» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.295

Motorola Moto G73

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O Moto G73 é mais uma opção de intermediário 5G da Motorola que chegou ao mercado brasileiro prometendo um bom conjunto com preço justo. Aqui temos tela de 120 Hz, câmera de 50 MP e bateria para o dia todo. Vendo assim, temos a impressão de que o G73 não traz nada novo e parece ser apenas mais um celular da marca como diversos outros lançados antes. Será? Nesta análise do TudoCelular iremos conferir os pontos positivos e negativos e ver se a novidade vale a pena.

Acessórios

O Moto G73 vem em embalagem escura com o logo branco da Motorola e o nome do aparelho em verde. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador de 30W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Capinha de silicone
  • Chavinha da gaveta do SIM card
  • Guia do usuário
Design e construção

O Moto G73 chega como sucessor do G72, mas este não foi lançado oficialmente no Brasil. Assim, iremos usar como base de comparação o G71 lançado em 2021 para termos uma noção do que evoluiu no novo e o que permanece igual.

O G73 traz design atualizado e parecido com o G53. O bloco de câmeras encolheu e ficou mais retangular comparado ao do G71. A Motorola também vem reduzindo a quantidade de câmeras na traseira de seus aparelhos para entregar um visual mais limpo.

Em termos de tamanho tivemos mudanças sutis, com o novo um pouco mais fino. Seu corpo continua de plástico e agora traz acabamento fosco nas laterais e traseira, o que de certa forma ajuda na pegada, mas o material usado pela Motorola mancha com grande facilidade, especialmente na cor azul. Também há uma opção branca que minimiza o problema.

A curvatura nas bordas está mais sutil, mas ainda passa conforto ao segurar o aparelho com apenas uma mão. A Motorola ainda manda um capinha de silicone na caixa para ajudar a proteger o celular. Ela não acrescenta muito volume ao aparelho e não atrapalha o leitor biométrico na lateral direita integrado ao botão de energia. Ele responde bem e está dentro do esperado para a categoria.

O Moto G73 vai na contramão do mercado e ainda vem com entrada padrão para fones de ouvido, apesar da Motorola não mandar mais o acessório com seus celulares. O conector fica na parte inferior, ao lado da entrada USB-C e do alto-falante principal. Na lateral esquerda temos a gaveta híbrida que permite usar dois chips ou abrir mão de um para expandir o armazenamento. O Moto G73 conta com dois microfones, um no topo e outro na parte inferior, para captura de som estéreo.

Como dito inicialmente, temos aqui um celular com conectividade 5G. Ele também traz Wi-Fi de quinta geração com suporte a dual-band para redes 5 GHz, Bluetooth 5.3 e NFC.

Tela e som

O Moto G73 traz o mesmo tamanho de tela do G53 com 6,5 polegadas, assim como a tecnologia IPS LCD e a taxa de atualização de 120 Hz. O que muda entre os dois modelos da Motorola é que o mais avançado vem com painel Full HD para imagem mais nítida.

O nível de brilho é baixo para a categoria e fica a par de modelos de entrada da Motorola. É realmente decepcionante ver a empresa não investindo em tela OLED, ainda mais quando esse tipo de painel foi usado no Moto G71 lançado há quase dois anos.

O nível de contraste e o ângulo de visão são bons para garantir uma boa experiência com o Moto G73, desde que você evite usar o celular fora de casa, especialmente em dias ensolarados.

A parte sonora também poderia ser melhor. Há dois alto-falantes para garantir som estéreo, mas a potência fica abaixo da concorrência. Além disso, os graves e agudos se destacam mais do que os médios, o que compromete a experiência com músicas. Há Dolby Atmos com vários perfis para escolher e até equalizar ao seu gosto.

Pelo menos há entrada padrão para fones de ouvido, o que permite usar qualquer fone que você possua.

Desempenho

O Moto G73 vem equipado com o Dimensity 930, um hardware lançado há alguns meses pela MediaTek e que está presente em poucos celulares até o momento. Ele traz processador com núcleos da série A78 e A55, além de GPU com nome exótico, o modelo BXM-8-256. Para lidar com o multitarefas temos 8 GB de RAM. Mas como o G73 se sai no uso do dia a dia?


Ele se mostrou um celular rápido para o segmento e conseguiu segurar todos os apps abertos em segundo plano. Em benchmarks tivemos resultados similares ao do Exynos 1280, que equipa os intermediários da geração passada da Samsung. No AnTuTu registramos média de 360 mil pontos.

E nos jogos? Essa GPU exótica é capaz de lidar bem com games atuais na resolução Full HD? Call of Duty é possível jogar na qualidade gráfica alta com anti-aliasing ativado, porém deixando demais extras desativados. No PUBG temos boa fluidez em HD com taxa de quadros em alta e todos os recursos habilitados.

Bateria

Esse é mais um celular da Motorola com bateria de 5.000 mAh, mesmo tamanho presente no Moto G71. Normalmente esperamos que um modelo mais recente entregue autonomia superior por contar com hardware mais atual e eficiente, mas o G73 acabou ficando muito abaixo em nosso teste padronizado.


De qualquer forma, ele ainda é capaz de entregar autonomia para o dia inteiro sem precisar se preocupar em ficar sem o celular antes de voltar para a casa. Ele vem acompanhado de carregador TurboPower com potência máxima de 30W que demora 1 hora e 15 minutos para encher totalmente a bateria.


Com uma carga rápida de 15 minutos terá quase um terço da bateria para usar e pouco mais da metade com uma carga de meia hora. Não chega a impressionar como alguns intermediários da Xiaomi, mas está melhor do que rivais da Samsung.

Câmeras

O Moto G73 vem com a mesma câmera de 50 MP do Moto G53. O que muda neste conjunto é que temos uma ultra-wide de 8 MP com foco automático no lugar do simples sensor de 2 MP para macros do modelo mais barato.

A câmera da Motorola registra fotos com cores menos saturadas do que vemos em celulares da Samsung. As imagens capturadas pelo Moto G73 apresentam contraste e faixa dinâmica dentro do esperado, mas a nitidez não é das melhores no modo padrão.

Principal | Ultra-wide



Esse é mais um sensor que comprime quatro pixels em um para resultar em fotos de 12,5 MP. O problema é que o software exagera no pós-processamento e perdemos os detalhes mais finos da imagem. A boa notícia é que isso pode ser resolvido ao fotografar no modo 50 MP e temos imagens muitos mais nítidas, com as mesmas cores e sem pesar tanto no armazenamento.

Padrão | 50 MP



É bom ver que o HDR faz um ótimo trabalho mesmo em fotos ao fim de tarde com o sol de fundo, o que sempre foi um dos pontos fracos da Motorola. A ultra-wide perde nitidez e apresenta borrões nos cantos. As fotos apresentam cores menos saturadas e sofrem bastante com ruídos e texturas de baixa qualidade em locais com pouca luz.

Há modo noturno para ajudar em cenários mais escuros. Ele prolonga a exposição para que mais luz chegue ao sensor e com isso temos imagens mais claras, mas sem deixar as falhas mais evidentes, o que é um ponto positivo. Só não espere ver algum ganho em nitidez e o modo 50 MP não faz tanta diferença ao fotografar à noite.

Noturno



A vantagem de ter foco automático na ultra-wide é que podemos usar essa câmera para macros e ter resultados melhores do que o Moto G53 com câmera macro dedicada. Essa câmera também é responsável pelo desfoque de cenários e faz um trabalho decente, apesar de termos pequenas falhas em cenários mais complexos.

Macro


Desfoque


A câmera frontal do Moto G73 traz sensor de 16 MP com menor abertura focal do que é visto em outros do segmento. O resultado disso é que ele até consegue registrar boas selfies diurnas, mas à noite sofre com imagens escuras e granuladas. É bom ter uma boa fonte de luz por perto na hora de registrar suas selfies.

Selfies



A filmadora grava em Full HD com a traseira e a frontal. A diferença é que a câmera principal é capaz de filmar a 60 fps e de selfies fica limitada à metade. O foco não é dos mais eficientes, assim como a estabilização. A captura de áudio é estéreo e tem qualidade decente. Fica claro que a filmadora não é o destaque do Moto G73 e há modelos mais interessantes na mesma faixa de preço.

Software

O Moto G73 sai da caixa com Android 13 modificado pela interface MyUX. A Motorola não é das melhores em atualização de sistema e muitos aparelhos prometidos para receber a versão 13 do robozinho ainda estão à espera sem qualquer sinal de que receberão em breve.

A empresa promete que o G73 será atualizado para o Android 14 que deve ser liberado pelo Google na segunda metade de 2023, mas não espere ver a atualização tão cedo. Pelo menos o pacote de segurança não estava tão defasado quando testamos o G73.

O software é o mesmo visto no Moto G53 e outros lançamentos recentes da marca, que traz apenas o essencial para você ter uma experiência prática com o Android. Há alguns truques como gestos para acessar seu app ou recurso favorito tocando duas vezes na traseira.

Há também a Pasta Segura, um recurso similar ao que temos na linha Galaxy. Ela permite proteger seus apps e mídias confidenciais com uma senha de acesso diferente daquela usada para desbloquear o aparelho. É possível alterar o ícone e o nome da pasta para afastar a atenção dos curiosos.

Rivais

O Moto G73 é uma melhor opção do que o Galaxy A53? Depende. O novo intermediário da Motorola é mais rápido no multitarefas, possui maior autonomia de bateria e recarrega mais rápido. O rival da Samsung possui tela AMOLED com brilho mais forte e tem melhores câmeras.

O Moto G82 é um modelo superior da geração passada da Motorola. Os dois estão na mesma faixa de preço e com isso surge a dúvida: qual o melhor? O G82 tem melhor tela e sua bateria dura mais, enquanto o G71 é mais rápido. Em câmeras tem conjunto similar nos dois.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Tela de 120 Hz
  • Desempenho multitarefas na média
  • Boas câmeras

Pontos fracos

  • Tela LCD tem brilho baixo
  • Som não tem muita potência e qualidade
  • Só receberá uma atualização do Android
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O custo-benefício não é dos melhores, mas valera a pena em ofertas futuras

Embalagem e características

Embalagem traz capinha de silicone e carregador de 30W

Comodidade

O Moto G73 é um celular grande e escorregadio, mas vem com capinha na caixa

Facilidade de uso

É o mesmo Android simples de outros aparelhos da Motorola

Multimídia

Tela tem brilho apenas decente e som estéreo peca em qualidade sonora

Votação Geral

O Moto G73 é mais um bom celular intermediário 5G da Motorola sem muitos destaques

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto G73