» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.169

Motorola Moto G32

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

Depois de analisarmos os modelos avançados e intermediários dos recentes lançamentos da Motorola, chegou a vez de conferir o que o mais básico da família tem a oferecer. O Moto G32 chegou ao mercado nacional em agosto de 2022 por R$ 1.599 e atualmente pode ser encontrado mais barato. Será que vale o investimento? Vamos conferir.

Acessórios

O Moto G32 vem em embalagem escura com o logo branco da Motorola e o nome do aparelho em verde. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador de 33W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Fone de ouvido básico
  • Capinha transparente de silicone
  • Chavinha da gaveta do SIM card
  • Guia do usuário
Design e conectividade

A Motorola deu uma modernizada em seus celulares e até mesmo os mais básicos perdem aquela cara de celular barato. O Moto G32 também recebeu atenção da marca e ganhou visual mais chamativo em três opções de cores: preta, rosê e vermelha. Nas cores mais claras temos um efeito metalizado, mas todas acumulam marcas de dedo com facilidade.

O acabamento é feito de plástico liso com leve curvatura nas bordas. As laterais possuem acabamento fosco para tornar o celular menos escorregadio, mas a Motorola ainda manda uma capinha na caixa. O bloco de câmeras perdeu aquele formato oval de antes e agora está mais retangular.

A parte frontal está melhor aproveitada e o Moto G32 traz tela maior com corpo com dimensões similares às do seu antecessor. Temos entalhe em formato de gota no topo, enquanto a borda abaixo da tela ficou mais fina. Peso e espessura não sofreram mudanças consideráveis.

O leitor biométrico vem integrado ao botão de energia na lateral direita e responde bem, sendo ágil para a categoria. Do mesmo lado temos o botão duplo para controle de volume, enquanto do lado oposto há a gaveta para dois chips e microSD.

No lado inferior do Moto G32 encontramos o conector para fones de ouvido, a entrada USB-C, o alto-falante principal e um microfone. No topo há mais um microfone para a captura de áudio estéreo e a menção ao Dolby Atmos, que está presente nos alto-falantes do aparelho.

O G32 fica devendo conectividade 5G e NFC, mas traz suporte a Wi-Fi AC para redes de 5 GHz e Bluetooth 5.2. E para os amantes de rádio FM, a Motorola ainda vem mantendo o recurso em alguns aparelhos com direito a banda estendida.

Tela e som

A tela possui 6,5 polegadas com resolução Full HD+, mas perdeu o painel OLED da geração anterior e agora traz um IPS LCD mais simples. A boa notícia é que a taxa de atualização subiu para 90 Hz, mas em troca temos brilho fraco para a categoria. O G32 é aquele típico celular voltado para ser usado em locais fechados.

O painel adotado pela Motorola possui boa qualidade e pode não empolgar com cores saturadas ou preto perfeito das telas OLED, mas até que exibe belas imagens e bom ângulo de visão. A calibração nativa tende para cores frias, como é o padrão da marca e há opções para mudar a temperatura das cores ao seu gosto.

É bom ver que a Motorola vem dando mais atenção à parte sonora. O alto-falante de chamadas atua como canal secundário e com isso garante som estéreo bem equilibrado com boa potência e sem distorção quando o volume está no máximo.

Além do bom equilíbrio entre graves, médios e agudos, há o efeito tridimensional do Dolby Atmos que ajuda a ter melhor imersão com filmes e jogos. O fone de ouvido que vem na caixa é aquele mais simples feito de plástico rígido que serve bem para ouvir músicas e atender ligações.

Desempenho

A Motorola trocou o Helio G85 por um Snapdragon 680 no G32. A quantidade de RAM é a mesma de antes e os 4 GB ainda não são suficientes para segurar muitos apps abertos em segundo plano. Pelo menos o novo foi mais rápido em nosso teste de velocidade, o que mostra que o hardware da Qualcomm é mais veloz.


Isso também foi constatado em benchmarks. O Moto G32 ficou na média dos 200 mil pontos no AnTuTu, o que dá uma diferença de 10% comparado ao antecessor. Não é uma evolução grande, mas já vimos novos celulares da marca entregarem desempenho inferior que modelos antigos.

Ele também vai bem em jogos e consegue rodar Call of Duty na qualidade gráfica muito alta com taxa de quadros no médio e recursos extras ativados. O PUBG roda bem na opção balanceada com extras também habilitados.

Bateria

O G32 é mais um celular da linha Moto G com bateria de 5.000 mAh, mesmo tamanho presente em seu antecessor. A mudança do hardware e a inclusão de uma tela com taxa de atualização superior fizeram com que a autonomia caísse, mas ainda é suficiente para garantir um dia inteiro de uso moderado.


A boa notícia é que a Motorola manda um carregador TurboPower de 33W na caixa que recarrega completamente a bateria em menos de 1 hora e 20 minutos, o que é algo raro para um segmento em que ainda é comum ver celulares levando duas horas ou mais.


Se você der uma carga rápida de 15 minutos terá um terço da bateria para usar e com meia hora na tomada terá mais da metade da bateria recuperada, o que garante mais de 10 horas de uso.

Câmeras

O conjunto fotográfico não traz grandes novidades e temos as mesmas câmeras traseiras da geração passada. A principal possui sensor de 50 MP, há ultra-wide de 8 MP que também cuida do desfoque de cenários e uma terceira com apenas 2 MP e lente macro. A câmera frontal, no entanto, evoluiu e agora possui sensor de 16 MP.

O G32 também tem conjunto fotográfico similar ao G52, mas não necessariamente entrega a mesma qualidade em fotos. Como o G32 foi lançado mais recentemente, parece que a Motorola conseguiu otimizar o software para fazer melhor uso do sensor de 50 MP.

Principal | Ultra-wide



No geral, o Moto G32 captura boas fotos para o segmento com cores vibrantes, poucos ruídos e HDR mais acertado que outros da Motorola que testamos recentemente. Há diferença na tonalidade das cores entre a câmera principal e secundária, assim como a de lente mais ampla captura bem menos detalhes.

A principal possui modo noturno para ajudar a lidar com cenários escuros. Não faz tanta diferença com relação ao ganho na claridade, porém é perceptível que a nitidez é melhorada. Curiosamente, ao usar o modo retrato vemos que os ruídos ficam mais evidentes.

Desfoque



Macro



A ultra-wide é boa apenas para fotografar durante o dia. É uma pena que a Motorola não tenha incluído o modo Night Vision nesta câmera. A ultra-wide também é usada para gerar o desfoque de fundo e apresenta erros em cenários mais completos. Por fim, há a câmera macro que captura fotos de baixa resolução e peca por falta de foco automático.

Noturno



A frontal registra boas selfies diurnas e apresenta bom desfoque de fundo. Usar a câmera frontal à noite possui suas limitações, especialmente com o modo retrato ativado que destaca os ruídos e a baixa qualidade das texturas.

Selfies



A filmadora grava em Full HD com a traseira e a frontal. Em locais bem iluminados terá boas filmagens, porém basta a luz cair que a qualidade e fluidez dos vídeos ficam comprometidas. Também notamos que há pequenos travamentos quando se usa mais de uma câmera para gravar ao mesmo tempo.

O Moto G32 não possui estabilização para lidar com os tremidos. O foco é ágil e a captura de som é bastante clara e com alto volume. A frontal e a ultra-wide sofrem bastante para filmar à noite.

Software

O Moto G32 vem com Android 12 com a interface padrão da Motorola e traz a experiência completa da marca. Há o app Moto que reúne opções para customizar a aparência da interface ao mesmo tempo em que libera alguns extras além do que o Android oferece por padrão.

Entre os mais clássicos estão os atalhos de abrir rapidamente a câmera ao girar o celular ou o de ligar a lanterna quando o G32 é sacudido. Se você tocar com três dedos na tela será feita uma captura, enquanto ao tocar duas versões no sensor de digitais abrirá um pequeno menu flutuante com atalhos para seis aplicativos.

Rivais

Quais os rivais do Moto G32 no mercado nacional? Da Samsung temos o Galaxy A23 que também vem com Snapdragon 680 e 4 GB de RAM. Ele foi mais lento em nosso teste de velocidade por falta de otimização da One UI, enquanto a sua bateria rendeu mais. No tempo de recarga é o Motorola que leva vantagem, mas o Galaxy se destaca mais em câmeras.

O realme 9i também é outra opção na mesma faixa de preço e que vem equipado com Snapdragon 680. Ele se destaca em desempenho comparado aos modelos da Motorola e Samsung, além de sua bateria durar bastante e recarregar quase tão rápido quanto o Moto G32. O intermediário da realme também tem boas câmeras, mas fica devendo em ultra-wide para capturas mais amplas.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Desempenho acima da média
  • Som estéreo imersivo
  • Boa autonomia de bateria
  • Boas câmeras

Pontos fracos

  • Tela LCD simples tem brilho baixo
  • Filmadora peca em fluidez
  • Há opções melhores da Motorola
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O custo-benefício não é dos melhores, mas valera a pena em ofertas futuras

Embalagem e características

Embalagem vem com capinha, fone de ouvido e carregador potente

Comodidade

É um celular grande, mas não tão escorregadio; a Motorola manda capinha na caixa

Facilidade de uso

É o mesmo Android simples de outros aparelhos da Motorola

Multimídia

Tela tem brilho fraco, mas alto-falantes com som estéreo de boa qualidade compensam a experiência multimídia

Votação Geral

O Moto G32 é um bom celular, só poderia ter melhor tela

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto G32