendo um pequeno avanço em resolução para o antecessor. A novidade mesmo fica para a secundária de 2 MP que cuida de fazer o desfoque com o modo retrato.

A qualidade é básica, como esperado de um celular de entrada. É possível tirar boas fotos quando a iluminação está a seu favor.

Em alguns cenários ele sofre para regular a exposição e temos fotos com céu estourado, enquanto em outros cenários há um melhor equilíbrio entre brilho e contraste.

Modo retrato traseira



A câmera secundária tem como único objetivo desfocar o fundo. O resultado não é bom. O contorno é mal aplicado e isso fica mais evidente ao redor da cabeça da pessoa fotografada.

A frontal também permite usar o efeito de desfoque com ajuda apenas do software. O efeito é igualmente limitado e não é possível ajustar depois que a foto é capturada como outros da Motorola permitem.

Fotos à noite é o grande ponto fraco de celulares básicos e aqui o Moto E6 Plus deixa isso bem evidente. Você terá fotos bastante escuras com nível acentuado de ruídos, que ficam ainda mais visíveis quando se usa o modo retrato.

Moto retrato frontal



Ele não possui flash LED dedicado para a câmera frontal como o modelo anterior, mas traz uma solução via software que pisca a tela na cor branca para iluminar seu rosto na hora de tirar a foto... e até que funciona bem.

Enquanto o G7 Play permite gravar vídeos em 4K, este fica limitado apenas à resolução Full HD. A qualidade é decente de dia, só à noite que será difícil enxergar algo que esteja longe da câmera.

O foco automático é um pouco lerdo e nem sempre acerta o objeto de primeira e fica ainda pior em locais mais escuros. Por não ter estabilização os vídeos saem tremidos, como esperado de aparelhos nessa categoria. Só peca mais por gravar áudio mono.

Bateria

O E5 Plus veio com generosa bateria de 5.000 mAh, mas o seu sucessor acabou cortando esta capacidade para apenas 3.000 mAh. Esse é o preço a se pagar para ter uma bateria removível.

Sua autonomia é boa, sendo possível usar o celular o dia todo sem precisar sair de casa com o carregador. Ele fica abaixo dos concorrentes que trazem baterias mais generosas, mas o pior do E6 Plus é o tempo de recarga.


Ele vem com carregador de 10W que pode ser uma boa potência para um celular com bateria pequena, mas acontece que ele demora quase 4 horas para chegar a 100%. Suspeitamos que o gargalo esteja na conexão micro USB que não consegue explorar toda a potência do carregador. Independente de carregá-lo no PC ou na tomada vai demorar o mesmo.


É quase o dobro do tempo do que temos em celulares básicos da Samsung, Xiaomi e até da própria Motorola.

Software

Assim como demais celulares da marca, o E6 Plus vem com Android mais puro. Este aqui é até mais limpo que os modelos da linha Moto G7.

A empresa deixou de lado os seus aplicativos que trazem alguns recursos extras como os gestos para abrir a câmera ou ligar a lanterna.

Há apenas o Moto Ajuda que traz informações sobre a garantia do aparelho e uma versão digital do manual do usuário.

Não chega a ser a mesma experiência que temos com o Android One, já que não há garantias de que o E6 Plus será atualizado para versões futuras do sistema.

Rivais

O Moto E6 Plus é um celular perdido dentro do portfólio da Motorola. Por ser o novo basicão da marca ele deveria custar menos que o G7 Play que entrega melhor desempenho, bateria e câmera.

Nesta faixa de preço é possível encontrar o Galaxy A20 que também tem melhor desempenho e bateria, além de passar muito menos tempo na tomada.

Para modelos importados há o Redmi 7 que pode ser encontrado no Brasil pelo mesmo valor. Este é ainda mais rápido e tem como grande vantagem suas câmeras, especialmente a frontal que registra selfies muito melhores.

Se desempenho é o que mais importa para você, o LG K12 Plus é uma boa aposta. Sua bateria também rende bem e recarrega muito mais rápido que este modelo da Motorola.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Cores chamativas para púbico mais jovem
  • Tela de qualidade
  • Bateria removível

Pontos fracos

  • Desempenho abaixo da concorrência
  • Autonomia de bateria e tempo de recarga
  • Câmera secundária não faz diferença
  • Não tem os apps da Motorola
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O Moto E6 Plus sai mais caro que o G7 Play, que é um celular superior.

Embalagem e características

Embalagem vem bastante completa, só faltou uma película de proteção para a tela.

Comodidade

Ele é mais fino e leve que modelo anterior, porém não chega a ser um celular compacto.

Facilidade de uso

Você recebe um Android bastante puro que não traz nem os apps da própria Motorola, mas não confunda com o Android One.

Multimídia

Tela IPS tem boa qualidade, porém o brilho é baixo. O som é decente e o fone de ouvido é confortável.

Votação Geral

O Moto E6 Plus é inferior aos seus concorrentes e a versão com 4 GB de RAM tem custo-benefício ainda pior.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto E6 Plus